quarta-feira, 27 de fevereiro de 2013

LIMINAR




saiu uma nova Liminar mandando que a praça NS PAZ seja examinada para saber de fato o que o governo está fazendo ! e mandando uma nova perícia !!  não manda parar a obra  somente que se mande averiguar o que o Governo está retirando da praça !
Saiu isso ontem !
a Ignez pediu para  colocar no Blog !!!
Abs
Tony



Data de Publicação:
 26/02/2013        No TRIBUNAL: Dados do processo (num. única)
Jornal: Diário Oficial do Rio de Janeiro
Caderno: Tribunal de Justiça. Judicial 2ª Instância.
Página: 247
Local: Câmaras Civeis . 
*** DGJUR SECRETARIA DA 17 CAMARA CIVEL *** 
Publicação: DESPACHOS-

002. AGRAVO DE INSTRUMENTO - CIVEL 0068899-31.2012.8.19.0000 Assunto: Liminar / Medida Cautelar / DIREITO PROCESSUAL CIVIL E DO TRABALHO Origem: CAPITAL 14 VARA FAZ PUBLICA Acao: 0376819-77.2012.8.19.0001 Protocolo: 3204/2012.00873105 - AGTE: ESTADO DO RIO DE JANEIRO PROC. EST.: Leonardo Orsini de Castro Amarante AGDO: Adriana Cardoso AGDO: Andrea Maria de Souza Rangel AGDO: Eliana Maria Sales Cavalcante AGDO: Sylma de Sant`Anna Reis AGDO: Sylvia Maria Porto Fernandes AGDO: Sylvio Fernandes ADVOGADO: DR(a). ACHILLES DE RESENDE LOBO OAB/RJ-014799Relator: DES. MARIA INES DA PENHA GASPAR DESPACHO: Fls.346: Aos agravados sobre fls. 323/331 e documentos de fls. 332/344. 1 8

terça-feira, 26 de fevereiro de 2013

EMAIL RECEBIDO


 
 
Crime Ambiental na Praça Nossa Senhora da Paz
 
O Governo do Estado merece ser processado, e os responsáveis por autorizar os cortes ilegais das árvores deveriam ser indiciados por CRIME AMBIENTAL, pois sabem que existe a alternativa de se construir a estação de metrô sem a derrubada de árvore alguma. Existia também a hipótese de se contruir a estação no subsolo da Rua Visconde de Pirajá, no quarteirão seguinte à Praça (tal qual ocorrerá no Leblon, onde a estação Jardim de Alah não será no Jardim, mas no quarteirão seguinte, no subsolo da Av. Ataulfo de Paiva). Preferiram supostamente economizar dinheiro para não construir a estação na R. Visconde de Pirajá, mas quando o Governo RJ necessitou verbas (de bilhões de reais) para reformar o Maracanã e para outras várias obras de preparação para Copa 2014 e Olimpíadas, soube pedir ao Governo Federal e este concedeu. Mas não pediram dinheiro para uma estação de metrô que poupasse a Praça da destruição, e esta acaba sendo sacrificada por questão de economia!!!
A Rio+20 foi uma Conferência de faz-de-conta, uma MENTIRA apenas para iludir governantes do mundo inteiro que aqui vieram em 2012. Parabéns, Governo do Estado do Rio de Janeiro e Prefeitura, pela sua IRRESPONSABILIDADE e pela sua MENTIRA!!!

H.B.

segunda-feira, 25 de fevereiro de 2013

ARTE DE RUA


Enviado por Jorge Antonio Barros - 
24.2.2013
 | 
14h00m
ARTE DE RUA

Andrea Brandani, o grafiteiro de Ipanema

 Apesar da sujeira e dos transtornos causados pela obra do metrô na Praça Nossa Senhora da Paz, Ipanema continua sendo um dos bairros mais charmosos da Zona Sul do Rio. É o bairro conhecido por lançar moda e atitudes de comportamento. Seja na orla ou nas ruas internas é sempre possível se encontrar algum artista por lá. No sábado à tarde, nosso blog flagrou o artista plástico Andrea Brandani grafitando o muro da antiga Galeria Jean Boghici, o grande marchand, que cedeu espaço para a arte de rua.
Ali no muro branco que contorna uma esquina da Joana Angélica Brandani coleciona personagens das ruas de Ipanema, como o vendedor de balas Virgulino Lampião e Ana Maria, a mulher de branco. A novidade é que Brandani vai levar seus grafites a Munique, na Alemanha.

domingo, 24 de fevereiro de 2013

CORA RÓNAI


Cora Rónai
A colunista escreve às quintas-feiras
Vida de carioca

Não acredito mais quando me falam em legado disso ou daquilo. Poiso atual velódromo não era ‘legado do Pan’?

Terminei a coluna da semana passada pedindo explicações ao Comitê Olímpico sobre o velódromo e o centro de treinamento de ginástica artística, que foram desativados embora estivessem novinhos; não me entra pela cabeça que equipamentos construídos para o Pan, em 2007, agora sejam considerados inadequados. Pois Claudio Motta, gerente de comunicação do COB, prontamente me mandou um e-mail:
“A desativação do atual Velódromo acontece para atender ao cronograma de obras do Parque Olímpico, com a construção de um novo Velódromo, de nível olímpico, que se constituirá em um grande legado dos Jogos Olímpicos Rio 2016 para o ciclismo da cidade e do país.
Em relação aos atletas de ginástica, o COB já tem um local para instalar o CT de Ginástica Artística, no Rio de Janeiro, que será anunciado em breve. Além disso, o COB e a Confederação Brasileira de Ginástica definiram que, até a construção do novo CT, o local de treinos da Seleção Brasileira feminina será em Três Rios (RJ). Já a masculina se dividirá entre Belo Horizonte (MG) e São Caetano (SP).
No caso do ciclismo, havendo a necessidade de treinamento de ciclistas da Seleção, o COB, em conjunto com a Confederação Brasileira de Ciclismo, enviará os atletas da modalidade para treinos no exterior.
Se persistirem dúvidas, estamos à sua disposição.”
Não posso propriamente dizer que persistem dúvidas; o que persiste é indignação. Não acredito mais quando me falam em “legado” disso ou daquilo. Pois o atual velódromo não era “legado do Pan”? Acho um desrespeito com os contribuintes a facilidade com que se joga dinheiro fora neste país. Isso para não falar no centro de treinamento de ginástica, que funcionava dentro do velódromo: em abril do ano passado, o próprio COB postou no YouTube um vídeo sobre a sua inauguração, com elogios empolgados dos nossos atletas afirmando que nunca viram nada igual (o vídeo pode ser assistido em bit.ly/Y2p4FY).
Recebi também um e-mail de Mariza Louven, que trabalha na Empresa Olímpica Municipal, da prefeitura:
“A Federação Internacional de Ciclismo (UCI), após vistoria do velódromo atual feita a pedido do Comitê Rio 2016, elaborou um parecer de que este não pode ser utilizado para os Jogos Olímpicos. A entidade citou diversos aspectos. Entre eles, o fato de a construção ter dois pilares que atrapalham a visão do público, dos telespectadores e dos árbitros; e a pista não permitir que os atletas atinjam a velocidade necessária para superar recordes olímpicos e mundiais — no velódromo atual, os atletas podem atingir até cerca de 65 km/h, enquanto um velódromo olímpico deve possibilitar o alcance de 85km/h. Além disso, há itens que impactam a segurança dos competidores e seu desempenho, como o fato de a construção atual ser aberta.”
Essa explicação mais detalhada apenas ampliou o espectro da minha indignação. Quer dizer que nos fizeram de trouxas no Pan? Nos deram um “legado” que não prestava? Imagino que um velódromo seja projetado por especialistas no assunto; mas que “especialistas” foram esses que fizeram um equipamento que não permite alcançar recordes e que “impacta a segurança” dos atletas?
Em suma: fomos ou estamos sendo passados para trás. Pagamos por um velódromo aparentemente perfeito em 2007 e vamos pagar por outro velódromo ainda mais perfeito este ano. Só nos resta agora torcer para o Rio não sediar nenhum evento de ciclismo no futuro, ou logo o “legado dos Jogos Olímpicos” será demolido para a construção de um terceiro velódromo.
Ser carioca é conviver com obras de caráter duvidoso. A Praça Nossa Senhora da Paz, em Ipanema, está sendo completamente destruída pelas obras do metrô. O governo do estado, que prometeu que ia deixar as árvores em paz, mentiu: de qualquer janela das vizinhanças se pode acompanhar a clareira que cresce a cada dia. A verdade é que o governador está pouco se lixando para as árvores, assim como está pouco se lixando para os mais de 30 mil cidadãos que assinaram uma petição em sua defesa.
Enquanto isso, no Leme, moradores estão se mobilizando para salvar o bairro do desastre que seria a implantação de uma nova estação do bondinho do Pão de Açúcar. Eles estão apavorados, e por justa causa: o Leme, que já tem uma população maior do que comporta, e que não tem vagas nem para os automóveis de quem mora lá, quem dirá para ônibus de turismo, vai perder o pouco de sossego que lhe resta se a sinistra ideia da Companhia Caminho Aéreo Pão de Açúcar colar. Os moradores foram à rua no domingo, para protestar, e logo num primeiro momento colheram mais de 500 assinaturas.
Tomara que tenham mais sorte do que tivemos em Ipanema.


Leia mais sobre esse assunto em http://oglobo.globo.com/cultura/vida-de-carioca-7630382#ixzz2LpNG7ciH
© 1996 - 2013. Todos direitos reservados a Infoglobo Comunicação e Participações S.A. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.

PÓS -PRAIA !


Market Ipanema


A melhor opção pós-praia!  
Imagem de divulgação
Uma portinha escondido no meio de Ipanema que pode ser considerada o pós-praia perfeito. Localizado na rua Visconde de Pirajá, o Market Ipanema apresenta um cardápio impecável que convida e estimula seus adeptos a uma gastronomia saudável, mostrando que comer bem de uma forma saborosa pode sim ser um hábito diário.
O menu elaborado pela chef paulista Carol Figueiredo é bem variado, com diferentes tipos de quinuas, frutos do mar, saladas, sucos e smoothies, em receitas deliciosas de dar água na boca.
O restaurante além de delicioso é super bem frequentado, um ótimo lugar para ver gente bonita e cool. Os preços variam, além de almoços diários pelo preço de R$31 (entrada + prato principal + sobremesa), até pratos mais elaborados como Espeto de camarão grelhado (R$50) e o delicioso Cogumelo Portobello (grelhado e gratinado com gruyere, saladinha de tomate orgânico com ervas e flor de sal, folhas orgânicas acompanhado por arroz integral) por R$28.
Vale a pena conferir!

Market Ipanema details

Market Ipanema
Endereço Rua Visconde de Pirajá, 499 - Ipanema - Rio de Janeiro Ipanema, Rio de Janeiro
Estações próximas Ipanema
Telefone 3283-1438
Site de Market Ipanema
Horário de funcionamento Seg - 12h às 17h; Ter a sab - 9h às 24h; Dom - 9h às 18h


sexta-feira, 22 de fevereiro de 2013

VISITANTE


PRAIA



Sensação térmica chega aos 41 graus nesta sexta-feira

Fim de semana será de sol e altas temperaturas no Estado

Rio -  O forte calor que atinge o Rio há pelo menos duas semanas mostrou nesta sexta-feira que está perto do fim. Às 10h desta manhã, a estação da Redemet instalada em Jacarepaguá registrava 36 graus, mas a sensação térmica chegou aos 41 graus.
A massa de ar quente que atinge a cidade  perde um pouco da força, causando aumento da nebulosidade e declínio das temperaturas, mas não há previsão de chuva para as próximas 24 horas, de acordo com Alerta Rio. A máxima previsão para hoje é de 39 graus.
Para o domingo, o sol aparecerá sobre nuvens pela manhã. Há previsão de chuva somente no período da tarde e da noite, segundo o Climatempo. A máxima prevista é de 37 graus.
Praia do Arpoador ficou cheia nesta sexta | Foto: Patrick Rocha / Agência O Dia
Praia do Arpoador ficou cheia nesta sexta | Foto: Patrick Rocha / Agência O Dia

METRÔ


Copacabana teme caos com fechamento de estações de metrô

  • General Osório ficará 10 meses sem funcionar a partir de sábado; Cantagalo fechará por 15 dias

THAMINE LETA (EMAIL


Expansão. Operários trabalham no túnel que partirá de Ipanema rumo à Gávea e ao Jardim Oceânico, na Barra da Tijuca: estações General Osório e Cantagalo serão fechadas
Foto: Pedro Kirilos / O Globo
Expansão. Operários trabalham no túnel que partirá de Ipanema rumo à Gávea e ao Jardim Oceânico, na Barra da Tijuca: estações General Osório e Cantagalo serão fechadas Pedro Kirilos / O Globo
RIO — Após o anúncio do fechamento das estações Cantagalo e General Osório a partir de sábado para a interligação da nova plataforma de General Osório ao túnel da Linha 1 do metrô — visando à construção da Linha 4 (Barra-Zona Sul) —, moradores de Copacabana estão preocupados. A concessionária Metrô Rio informou que a linha Metrô na Superfície, que hoje sai da Praça General Osório rumo à Gávea, e a linha 525 (Barra Expresso) partirão da Estação Siqueira Campos. Ainda segundo a concessionária, o Metrô na Superfície terá reforço de apenas dois ônibus (de 15 para 17), mas poderá ser aumentado de acordo com a demanda.
Quarenta e cinco mil pessoas que usam o metrô diariamente em Copacabana e Ipanema precisarão mudar sua rotina. O aviso da interdição, feito com menos de 48 horas de antecedência, complicou a vida de quem precisa se planejar. A previsão é que Cantagalo fique fechada por 15 dias, e General Osório, por pelo menos 10 meses. Isso significa que, se não houver atraso, a estação de Ipanema só será reaberta às vésperas das festas de fim de ano.
— O fechamento vai me prejudicar, pois levarei mais tempo para chegar ao trabalho, no Centro. E essa mudança toda foi avisada em cima da hora. O planejamento terá que ser corrido, pois o trânsito ficará um caos — disse a publicitária Mariah Regufe, moradora de Copacabana.
O impacto no trânsito da Zona Sul já deve ser sentido a partir da segunda-feira, primeiro dia útil após a mudança. Segundo a prefeitura, a expectativa é que a frota de ônibus municipais tenha capacidade para absorver os 45 mil passageiros que ficarão órfãos do metrô.
Para o professor Paulo Cézar Martins Ribeiro, do Programa de Engenharia de Transportes da Coppe/UFRJ, o grande teste do sistema ocorrerá na segunda-feira. Sem dados sobre o intervalo entre os coletivos, ele evita fazer projeções sobre a capacidade de os ônibus absorverem ou não os passageiros do metrô, mas se mostra preocupado:
— O serviço de Metrô sobre Rodas hoje já circula lotado pela Zona Sul. Com o fechamento das estações, o percurso vai aumentar. Sem os dados técnicos do percurso, não é possível julgar se apenas dois ônibus adicionais do metrô vão comportar o aumento da demanda. Espero que, na montagem do esquema, alguém tenha feito uma avaliação criteriosa do impacto.
Ao todo, 15 mil pessoas circulam na Estação Cantagalo todos os dias. E 30 mil usam o metrô na General Osório.
— Mesmo que haja ônibus suficientes para todas essas pessoas, como ficará a questão do embarque? Isso me preocupa, não sei como Copacabana vai receber tanta gente — afirma Moacyr Duarte, professor da Coppe/UFRJ.
Por conta da transferência dos ônibus, a ciclovia da Rua Figueiredo Magalhães, entre as ruas Tonelero e Capelão Álvares da Silva, passará do lado direito para o lado esquerdo. Essa mudança permitirá, a partir de sábado, o desembarque dos ônibus do lado direito da rua.
— Essa mudança me preocupa, pois, no lado direito, existe um parqueamento da Delegacia Especial de Atendimento à Pessoa de Terceira Idade e um edifício-garagem que movimenta muito a Figueiredo Magalhães. Também fiquei surpreso com o tempo entre o anúncio e o fechamento das estações. Copacabana vai ficar com o trânsito muito comprometido — acredita o presidente da Sociedade Amigos de Copacabana, Horácio Magalhães.
Segundo o secretário estadual da Casa Civil, Régis Fichtner, o fechamento da General Osório permitirá a construção de uma nova plataforma, o que aumentará a capacidade da estação e garantirá a conexão entre as linhas 1 e 4 (Jardim Oceânico-Ipanema) sem que seja feita a troca de trens.
— Não fazemos uma intervenção dessas sem nenhum transtorno, sabemos disso. Será necessária uma mudança de hábito do usuário do metrô — afirma Fichtner.
A estação Cantagalo será reaberta, em março, com um trem fazendo o trajeto Cantagalo-Siqueira Campos–Cantagalo. Com isso, os passageiros terão de desembarcar em Siqueira Campos e pegar outro trem para seguir viagem rumo ao Centro. Essa operação será mantida até a conclusão das obras.
As primeiras mudanças na Zona Sul, por conta da ligação de Ipanema à Barra, aconteceram no fim do ano passado, com interdições para construção das estações Antero de Quental e Jardim de Alah. Todas as faixas da Avenida Ataulfo de Paiva, nos trechos entre a Venâncio Flores e a Avenida Bartolomeu Mitre, e entre as avenidas Afrânio de Melo Franco e Borges de Medeiros, foram fechadas ao tráfego. A partir de abril, mais um trecho da Avenida Borges de Medeiros será interditado. Segundo o governo, uma ponte metálica será construída sobre o Jardim de Alah para ligar a Rua Humberto de Campos à Avenida Epitácio Pessoa.
No fim de janeiro, um canteiro de obras foi instalado no campo de futebol da PUC. A estação Gávea, que será construída a partir do segundo semestre deste ano, ficará em parte do terreno onde hoje funciona um estacionamento. A previsão é que a estação tenha dois acessos, um em frente à universidade, na Rua Padre Leonel Franca, e outro na Rua Marquês de São Vicente. Não há expectativa de fechamento de ruas da Gávea durante as obras, que devem durar pelo menos até 2015.
O desafio dos grandes eventos
O fechamento da estação General Osório, em Ipanema, será sentido não só por passageiros habituais, como por frequentadores de grandes eventos na Zona Sul. Durante a Jornada Mundial da Juventude, entre 23 e 28 de julho, a Praia de Copacabana, vizinha a Ipanema, será um dos principais palcos do evento. A missa de abertura da jornada será rezada ali, assim como a cerimônia de acolhida do Papa e uma via-sacra. A previsão é que esses encontros reúnam dois milhões de jovens.
Outra preocupação é o réveillon. Segundo o secretário estadual da Casa Civil, Régis Fichtner, a expectativa é que as obras acabem em dezembro, portanto pouco antes do ano-novo.

quinta-feira, 21 de fevereiro de 2013

PRESTAÇÃO DE CONTAS





PRESTAÇÃO DE CONTAS À POPULAÇÃO A RESPEITO DO MOVIMENTO PELA PRESERVAÇÃO DA PRAÇA N. SRA. DA PAZ


Nossos advogados Dra. Regina Carquejo e Dr. Achilles Lobo entraram no mês de Setembro com uma ação cautelar de produção antecipada de provas que resultou numa liminar que garante à população o direito a uma perícia judicial para provar se é possível ou não fazer a obra de construção da estação N. Sra. da Paz pelo método subterrâneo cujo resultado seria a estação de metrô no subsolo da Praça N. Sra. da Paz sem a necessidade da derrubada de uma única árvore, preservando, desta forma, o importante patrimônio público, tombado, histórico, cultural e social que é o pilar da sustentabilidade e da biodiversidade de Ipanema.
Igualmente foi pedido nesta ação que os acessos à estação fossem discretos, sem coberturas, com escadas rolantes trabalhando ao tempo e  localizados nas calçadas da Rua Visconde de Pirajá em frente aos números 303 e 330 – 407 e 414 de modo a não deixar que este importante espaço de convivência social de minorias protegidas pela constituição – idosos, crianças e pessoas com necessidades especiais se transforme em passagem de 47.000 pessoas /dia – número calculado de usuários da Estação N. Sra. da Paz.
Conseguimos uma liminar, o Governo recorreu, a liminar foi mantida pelo presidente do TJ-RJ no que diz respeito ao direito da população a uma perícia judicial, também mantida. O Governo recuperou a retomada das obras na mesma liminar. Nós recorremos ao agravo, entramos com a ação principal – uma ação popular- e no momento nosso recurso está à espera de julgamento pelo Órgão Especial do TJ-RJ.

O custo da perícia judicial está orçado em um pouco mais de 158.000,00 ( cento e cinqüenta e oito mil reais) 660UFIRS. Na coleta pública na praça em ações voluntárias com duração de cerca de 1.30hs.  duas vezes por semana, conseguimos arrecadar em doações da população – cada um deu o que podia e queria doar – R$16122,86 reais ( dezesseis mil, cento e vinte e dois  e oitenta e seis reais ). Tivemos despesas de R$ 3259,00 ( três mil duzentos e cinqüenta e nove reais ) com cartórios, reconhecimento de firmas, custas judiciais, xerox, cópias etc. De modo que temos disponível para ajudar no pagamento da perícia R$ 13.122,86 ( treze mil cento e vinte e dois reais e oitenta e seis centavos).

Nossos advogados já entraram com o pedido junto à juíza titular da 14ª. Vara de Fazenda Pública da redução  significativa deste valor, uma vez que a sociedade não tem como arcar com custas tão altas.Nossa expectativa é conseguir pagar a perícia, evidentemente, se o Governo de forma  ilegal não derrubar todas as árvores antes.

Caso a perícia não se concretize o dinheiro recolhido será integralmente doado à uma instituição de caridade séria e com ampla divulgação na mídia e nas redes sociais.

Coordenação do Projeto de Segurança de Ipanema

EMAIL RECEBIDO


Uma liminar na Justiça protege as árvores da Praça Nossa Senhora da Paz até que a perícia seja feita e, enquanto esta não ocorre, árvore nenhuma pode ser cortada ou retirada para as obras da nova estação de metrô.  Porque a empresa responsável e o Governo do Estado descumpriram a decisão judicial arrancaram algumas árvores?  Ao prosseguir com as obras e com a instalação de diversas máquinas pesadas na Praça, provavelmente pretendem pressionar a Justiça a se decidir a favor deles, pois a esta alegarão: “Já instalamos equipamentos de grande porte e já começamos a abrir a cratera para a construção da estação do metrô.  Imaginem o tempo desperdiçado se tivermos que voltar atrás agora?”  Ora, o Governo já sabe, desde 2009, que as Olimpíadas serão no Rio.  Porque não começaram as obras há mais tempo, a fim de permitir que o “Tatuzão”, que escavará os túneis do metrô, possa também escavar a estação pelo método inteiramente subterrâneo, preservando a Praça da destruição?  Em pleno Terceiro Milênio , quando se fala em cidades mais humanas, preservação do planeta e no instante em que realizamos a Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável, a Rio+20 (com a presença de Chefes de Nações do mundo inteiro), o Governo do Estado oferece um exemplo de irresponsabilidade aos cidadãos cariocas, incluindo o fato de ter agido contra a Lei.

ARPOADOR



METRÔ


RJ: Metrô fecha 2 estações da Linha 1 para obras em Ipanema e Copacabana


O governo do Rio de Janeiro e o Metrô anunciam nesta quinta-feira os detalhes do fechamento das estações General Osório, em Ipanema, e Cantagalo, em Copacabana, para a sequência das obras da Linha 4. O fechamento, que deve durar no mínimo oito meses, vai servir para a construção de um túnel ligando as duas estações, para que a conexão entre as linhas 1 e 4 seja feita sem transbordo no futuro. A previsão era que o fechamento fosse feito em dezembro, mas acabou adiado por problemas no licenciamento da obra.

O Metrô vai anunciar um plano especial de operação para o período em que as estações estiverem fechadas para causar o mínimo de transtorno ao usuário, com aumento da frota dos ônibus que fazem a ligação entre a estação Siqueira Campos, que volta a ser a última da linha 1, e a Barra da Tijuca e a Gávea, nos mesmos horários do funcionamento do Metrô. De segunda a sábado, das 5h à meia-noite, e domingos e feriados, das 7h às 23h. O número de paradas de cada ônibus também será ampliado.

quarta-feira, 20 de fevereiro de 2013

EMAIL RECEBIDO


Rio de Janeiro, 20 de fevereiro de 2013.


CONTROLE DEMOGRÁFICO EM  IPANEMA II

O secretário de turismo do Rio de Janeiro prestou declarações aos jornais alegando que o problema do Carnaval em Ipanema e as grandes massas que o acorreram “foi relativo ao escoamento das pessoas que se detiveram nos locais de desfile”...
Tal declaração denota, ainda uma vez, o desconhecimento sobre fenômeno de massas, sendo que a causa não foi comentada, O GRANDE AFLUXO DE PESSOAS QUE NECESSITA SER CONTROLADO!!!
Deve ser levado ainda em consideração que estas massas são motivadas por terem bebidas alcoólicas em profusão e com este fato não possuem controle psicológico.
AS OPERAÇÕES CHOQUE DE ORDEM E LEI SECA DEVEM SER ESTENDIDAS E RIGOROSAMENTE APLICADAS, PRINCIPALMENTE NAS PRAIAS.
JGuia

terça-feira, 19 de fevereiro de 2013

ATA




      Reunião PSI – 18/02/2013- Colégio Notre Dame – Ipanema


-Ação Cautelar de Produção de Provas:

Finalmente foi informado o valor da Perícia designada na 1ª liminar, para determinar o método de construção para a Estação do Metrô sob a Praça N. S. da Paz: R$ 158.000,00.
A primeira estratégia estudada,seria transferir para o Estado, o custo total deste trabalho. Porém, foi verificado que por jurisprudência, não é aconselhável.
Numa 2ª opção, seria mais viável fazer com que haja uma redução significativa e parcelamento dos custos. Inclusive, a Advogada responsável já deu entrada nesta petição.

Em relação à 2ª estância, infelizmente não houve boa receptividade por parte da Desembargadora, relatora do agravo contra posto pelos autores.
Este agravo deve ser  julgado na  próxima semana pelo Órgão Especial do TJ-RJ.
A nossa advogada preparou um DVD a ser entregue junto com o  Memorial a cada desembargador do Órgão Especial para facilitar a compreensão do problema e ajudá-los no seu difícil trabalho.

Até o momento com a coleta de rua conseguimos mais de R$ 16.000,00 reais e tivemos um gasto aproximado de R$3.000,00 de modo que temos líquido cerca de R$13.000,00 para ajudar no pagamento da perícia. Estamos esperando a resposta da petição feita à juíza da 14ª. Vara de fazenda Pública pedindo a redução e o parcelamento dos custos da perícia de forma a podermos pedir a cada morador a sua contribuição para que a perícia possa ser efetivada.

- Ocupação irregular da Praia de Ipanema:

Foi realizada uma primeira reunião no dia 24 de Janeiro no auditório do prédio Vitrine de Ipanema, na Rua Visc. de Pirajá nº 330, em que participaram os representantes do “Quadrilátero do Charme de Ipanema, do Pólo Gastronômico Ipanema +, do PSI, da deputada estadual Aspásia Camargo, da Associação do Comércio de Praia ( Ascolpra) e outros grupos relacionados ao comércio em geral de Ipanema. Foi apresentado um diagnóstico feito pelo Quadrilátero do Charme e pelo Pólo Gastronômico onde estão relacionados os principais problemas do bairro e da ocupação irregular da praia. O representante dos barraqueiros da praia, nos expôs todos ao problemas causados por esta desordem em geral.
Estranhamente, assim que a reunião foi encerrada, ficamos sabendo que todos os assuntos ventilados tinham sido “vazados”.
Existem inúmeros comerciantes insatisfeitos com a desordem desenfreada nas portas dos seus estabelecimentos. Foi então feito um contato deles com o PSI para que juntos se possa encontrar uma  solução para o desagradável problema.
O objetivo do projeto, seria levar todos os tipos de situações inadmissíveis existentes, ao conhecimento do Prefeito, para um diálogo e negociações até se chegar à uma solução.
Mas, se por ventura esta alternativa não for aceita por parte da Prefeitura, os próximos passos seriam judiciais.

A sra. Rosa, moradora de Ipanema durante muitos anos, elaborou e leu uma listagem de 13 itens observados por ela durante o Carnaval, relacionados à desordem desenfreada nas praias, ruas, Metrô e inclusive, a situação dos moradores do bairro ficarem “ilhados” dentro de seus apartamentos, devido às invasões dos blocos que estão cada vez maiores e mais numerosos. O bairro não comporta este gigantismo.

Ata elaborada por Sylma

segunda-feira, 18 de fevereiro de 2013

CERTÍSSIMO !


CARNAVAL E MEGA-POPULAÇÕES


Uma das cartas enviadas para este blog, alertou-nos para o fato das cervejarias incentivarem a prática de bebida alcoólica junto a venda com os ambulantes, principalmente durante o Carnaval.

É interessante rememorar-se que este Projeto de Segurança de Ipanema contribuiu com a proibição do Réveillon na praia de Ipanema, quando levantou-se a questão sobre a segurança dos moradores do bairro, face as mega-populações e, alcoolizados. Quem seria o responsável pelo desastre? Obviamente ficou claro que seriam os patrocinadores, incluídos o maior de todos – AMBEV!

Curiosamente o governo estimula a Lei Seca e, paradoxalmente, é conivente com a alcoolemia.

Observe-se que são os mais jovens e os mais desvalidos os alvos dessa proposital dominação. Ambos sem perspectiva de futuro, sem educação ampla, com suas auto-estimas fragilizadas, são as presas fáceis para este cruel modelo de gestão

JGuia
18/2/2013

PRAIA DE 1º MUNDO


Click do Leitor: Lixo foi a grande ‘atração' da orla

Neste Carnaval, o lixo foi a grande ‘atração' da orla da Zona Sul. Segundo o registro do leitor José Conde, apesar dos esforços dos garis, o lixo parecia brotar do chão da praia de Ipanema.
Foto: Leitor José Conde
Foto: Leitor José Conde
“O famoso cartão-postal mais parecia um aterro sanitário!”, lamentou. Que essa cena não se repita na folia do ano que vem, pois a cidade não merece.

domingo, 17 de fevereiro de 2013

CARNAVAL



Xixi ainda é o vilão do carnaval de rua do Rio

Associações de moradores reclamam da falta de higiene dos banheiros químicos e da falta de limpeza nas ruas. Prefeitura avalia reduzir blocos

Bloco Me Beija que Sou Cineasta
Bloco Me Beija que Sou Cineasta - Fernando Maia/Riotur

A reinvenção do carnaval de rua do Rio, apesar das atuais dimensões gigantescas dos blocos, é um fenômeno recente. Há uma década, ficar na cidade nos quatro dias de folia servia basicamente a dois tipos de público: os que amam os desfiles de escola de samba e os que odeiam o movimento de baterias e foliões. Em pouco tempo, agremiações como Cordão da Bola Preta, Simpatia É Quase Amor, Suvaco do Cristo e Banda de Ipanema passaram a ser comparados aos trios elétricos de Salvador – com a vantagem de não segregarem seus seguidores por cordas ou áreas restritas. Os cariocas passaram a ficar na cidade. Vieram mais turistas. E chegaram também os problemas. O mais indiscutivelmente incômodo, aliás, não vai embora junto com a Quarta-Feira de Cinzas: o cheiro de urina nas ruas dos bairros mais badalados pelos blocos.
O xixi é ponto pacífico: não há folião de carteirinha que sinta prazer em acordar e receber pela janela de casa a certeza de que uma multidão passou por ali, aliviando-se dos litros de cerveja depois da maratona. A prefeitura do Rio admite que o tamanho da festa tornou-se um problema para o Rio. O prefeito Eduardo Paes já fala em “redução”, e diz que não há mais para onde o carnaval de rua crescer.
As associações acreditam haver a necessidade de uma série de ajustes, passando, primordialmente, pelos banheiros químicos. O problema central, às vezes, não chega a ser a quantidade de cabines disponíveis, mas a manutenção. Além das filas que o folião enfrenta, muitas vezes o cheiro dos banheiros denuncia que a limpeza não passou por ali. “Não sei se o problema é propriamente a quantidade de banheiros. Acho que é a higiene. O cheiro é horrível e ninguém quer usar. O banheiro fica sujo dois ou três dias até a empresa trocar. A prefeitura ainda está longe de resolver”, afirma Regina Chiaradia, presidente da Associação de Moradores de Botafogo.
Divulgação/Prefeitura do Rio
Foliões do Me Beija que Eu Sou Cineasta reunidos na Gávea, na Quarta-Feira de Cinzas: folia sem fim
Foliões do Me Beija que Eu Sou Cineasta reunidos na Gávea, na Quarta-Feira de Cinzas
Carlos Monjardim, presidente da Associação de Moradores e Amigos de Ipanema, também acredita ser a manutenção o xis da questão. “Ainda há banheiros químicos em Ipanema. Se passar pelos locais onde eles estão, o cheiro de urina é horrível”, afirma. Na avaliação da presidente da Associação de Moradores e Amigos do Leblon, Evelyn Rosenzweig, os banheiros merecem, no máximo, “nota um”. No Leblon, outro aspecto considerado problemático por Evelyn foi a venda de bebida alcoólica para menores. “Faltou controle”, afirma a presidente da AMALeblon.


As três associações reclamaram também da deficiência na limpeza. Segundo os representantes ouvidos pelo site de VEJA, a varrição demorou e, em plena Quarta-Feira de Cinzas, as ruas ainda estavam sujas. Em Ipanema, Monjardim acredita ser possível reduzir o número de blocos, deixando apenas aqueles característicos do bairro, como a Banda de Ipanema e o Simpatia É Quase Amor, que mantém a tradição de desfilar muito antes de o carnaval de rua do Rio atrair multidões. “Os canteiros dos jardins foram depredados. Outra questão no bairro é que muitos prédios não têm garagem, e os moradores estacionam na rua. Vários carros foram danificados por foliões”, afirma.

No Leblon, a associação não vislumbra solução, uma vez que todos os blocos nasceram no bairro. Uma das possibilidades pensadas pelos moradores é limitar a um desfile por bloco.
Planejar o carnaval, conciliando a liberdade que a festa supõe e as regras para incomodar o mínimo, não é simples. A organização dos blocos, nos últimos anos, foi feita a fórceps. No início, os próprios organizadores fugiam de um ordenamento de locais e horários. Para driblar o excesso de foliões, alguns blocos divulgavam horários de saída errados, como o Céu na Terra, em Santa Teresa.
O excesso de gente é um problema. O maior incidente de 2013 ocorreu no mais tradicional dos blocos, o Cordão da Bola Preta, que este ano levou 1,8 milhão de pessoas à Avenida Rio Branco – no ano passado a estimativa foi de 2 milhões. Na hora de dispersar o público, uma conjunção de fatores criou cenas de desespero e destruição. Três viaturas da Polícia Militar, posicionadas junto a grades de proteção em um dos pontos por onde deveria escoar o público, passaram a funcionar como obstáculo. Mulheres e crianças passaram mal, alguns foliões tentaram subir nos carros e os vidros foram quebrados.
Descontado o empurra-empurra, o fluxo de turistas e cariocas na cidade faz o mercado sorrir. O governo do estado calculou o movimento do carnaval em 1 bilhão de reais. “A previsão da Riotur é de 50 mil turistas a mais que no ano passado, um acréscimo de 5,8% no número de visitantes. A estimativa é de que cerca de 900 mil pessoas, vindas do Brasil ou de outros países, tenham contribuído para a movimentação de 665 milhões de dólares (mais de 1 bilhão de reais) no estado do Rio”, diz uma nota do governo do Rio. Do total de turistas, 70% chegaram de fora. Fazer a festa continuar lucrativa, divertida e organizada é o dever de casa do momento para a cidade que tem, a partir de junho, uma sequência inédita de grandes eventos: Copa das Confederações, Jornada Mundial da Juventude, Copa do Mundo de 2014 e os Jogos Olímpicos de 2016. O réveillon de Copacabana, que todo ano atrai cerca de 2 milhões de pessoas para um espetáculo de algumas horas, é um bom exemplo de como o Rio é capaz de se organizar. Se a cidade funciona no ano novo, pode funcionar no carnaval.

'JOGO DO EMPURRA

Após o carnaval, calçada afunda em ponto movimentado do Arpoador

  • Prefeitura notifica Cedae, mas empresa nega responsabilidade
  • Leitora alerta para risco a pedestres na Rua Francisco Otaviano

LEONARDO GORGES, COM A LEITORA ANA SCHNEIDER (


Pedestres têm de desviar do bueiro e de um fradinho na principal rua do Arpoador -
Foto: Foto da leitora Ana Schneider / Eu-Repórter
Pedestres têm de desviar do bueiro e de um fradinho na principal rua do Arpoador -Foto da leitora Ana Schneider / Eu-Repórter
RIO - O carnaval já acabou, mas deixou marcas na calçada da Rua Francisco Otaviano, no Arpoador, Zona Sul da cidade. Em frente ao número 61, o passeio começa a afundar ao lado de um bueiro, como mostra a leitora Ana Schneider. A falta de sinalização gera o temor de quedas, já que um fradinho e o muro de um colégio diminuem o espaço de passagem.
— O buraco se formou há umas duas semanas, mas, depois do carnaval, ficou desse jeito. E o pior é que a calçada está afundando. Poderia pelo menos ter uma sinalização, né? — diz Ana.
A leitora acrescenta que, ainda antes disso, o local já não recebia manutenção. Apesar de estar escrito “esgoto” na tampa do bueiro, não há indícios de vazamento ou qualquer outro problema que possa ter originado o buraco.



VIROU BAGUNÇA


Novos guarda-sóis das praias já estão marcados por barraqueiros

  • Mesmo com multa de R$ 253, ambulantes insistem na prática
  • Padronização começou a ser feita em dezembro na Zona Sul do Rio

ANA LUCIA VALINHO COM O LEITOR FERNANDO GUIMARÃES (


Tinta preta com marcação ilegível mancha barracas novas da orla |
Foto: Foto do leitor Fernando Guimarães/ Eu-Repórter
Tinta preta com marcação ilegível mancha barracas novas da orla | Foto do leitor Fernando Guimarães/ Eu-Repórter
RIO - As praias da Zona Sul da cidade se livraram da “maré vermelha” que predominava nas barracas, mas os novos guarda-sóis já apresentam problemas: muitos deles estão poluídos por inscrições feitas com tinta preta, que estragam a estampa que tanto agradou aos cariocas.
Fernando Guimarães flagrou barracas nessa situação no Posto 9, em Ipanema, em frente à Rua Joana Angélica. O fato de o ambulante ignorar as regras impostas pela prefeitura a poucos metros de um posto da Guarda Municipal (ao fundo da foto) o revoltou ainda mais.
— Todas os guarda-sóis daquele barraqueiro estavam daquele jeito, e já vi a mesma situação em outros pontos de Ipanema. Outro dia vi barracas em que o comerciante tinha feito a marcação errada e corrigiu passando ainda mais tinta preta, aumentando a sujeira — conta Guimarães.
A barraca padronizada foi patrocinada por uma cervejaria e traz impressa a frase “Rio, praia linda” e um espaço para que o barraqueiro possa identificar seu material. As inscrições fora desse espaço são proibidas.
Os novos abrigos começaram a ser distribuídos no dia 15 de dezembro, e já estão em Copacabana e Ipanema. A previsão é que, agora, após o carnaval, os guarda-sóis cheguem também a São Conrado, Flamengo, Barra da Tijuca e Recreio. A meta é trocar 40 mil barracas no total.
Em entrevista ao GLOBO no início da implementação do novo modelo,um barraqueiro admitiu que prefere pagar a multa imposta pela prefeitura a arriscar ser roubado por frequentadores da praia ou outros ambulantes.
De acordo com a Secretaria Especial de Ordem Pública (Seop), a descaracterização rende multa de R$ 253 a cada vez que o ambulante for flagrado com uma barraca pintada ou marcada. Isso porque o decreto que estabelece a padronização dos guarda-sóis determina que o portador não pode poluir o material.
A Seop afirma que vai intensificar a fiscalização para reprimir a marcação das barracas. Agentes da secretaria já flagraram outras vezes o descumprimento do decreto.
— As barracas vermelhas eram um horror, melhoraram muito agora com a nova estampa. Mas, sem a fiscalização correta, não adianta. É necessário fiscalizar, porque às vezes nem os próprios ambulantes sabem se o que estão fazendo é certo ou errado — comenta Fernando Guimarães.




JOGO DO EMPURRA

Após carnaval, calçada afunda no Arpoador
Pedestres têm de desviar do bueiro e de um fradinho na principal rua do Arpoador -
Foto: Foto da leitora Ana Schneider / Eu-RepórterPrefeitura notifica Cedae, mas empresa nega responsabilidade.
COMEÇOU O JOGO DO EMPURRA,SÓ ESQUECERAM QUE  A QUANTIDADE DE PESSOAS TAMBÉM AJUDOU NO PROBLEMA !

VIROU LIXO



Tinta preta com marcação ilegível mancha barracas novas da orla |
Foto: Foto do leitor Fernando Guimarães/ Eu-RepórterNovos guarda-sóis das praias já estão marcados por barraqueirosMesmo com multa de R$ 253, ambulantes insistem na prática

ACIDENTE


Táxi invade calçada e atinge salão de beleza em Ipanema


Um táxi colidiu contra a entrada de um salão de beleza na noite deste sábado na rua Aníbal de Mendonça, em Ipanema, zona sul do Rio de Janeiro. O Corpo de Bombeiros foi acionado e atendeu a ocorrência, informando que apenas uma pessoa sofreu ferimentos leves.

Segundo os bombeiros, um veículo atingiu o táxi, que subiu a calçada e derrubou um muro em frente ao salão. A colisão ocorreu entre as ruas Nascimento e Silva e Aníbal de Mendonça.

sábado, 16 de fevereiro de 2013

REUNIÃO



            A próxima reunião do Projeto de Segurança de Ipanema será, SEGUNDA FEIRA,  dia 18/02 às 18hs. no Colégio Notre Dame .

           
PAUTA

ação cautelar de produção antecipada de provas

coleta de recursos


ANDAMENTO DO PROCESSO – PERSPECTIVAS

Audiência Pública- praia dia 22/03

Reunião de 04/03

ACESSE O NOSSO BLOG – WWW.PSIPANEMA.BLOGSPOT.COM

PROJETODEIPANEMA@gmail.COM.

ENTRE NO FACEBOOK  E INDIQUE NOVOS AMIGOS -  PSI IPANEMA

Twitter: @psi_seguipanema

HTTP//WWW.flickr.com/photos/psi ipanema

DEDIC – 14ª. DP – 23322866/ 23322880

DISQUE DENÚNCIA – 22531177

sexta-feira, 15 de fevereiro de 2013

METRÔ IPANEMA NO CARNAVAL




SOLAR MENINOS DE LUZ


Camila Pitanga, a nossa encantadora Madrinha de Coração desde o ano passado, aceitou o convite para gravar o novo vídeo institucional do Solar Meninos de Luz e promover, através da gentil cessão de sua imagem, o programa "Padrinho de Coração" em 2013, que busca colaboradores que auxiliem mensalmente a instituição.

Durante a gravação, o espaço ficou pequeno e impregnado com as vibrações do amor simples, puro e verdadeiro emitidos pela nossa madrinha e pelas equipes da Agência Artplan e Conspiração Filmes. Cerca de 30 pessoas, incluindo funcionários do Solar, participaram da produção do vídeo, que contou com a mesma equipe da Conspiração Filmes que produziu o filme nacional “Gonzaga - De Pai pra Filho” e “Dois Filhos de Francisco”.

Leia mais


 

Monobloco arrecada alimentos nos ensaios pré-carnavalescos em prol do Solar



Em seus ensaios para o carnaval 2013 na Fundição Progresso, na Lapa, o Monobloco mais uma vez destinou ao Solar Meninos de Luz as doações de alimentos arrecadados na bilheteria dos shows.


 

Arte sobre Escombros



O artista visual ACME abriu o ciclo de exposições na Galeria de Arte Meninos de Luz deste ano, trazendo a mostra Arte sobre Escombros. A Exposição iniciada no dia 28 de janeiro, com curadoria de Osvaldo Carvalho, permanecerá na galeria até dia 8 de março e a visitação é gratuita.


 
 

Intercâmbio 2013



Camila Ferreira, 19 anos, Matheus Barbosa, 17, e Ronaldo Marinho, 18, formandos do Ensino Médio do Solar Meninos de Luz em 2012, foram contemplados a participar de um intercâmbio para a Ilha de Malta/ Europa e Canadá, onde ficarão por três meses.


 
 

EMAIL RECEBIDO

Um funcionário do Zona Sul da Prudente com Gomes Carneiro me disse que, durante o Carnaval foram roubados 22 (vinte e dois!)carrinhos do supermercado, além de mercadorias, o que fez com que eles resolvessem ACORRENTAR os carrinhos para evitar novos roubos. Imagina a violência física que pode decorrer desse vandalismo.

EMAIL RECEBIDO

Rose,
estava Eu, agora aqui no computador e ouvi:
- Olha o Gás em sua porta!

fui até a janela e vi um caminhão cheio de botijãozinhos de gás.

O que está acontecendo?
Pensei que ainda estivesse em Miguel Pereira!

EMAIL RECEBIDO


Rio de Janeiro, 15de fevereiro de 2013-02-15


Controle Demográfico em Ipanema

As observações acuradas da fotografia das massas que superlotaram o metrô em Ipanema, como também, sua observação ao vivo pelas ruas do bairro, durante os dias de Carnaval e vindouros com a abertura das estações Jardim de Alah  e N. Sra. Da Paz, denota perigo iminente à segurança pública , não só relativa aos moradores do bairro, como também, daqueles que o acorrem.

Dessa forma, apresentamos a seguir algumas sugestões que enviamos aos órgãos de Estado como forma de prevenção de acidentes:

1-     proibição sumária de ambulantes com voz de prisão para os recalcitrantes
2-     fechamento de estações de metrô aos sábados, domingos e feriados;
3-     controle numérico semelhante ao praticado no Réveillon para datas festivas;
4-     proibição de desfile de blocos com exceção de Banda de Ipanema no sábado e Simpatia é Quase Amor na terça-feira de Carnaval;
5-     fechamento ao tráfego de principais ruas do bairro, semelhante ao Réveillon

JGuia