QUEM RECLAMA É POR QUE NÃO VIVE O PROBLEMA

FERNANDA PONTES23.9.2014 7h45m

 
Lei seca nos blocos
Está longe de ser uma unanimidade entre os moradores de Ipanema, Leblon e Copacabana a ideia de proibir a venda de bebidas alcoólicas por ambulantes no carnaval de rua. As declarações de Ignez Barreto, do Projeto de Segurança de Ipanema (ela chamou os foliões de “multidão alcoolizada”) revoltou representantes de outras associações. 

Eles são contra

“Os blocos não podem ser considerados uma multidão alcoolizada, e sim uma das maiores manifestações culturais do nosso povo”, dizMaria Amélia Loureiro, da AmIpanema. Horácio Magalhães, da Sociedade Amigos de Copacabana, classificou a ideia de “absurda e autoritária” e Evelyn Rosenzweig, da AmaLeblon, considera a ação “inócua, já que é impossível fiscalizar a venda”. 


Relembre o caso

O Projeto de Segurança de Ipanema e mais três associações — AnimaLeblon, Quadrilátero do Charme e Viva Copacabana — entraram com ação no Ministério Público pedindo a proibição da venda de cerveja durante a passagem dos blocos, como Gente Boa publicou no domingo. O assunto ainda vai dar pano pra manga.
(Foto: Guilherme Leporace)

Nenhum comentário: