terça-feira, 31 de julho de 2012

RUA DO LIXO


Carroceiros transformam esquina de Ipanema em depósito de entulho

Material de obras é descartado por moradores; Comlurb promete fiscalização e multa

O Globo, com o leitor Munir Chilaze



Publicado:

31/07/12 - 18h47

Atualizado:




Esquina de Ipanema virou local de depósito irregular de entulho

Foto do leitor Munir Chilaze / Eu-Repórter

RIO - Uma esquina de Ipanema foi transformada em depósito de entulho por carroceiros. É no cruzamento das ruas Alberto de Campos e Vinicius de Moraes que eles largam material de obra e móveis velhos descartados por moradores do entorno, o que dificulta a passagem dos pedestres na calçada, alerta o leitor Munir Chilaze. A irregularidade é cometida a poucos metros de uma lixeira comunitária, que seria pouco utilizada. Para resolver o problema, a Comlurb promete intensificar a fiscalização. Caso sejam flagrados, os responsáveis pelo despejo irregular podem levar multa, que varia de R$ 365 a R$ 913, de acordo com a empresa municipal.



“Falta cidadania, respeito e espírito comunitário. Alguns moradores de Ipanema continuam com a prática ilegal de mandar os carroceiros descartarem os entulhos longe de suas casas. Eles não se importam de sujar o bairro e obstruir as calçadas. É uma vergonha!”, diz Munir.


Segundo o leitor, a prefeitura já foi avisada até sobre os endereços de onde sai o entulho. A situação se repete quase todos os dias. Após ser procurada pelo Eu-Repórter, a Comlurb prometeu aumentar a fiscalização no local. Se for identificado, o autor do despejo de entulho pode ser multado, de acordo com a Lei de Limpeza Urbana. O valor da penalidade pode variar de R$ 365, em casos de despejo de até um metro cúbico, até R$ 913, em volumes maiores.

A Comlurb disse ainda que vai lançar uma campanha de conscientização no bairro, que envolveria tanto os moradores como os carroceiros que atuam em Ipanema. O objetivo é esclarecer quais são os programas municipais para a remoção de resíduos.

O primeiro deles pode ser acionado pelo telefone 1746. A remoção do entulho é gratuita e não incentiva que outras pessoas façam novos despejos no local. O serviço de remoção da Comlurb retira materiais provenientes de pequenas obras residenciais - como telhas e tijolos -, restos de podas de árvores e bens que não possuem mais serventia. O prazo máximo para a retirada é de dez dias, segundo o órgão.


A outra maneira de solicitar a retirada do entulho é contratar uma . O serviço é regularizado pela prefeitura desde 2010, por meio do programa Caçamba Legal. As regras para utilização podem ser vistas no site da Comlurb.





BANDALHA

http://www.divirta-se.uai.com.br/html/sessao_7/2011/07/10/ficha_agitos/id_sessao=7&id_noticia=40987/ficha_agitos.shtml#.UBdmhJJkbo8.facebook

FOTO TIRADA NA PRAÇA ONTEM


domingo, 29 de julho de 2012

MENSALÃO

Manifestantes comemoram em Ipanema julgamento do mensalão

Cerca de 60 pessoas, com faixas e cartazes, realizaram passeata na manhã deste domingo.


Comentários: 2 Envios por mail: 0 RIO - Cerca de 60 pessoas fizeram uma passeata na manhã deste domingo na orla de Ipanema, na Zona Sul do Rio, para comemorar o início do processo de julgamento do mensalão. Com faixas e cartazes, com frases como “abaixo a impunidade” e “não à corrupção”, eles caminharam entre os postos 9 e 12 pedindo celeridade no processo.


Durante a passeata, o grupo se encontrou com cabos eleitorais da vereadora Cristiane Brasil, candidata à reeleição e filha do ex-deputado e presidente do PTB Roberto Jefferson, uma das principais figuras do caso.

No final da caminhada, os manifestantes cantaram parabéns, e cortaram um bolo verde e amarelo, e decorado com 11 bonequinhos, representando os ministros do Supremo Tribunal Federal (STF).

A passeata foi realizada pelo movimento 31 de Julho, que tem como meta o combate à corrupção e impunidade do país. Em maio deste ano, o movimento recolheu 37 mil assinaturas em vários estados, cobrando uma resposta imediata do STF para o julgamento do processo do mensalão


VAI FICAR POR ISSO MESMO !


Sem licença, bar instala deck e grades em calçada de Ipanema

Local já foi multado, mas diz que negocia regularização com a prefeitura


Com espaço reduzido, pedestres têm de se espremer para passar em frente ao estabelecimento
Foto: Foto do leitor Luiz André Reis / Eu-Repórter
Com espaço reduzido, pedestres têm de se espremer para passar em frente ao estabelecimentoFOTO DO LEITOR LUIZ ANDRÉ REIS / EU-REPÓRTER
RIO - O caminho é estreito para os pedestres em frente ao Barzin, na Rua Vinicius de Moraes, em Ipanema, como mostra o leitor Luiz André Reis. Com um deck e grades, o estabelecimento avançou sobre o passeio e feriu a legislação, que prevê espaço mínimo de um metro e meio para a circulação de pedestres na calçada. A Secretaria municipal de Ordem Pública (Seop) afirma que as estruturas são ilegais e promete autuar o bar, que já foi multado outras vezes pela mesma irregularidade.
“É um absurdo! Fica impossível passar por ali durante a noite. Além de terem roubado o espaço público, os clientes ocupam o pouco que restou para passar”, reclama o leitor.
De acordo com a Seop, o Barzin já foi autuado mais de uma vez por colocar o deck e as grades sobre a calçada. O estabelecimento tem autorização para utilizar mesas e cadeiras fora de sua área interna, mas a permissão não se estende à plataforma de madeira e às grades sobre o passeio. Uma equipe da Seop deve visitar o local nos próximos dias para verificar se o bar põe mais mesas e cadeiras na calçada do que o permitido.
Ulisses Lima, gerente do Barzin, diz que um processo pedindo a regularização do deck já foi aberto junto à prefeitura. Segundo ele, a instalação da estrutura já foi pré-aprovada, e o resultado final do pedido deve sair até a próxima terça-feira. Ele confirma, no entanto, que as grades não têm autorização.
- O espaço dos pedestres é respeitado. As grades são removíveis e só estão ali para proteção - diz.
A Seop diz que esse tipo de deck sobre a calçada pode ser regularizado, mas não soube informar com quem estava o processo de regularização movido pelo ‘Barzin’. As grades, por sua vez, não podem ser liberadas.
Na última semana, uma reportagem mostrava outro bar tomando a calçada e obstruindo a passagem dos pedestres. O Bar du Bom, no Polo Gatronômico da Tijuca, colocou mesas e cadeiras sobre o passeio sem autorização da prefeitura.


sexta-feira, 27 de julho de 2012

PRÓXIMA REUNIÃO


A próxima reunião do Projeto de Segurança de Ipanema será, SEGUNDA FEIRA,  dia 30/07 às 18hs. no Colégio Notre Dame .

           
PAUTA
 Reunião com o governo dia 23/07

Retirada ação popular – nova ação

Pedido debate com os órgãos públicos sobre a estação N. Sra. da Paz

Documentação praça- verificação inloco das árvores a serem derrubadas.

Representação na Visconde de Pirajá  da saída  de metrô como a população quer – discreta, sem cobertura.

Abertura conta corrente PSI






ACESSE O NOSSO BLOG – WWW.PSIPANEMA.BLOGSPOT.COM

PROJETODEIPANEMA@gmail.COM.

ENTRE NO FACEBOOK  E INDIQUE NOVOS AMIGOS -  PSI IPANEMA

Twitter: @psi_seguipanema

HTTP//WWW.flickr.com/photos/psi ipanema

DEDIC – 14ª. DP – 23322866/ 23322880

DISQUE DENÚNCIA – 22531177

REUNIÃO DEPOIS DO DIA 30/07 SERÁ DIA 13/08 –

quarta-feira, 25 de julho de 2012

FESTA DO VINHO

Anna RamalhoHoje às 18h03


Festa celebra o vinho em Ipanema

Jornal do Brasil
O Quadrilátero do Charme de Ipanema - entre as ruas Anibal de Mendonça e Joana Angélica e a praia e a Lagoa - vai realizar em 04 de agosto a segunda edição do evento “Tim Tim - Celebração ao vinho”. Serão mais de 10 horas de celebração ao vinho em aproximadamente 27 estabelecimentos de uma das regiões mais badaladas do Rio.

Degustações e cooking shows gratuitos acontecerão para os clientes e visitantes das lojas participantes. Vitrines especialmente dedicadas ao mundo do vinho serão criadas. Descontos significativos nos cardápios de vinhos serão oferecidos aos clientes dos restaurantes da região participantes do evento neste dia.

Anna RamalhoHoje às 18h03


Festa celebra o vinho em Ipanema

Jornal do BrasilTamanho do Texto:+A-AImprimirPublicidadeO Quadrilátero do Charme de Ipanema - entre as ruas Anibal de Mendonça e Joana Angélica e a praia e a Lagoa - vai realizar em 04 de agosto a segunda edição do evento “Tim Tim - Celebração ao vinho”. Serão mais de 10 horas de celebração ao vinho em aproximadamente 27 estabelecimentos de uma das regiões mais badaladas do Rio.



Degustações e cooking shows gratuitos acontecerão para os clientes e visitantes das lojas participantes. Vitrines especialmente dedicadas ao mundo do vinho serão criadas. Descontos significativos nos cardápios de vinhos serão oferecidos aos clientes dos restaurantes da região participantes do evento neste dia.



Vinhos de diversas nacionalidades, procedências e castas das importadoras Casa Flora, Mistral, Grand Cru, Emporio Cose e Ana Santos Alimentos serão oferecidos ao público presente nas lojas, estimado em aproximadamente 3 mil pessoas. O evento conta também com a participação da Água Evian que oferecerá suas águas nas varandas das lojas Elle et Lui Maison na rua Garcia D´Avila e Novo Ambiente na rua Redentor. Nestes mesmos locais a Radio Ibiza comandará a trilha sonora do evento.



Vinhos de diversas nacionalidades, procedências e castas das importadoras Casa Flora, Mistral, Grand Cru, Emporio Cose e Ana Santos Alimentos serão oferecidos ao público presente nas lojas, estimado em aproximadamente 3 mil pessoas. O evento conta também com a participação da Água Evian que oferecerá suas águas nas varandas das lojas Elle et Lui Maison na rua Garcia D´Avila e Novo Ambiente na rua Redentor. Nestes mesmos locais a Radio Ibiza comandará a trilha sonora do evento.



TERRA DE NINGUÉM


Estacionamento irregular na orla de Ipanema

Veículo estacionado irregularmente na Avenida Vieira Souto, em Ipanema

Foto: Rafaella Javoski Rafaella Javoski - O Globo




RIO — O desrespeito às leis de trânsito a ordem ainda é um problema corriqueiro nas vias da Zona Sul. Apesar de Ipanema possuir uma Unidade de Ordem Pública (UOP) desde dezembro de 2011, no início da tarde desta quarta-feira um carro foi flagrado parado em estacionamento irregular na esquina da Avenida Vieira Souto com a Rua Francisco Otaviano. Enquanto a equipe do GLOBO esteve no local, nenhum agente da UOP foi visto para notificar o veículo.






METRÔ

MP-RJ pede suspensão de obras da linha 4 do metrô


Ação Civil Pública diz que há ilegalidades no licenciamento do projeto

Jornal do BrasilAutor

 O Ministério Público do Rio (MPRJ) pediu suspensão das obras da Linha 4 do Metrô até que seja concluído todo o processo de licenciamento ambiental. Com o apoio de 18 associações de moradores, a ação aponta as ilegalidades no licenciamento do projeto, que teve metade do traçado original descaracterizado, e suas consequências para a vida dos moradores da cidade. Os alvos da ação são o Governo do Estado, a Companhia de Transportes sobre Trilhos do Estado do Rio de Janeiro (Riotrilhos), o Instituto Estadual do Ambiente (INEA), a Concessionária Rio-Barra S/A e a CBPO Engenharia Ltda.



O objetivo é fazer com que os réus apresentem o projeto completo da Linha 4 à sociedade, suspender a licença parcial concedida para projeto distinto do que está em execução, invalidar a “averbação” concedida ilegalmente à licença ambiental da Estação General Osório, integrante da Linha 1, e assegurar que a Estação Gávea seja executada em dois níveis distintos, de forma a permitir a futura ligação da Barra com o Centro, da Zona Sul com a Barra, da Tijuca com a Zona Sul (por meio da Estação Uruguai) e do Centro com os bairros de Botafogo, Humaitá, Jardim Botânico e Lagoa.



O traçado original da Linha 4 do Metrô, já licitado, licenciado e aprovado pela população, previa a ligação da Barra da Tijuca à Linha 1 por meio das seguintes estações: Jardim Oceânico – São Conrado – Gávea – Jóquei (Jardim Botânico) – Humaitá – Morro de São João (Botafogo). No entanto, o projeto em execução prevê a configuração Jardim Oceânico – São Conrado – Antero de Quental – Jardim de Alah – Praça da Paz – General Osório 2.



CADEIA NELE !


Plantão 24/07/2012 - 19:50



Traficante é preso em praça de Ipanema

RIO - Um homem de 32 anos foi preso, no fim da tarde desta terça-feira, na Praça Nossa Senhora da Paz, em Ipanema, Zona Sul. Policiais Federais da Delegacia de Repressão a Entorpecentes, que o prederam, disseram que o traficante identificado com W. N. B, fazia parte de um esquema de venda de drogas pelo telefone. No ato da prisão foi encontrado com ele uma quantidade ainda não contabilizada de haxixe, cocaína, maconha, êxtase e skank. No apartamento do homem, que fica na Rua Gastão Baiano, em Copacabana, os policias federias encontram uma balança de precisão e uma grande quantidade de dinheiro: R$ 38.9 mil, cerca de US$ 1 mil e 298. As investigações que levaram a prisão do traficante duram cerca de três meses




segunda-feira, 23 de julho de 2012

BAIRROS .COM


Enviado por Bairros.com - 
22.7.2012
 | 
12h00m

Lançamento da coleção verão em lojas de Ipanema

A galeria Top Center, em Ipanema, promoverá de segunda à sexta (23 a 27/07) o lançamento simultâneo das coleções de Verão 2013. As marcas Agilitá, Angela Bechara, At Last, Bia Lacerda, By Bella, Gisele Barbosa, Joey, Kriska, Lit, Lix, Lucidez, Madame Pompidu, Quantamaria, Metally, San, Shii, SK Skunk, Tai Daí e Tempo 4 são as participantes da 1ª edição da semana de lançamentos. Além das novas coleções, as grifes vão promover coquetéis, eventos e promoções durante a semana. O mall fica na Rua Visconde de Pirajá 550.

MATÉRIA COMPRADA !!! NÓS PODEMOS PROVAR ESSA MENTIRA


Voz do povo reforça projeto do governo

Jornal do BrasilAlberto Oliveira 
A elite intelectual e a chamada burguesia da Zona Sul têm se manifestado contra o atual percurso da Linha 4. Em São Paulo, situação parecida se deu no bairro nobre de Higienópolis. Descontentes com a construção de uma estação de metrô no local, os moradores protestaram contra o fluxo de "gente diferenciada" por aquelas bandas.
No Rio, pelo menos, o motivo, aparentemente, é mais nobre: defesa do meio ambiente.
O principal argumento dos que protestam é que a construção de uma estação na Praça Nossa Senhora da Paz, coração de Ipanema, provocará grandes danos ambientais ao local, principalmente pela derrubada de árvores centenárias. O governo do estado, no entanto, promete que apenas 17 das 130 existentes atualmente serão extirpadas.
A pesquisa vai dar força aos governantes que já não pretendiam ceder às pressões.

domingo, 22 de julho de 2012

ENVIADO




Rio, 23/06/2012

À Promotoria de Tutela Coletiva do Ministério Público Federal
Ref: estação de metrô na Praça N. Sra. da Paz

Prezado Sr. Promotor da República  - Dr. Maurício Andreoulo Rodrigues,

O Projeto de Segurança de Ipanema – PSI, movimento voluntário e apartidário de moradores do bairro, vem por meio desta, em nome de mais de 16.000 moradores e usuários de Ipanema levar a seu conhecimento o repúdio da população ao modo de como o Governo do Estado do Rio de Janeiro pretende fazer a estação de metrô N. Sra. da Paz, obra financiada com recursos oriundos o Governo federal através do BNDEs.

- Na proposta do Governo, a obra para se fazer a estação N. Sra. da Paz  seria feita no subsolo da praça e a céu aberto. Este procedimento obrigaria a retirada de 309 de árvores, sendo que a maioria delas quase centenárias.  Está sendo proposto a retirada e o posterior replante destes indivíduos em uma operação muito polêmica e de êxito impossível segundo a opinião de vários engenheiros ambientais consultados. O resultado seria um dano definitivo e irreversível  ao meio ambiente e à sustentabilidade do bairro.
O arvoredo da praça N. Sra. da Paz é um importante fator de oxigenação do local, aliado na despoluição do ar e de grande importância para a manutenção da temperatura ambiente, além de ser o berço e alimento de rica fauna e biodiversidade.

- Outro aspecto preocupante desta obra é a maneira como estão sendo planejadas as saídas desta estação. Segundo o projeto do Governo do Estado as saídas  seriam localizadas  rentes às grades e ao lado dos dois portões centrais da praça nas Ruas Visconde de Pirajá e Barão da Torre.
O número de usuários desta estação seria de 40.000 pessoas /dia. A praça, desta forma, se transformaria em trânsito perdendo totalmente as suas características de uso comunitário, quintal de nossas crianças, lugar de encontro dos idosos e deficientes e descanso dos que trabalham, estudam ou passeiam pelo bairro, seguros da  acolhedora tranqüilidade proporcionada pela exuberância de uma cobertura verde ímpar.
A localização destas saídas como estão sendo propostas, acarretaria também outro grande problema – as crianças do bairro encontram na praça uma liberdade única e necessária de expansão. Ali elas correm, jogam bola, brincam de pique esconde, sobem nas árvores etc. Como garantir a sua segurança em um local com duas saídas de escape rápido que pode estimular diversos tipos de violência?
 Estas saídas também seriam desfavoráveis ao comércio de rua. Ipanema é um bairro com comércio de rua forte, variado e inovador. Os usuários do metrô têm de sair nas calçadas onde estão as lojas e não na praça. A estação de metrô Jardim de Alá, localizada no subsolo da Rua Ataulfo de Paiva e não no do Jardim de Alá, terá sua saídas na Ataulfo de Paiva nas esquinas da Borges de Medeiros e Afrânio de Mello Franco favorecendo o Shopping Leblon e o Rio Design, exatamente os maiores concorrentes do comércio de Ipanema.

 A Praça N. Sra. da Paz é tombada há mais de trinta anos. Só isso deveria ser suficiente para que nunca se pensasse na possibilidade de sua  desfiguração.

 A população de Ipanema, moradores e usuários querem o metrô, mas  não a estação da maneira como está sendo proposta sem levar em consideração a preservação de uma cobertura verde importante e também do uso do local como praça, patrimônio da comunidade.
 Um abaixo assinado, trabalho totalmente voluntário feito pelos moradores do bairro em condomínios, praça, porta de igreja, calçadão, porta das escolas, cabeleireiros, academias de ginástica etc., coletou mais de 16.000 assinaturas, exatamente dentre o público alvo desta estação.
Ficou explícita a vontade unânime da população pela preservação do verde e do uso de sua praça.

A proposta da população para a construção desta estação é a seguinte: uso do método shield que consiste em fazer a obra usando  maquinário que vai furando e fazendo o concreto  ao mesmo tempo. É um tipo de obra totalmente subterrânea. Não seria preciso mexer em nenhuma folha das árvores da praça. Ela também não traria impacto de poeira, barulho e interrupção do trânsito para os moradores. Esta técnica é perfeitamente viável, já tendo sido experimentada em diversas obras públicas no Brasil e em vários lugares do mundo.

 A outra sugestão se refere às saídas que teriam, necessariamente, de serem localizadas afastadas do entorno imediato da praça nas calçadas da Rua Visconde de Pirajá  nas esquinas de Maria Quitéria e Joana Angélica, mas do outro lado da rua, nunca junto à praça.

 Entendemos que as nossas sugestões são muito razoáveis, atendem ao Governo que quer trazer o metrô até este ponto do bairro, aos usuários interessados, e aos moradores, não só de Ipanema , mas também de toda a cidade uma vez que esta praça é um patrimônio de todos. E ela seria integralmente preservada.

 Já levamos esta sugestão ao Governo,   inclusive publicamente, no programa Globo- Comunidade que foi ao ar dia 24/06/2012. 
Convidamos igualmente os técnicos da Casa Civil do Governo do Estado sob cuja responsabilidade está o desenvolvimento de todo este projeto, para  que venham à Ipanema debater com a população a nossa opção de obra de modo a se chegar a um consenso. Uma intervenção desta magnitude não pode ser resolvida só no âmbito dos gabinetes. A população tem de ser ouvida. A Linha 1, que agora se denomina Linha 4 foi discutida em duas audiências públicas como manda a legislação. O assunto Estação N. Sra. da Paz sequer foi tocado nestas ocasiões.

 A nossa cidade paga um preço altíssimo pela perda de seu patrimônio artístico, arquitetônico, cultural, histórico e ambiental, por não ter entendido, em tempo, que o crescimento é necessário e bem-vindo, mas ele tem de vir respeitando as características e o patrimônio de cada bairro.
O resultado é lastimável: bairros como Glória, Catete, Laranjeiras e tantos outros são hoje locais empobrecidos e degradados.
 A Praia de Botafogo é outro triste exemplo de um local com o cartão postal mais lindo do mundo e hoje é uma simples passagem, que se deseja a mais breve,  desfigurada que foi pelo viaduto que a cortou ao meio, pela insana derrubada de seus casarões e pelo descaso dedicado aos seus outrora lindos jardins.
 A exceção que confirma a regra é o bairro de  Santa Teresa, preservado à custa da luta de sua população, que hoje é um pólo turístico importante, da cidade, apesar de distante da praia.

Infelizmente,  Rio de Janeiro está trocando as suas praças por estações de metrô. Praças como Gen. Osório, Cardeal Arcoverde, Largo do Machado Saenz Penha, e Afonso Penna, todas perdidas como espaço comunitário e de forma desnecessária como se verifica em relação à praça N. Sra. da Paz.

 Desrespeitar o tombamento é apagar a memória do bairro. Uma sociedade sem memória está impedida de aprender com a própria experiência e encontrar soluções inovadoras e criativas para seus problemas.

Entendemos que o bom senso deve regular as intervenções de modo a preservarmos a ambiência e características de cada espaço, sem engessar a cidade. A construção de uma estação de metrô na praça N. Sra. da Paz, pulmão do nosso bairro, não precisa ser feita da forma como está sendo proposta em obra a céu aberto e com entradas e saídas junto ao entorno imediato da praça.
Pedimos a intervenção do Ministério Público Federal para que ajude a população na sua luta pela preservação de seu espaço.


Atenciosamente,



 Maria Ignez Barretto – coordenadora do Projeto de Segurança de Ipanema

EM QUE PÉ ESTAMOS.....



Em que pé estamos em relação à estação de metrô N. Sra. da Paz;
 
1) entramos com uma ação popular que segue em anexo. nela pedimos uma liminar para que nada seja feito na praça até o governo vir conversar com a população.
 
2) mandamos, como é do conhecimento de todos, um convite para que os técnicos responsáveis pelo projeto da estação N. Sra. da paz venham conversar com a população a respeito da nossa proposta.
 
Existe uma maneira de fazer a estação, inclusive no sub solo da praça de forma totalmente subterrânea ( a aobra) . Qualquer engenheiro, e consultamos vários, pode atestar isto. É o método  shield que é usar o próprio tatuzão que vai furando o tunel e já concretando. É o que vai ser usado nesta linha. Então aproveitar o túnel já feito para passar o trem e nele já fazer a estação. É uma obra totalmente subterrãnea  quer seja no sub solo da Visconde quer seja no da praça, ela não afeta em nada a parte de cima . O que quer dizer - se for no sub solo da praça não é necessário tirar árvore, mexer em nada - a obra é totalmente subterânea. Se for no sub solo da Visconde a mesma coisa - não é necessa´rio interromper o trânsito, fechar o acesso aos carros dos moradores - nada.
É um método muito usado no Brasil e mundo afora para fazer obras públicas. Ontem um engenheiro e empreiteiro me disse que recentemente fizeram um estacionamento subterrâneo embaixo do Champs Elysées, com seis níveis, sem mexer em nada na superfície da avenida, sem tirar árvores, interromper o trânsito, nada.  É perfeitamente possível.
O governo pode alegar que é mais caro. mas como julgar o que é mais caro em uma obra cuja perspectiva é de 200 anos adiante? Como dizer o que é caro ou barato quando a prioridade tem de ser a preservação ambiental, histórica, artística, arquitetônica e ambiental? Será que as pessoas não percebem o preço altíssimo que a nossa cidade está pagando pela destruição de seu patrimônio, exatamente por conta de um desenvolvimento predatório que se fez sobretudo durante o século XX baseado na falsa premissa - desenvolvimento contra preservação? O que é caro - tirar ou botar a Perimetral? E tantas outras experiências que parece não estão ensinando nada a ninguém.
 
Fazendo a obra desta forma e colocando as entradas e sáidas do metrô fora do entorno imediato da praça, preservando a em seu uso comunitário e não transformando a em passagem, garantindo a segurança das crianças que usam aquele espaço para suas bricadeiras da possibilidade que duas saídas de escape rápido, exatamente no local, fatalmente  estimularão todo tipo de violência, e também fortalecendo o comércio de rua, uma das características importantes do bairro, que terão os 40..000 usuários /dia saindo em frente às suas lojas, fica tudo resolvido e muito bem resolvido. Ipanema vai ter o metrô e vai ficar integralmente preservada.
É esta discussão que temos de ter com o governo. os nossos argumentos são muito fortes e totalmente viáveis técnicamente. A proposta do é atrasada em termos de engenharia e conceituais. Não há porque não fazer a obra desta forma que estamos propondo.
 
3) Como o governo não respondeu ao nosso convite eu  o mandei para toda a mídia pedindo apoio na divulgação do mesmo, com o objetivo de fazer o governo responder sim ou não e porque.
Só consegui uma nota "en passant" na matéria de quinta feira do Globo e falei na radio Band na segunda.passada.A repercussão foi mínima e não serviu para deixar o governo constarngido e responder.
Pensei em fazer o seguinte:
a) todos mandarmos cartas ao Globo dizendo que temos a proposta correta, convidamos o governo para debater e não obtivemos resposta, que a população quer debater com o governo, que uma obra deste porte não pode ser resolvida nos gabinetes, a população tem de ser ouvida. É momento de transparência, seriedade etc. no país e que  Governo do Rio de Janeiro não pode fugir à sua responsabilidade. Algo neste teor.Acho que se todos escrevermos, o jornal não vai poder ignorar e vamos levantar a discussão. obrigando o governo a vir debater.
as cartas têm de ser endereçadas a- cartas@oglobo.com .br  - com nome completo, endereço e telefone.
 
b) também pensei que cairia bem um artigo publicado no Globo sobre o assunto. Como estamos em vésperas do julgamento do mensalão, com a Lei da Ficha Limpa valendo para estas eleiçoes e com a Lei de Acesso à Informação já vigente, acho que temos um bom gancho para chamar o Governo do Rio de Janeiro à sua responsbilidade.  Ele não pode simplesmente ignorar a vonta de mais 16.000, tem de saber que uma obra desta magnitude não pode ser feita nas sombras dos gabinetes.  Eu peço a todos que se empenhem ou em fazer o artigo ou pensar em alguém de prestígio que poderia fazê-lo.É urgente.
 
c) colocar a nossa proposta nos face books e blogs para ver se conseguimos levantar uma onda na rede. 
 
4) estamos preparando uma representação junto ao Ministério Público Federal porque a obra tem finaciamento do BNDES. Vai ser protocolada na terça ou quarta feira.
 
A guerra está difícil, mas não vamos esmorecer. Cada vez me convenço mais da absoluta razão que temos neste pleito.
 Um abraço,
Ignez

sábado, 21 de julho de 2012

FEIRA DE ANIMAIS


Enviado por Bairros.com - 

Campanha de adoção de animais neste sábado em Ipanema

Neste sábado, das 10h às 16h, será realizada mais uma edição da Campanha de Adoção Solidariedade Animal, na Praça General Osório. A edição será apadrinhada pelo casal Italo Guerra e Ariela Massoti, e quer estimular a adoção de animais que nasceram com algum problema físico decorrente do próprio nascimento ou de maus tratos.

Para adotar é preciso ter mais de 18 anos, e estar com um comprovante de residência e identidade em mãos. Maiores informações pelo e-mail andrealambert@terra.com.br ou nos telefones 9632-8115 e 9316-6030.

METRÔ


Pedras rolam de encosta na Lagoa durante obras do metrô

Vistoria da Defesa Civil não aponta riscos imediatos na área. Geo-Rio fará nova inspeção



Moradores pedem a instalação de grades de proteção contra novos deslizamentos
Foto: Foto do leitor Cesar Ramos Filho / Eu-Repórter
Moradores pedem a instalação de grades de proteção contra novos deslizamentosFOTO DO LEITOR CESAR RAMOS FILHO / EU-REPÓRTER
RIO - Quanto mais avançam as obras de perfuração de rochas para expansão da estação General Osório do metrô, maior é a apreensão dos moradores da Lagoa: pedaços de pedra começaram a se desprender da encosta e rolar Morro do Cantagalo abaixo, como mostra o leitor Cesar Ramos Filho. Segundo ele, alguns carros do seu condomínio, que fica na altura do número 2042 da Avenida Epitácio Pessoa, já foram atingidos. Uma vistoria da Defesa Civil nesta sexta-feira não identificou riscos imediatos aos imóveis no entorno.
— O surgimento da fenda coincidiu com o início das obras. Parte do morro começou a ruir e pedaços de pedra estão caindo nos carros estacionados no nosso condomínio. Algo grave pode acontecer se esse problema não for tratado — afirma Cesar.
O morador pede a instalação de grades de proteção na encosta, a fim de evitar novos prejuízos para os moradores. Ele afirma que a fenda possui mais de quatro metros de altura e três de largura - e cresce mais a cada dia.
Após ser procurada pelo GLOBO, a Defesa Civil realizou uma vistoria no local na tarde desta sexta-feira. Segundo o órgão, não foi constatado perigo imediato aos edifícios próximos. A Defesa Civil, porém, disse que encaminhará um laudo para a Fundação Geo-Rio pedindo uma avaliação mais aprofundada.
A Geo-Rio informou, em nota, que aguarda a chegada do pedido da Defesa Civil para marcar uma visita ao local. As possíveis medidas de prevenção só poderão ser tomadas após a vistoria in loco, segundo o órgão. No fim do ano passado, a fundação já havia realizado uma inspeção na área, que não constatou riscos para os moradores.
“A Geo-Rio informa que realizou vistoria na Avenida Epitácio Pessoa, número 2042, no fim do ano passado, a pedido da Defesa Civil do Município. Na ocasião, a Fundação não identificou risco na área”, diz a nota.
A Secretaria de Estado de Transportes (Sectran) negou que o descolamento das pedras tenha relação com as obras de expansão do metrô.

SERÁ PRECISO UM DESMORONAMENTO PARA QUE SE FAÇA ALGUMA COISA ???


quinta-feira, 19 de julho de 2012

METRÔ




Moradores de Ipanema fazem ato em Laranjeiras em defesa de praça

Prefeitura nega que destombamento seja votado por Conselho de Patrimônio


A Praça Nossa Senhora da Paz: grupo não quer estação do metrô
Foto: Simone Marinho/2-5-2012 / O Globo
A Praça Nossa Senhora da Paz: grupo não quer estação do metrôSIMONE MARINHO/2-5-2012 / O GLOBO
RIO - Moradores de Ipanema vão fazer uma manifestação nesta quinta-feira, às 15h, em frente à sede Conselho Municipal do Patrimônio Cultural, na Rua Gago Coutinho 52, em Laranjeiras, com o objetivo de impedir uma suposta votação para o destombamento da Praça Nossa Senhora da Paz. A prefeitura, no entanto, nega que o destombamento esteja em pauta. Apesar disso, o grupo decidiu manter a mobilização.
O protesto foi convocado pelo Projeto de Segurança de Ipanema — que reúne diversas associações de moradores da Zona Sul contrárias ao projeto que prevê a derrubada de 130 árvores centenárias da praça para a construção de uma estação da Linha 4 do metrô. O grupo já reuniu 14 mil nomes num abaixo-assinado, pedindo a preservação do lugar.
— A praça é um patrimônio do bairro. É absurdo que a construção de uma estação comprometa a cobertura verde do lugar. Aquela área é o quintal das nossas crianças. Ontem (segunda-feira), recebemos a informação de que, na tarde desta quinta-feira, o conselho votaria pelo destombamento da praça. Aquela área foi tombada por decreto municipal. O prefeito precisa do aval do conselho para derrubar o decreto — disse Inês Barreto, coordenadora do Projeto Segurança de Ipanema.
Inês enfatizou que o grupo não é contrário ao metrô no bairro, mas teme a descaracterização da praça com a construção das saídas sugeridas no projeto.
— As saídas serão localizadas ao lado dos dois portões centrais, na Visconde de Pirajá e na Barão da Torre, e com isso atrairão um fluxo de 40 mil pessoas por dia para o interior da praça. Nossa área verde se transformará em simples passagem, como já ocorreu em outras praças da cidade — reclamou.
Na avaliação do engenheiro Roberto Kauffman, integrante do grupo, o ideal é que as saídas da estação fiquem localizadas na Rua Visconde de Pirajá, entre as ruas Maria Quitéria e Garcia D’Ávila, e entre a Joana Angélica e a Vinicius de Moraes. Nesses dois trechos, disse, as calçadas são bastante largas, o que daria conforto aos usuários do metrô.
O arquiteto e historiador Nireu Cavalcanti também defendeu a praça e disse lamentar que a área de lazer, criada no início do século 20, corra o risco de ser destombada.
— Aquela praça é o único espaço verde de Ipanema. Estamos vivendo um momento em que a questão da vegetação é fundamental, para que se crie um mínimo de ambiente diante da verticalização que o Rio sofre. Ipanema era um bairro constituído de casas com jardins, mas o poder público permitiu que a vegetação fosse substituída pelo concreto — observou.
Através de sua assessoria, o subsecretario municipal de Patrimônio, Washington Fajardo, negou que a votação pelo destombamento estivesse na pauta desta quinta-feira. Fajardo faz parte do conselho.



METRÔ


Moradores temem impacto de obra do metrô em Ipanema

Receio é que escavações na Praça Nossa Senhora da Paz afetem prédios e árvores de praça

A prefeitura vai retirar algumas árvores da Praça Nossa Senhora da Paz, em Ipanema

Pablo Jacob / O Globo

RIO - Mesmo já em fase de sondagem e prospecção, as obras da nova estação do metrô na Praça Nossa Senhora da Paz, em Ipanema, continua causando polêmica. Alguns moradores temem que as escavações causem danos às edificações e às árvores da praça. Como não conseguiram impedir o projeto, que já obteve a licença de instalação, os moradores — que fizeram várias manifestações e conseguiram um abaixo-assinado com mais de 16 mil adesões — querem agora mudar os locais de acesso à estação, previstos para o calçadão no entorno da praça.


Ignez Barreto, coordenadora do Projeto de Segurança de Ipanema, disse que espera um diálogo com o governo do estado, para mostrar que as entradas podem ficar no calçadão da Rua Visconde de Pirajá, o que preservaria a praça e serviria de incremento para o comércio do bairro.

— Um obra de mais de R$ 7 bilhões, que vai mexer com a vida do bairro, não pode ser decidida apenas no gabinete — disse Ignez Barreto.

Em meio aos protestos contra o projeto, o governo não divulga a data do início das escavações. Informa apenas que as próximas etapas da obra ainda não têm data marcada e que, quando o trabalho interferir na rotina da Zona Sul, todos serão previamente informados.

Para jornalista, praça é a alma de Ipanema

A jornalista Sandra Louzada, moradora do bairro e uma das ativistas da luta contra o projeto, teme danos à Nossa Senhora da Paz, que, para ela, é alma de Ipanema, além de ser um bem tombado. Para os moradores, bastariam duas estações no bairro: a da Praça General Osório e a do Jardim de Alah.

— Se o túnel do metrô, como nos informaram, vai passar pela praça em sentido diagonal, não é preciso uma estação na área. Bastaria que fizessem passagens que levem as pessoas até a plataforma — argumentou Sandra.

Em mais um apelo, Sandra Louzada enviou um documento ao Conselho Municipal de Proteção do Patrimônio Cultural do Rio, pedindo para que a retirada de árvores seja proibida.

— Nós não somos contra o progresso, mas achamos que é hora de crescer com cuidado, com preservação. Nós não somos contra o metrô. Somos usuários do metrô, mas achamos que as medidas de proteção ao meio ambiente, que estão na pauta do governo brasileiro, devem guiar os caminhos do metrô. Não sabemos que projeto o governo defende para a praça, ele não foi divulgado, mas se a passagem do tatuzão (equipamento que faz as escavações) abaixo da Rua Visconde de Pirajá não interromperia o trânsito sobre ela, conforme anúncio do governo, certamente a praça não precisaria ser fechada — acrescentou Sandra.

A licença de instalação da estação da Nossa Senhora da Paz de instalação foi apresentada no dia 25 de junho pelo secretário estadual do Ambiente, Carlos Minc, e pela presidente do Instituto estadual do Ambiente (Inea), Marilene Ramos. A licença foi aprovada com uma série de restrições, entre elas, a redução do número de árvores a serem transplantadas: de 113 para 17. O Conselho Diretor do Inea aprovou ainda a exigência de replantio de 400 árvores no bairro.

Estado diz que só árvores menores serão removidas

Sem divulgar o mapeamento das árvores que serão removidas, o governo do estado garantiu que apenas as árvores menores que ficam na parte central serão transplantadas. Ela serão retiradas e levadas para um horto até que as obras sejam concluídas. Depois, essa árvores serão replantadas na praça. As maiores, localizadas nas extremidades da praça, não serão retiradas.

PEGA LADRÃO

PMs prendem assaltantes em Ipanema


Rio - Policiais do 23º BPM (Leblon) prenderam dois homens acusados de assaltar uma farmácia em Ipanema, na Zona Sul, na noite desta quarta-feira.

Os PMs foram avisados por um motociclista sobre os suspeitos. O carro dos suspeitos foi parado após sair do Túnel Zuzu Angel, na

altura da Rocinha. Com eles, foram encontrados uma arma e R$ 322. O caso foi registrado na 14ª DP (Leblon).



quarta-feira, 18 de julho de 2012

ISSO É BRASIL L L L L L L L L !


O novo trem chinês em avaliação no centro de manutenção da Metrô Rio: suspeita de inadequação Marcelo Carnaval/25-04-2012 / O Globo
RIO - O Ministério Público estadual pediu esclarecimentos à concessionária Metrô Rio, à Secretaria estadual de Transportes e à Agência Reguladora de Transportes Públicos (Agestransp) sobre as reformas que vêm sendo realizadas para alargar túneis e estreitar as plataformas de estações do metrô. O objetivo, de acordo com reportagem do “RJ- TV” da Rede Globo, é esclarecer se as obras estão sendo feitas para adaptar as instalações aos trens comprados na China e que ainda não entraram em circulação.
Segundo o Sindicato dos Metroviários, teste operacionais feitos de madrugada teriam demonstrado que, por serem mais leves, as composições balançariam mais em comparação com a frota antiga. Isso, na avaliação da entidade, aumentaria os riscos de as composições se chocarem contra as paredes dos túneis e pilastras. Diretor do sindicato, Antônio Luís da Silva disse que as raspagens nas plataformas cortam de dez a 20 centímetros. A concessionária Metrô Rio negou a ligação entre as obras e os novos trens.


Leia mais sobre esse assunto em http://oglobo.globo.com/rio/mp-pede-informacoes-sobre-obras-no-metro-5505905#ixzz20y8YXeiW

segunda-feira, 16 de julho de 2012

FALTA DE LUZ

..Falta de luz na Lagoa, Ipanema e Jd. Botânico congestiona trânsito


Por Pablo Rebello (pablo.rebello@oglobo.com.br)


Agência O Globo - 19 minutos atrás

RIO - Os motoristas que seguem pela Lagoa e Jardim Botânico na manhã desta segunda-feira precisarão de um pouco de paciência. O trânsito encontra-se complicado no bairro devido à falta de luz que resultou no mau funcionamento de alguns semáforos. Segundo a CET-Rio, não estão funcionando os sinais dos cruzamentos Borges de Medeiros x Mário Ribeiro; Saturnino de Brito x Rua Jardim Botânico; Mãrio Ribeiro x Rua Raul Machado; Lineu de Paula Machado x Saturnino de Brito e Epitácio Pessoa x Borges Medeiros. Em Ipanema, um semáforo apresneta mal funcionamento na Avenida Vieira Souto, altura da Rua Garcia D´Ávila. CET-Rio está no localOperadores da CET-Rio buscam orientar o fluxo de veículos nestes cruzamentos.

A Light confirmou problemas na rede de abastecimento de algumas ruas da Lagoa e Jardim Botânico. Técnicos foram encaminhados para a região para reestabelecer o sistema. A assessoria da Light não soube informar o motivo da queda de energia, mas afirmou que a situação já foi parcialmente resolvida.

Na Avenida Niemeyer, uma colisão entre um ônibus e um carro de passeio deixa o trânsito lento nesta manhã de segunda-feira. O acidente ocorreu pouco depois do Vidial, no sentido Leblon. Agentes da CET-Rio encontram-se no local para orientar o fluxo de veículos e resolver o nó provocado pela colisão.

O trânsito também apresenta complicações na Avenida Brasil, onde um engavetamento entre três carros na altura de Deodoro provoca a formação de longas filas de veículos que se estendem até Realengo. Lentidão também no Viaduto do Gasômetro. No Elevado da Perimetral, a movimentação é intensa no sentido Aterro do Flamengo. O trânsito ainda é lento na Autoestrada Lagoa-Barra, sentido Barra da Tijuca.

Neste momento, chove fraco em Guaratiba, Jardim Botânico, Barra da Tijuca, Estrada Grajaú-Jacarepaguá, Urca, Copacabana, Grota Funda e Tijuca. É recomendado que os motoristas redobrem a atenção para evitar acidentes.



..

domingo, 15 de julho de 2012

ORLA


Grades são substituídas por vidros em condomínios da orla carioca

Paisagem fica visualmente mais limpa; medida é aprovada por moradores

P

Na orla da Zona Sul, vários prédios já trocaram as grades por vidros
Foto: Felipe Hanower / Agência O Globo
Na orla da Zona Sul, vários prédios já trocaram as grades por vidrosFELIPE HANOWER / AGÊNCIA O GLOBO
RIO — Gradear propriedades privadas virou febre nos anos 90 e desde então faz parte do visual da maioria dos edifícios do Rio. Mas, apesar da sensação de segurança, é consenso que o amontoado de ferro não beneficia a beleza e a estética da cidade maravilhosa. Pensando nisso, muitos condomínios da orla carioca vêm substituindo as grades metálicas por vidros, que deixam a paisagem visualmente mais limpa.
Para o consultor de desenvolvimento urbano da Associação dos Dirigentes do Mercado Imobiliário (Ademi), David Caderman, o vidro resgata a ideia de que os edifícios estão integrados à cidade:
— Substituir grades por vidros já é um avanço muito grande. É uma forma de conseguir um contato com a rua, com as pessoas, de resgatarmos a ideia de fazer parte de um ambiente urbano, o que perdemos com a instalação de grades.
Na opinião de arquitetos, o ideal seria que os gradis fossem totalmente extintos. Enquanto a insegurança não permite isso, o vidro passa a ser uma alternativa menos agressiva aos olhos.
— A grade denuncia uma sociedade aprisionada. Acredito que o vidro seja um passo para o amadurecimento de todos, para que um dia possamos retirar tudo e viver sem essas divisões — diz o arquiteto Alfredo Britto.
O empresário Ronaldo Fucci, ex-síndico de um prédio na Avenida Vieira Souto, em Ipanema, que fez a substituição há três anos, defende o uso dos vidros:
— Usamos por dois motivos. Primeiro, porque é muito mais bonito. Outro motivo é a deterioração dos ferros da grade por conta da maresia.— contou o Fucci.
Mas a estética envidraçada tem suas desvantagens. A manutenção custa caro e a limpeza deve ser feita com frequência maior que a das grades. Os síndicos também vêm tendo dor de cabeça, pois muitas portarias deste material foram pichadas ao longo da orla.
— Picharam nosso vidro e a mancha não saiu com nenhum produto. Tivemos que trocá-lo por um novo. Além disso, no carnaval quebraram uma outra vidraça — contou Ronaldo, que fez seguro para os vidros de seu edifício.
E não é barato investir na nova estética: o preço do metro linear fica em torno de R$ 1.500, dependendo do vidro.

LIBERADO !



Defesa Civil libera prédio em Ipanema, mas rua permanece fechadaComenteFelipe Martins

Do UOL, no Rio

 A Defesa Civil municipal liberou na tarde desta sexta-feira (13) o prédio localizado no número 138 da rua Joaquim Nabuco, em Ipanema, na zona sul do Rio, cuja fachada apresentava risco de desabamento. Segundo o órgão, o problema limita-se apenas à fachada, por isso os moradores receberam permissão para circular pelo edifício.

 O risco de desabamento da fachada do prédio localizado na rua rua Joaquim Nabuco, em Ipanema, na zona sul do Rio, obrigou a Companhia de Engenharia de Tráfego (CET-Rio) a bloquear a via, no início da madrugada desta sexta-feira (13), entre a rua Bulhões de Carvalho e a avenida Vieira Souto Luiz Roberto Lima/Futura PressA via, que foi fechada pela Companhia de Engenharia de Tráfego (CET-Rio) no início da madrugada, entre a rua Bulhões de Carvalho e a avenida Vieira Souto, permanece bloqueada. Durante a manhã, a interdição foi estendida até a pista sentido Ipanema da avenida Atlântica, no trecho entre as ruas Rainha Elisabeth e Joaquim Nabuco

O trânsito é intenso em dois bairros da zona sul do Rio devido ao bloqueio. e as retenções afetam Ipanema e Copacabana, segundo informações do Centro de Operações da Prefeitura do Rio.

A CET-Rio recomenda que o motorista evite a orla da avenida Vieira Souto e opte pela avenida Borges de Medeiros e pelo Túnel Rebouças para seguir para o Centro. O desvio também é realizado para a rua Conselheiro Lafaiete e pela avenida Rainha Elizabeth, com possibilidade de retorno para a rua Francisco Otaviano.

Uma operação especial de trânsito foi organizada na região, com operadores da CET-Rio e guardas municipais orientando os motoristas.



sábado, 14 de julho de 2012

ORLA



Click do Leitor: Orla do Rio é das corujas

Rio -  A orla do Rio também é das corujas! Ontem o ‘Informe do DIA’ flagrou uma dando pinta em Ipanema. Hoje, no Click de Marcelo Teixeira da Silva, uma ave — será a mesma? — vigia a noite em outra trave de vôlei, desta vez em Copacabana.
Foto: Leitor Marcelo Teixeira da Silva
Foto: Leitor Marcelo Teixeira da Silva

METRÔ



Metrô adapta estações para receber novos trens chineses

POR FRANCISCO EDSON ALVES
Rio -  Uma polêmica da China. O Sindicato dos Metroviários do Estado do Rio (Simerj) vai pedir ao Ministério Público que investigue uma situação inusitada: de acordo com a entidade, a concessionária Metrô Rio está sendo obrigada a reduzir, “a toque de caixa”, a largura de plataformas em algumas estações e a aparar pilastras e paredes de túneis das Linhas 1, 1A e 2, em até 20 centímetros.
Teria havido uma falha na avaliação do gabarito aerodinâmico dos novos trens chineses, ou seja, nos cálculos que projetam como o trem se movimenta nos trilhos. Especialista confirma o problema, mas a concessionária MetrôRio nega com veemência.
Foto: Reprodução de Vídeo
Metrô Rio divulgou vídeo da nova composição chinesa durante teste nos trilhos das estações, de madrugada | Foto: Reprodução de Vídeo
De acordo com o vice-presidente do sindicato, Ariston Siqueira dos Santos, as obras ocorrem à noite. “Trata-se de um erro de avaliação grotesco.
Os técnicos não levaram em consideração que, por não terem motores nos vagões, só nas locomotivas, ao contrário dos atuais, o balanço nas laterais dos comboios comprados na China é bem mais acentuado, o que levaria os vagões a colidir com estruturas de concreto”, explicou Ariston.
Gabarito
Especialista em Engenharia de Transportes da Coppe/UFRJ, Fernando MacDowell endossa a denúncia. “Esse absurdo está realmente ocorrendo. Cansei de alertar em audiências públicas, conforme registros em atas e gravações, que isso iria acontecer porque, simplesmente, não observaram o gabarito aerodinâmico”, afirmou MacDowell, ressaltando que o problema interfere em boa parte das 35 estações.
Metrô Rio: obras só de padronização
A direção do sindicato ressalta que a adaptação deixará o vão entre o trem e a plataforma maior, o que pode representar um perigo no momento de embarque e desembarque dos passageiros.
A assessoria de imprensa do Metrô Rio negou que haja problemas com os trens chineses e informou que as obras fazem parte de um projeto de “padronização das estações”.
A assessoria assegurou que o cronograma para a estreia dos trens chineses, em agosto, está mantido. A concessionária já foi multada em R$ 374 mil por atraso na entrega dos novos vagões, prevista, inicialmente, para agosto de 2010.
O investimento no novos trens chineses foi de R$ 320 milhões. A previsão é que, até o início do ano que vem, todas as 19 composições estejam circulando no trajeto Pavuna-Botafogo. A promessa é que a temperatura média nos vagões seja de 23 graus.

sexta-feira, 13 de julho de 2012

SEXTA FEIRA 13



Rua em Ipanema é bloqueada por risco de desabamento


Prédio interditado está localizado na rua Rua Joaquim Nabuco, na zona sul do Rio


O risco de desabamento da fachada do prédio localizado na rua Rua Joaquim Nabuco, em Ipanema, na zona sul do Rio, obrigou a Companhia de Engenharia de Tráfego (CET-Rio) a bloquear a via, no início da madrugada desta sexta-feira, entre a Rua Bulhões de Carvalho e a Avenida Vieira Souto.



quarta-feira, 11 de julho de 2012

RESPOSTAS



Nome: Marcello Costa - 10/7/2012 - 17:57
alguem já viu entrada de metro mais feia do que o tatuizão que tem na Gal. Osório?

Este comentário é ofensivo ou inapropriado?
Denuncie aqui


Nome: Mauricio Alves - 9/7/2012 - 9:19
Não dá para acreditar!
Depois que o mal estiver feito e os danos forem irreversíveis, a quem reclamaremos??

Além do que, tudo que o morador da Barra menos quer é uma ligação para o bairro, via Metrô!! Já bastam os ônibus vindos de lugares ignotos, principalmente da Baixada Fluminense, instituídos pelo (des) Governador Cabral!!

Este comentário é ofensivo ou inapropriado?
Denuncie aqui


Nome: Neli Aparecida de Faria - 8/7/2012 - 22:23
esse pessoal do metrô adora fazer enormes estações.No exterior as estações são diminutas.

Este comentário é ofensivo ou inapropriado?
Denuncie aqui


Nome: Angelo Losguardi - 8/7/2012 - 17:42
Credibilidade zero. Em qualquer país sério do mundo, esse crápula estaria na cadeia cumprindo de 30 anos a perpétua.



Este comentário é ofensivo ou inapropriado?
Denuncie aqui


Nome: Fernando Luiz Netto Silveira - 8/7/2012 - 11:02
Só lembrando que viajar de metrô no Rio é se aventurar no desconforto, carros com lampadas queimadas, solavancos,sem sistema de som, freadas bruscas e atrasos. De ônibus (ainda que dirigidos por ensandecidos) ainda é muito melhor e até mais rápido.

Este comentário é ofensivo ou inapropriado?
Denuncie aqui


Nome: Zapalma - 8/7/2012 - 9:33

Sérgio Cabral tem palavra do Cachoeira e sua Delta.

A gang do guardanapo tem sustentabilidade nos contratos com as empreiteiras, principalmente com a do amigo Cavendish.

Sérgio Cabral quer um conselho?

Seja o homem e apresente-se na CPI. Saia da somra do gordo Vacarezza (aquele PTista do torpedo amaroso e blindoso enviado ao Cabral, "você é nosso e nós somos teu").
Ou pegue todo seu dinheiro desviado dos cofres públicos e volte à Paris para gasta-lo enquanto pode.

Este comentário é ofensivo ou inapropriado?
Denuncie aqui


Nome: Sérgio Barros - 7/7/2012 - 20:39
Cabral Ladrão

Este comentário é ofensivo ou inapropriado?
Denuncie aqui


Nome: Geezer - 7/7/2012 - 19:42

Agora virou moda usar a palavra "sustentável" para tentar dar um ar de legitimidade ao que é feito de maneira errada. Desde quando se pode dar crédito ao que político promete, ainda mais se tratando de alguém atolado na lama da Delta até o pescoço?