sexta-feira, 28 de novembro de 2014

OLHA O PERIGO !


Os mal feitos das obras para receber o metrô são facilmente percebidos 
na superfície e o que não vemos, quem percebe ?

Obra da light na rua Joana Angelica  esquina com rua Barão da Torre,

parte elétrica cruza próximo à rede de gás.

quarta-feira, 26 de novembro de 2014

quarta-feira, 19 de novembro de 2014

sábado, 15 de novembro de 2014

quinta-feira, 13 de novembro de 2014

ALUGUÉIS CAROS

Ipanema enfrenta mudanças devido ao aumento do preço dos aluguéis

Pelo menos 30 lojas fecharam as portas nos últimos meses na Visconde de Pirajá, onde há vários cartazes com o dizer: “Passo o ponto” 0


terça-feira, 11 de novembro de 2014

RECEBIDO POR EMAIL

LEONARDO BOFF
    Ao analisar-se as crônicas de Leonardo Boff, notadamente a última publicada na edição eletrônica de Jornal do Brasil de 9/11/2014, percebe-se grande radicalização em suas idéias. Naquela última há grande ataque aos moradores dos bairros de Ipanema, Leblon no Rio de Janeiro e dos Jardins em São Paulo.
   Acredita-se que seria mais efetivo que voltasse suas críticas à desconstrução da infra-estrutura habitacional, à queda da educação ampla e saúde durante os últimos anos.
É conveniente ressaltar que as classes mais abastadas são responsáveis pela geração de empregos , criação de fábricas e outros estabelecimentos, como também, aos programas sociais distribuídas às classes desvalidas.
O momento é grave e tais declarações contribuem ainda mais para a divisão existente e não proporciona diálogo ao consenso. A intelectualidade não pode deixar-se envolver pela violência das idéias que porventura são veiculadas nas redes sociais.
JGuia

Rio de Janeiro, 11 de novembro de 2014

segunda-feira, 10 de novembro de 2014

DESTRUIÇÃO DE IPANEMA

Rio

Obras de expansão da Estação General Osório chegam à Lagoa

Jornal do Brasil
Para ampliar a capacidade e flexibilidade operacional da Estação General Osório, em Ipanema, o Governo do Estado está construindo novas plataformas de embarque e desembarque de passageiros e um novo acesso à estação. Iniciadas em junho de 2011 com escavações no subsolo entre Copacabana e Ipanema, as obras entram agora em uma nova fase: a construção do acesso Lagoa.
 O novo acesso ficará no canteiro central da Avenida Epitácio Pessoa, na altura do Parque do Cantagalo, entre os números 2.014 e 1.976 e próximo a um sinal de trânsito e uma faixa de pedestres para facilitar a circulação do público.
Para atender às normas técnicas e de segurança, é preciso fazer um túnel de ventilação e saída de emergência para as novas plataformas de embarque e desembarque de passageiros que estão sendo construídas na Estação General Osório. 
Diante disso, o Estado decidiu fazer com que esse túnel fosse melhor aproveitado, servindo também como acesso para usuários do metrô. Desta forma, o bairro da Lagoa será inserido no sistema metroviário da cidade, fazendo com que trabalhadores, moradores e frequentadores da região tenham acesso direto à Estação General Osório.
 – Houve a necessidade técnica de fazermos um túnel de ventilação e uma saída de emergência. Agora, resolvemos aproveitá-lo para que as pessoas possam seguir da Lagoa até a Estação General Osório. Será, portanto, uma passagem, com esteiras rolantes  para os passageiros – disse a secretária de Transportes,  Tatiana Carius. 
Plataformas de embarque e desembarque
Iniciadas em junho de 2011 com escavações no subsolo entre Copacabana e Ipanema, as obras de expansão da Estação General Osório vão ampliar a capacidade e flexibilidade operacional da estação, que contará com novas plataformas de embarque e desembarque de passageiros, além do acesso Lagoa.
As escavações da área onde futuramente serão instaladas as novas plataformas já foram concluídas e, atualmente, ocorre a escavação do túnel que ligará a General Osório à Lagoa por dentro do Maciço do Cantagalo. Faltam aproximadamente 40 metros para terminar a escavação em rocha, chegando ao subsolo da Avenida Epitácio Pessoa.

terça-feira, 4 de novembro de 2014

BAGUNÇA NAS AREIAS DE IPANEMA

Próximos luaus na orla da Zona Sul terão vigilância

Moradores temem problemas com falta de estrutura para receber multidão à noite

O DIA
Rio - A Polícia Militar promete montar esquema especial de segurança para os próximos luaus previstos para a orla do Rio. Entre a noite de sábado e a madrugada de domingo, mais de seis mil jovens, principalmente da Zona Norte, lotaram as areias do Arpoador. A Associação de Moradores de Ipanema reclamou da quantidade de lixo deixada.
Apesar de não ter ocorrido nenhum problema, moradores do bairro temem que haja incidentes se não houve estrutura para receber tanta gente de noite. Segundo a Comlurb, 700 quilos de resíduos foram recolhidos após o luau. A presidente da associação, Maria Amélia Loureiro, fez críticas: “A gente não gosta de ver nosso bairro assim, sujo”, afirmou.
Luau na Praia do Arpoador entre a noite de sábado e a madrugada de domingo foi marcado nas redes sociais
Foto:  Osvaldo Praddo / Agência O Dia
Outra preocupação de moradores é em relação à falta de banheiros suficientes para tanta gente à noite, sem contar o risco de afogamento de participantes. Além do lixo, outra preocupação da prefeitura é quanto ao barulho. Guardas municipais teriam impedido o uso de alto-falantes. Segundo a assessoria de imprensa da Guarda Municipal, o primeiro passo da organização deve ser entrar em contato com a subprefeitura da região para conseguir autorização do evento. 
O Corpo de Bombeiros lembrou que os postos de salvamento só são ativados após as 7h30, ficando a cargo dos organizadores providenciar estrutura para segurança. 
Uma das organizadoras do evento, Thay Moreno garantiu que tomará providências. “Nós queremos autorização da prefeitura e também ajuda para montar nossa estrutura”, disse. “Nós mesmo criamos regras, como não deixar as pessoas usarem drogas para que tudo fique em ordem.”
Destinada inicialmente ao público LGBT, a festa foi marcada pelas redes sociais e recebeu o nome de ‘Luau sem controle’. De acordo com os presentes, a festa não foi tão descontrolada assim. “Não vi crime e nem homofobia, apenas as pessoas brincando e felizes por estarem em um lugar tão maravilhoso e que não costumam visitar”, disse o estudante Wellington Souza, 20 anos, que embarcou no trem em Inhaúma com mais nove amigos para curtir a festa até o dia seguinte.
Thay Moreno alega que os frequentadores foram vítimas de preconceito de moradores do bairro. “Veio gente de todo lugar. Quando passamos pelos restaurantes da orla percebemos os olhares e até gente escondendo a bolsa. Mas queremos mostrar que eles não precisam ter medo”, disse.
Segundo a organização, a próxima confraternização será à fantasia e ainda este mês, em local a ser divulgado na semana que vem pela internet.

Sociólogo compara aos ‘rolezinhos’
Sociólogo da UFRJ, Orlando Junior comparou o evento aos ‘rolezinhos’ que também foram convocados pela internet e reuniram muitos jovens de pouco poder aquisitivo. “Estes fenômenos expressam uma insatisfação com os muros invisíveis da cidade. A elite tem os seus espaços de sociabilidade, enquanto a periferia é segregada. É uma tentativa de dizer que a cidade também é deles”. Segundo o estudioso, isso desperta reações em parte da sociedade.
“A elite ainda é muito preconceituosa. Esse tipo de movimento social é importante para quebrar esses muros e gerar reflexão”, disse.
Reportagem de Lucas Gayoso