terça-feira, 28 de outubro de 2014

COMENTÁRIO POSTADO !

Atenção !
Essa matéria e totalmente verdadeira ! Estamos
Isolados , apavorados e nao temos a quem recorrer .
O ministério Publico se omitiu , ninguém nos ajudou.
Os bombeiros estiveram hoje em todos os edifícios procurando
rotas de fuga Mas nao dao nenhuma informacao.
Vocês se sentiriam em seguranca ?
O Tatuzao também vai passar por outras ruas....

segunda-feira, 27 de outubro de 2014

CARTA DO POVO


055|2014                                         www.instituto-atlantico.org.br

Amigos, boa tarde.

Vamos circular e divulgar esta carta ao máximo possível de brasileiros. Esta carta e o abaixo-assinado do MBE serão entregues à Presidente Reeleita, Dilma Rousseff. Hoje, nosso abaixo-assinado em www.assinabrasil.org tem 250 mil assinaturas.

Contamos com o apoio de todos.  

Obrigado
Equipe do Movimento Brasil Eficiente.

vídeo 4 minutos c/ leitura da carta: https://www.facebook.com/CampanhaAssinaBrasil



Carta do Povo Brasileiro

Brasil, agosto de 2014
Sr.(a) Governante:

Quem aqui se manifesta é o coletivo que chamamos de Brasil. Nossa voz aprendeu a reconhecer, a respeitar e a defender a terra onde escrevemos nossa história e a transmitimos à geração seguinte. Esse é o Brasil que fala agora ao Governante. (*)

Dessa vez é o povo que manda o recado. Um recado mais do que necessário, porque o velho monólogo dos marqueteiros do governo, soprando crenças no ouvido do povo, não funciona mais. O povo que lê e escreve nas redes sociais não precisa de intérpretes de pensamento. O governante que queremos é aquele que vai governar com o povo. O governante moderno aprende porque escuta, em seguida planeja suas ações e as executa como combinado. Governo sem plano é desgoverno.

Chegamos ao ponto-limite. Brasília virou uma fantasia bilionária, de fato trilionária, cercada de desperdícios e ineficiências. O poder que manipula trilhões de reais nos orçamentos públicos ainda tem a petulância de afirmar ao povo que “faltam recursos”. Não! Recursos abundam. Fizemos, nas ruas, essa denúncia, em junho de 2013. O recado deveria ter sido suficiente, mas caiu no vazio.

Nesta Carta, retomamos a luta de Tiradentes, nosso maior manifestante civil: não aceitamos mais carregar no lombo um governo que aplica uma tributação impiedosa sobre o bolso do contribuinte indefeso. O empresário, que poderia estar gerando empregos, virou um proletário do governo. Este está sempre cobrando sua fatia na frente; não espera nem o lucro acontecer. E o povo continua carregando uma das cargas tributárias mais onerosas do planeta: trabalha até a metade do ano só para sustentar o governo e os governantes.

O povo brasileiro quer treinamento e trabalho. Quer aposentadorias e pensões compatíveis com os aportes que faz ao longo da vida. O povo brasileiro não precisa de salvadores; precisa mesmo é de gestão séria e confiável, rotativa e verificável, em todos os níveis de governo.

Chega de burocracia e de roubar descaradamente o tempo e a saúde do povo nas filas do atendimento médico e nas paradas de ônibus; ou queimar o futuro dos jovens com classes sem bons professores, com a falta de um computador por aluno. Esta Carta marca um ponto de virada. O povo brasileiro só precisa de condições e ambiente adequado para trabalhar, para empreender seus negócios, para desenvolver sua pesquisa, se educar e cuidar do ambiente.

Perdas são pedagógicas. Perdemos, um dia, a democracia, para aprendermos a não perdê-la nunca mais; com a inflação, perdemos o sentido e o valor do dinheiro para, hoje, darmos todo o valor à moeda estável. Temos perdido tempo e energia demais com governos que governam mal e nos custam cada vez mais caro. Nossa paciência não tem o tamanho da vida inteira. O povo brasileiro exige ser senhor do seu tempo. Para o Brasil se projetar como líder em sua região e como um exemplo de nação próspera, moderna e justa, perante o mundo.

Queremos de volta a ordem no governo, para termos de volta o progresso, que perdemos

PERIGO !!!!!!!!!!!!!!

Assunto: Rua Barao da torre Isolada


Boa tarde Ignez,
Sou esposo da Luciana Cima e genro Francisco Cima ambos participantes da ação com Dra Regina frente ao TCU. Moramos no 132 da Barao da Torre. Escrevo para denunciar que nesta manha nosso quarteirao foi completamente isolado, inclusive para pedestres, sendo autorizado somente os moradores transitarem a pé pelo local. Foram instalados portões de madeira bloqueando a passagem na calcada, sendo aberto individualmente para moradores.
A explicacao (oficial inclusive) foi que o tatuzao irá recomecar as escavacoes hoje. Bombeiros e tecnicos estiveram nos predios verificando possiveis atalhos para fuga em caso de catastrofe, inclusive aventaram possibilidade de quebrar a parede dos fundos do meu predio para facilitar evacuacao. Eles alegam que enviaram folhetos informativos aos moradores avisando desse bloqueio, que realmente foi feito. Mas e o esclarecimento? porque isolar, se segundo os proprios, esta agora tudo sob controle? É uma tentativa obvia de controle de dano em caso de intercorrencias. Mas e o morador? o que eu faco com minha familia em especial comminha filha de 1 ano? Isso tudo acontece exatamente no dia seguinte da eleicao para presidente e governador. Coincidencia?Estamos apavorados. 
Peço uma ajuda para publicacao do fato no blog PSI ou em qualquer veiculo informativo possivel!
Grato Ignez,

Rodrigo Freire  

quinta-feira, 23 de outubro de 2014

ATA


Reunião PSI- Colégio Notre Dame – Ipanema – 20/10/14

        TCU – Denúncia – Praça e Obra de escavação:


      As Ações da Praça N. S. da Paz e Denúncia sobre as irregularidades sobre as obras de escavação do túnel do Metrô para a expansão à Barra (linha 4), foram encaminhadas ao TCU em Brasília. Como se trata de um mesmo assunto,  foram unidas, uma vez, que nenhuma das duas foram ainda julgadas.
      Como o Ministro Sherman se encontra de férias, devendo voltar às suas atividades no final de Outubro, nossa  Advogada teve audiência com o substituto que entendeu perfeitamente a situação da população e esclareceu que a Ação é considerada, independente do número de pessoas envolvidas. Ficou então decidido que a partir da volta do Ministro, uma nova audiência será marcada para que se tome as devidas providências com relação às provas e depoimentos de profissionais relativos.
      Quanto à Praça, as reivindicações são em relação ao crime ambiental, por ocasião da derrubada de árvores centenárias sem necessidade, o direito da população de acompanhar a reconstituição da Praça, sugerir tipos de árvores a serem plantadas e principalmente, a utilização correta da verba destinada à compensação ambiental, em nosso bairro e na praça propriamente dita. E também exigir a devolução do local, com suas características originais, conforme o anunciado antes do inicio das obras.
      Em relação às escavações do túnel pelo método escolhido, a grande preocupação dos moradores, é com a segurança e a preservação dos imóveis construídos sobre todo o percurso dos trens. Está sendo cobrado o cumprimento do padrão de segurança para o método de escavação que é de 25m. de profundidade, no mínimo e não de 12m. como está projetado. O recurso que está sendo utilizado ( injeção de cimento em locais estratégicos), segundo profundos conhecedores do assunto, não é eficaz, para o tipo de subsolo em questão, o que já foi comprovado em outros países. 

       Ação de proibição de vendas de bebidas alcoólicas à menores em blocos de Carnaval:


      A Ação em questão, se encontra em andamento. Não houve reunião com o promotor encarregado de Tutela coletiva de proteção da infância e adolescência, por motivo de férias. Será então solicitada uma outra reunião em Novembro.
      Por sugestão do Ministério Público, as petições devem ser tratadas isoladamente, por assunto.  Foi então solicitada, uma reunião com o promotor da Primeira Promotoria de Ordem Urbanística, para tratar da desordem no bairro, nas proximidades e durante o Carnaval.
      Fomos informados que a representação de 2012, sobre o assunto, continua valendo e também foi sugerido um contato com Advogado para esclarecimentos das estratégias e reunião com o 2º Promotor de ordem urbanística Dr. Paulo Saly.    


quinta-feira, 16 de outubro de 2014

SHOW EM IPANEMA





CHIC

Hospedagem chic na subida do morro Cantagalo, no Rio

Casa Mosquito, um hotel boutique em Ipanema, comemora três anos com cinco novas suítes

16/10/14 às 00:00 - Atualizado às 23:28   |  Por Rodrigo Browne
Uma forma diferente de se hospedar no Rio de Janeiro. Na subida de uma favela carioca – pacificada, diga-se de passagem – no morro do Cantagalo foi construída por dois empresários franceses a Casa Mosquito (www.casa mosquito.com/). É um pequeno hotel de muito bom gosto, com apenas nove quartos, dos quais cinco novíssimas suítes. Todas elas com nomes de personalidades da história cultural do Rio como a pequena notável Carmem Miranda, o maestro Tom Jobim, o compositor Pixinguinha, o erudito Villa-Lobos, o poetinha Vinicius de Moraes, o escritor Machado de Assis, O playboy Jorge Guinle e, quem diria, até do travesti-malandro Madame Satã.

Cravada na Rua Saint Romain que é uma espécie de tríplice fronteira carioca pois divide os bairros de Copacabana e Ipanema e a favela do Cantagalo, a rua ficou famosa por ter sido durante anos o endereço do antigo Pasquim, jornal de resistência contra a ditadura militar que era editado pelo cartunista Jaguar (que, por sinal, poderia ter sido homenageado pelo menos no bar da Casa...). Mas o que encantou os atuais donos do imóvel não foi a ilustre vizinhança, mas, sim, uma curiosa coincidência.

Há cinco anos quando chegaram para conhecer a Cidade Maravilhosa, dois empresários franceses, da Cidade Rosa, Toulouse, Benjamin Canos Planes e Louis Planes se apaixonaram pelo que viram. Em uma semana decidiram trocar de endereço e começaram a procurar um lugar especial para viver no Rio de Janeiro. Foram meses em busca do local ideal, de um refúgio, um jardin secret onde pudessem abrigar todos os móveis colhidos em diferentes partes do mundo, fotografias, lembranças. Irrequietos e insatisfeitos com as opções que recebiam, buscam e encontram o que eles consideram um tesouro na Rua Saint-Roman.

Agora vem a coincidência: Saint-Roman foi um aviador e escritor nascido em... Toulouse. “Aí não restou dúvida de que estávamos no lugar certo", conta Planès. Compraram a casa de número 222 e fizeram a restauração e decoração completa. Diante do sucesso e do bom gosto, hoje administram, além do hotel, uma agência imobiliária, a Rio Exception, que, além de encontrar outros imóveis escondidos, realiza restauro e decoração para seus clientes.

Na subida da favela do Cantagalo, a propriedade é composta por uma grande sala de convivência repleta de livros, permitindo plena circulação com o espaço de jantar, que conduz a um jardim externo - que conta com uma linda fonte de carpas -, no qual é servido o café da manhã.

A Casa Mosquito dispõe de nove quartos, todos com varanda e decoração única, com peças garimpadas em Paris, Rio e São Paulo, além de cadeiras assinadas por Sérgio Rodrigues e fotos de Emmanuelle Bernard. Discrição, charme, bossa, elegância e estilo são as características desse endereço que ainda conta com piscina panorâmica que proporciona uma vista incrível do Rio de Janeiro e de todos os seus cartões-postais.

Uma delicadeza propostas pelo hotel é o chef, que fica à disposição do hóspede até às 22h. "Costumam nos perguntar se temos um restaurante. E eu digo: temos um chef", complementa Cano. "É muito diferente, pois não temos um menu. Seja um cliente ou um hóspede que reserva a nossa mesa, o cardápio é decidido no dia, de acordo com os produtos frescos que compramos", explica.

Mas, se o assunto envereda pela paixão por design e cultura, o hotel é um campo farto de observação e deleite. São peças que criam entre si uma combinação contemporânea, descontraída, com aquele certo ‘je ne sais quoi’ tão francês. Para onde quer que os olhos se dirijam, sempre haverá algo para capturar a atenção, sejam os despretensiosos arranjos florais que predominam na sala de convivência, sejam as grandes cortinas que dançam ao sabor da brisa.

Além disso, seus proprietários acabam de fechar uma parceria com Jerôme Pigeon - lê-se ex- Favela Chic Paris -, que assinará a curadoria de alguns eventos que devem ocorrer na cobertura do hotel, onde fica a piscina com vista panorâmica de 360 graus. Fruto de um feliz acaso, a Casa Mosquito é reflexo de mais uma bela história de amor entre a França e o Rio de Janeiro.

sábado, 11 de outubro de 2014

PEDIDO DE REUNIÃO



Rio,

10/10/2014

Prezado Leonardo,

Venho pedir a sua ajuda no sentido de marcarmos uma reunião com o Secretário Municipal de Ordem Pública para discutirmos os diversos problemas que continuam assolando o nosso bairro.

- camelôs que voltaram com força total, vendendo, notadamente, artigos contrabandeados ou falsificados como bolsas de grife, óculos de grau e escuros nas esquinas de  da Rua Visconde de Pirajá com Teixeira de Melo – em frente ao Zona Sul, Vinicius, Aníbal e em frente à banca de jornal da Praça N. Sra. da Paz em frente à loja Farm.

- venda de roupas em um bar. No bar da Rua Vinicius de Moraes ao lado do bar  Garota de Ipanema, que aliás, é campeão de reclamações por barulho, sujeira, ocupação de toda a calçada com mesas etc. agora resolveu que como ele precisa de faturar também nos horários e dias de pouco movimento, colocar araras no meio da calçada vendendo roupas femininas. Tem até nome – chama se Bazar do Bem. Eles têm alvará para este tipo de comércio? E se têm por que?

- o imenso número de crianças e adolescentes chapados nas ruas. Só ontem, por volta de 10hrs.  contei três pessoas na Rua Visconde de Pirajá entre Vinicius e Joana Angélica. Tem de se dar uma solução para este problema.

- assaltos constantes. Ontem na esquina de Prudente de Moraes com Vinicius tinham sete pivetes às 11hrs. da manhã assaltando com uma caixa de sapateiro. O número de assaltos aumentou consideravelmente – arrastão na Visconde em plena quarta feira às 9hrs. da manhã, arrastão nas Lojas Americanas, tiroteio no Mac Donald’s etc.

Como todos, sabemos, a violência urbana e a criminalidade começam com a desordem urbana, que é filha da falta de policiamento ostensivo e de fiscalização. Quando instalaram a UOP no bairro, o policiamento melhorou muito e a fiscalização também, de modo que de imediato tanto a segurança, quanto a percepção dela pela população, igualmente melhoraram. Neste momento parece que a UOP foi desativada e toda a conquista obtida está se perdendo e estamos voltando à trágica situação anterior.
Sabemos que você é um administrador sério e empenhado no exercício de sua função. De modo que pedimos que nos ajude a marcar esta reunião, para que junto com o Secretário, a população possa sugerir e participar na busca de soluções. O problema como está não pode continuar.
Atenciosamente

Ignez


Projeto de Segurança de Ipanema    

quarta-feira, 8 de outubro de 2014

PEGA NA MENTIRA


EM IPANEMA

Gerente de restaurante de Ipanema é preso por ter assassinado sócio no Pará em 2010

Ulisses trabalhava há um ano no Rio
Ulisses trabalhava há um ano no Rio Foto: Divulgação / Polícia Civil
Rafael Soares
Tamanho do texto A A A
O gerente de um restaurante de Ipanema foi preso na tarde desta terça-feira por um homicídio cometido em Belém, no Pará, em 2010. Ulisses Lima dos Santos, de 34 anos, chegou a ser preso no Pará, acusado de matar seu sócio num bar em belém, o empresário Newton da Cunha Leal Junior. Entretanto, meses depois, ele conseguiu a liberdade graças a um habeas corpus. Depois de sair da prisão, fugiu para o Rio, onde vive há um ano.
Ele foi preso por agentes da 25ª DP (Engenho Novo), após denúncia anônima, dentro do restaurante. Segundo agentes da distrital, quando percebeu que seria preso, o gerente esboçou uma tentativa de fuga. Ele foi condenado a 30 anos de prisão pelo homicídio e estava foragido.
No dia 19 de abril de 2010, pouco depois das 19h, Ulisses e seu sócio conversavam em frente à casa do empresário no bairro da Pedreira, em Belém, quando foram abordados por dois homens armados. Na ocasião, Newton foi colocado pelos homens num carro enquanto Ulisses conseguiu fugir. A vítima foi assassinada com um tiro na cabeça. O inquérito aberto pela Polícia Civil do Pará revelou que o crime foi encomendado por Ulisses, que pagou R$ 1,5 mil a cada um dos executores.

sexta-feira, 3 de outubro de 2014

REUNIÃO



            A próxima reunião do Projeto de Segurança de Ipanema será, SEGUNDA FEIRA, dia 06//10 às 18hs. no Colégio Notre Dame .

           
PAUTA


.


- ação obra metrô barão da Torre – denúncia no TCU

- praça N. Sra. da Paz – denúncia no TCU

- ação carnaval/ venda bebidas pelos ambulantes – divulgação mídia – reunião promotor

Finais pontos de ônibus Teresa Aragão- reunião com o Promotor Paulo Sally


ACESSE O NOSSO BLOG – WWW.PSIPANEMA.BLOGSPOT.COM

PROJETODEIPANEMA@gmail.COM.

ENTRE NO FACEBOOK  E INDIQUE NOVOS AMIGOS -  PSI IPANEMA

Twitter: @psi_seguipanema

HTTP//WWW.flickr.com/photos/psi ipanema

DEDIC – 14ª. DP – 23322866/ 23322880

DISQUE DENÚNCIA – 22531177



quarta-feira, 1 de outubro de 2014

ATA


   Reunião PSI – Colégio Notre Dame – Ipanema -25/08/14

   Ação Obra Metrô Barão da Torre e Pça N. S. da Paz:

        Com relação à Ação de Denúncia quanto às irregularidades da obra de extensão do Metrô para a Barra, passando por Ipanema que tem início na Rua Barão da Torre, informamos que a Advogada encarregada está atualmente reunindo material adequado para iniciar o processo que será encaminhado ao TCU. Com ajuda do Ministério Público, está sendo elaborada a petição, pois o Governo Estadual do Rio de Janeiro até agora não cumpriu com a obrigação de fornecer ao órgão, os documentos por este solicitados, em relação à tal obra que incluiu também a destruição da Praça N. S. da Paz como patrimônio cultural e ambiental.
      Por enquanto, a escavação subterrânea por meio “tatuzão”, está estacionada. Pelo o que se sabe, deverá continuar após as eleições, como ocorreu na Praça que foi invadida pelos equipamentos destruidores, logo depois das eleições passadas. Agindo assim, não prejudicaria a campanha de Luís Fernando Pezão.
      Dentre os presentes, foi também comentado sobre a situação do sub solo, sobre a elevação do piso da Praça, em virtude da estação que está sendo construída abaixo.
      Foi comentado que a Ação encaminhada ao TCU, questiona-se também o destino da quantia destinada à recuperação ambiental da Praça e arredores, de R$ 1. 568.000.000,00.  Todos se mostraram indignados com tantos absurdos numa só obra que poderia perfeitamente ser feita dentro de todos os padrões de segurança, preservação do patrimônio, do ambiente, estética e bom senso.

Ação Carnaval/ venda de bebidas pelos ambulantes:

      Foram aceitas as duas Denúncias quanto à venda de bebidas alcoólicas  por ambulantes descredenciados durante o Carnaval. Este procedimento através das autoridades e certamente havendo fiscalização permanente neste setor, possibilitaria que o “mega evento” anual, transcorresse com mais segurança, limpeza e organização, pois assim sendo, a bebida só seria vendida em estabelecimentos próprios, diminuindo então a facilidade de consumo, o que torna a permanência dos fuliões por mais tempo nas ruas e consequentemente propiciando a desordem, tumultos e falta de higiene.
       Existe também uma solicitação quanto à diminuição do número de blocos pelo bairro, acarretando também uma diminuição de não moradores, podendo assim consequentemente, minimizar o caos que se instala no bairro durante eventos de grande porte. Pode-se contatar que Ipanema não comporta o excesso de pessoas que insistem em se estabelecer à procura de diversão barata e sem limite. A proposta seria a autorização concedida apenas aos blocos tradicionais desfilarem por Ipanema.

Novos quiosques pela orla de Ipanema – Organizar reunião com o Secretário de Ordem Pública - exposição do projeto à população:

      Existe um projeto da Prefeitura da cidade, para a implantação de quiosques para venda de bebidas e alimentos, semelhantes aos de Copacabana, em toda a orla de Ipanema e Leblon. Pelo que foi divulgado até agora, estes quiosques avançariam pelos recentes e recuperados canteiros de restinga que faz parte da vegetação característica da paisagem natural de nossas praias.
      Mais uma vez, a Prefeitura toma decisões sobre projetos sem consultar a população que paga impostos caros que tem a finalidade de manter a cidade e não destruir com discurso de que irá melhorar e modernizar a cidade. Pois tudo isso pode ser feito com bom senso e coerência.

      Está sendo programada uma reunião com o atual Secretário de Ordem Pública, para um debate em que será solicitada a apresentação do projeto à população.