segunda-feira, 2 de setembro de 2013

ATA DA REUNIÃO


Reunião PSI – Colégio Notre Dame – Ipanema – 26/08/2013


Reunião com o Governador do RJ, Sérgio Cabral:

Como é de conhecimento de todos, tínhamos programado uma manifestação marcada para o dia 05/07/2013 que sairia da Praça N. Sra. da Paz em direção ao Leblon e terminaria em frente à casa do Governador Sergio Cabral. O próprio governador quando soube, ligou pessoalmente e pediu que suspendêssemos a passeata porque ele iria receber uma comissão do PSI para tratar do problema da estação de metrô N. Sra. da Paz.

      No dia 08/07, foi realizada uma reunião no Palácio Guanabara  com o Governador  Sergio Cabral ( dia do 1ª encontro com o PSI),o secretário Julio Lopes, o sub-secretário da Casa Civil, e representantes do Consórcio Rio Barra que são os responsáveis pela obra da Linha 4 do metrô.
Nesta reunião ficou decidido por determinação do governador, que se disse inteiramente favorável à preservação da Praça N. Sra. da Paz e que “ele não seria o governador do novo Palácio Monroe”, que as empreiteiras fizessem um estudo de viabilização  da proposta do PSI que é a de quatro  acessos simples, sem coberturas , com escadas rolantes que trabalham ao tempo e localizados nas calçadas comerciais da Rua Visconde de Pirajá mais ou menos em frente aos números 414 e 407 esquinas com Maria Quitéria e 330 e303 logo depois da esquina com Joana Angélica. Estes acessos teriam de ser feitos através do método de obra subterrâneo por ser inadmissível o fechamento da Rua Visconde de Pirajá. O governador também determinou que o PSI faria o monitoramento junto com a prefeitura das árvores restantes na praça e o acompanhamento da aplicação da bilionária ( um bilhão quinhentos e cinqüenta e oito milhões de reais!) verba de compensação ambiental orçada na Licença de Instalação da obra. Ficou marcada nova reunião dia 15/08 para que a empreiteira apresentasse o resultado de seus estudos. Esta reunião foi transferida para o dia  20/08.

      No encontro do dia 20/08, o Sr. Governador não compareceu, ficando então  a reunião por conta do Sr. Regis Fichtner, Chefe da Casa Civil, do secretario de transporte e de  representantes das empreiteiras.
Nada do que ficou determinado pelo governador na reunião de 08/07 foi cumprido. A empreiteira não apresentou um projeto de quatro acessos nas calçadas da Rua Visconde de Pirajá nos locais e com a metodologia proposta e sim os acessos em vala aberta, o que exige o fechamento da Rua Visconde de Pirajá, só dois acessos e com as imensas coberturas nas calçadas!!  Não estudaram a alternativa, pedida por nós, para mudança dos acessos que não causaria nenhum tipo de problema se usassem o método subterrâneo e não o antiquado sistema de vala aberta que praticamente já destruiu a praça.

Foi dito na reunião que os moradores e lojistas não queriam os acessos nas calçadas e da forma como estávamos propondo. Quando apresentamos a enquete feita por um grupo de voluntários do PSI onde TODOS os lojistas e TODOS os moradores foram consultados e cujos resultados são os seguintes: 92.35% dos lojistas e 65.8% dos moradores a favor dos acessos nas calçadas, entre as Ruas Joana Angélica e Vinicius e Maria Quitéria e Garcia d’Avila,   fora do logradouro da praça e protegendo a do trânsito de milhares de pessoas,  o que irá descaracterizá-la totalmente de sua função, o Sr. Regis Fichtner teve a coragem de dizer que as enquetes feitas pela população não têm valor porque não são feitas por um instituto de pesquisa!!!  Nós perguntamos se ele achava que a população teria recursos para recorrer a estes institutos e se as milhares de assinaturas colhidas diretamente por voluntários pedindo o julgamento do mensalão, por exemplo, também seriam inválidas. A reunião foi, então, encerrada abruptamente.

Resultado da pesquisa com lojistas e moradores:

Lojistas – 170 lojas pesquisadas – a favor dos acessos propostos pelo PSI = 157 – contra= 8 não puderam se pronunciar = 8 loja em obra = 1
Conclusão - 92.35% a favor

Moradores – 62 prédios consultados. Total de prédios que responderam à enquete = 24. Moradores favoráveis = 120 – contra = 79 – não se pronunciou = 1
Conclusão – 65.8% a favor.

Ata elaborada por Sylma Reis



          

Nenhum comentário: