MULTA PARA QUEM JOGA LIXO NA RUA

Comlurb leva a Ipanema campanha pela limpeza nas ruas

No dia 20, Prefeitura vai começar a multar quem jogar lixo em vias públicas no Centro e na Zona Sul

PALOMA SAVEDRA
Rio - Começa às 10 h desta segunda-feira, na Praia de Ipanema, a campanha de conscientização sobre limpeza urbana da Comlurb em parceria com o Rock in Rio. Desde a manhã de domingo, o trecho entre o Jardim de Alah e a Rua Vinicius de Moraes (1.250 metros) não recebeu coleta de lixo para que os cariocas vejam o descarte indevido nas areias e se conscientizem sobre o problema.
No Largo do Machado, o mau exemplo de acúmulo de sujeira aos pés de uma lixeira colocada pela prefeitura
Foto:  Carlo Wrede / Agência O Dia
No dia 20, a Prefeitura do Rio dará início, no Centro e na Zona Sul, ao programa que prevê a aplicação de multas a quem for flagrado sujando as ruas da cidade. Os valores variam entre R$ 157 — para quem jogar latas e cigarros no chão — e R$ 3 mil — para quem formar depósitos irregulares.
Segundo o presidente da Comlurb, Vinicius Roriz, o objetivo do Programa Lixo Zero, que multa os ‘porcalhões’, não é aplicar sanções, mas estimular a limpeza urbana. Ele afirma que após 7.611 abordagens feitas por agentes públicos em caráter experimental em julho — na Tijuca, Centro e Zona Sul —, as áreas testadas acumularam menos sujeira.
“A multa é para mostrar que a infração terá consequência, tem que gerar um incômodo. Mas os testes mostraram que houve conscientização, pois em pouco tempo a sujeira diminuiu nessas áreas. Também houve pouquíssima recusa nas identificações”, declarou Roriz.
A bancária Monique Carvalho, 31, aprova: “Só assim as pessoas se policiam. É triste ver a cidade sendo emporcalhada”. O professor Paulo Galvão, 36, reprova: “Falta criar cultura de conscientização e educar as pessoas desde cedo. Esse é o caminho”.
Fiscais vão atuar com smartphones
Segundo a Comlurb, o programa torna efetiva a Lei de Limpeza Urbana 3273/2001. Depois do Centro e Zona Sul, a segunda etapa será na Tijuca, Madureira, Méier e Campo Grande. Ao todo, 470 agentes da companhia e da Guarda Municipal foram treinados. A operação será em trio: um fiscal de cada órgão com um policial militar. O PM poderá encaminhar à delegacia quem se recusar a se identificar.
O fiscal pedirá o CPF de quem for flagrado jogando lixo na rua, e, pelo smartphone e impressora portátil, emitirá o auto de constatação. No documento, haverá instrução para a emissão, via internet, do boleto de pagamento. Assim como na Lei Seca, se o infrator não tiver documento e não lembrar o número do CPF, poderá chamar um parente.

Nenhum comentário: