BUEIRO

Bueiro pega fogo e deixa parte de bairros da Zona Sul sem energia elétrica

  • Problema ocorreu no cruzamento da Rua Visconde de Pirajá com a Rua Aníbal de Mendonça, em Ipanema
  • Problema foi ocasionado por furto de cabos de energia, o que sobrecarregou a rede elétrica, provocando curto-circuito
  • Técnicos da Light estão trabalhando no local. Comércio permanece fechado
LEANDRA LIMA (EMAIL)
LEONARDO BARROS (EMAIL·WITTER
)
MARCIO BECK (EMAIL)

Funcionários da Light trabalham em bueiro que pegou fogo em Ipanema - Foto: Marcelo Piu / Marcelo Piu
Funcionários da Light trabalham em bueiro que pegou fogo em Ipanema - Marcelo Piu / Marcelo Piu
RIO - Parte dos bairros de Ipanema e Lagoa, na Zona Sul carioca, estão sem energia elétrica desde às 3h deste domingo, quando um bueiro da Light pegou fogo no cruzamento da Rua Visconde de Pirajá com a Rua Aníbal de Mendonça, em Ipanema. Ninguém ficou ferido. O serviço já foi normalizado no Leblon e em Copacabana. No perímetro que vai da Lagoa à orla, entre as ruas Maria Quitéria e Henrique Dumont, ainda está sem energia. Técnicos da concessionária continuam no local e fecharam o trecho da Rua Aníbal de Mendonça que fica entre as ruas Prudente de Morais e Visconde de Pirajá ao trânsito. Segundo a assesoria, o problema deve ser solucionado até o fim do dia.
O comércio permanece fechado, exceto os poucos estabelecimentos com geradores próprios. Flamínio Globo, funcionário da Livraria Travessa, no edifício Ipanema Space, ainda não pode trabalhar.
— Não conseguimos nem abrir a porta, que é eletrônica — explica.
Região que abriga badalados restaurantes, Ipanema teve um movimento atípico no início desta tarde. Destino de um grande número de pessoas nos finais de semana, a Rua Garcia D’Ávila estava tomada apenas pelo ócio dos funcionários dos restaurantes fechados.
— Domingo é o dia de melhor movimento de toda a semana. Sequer fazemos reservas para o almoço por causa da alta procura. Agora estamos aqui sem poder atender — lamenta uma funcionária de uma das duas unidades do restaurante Alessandro e Frederico, ambas na Garcia D’Ávila.
Próximo dali, o cenário se repete. Na Rua Aníbal de Mendonça, os restaurantes Esplanada Grill e Gero estavam de portas fechadas. Para o gerente geral do Esplanada Grill, Roger Magalhães, os prejuízos são incalculáveis:
— Perdemos todas as nossas reservas para o almoço justo no nosso melhor dia. Soma-se a este prejuízo a perda das nossas carnes, que são importadas, como angus e picanha argentina. Entendemos que foi um acidente o que aconteceu com a Light, mas precisamos ser ressarcidos. Não vamos arcar com um prejuízo tão grande — afirmou Magalhães.
A partir do instante em que a energia elétrica que mantém os ar-condicionados do bairro foi interrompida, o forte calor que acomete a cidade fez os moradores do bairro levantarem da cama muito antes do costume. Rodrigo Moura, morador da Avenida Epitácio Pessoa, conta que passou a noite acordado.
— Acordei às 3h30m da manhã, hora em que a luz acabou. O ar-condicionado desligou, e não consegui mais dormir, por causa do calor — reclama.
O empresário Marcos Modiano, que também levantou da cama mais cedo por causa do calor, mostrou preocupação com os alimentos de sua geladeira.
— Podemos perder carnes, iogurtes e outros alimentos. Esse inconveniente por que eu e minha mulher passamos é chato. Mas eu fico até mais preocupado com pessoas de saúde debilitada que precisam de aparelhos movidos a energia elétrica em casa — expõe Modiano, morador da Rua Redentor.
Turistas também não ficaram satisfeitos com a falta de luz. Dois hotéis da região tiveram o fornecimento de energia interrompido, o que irritou os hóspedes.
— Eles foram forçados a levantar mais cedo, e houve muita reclamação. Por sorte, o café da manhã não foi afetado — conta Roberto Alves, funcionário do hotel San Marco.
Já a energia do Mar Ipanema Hotel, na altura do número 539 da Rua Visconde de Pirajá, foi restabelecido temporariamente, após funcionários da Light fornecerem um cabo extra para o estabelecimento. Um funcionário do hotel relata ter visto o momento do acidente.
— Vi quando várias labaredas começaram a sair do bueiro, formando uma grande nuvem de fumaça preta — conta.
De acordo com informações da concessionária, não houve explosões. Por meio de nota, a assessoria de imprensa da Light informou que o problema foi ocasionado pelo furto de cabos de energia na rede subterrânea da companhia, na esquina das ruas Visconde de Pirajá e Aníbal de Mendonça. “Com o furto, a rede elétrica ficou sobrecarregada, provocando curto-circuito em cabos de energia de baixa tensão, e consequentemente incêndio, que também atingiu cabos de alta tensão”, diz a nota.
Segundo o Centro de Operações da prefeitura, agentes da CET-Rio também foram ao local para orientar os motoristas, já que o serviço dos técnicos da Light ocupa uma faixa da Rua Visconde de Pirajá, altura da Rua Aníbal de Mendonça.
A Light pede ainda atenção aos motoristas e pedestres que circulam no local, pois alguns sinais de trânsito deste trecho estão desligados por falta de energia. Até o momento, o trânsito flui sem problemas.
Falhas na distribuição geraram multas de R$ 33 milhões em 2013
Entre janeiro e novembro do ano passado, os consumidores nesta área ficaram, em média 15,36 horas, sem energia, ou 70% a mais que o teto fixado pela Aneel, de 9,04 horas. Os dados de dezembro ainda não foram entregues pela concessionária.
A Light argumentou que “o maior volume de desligamentos na rede elétrica" ocorre devido a fatores climáticos, como chuvas, ventos fortes e raios.
Quando a concessionária ultrapassa os limites impostos pela Aneel, é multada. Em 2013, a empresa teve que pagar R$ 32,9 milhões.

Nenhum comentário: