CRIME AMBIENTAL

Aprovada a licença ambiental das obras da Linha 4 do metrô no trecho entre Gávea e Ipanema

No primeiro bairro, estação deverá ter dois níveis, para futura ligação com Botafogo

DIEGO BARRETO

Publicado:
Atualizado:
 Máquina perfura uma rocha na Barra da Tijuca, trecho já licenciado da Linha 4 do metrô: obras só devem estar concluídas em 2015 Foto: Ana Branco / O Globo

Máquina perfura uma rocha na Barra da Tijuca, trecho já licenciado da Linha 4 do metrô: obras só devem estar concluídas em 2015ANA BRANCO / O GLOBO

RIO - A Comissão Estadual de Conservação Ambiental (Ceca) concedeu na tarde desta sexta-feira a licença prévia ambiental para as obras de expansão do metrô no Trajeto Sul da Linha 4, no trecho (Gávea - Ipanema). A licença foi concedida com aprovação unânime dos 12 conselheiros da Ceca, que inclui representantes do governo do Estado e entidades da sociedade civil, como a Firjan, Uerj, Associação Nacional de Orgãos Municipais de Meio Ambiente (Anamma/RJ) e Crea/RJ. No parecer do Ceca que concedeu a licença também é solicitado que a estação da Gávea seja construída em dois níveis, permitindo uma futura ligação com a estação de Botafogo em trajeto que passará por Jardim Botânico e Humaitá.

O governo aguardava a licença do trecho Gávea-Ipanema desde janeiro. Mais de um quilômetro de túneis já foi escavado para a construção das estações Jardim Oceânico e Gávea, trehco que, segundo o Estado, já tem licença ambiental. Na Zona Sul, a Secretaria de Transportes já iniciou a escavação de um túnel de serviço entre Copacabana e a Praça General Osório. No momento, o objetivo do governo é conseguir a licença do trecho Ipanema-São Conrado, que não foi aprovada pelo Ministério Público estadual em audiência pública em fevereiro.

No dia 1 de abril, uma manifestação do movimento “O Metrô Linha 4 que o Rio Precisa”, da Associação de Moradores do Leblon (Anima Leblon), reuniu cerca de 100 pessoas na Praia do Leblon. O grupo distribuiu panfletos pedindo mudanças no traçado original da Linha 4 e criticando o fechamento das estações General Osório e Cantagalo por um ano para obras. Os manifestantes também reclamaram da ligação direta do Leblon a São Conrado sem passar pela Gávea. Por meio de nota, o estado afirmou que a estação Gávea será construída e que a paralisação das estações General Osório e Cantagalo por oito meses será necessária para as obras.

As obras para levar o metrô da Zona Sul até a Barra da Tijuca vão interferir no trânsito e interditar, a partir do início do ano que vem e por tempo ainda indeterminado, o acesso do público às praças Antero de Quental (Leblon) e Nossa Senhora da Paz (Ipanema); e ao Jardim de Alah, onde serão construídas as novas estações. O trecho aprovado já foi modificado pelo governo: após estudar a alternativa de uma estação na Praça Santos Dumont, na Gávea, o estado decidiu fazer as obras no estacionamento da Pontifícia Universidade Católica do Rio (PUC-Rio), que também terá o acesso fechado ao público.

As seis novas estações do sistema serão Jardim Oceânico, São Conrado, Gávea, Antero de Quental, Jardim de Alah e Nossa Senhora da Paz. Da Praça Nossa Senhora da Paz, o metrô seguirá até a Praça General Osório, também em Ipanema, atual estação terminal da Linha 1 do Metrô na Zona Sul que, em princípio, não seria interditada.



Leia mais sobre esse assunto em http://oglobo.globo.com/rio/aprovada-licenca-ambiental-das-obras-da-linha-4-do-metro-no-trecho-entre-gavea-ipanema-4642698#ixzz1ry1otJLd
© 1996 - 2012. Todos direitos reservados a Infoglobo Comunicação e Participações S.A. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.

Nenhum comentário: