segunda-feira, 5 de agosto de 2013

SUJEIRA NA PRAIA


Ação recolhe mais de duas toneladas de lixo em trecho da praia de Ipanema

Em um quilômetro de orla foram recolhidos 2,7 toneladas.
Parceria entre Comlurb e Rock In Rio pretende conscientizar a população.

Mariucha Machado Do G1 Rio

Parte da montanha de lixo acumulada na praia de Ipanema na manhã desta segunda-feira (Foto: Mariucha Machado / G1)Parte da montanha de lixo acumulada na praia de Ipanema nesta segunda (Foto: Mariucha Machado / G1)
A Comlurb e o Rock In Rio realizaram nesta segunda-feira (5) uma ação para conscientizar a população sobre a limpeza urbana. Para mostrar o volume de lixo deixado pelos cariocas na praia de Ipanema, na Zona Sul do Rio, no trecho entre o Jardim de Alah e a Rua Vinicius de Morais, a área não passou por limpeza de domingo (4) para segunda. Em um quilômetro de orla foram recolhidos 2,7 toneladas de lixo.
A montanha de lixo impressionou quem passava pela orla. “Eu estou querendo uma semana a praia suja assim. É a única maneira que o povo vai aprender a cuidar da praia. Eu acho que tem muito carioca bem educado e poucos mal-educados, mas eles deixam essa imagem da cidade. Eu não quero aprender a viver assim”, disse o argentino Juan Legna, que mora no Rio há três anos.
Durante a alta temporada, os garis da Comlurb recolhem cerca de 180 toneladas de lixo aos domingos na orla do Rio. Em dias de menor movimento, são aproximadamente 120 toneladas. Mil e oitocentos garis trabalham na limpeza da orla, sendo 15 mil em toda a cidade.
Segundo a assessoria da Comlurb, o Rio tem 30 mil lixeiras instaladas e sete mil novas estão sendo colocadas desde o dia 15 de julho nos lugares de maior circulação e onde elas foram depredadas, principalmente no Centro da cidade por causa das manifestações. “A nossa ideia é mostrar para a população como uma área da cidade fica quando ela não é limpa de um dia para o outro. O pessoal tem que entender que lixo não é uma ineficiência do poder público e sim uma responsabilidade de cada um”, afirmou Vinícius Roriz, presidente da Comlurb.
A vice-presidente do Rock in Rio, Roberta Medina, falou sobre as desculpas que as pessoas dão para jogar lixo na rua, como a falta de lixeira. “Isso não é desculpa. Em comparação com a quantidade de moradores, a cidade deveria ter cerca de 14 mil latas de lixo. Tóquio não tem e é limpa. Se os garis não precisassem limpar a Avenida Rio Branco seis vezes ao dia, eles poderiam ser transferidos para as comunidades que estão precisando, poderiam melhorar a qualidade do serviço em outros bairros ou usar esse orçamento em outras demandas”, afirmou.
Trator da Comlurb faz a limpeza da praia de Ipanema, na Zona Sul da cidade (Foto: Mariucha Machado / G1)Trator da Comlurb faz a limpeza da praia de Ipanema, na Zona Sul da cidade (Foto: Mariucha Machado / G1)
O presidente da Comlurb informou que nas áreas onde o programa de conscientização já começou, houve redução no volume de lixo recolhido pelos garis, como no Centro, Zona Sul e Praça Saens Peña. “A grande maioria das pessoas têm aprovado o projeto. A área da Sanes Peña é onde a gente está há mais tempo e lá a gente observou uma redução efetiva. Normalmente o gari limpava por dia entre seis e sete sacos de lixo e isso já reduziu para quatro. A diferença está ficando na lixeira”, contou Roriz.
Roberta Medina acredita que a marca do evento pode ajudar os cariocas a se conscientizarem sobre o problema do lixo na cidade. “Como o Rock in  Rio é uma marca que tem um apelo junto à população muito forte, é uma marca midiática, ela chama atenção para as causas. Quando a gente decidiu botar o Rock in Rio por um mundo melhor, tem 12 anos isso, a gente foi com essa motivação. Já que as pessoas prestam tanta atenção ao que acontece ao redor do Rock in Rio, que a gente consiga falar de termas que não, necessariamente, têm tanta atenção. O lixo é um tema que está muito em voga e que todos os cariocas se chateiam, mas não deixam de jogar lixo no chão”, disse Roberta.

A cidade do Rock tem um plano de direção para a separação de resíduos, que começa na informação de todos os lojistas, fornecedores e patrocinadores para explicar como eles devem separar o lixo, informou a vice-presidente. “A gente em 2011 conseguiu tirar 48% do lixo reciclado e esse ano a gente quer um aumento de 20% a 30% dessa meta”. Ela afirmou ainda que campanhas de conscientização serão feitas com o público.
A partir do dia 20 de agosto a Prefeitura do Rio começa a aplicar multas em quem jogar lixo na rua. A multa para quem joga pequenos resíduos no chão, que tenham tamanho igual ou menor ao de uma lata de cerveja, a multa é de R$ 157. Para resíduos maiores que uma lata de cerveja e menores que um metro cúbico, o valor sobe para R$392. O que for descartado de forma inadequada com tamanho acima de um metro cúbico, custará ao infrator R$980.


Nenhum comentário: