O PROTESTO CONTINUA

Manifestantes permanecem acampados próximo ao prédio do governador Sérgio Cabral

  • Eles fecharam pista sentido Ipanema da Avenida Delfim Moreira, no Leblon
  • Durante a madrugada o grupo percorreu algumas ruas da região

LEONARDO VIEIRA(EMAIL
Barraca em frente à rua onde mora o governador Sérgio Cabral, na Zona Sul do Rio Foto: Carlos Ivan / Agência O Globo
Barraca em frente à rua onde mora o governador Sérgio Cabral, na Zona Sul do RioCarlos Ivan / Agência O Globo
RIO - Um grupo de manifestantes permanece acampado na Avenida Delfim Moreira, na altura da Rua Aristídes Espíndola, próximo à casa do governador Sérgio Cabral. Eles estão desde a noite da sexta-feira no local. Os manifestantes prometem desmontar o acampamento apenas na manhã da segunda-feira. No início da manhã, eles voltaram a fechar completamente o sentido Ipanema da Delfim Moreira. O acesso para a via é feito pela General Venâncio Flores. Quem sai da Niemeyer deve e


Durante a madrugada, os manifestantes aproveitaram para percorrer os bares da região para chamar mais pessoas para se juntar ao grupo. O ato, que permanece pacífico, atraiu moradores da Zona Sul no sábado. Com megafones e cartazes eles questionaram ainda a ausência do governador em sua residência.
O protesto no Leblon começou no início da noite da sexta-feira. Centenas de pessoas caminharam cerca de seis quilômetros, a partir da estação de metrô da General Osório, pela Avenida Vieira Souto. Apesar do temor dos comerciantes, que fecharam as lojas mais cedo, o grupo seguiu pacificamente pela orla. Entre as reivindicações estavam melhorias na saúde e na educação pública.
Eles seguiram até a esquina da Rua Aristides Espínola, no Leblon, onde mora o governador Sérgio Cabral. Uma barreira formada por policias impediu que o protesto chegasse à portaria do imóvel onde ele vive com a família. Por volta das 22h, o grupo ficou reduzido a cerca de 20 pessoas, que ainda ocupavam a Avenida Delfim Moreira, no sentido São Conrado.

Nenhum comentário: