E O IPTU , COMO FICA ????

Moradores de rua acampam sem ser incomodados no Jardim de Alah

  • Leitor diz que presença do grupo aumenta sensação de insegurança em bairros da Zona Sul
O GLOBO (
Moradores de rua acampam no Jardim de Alah Foto: Eu-Repórter
Moradores de rua acampam no Jardim de Alah Eu-Repórter
RIO — A sensação de insegurança é um problema que atormenta a vida dos cariocas em várias regiões da cidade. No bairro do Leblon, por exemplo, na Zona Sul do Rio, reportagem do GLOBO, publicada na semana passada, mostrou que o número de assaltos a pedestres aumentou 216% em janeiro de 2014 em relação ao mesmo mês do ano passado, segundo dados do Instituto de Segurança Pública (ISP). Moradores acreditam que o aumento da violência ocorreu após a instalação de tapumes para as obras do metrô da Linha 4. As estruturas criam corredores que, mal-iluminados, servem de esconderijo para criminosos. Além disso, um leitor, que prefere não se identificar, diz que a presença de moradores de rua acampados próximo ao Jardim da Alah, na divisa com o bairro de Ipanema, está contribuindo para esta insegurança. Segundo ele, as pessoas ficam junto a uma ponte construída pela concessionária responsável pela Linha 4.
“As ruas próximas ao Jardim de Alah e a ponte ali construída pelo metrô têm sido alvo de vários assaltos diários, principalmente a mulheres. Os moradores de rua, que usam o parque para consumir crack e dividir o resultado de seus assaltos, agora resolveram acampar ali, sem nem sequer serem incomodados. Providências já!”, disse o leitor, por e-mail.
Equipes da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Social (SMDS) estiveram no local para verificar a situação dos moradores de rua. Segundo agentes do Centro de Referência Especializado de Assistência Social (Creas) Maria Lina de Castro Lima, a maior parte do grupo é formada por homens, adultos, que atuam como catadores de material reciclável. A secretaria informou que eles não aceitaram acolhimento, pois alegam ter residência fixa. O órgão esclarece ainda que realiza diariamente o serviço de abordagem social nas ruas dos bairros de Ipanema e Leblon.


 

Nenhum comentário: