terça-feira, 6 de janeiro de 2015

ATA

Reunião PSI – Colégio Notre Dame – 08/12/2014


TCU – Denúncia obra do Metrô e Praça N. S. da Paz:

      Apesar do Ministro do TCU ter achado a Ação muito pertinente, não foi dado parecer, devido às atribulações costumeiras de final de ano. Portanto, foi colocada em pauta para julgamento, mas em seguida foi retirada.
       Segundo o Ministério Público, o Consórcio responsável pela execução da obra da linha 4, não deu as devidas explicações sobre os questionamentos inseridos na Ação. José Maximino, não aceitou o recomeço da obra da forma que estava sendo projetado.
      A maneira correta de se prosseguir com a escavação, seria o aprofundamento da máquina para seguir com a abertura do caminho,  na profundidade especificada pelo fabricante do aparelho de pelo menos 25 metros. Como existe uma grande resistência neste sentido, por conta da empreiteira, e governo, alegando o cumprimento do prazo prometido para o término da obra, ficou estipulado que a escavação avançaria de 02 à 03 metros por dia, minimizando assim, os riscos de desabamentos das edificações da região.
      O Ministério Público vai entrar com uma Ação pedindo os acessos da Estação N. S. da Paz, fora da praça e que os projetos paisagísticos para a reconstituição do que foi destruído, obedeça as características originais da praça.

  Ação carnaval/ venda de bebidas pelos ambulantes- andamento- representação ao MP:

      Muitas estratégias estão sendo elaboradas para minimizar os efeitos causados pela livre comercialização de ambulantes informais que vendem bebidas antes e durante os desfiles dos blocos pelo bairro. Com esta facilidade de acesso à bebidas, sendo a maioria alcoólica, os menores são os mais vulneráveis à toda a situação que esta irregularidade pode causar.
     
Reunião com as associações de Copacabana, Leblon, Gávea e Jardim Botânico sobre  o excessos de blocos, sujeira, xixi etc. durante o carnaval:

      Foi realizada uma reunião muito produtiva com duas associações do Jardim Botânico, uma da Gávea, três do Leblon, uma de Copacabana e o PSI. Foram debatidos muitos assuntos relacionados à desordem generalizada que invade as ruas destes bairros antes e durante o carnaval.
      O objetivo foi relacionar os problemas comuns e se chegar a um consenso de como agir, de onde se pode pedir ajuda, enfim.
      Foram então mencionados, alguns quesitos mais importantes, sendo em alguns, sugeridas estratégias que atinjam o “x” do problema, como por exemplo: que só se autorizem o desfile de um bloco por dia em cada bairro. Outra sugestão: não permitir que as bandas fixas, impeçam o trânsito de moradores em determinados locais.
      Foi também sugerido que os patrocinadores dos eventos/blocos mantenham os banheiros limpos por todos os trajetos dos blocos.
      Foi debatida também a questão dos ambulantes, já mencionada. Ficou estabelecido que seja “estudada” uma maneira de impedir que os ambulantes permaneçam nos locais de concentração dos blocos.

      Está previsto para o início do próximo ano, reuniões com o Secretário de Ordem Pública para se chegar a uma solução sobre a população de rua, camelôs e todo tipo de desordem urbana que vem afetando toda a população. O que fazer nestes casos?
      Igualmente está previsto reunião com o Comitê Gestor para solicitação de redução de  estacionamento na orla que também é um fator negativo para manutenção da ordem no bairro, provocando a superlotação do espaço.
      Existe também uma idéia de campanha para a reposição das árvores retiradas da Rua Visconde de Pirajá, com o objetivo de devolver as sombras das calçadas, além da oxigenação fundamental. Além da reposição das árvores, existe também uma idéia de implantar harmonia na rua principal do bairro que é prejudicada pelo movimento acentuado de pedestres devido ao comércio, com projeto paisagístico para os canteiros da rua. Naturalmente, ao mesmo tempo, iria ser trabalhada uma campanha de conscientização e preservação junto à população que frequentemente transita pelo bairro.     
            


      

Nenhum comentário: