ERA UMA VEZ .............


Vegetação de restinga é ameaçada por eventos na orla de Ipanema

Oceanógrafo alerta para o impacto que o carnaval pode trazer para os canteiros

RENATA MONTI, COM O LEITOR JOSÉ CONDE




Veículo com gerador estaciona sobre área de vegetação de restinga em Ipanema

FOTO DO LEITOR JOSÉ CONDE / EU-REPÓRTER

RIO - Enquanto ONGs e a prefeitura do Rio se esforçam para preservar a vegetação de restinga dos foliões, eventos na orla ameaçam os canteiros. Como mostram os flagrantes do leitor José Conde, ambulantes utilizam as cercas de proteção como varal no Posto 9, em Ipanema, e um veículo - com um gerador na carroceria - estacionou rente às plantas. Embora as mudas de ipomeia não tenham sido destruídas, o oceanógrafo David Zee, professor da Uerj, alerta para o impacto que o carnaval pode trazer. A Secretaria municipal de Meio Ambiente esclarece que não autorizou a parada do veículo no local e enviará notificação ao responsável. Caso haja reincidência, o proprietário poderá ser multado. Procurada pelo GLOBO, a empresa Brasil Cine não quis se pronunciar.
“Desde o início do carnaval, ambulantes utilizam as areias da Praia de Ipanema como acampamento, com direito a varal nas cercas que protegem a vegetação de restinga. Já o motorista do caminhão foi manobrando e se encostando na areia, para não ser multado. Ninguém interferiu, até que ele ficasse bem próximo ao canteiro. Ele só não entrou ali porque estava cercado”, observou o leitor José Conde.



No carnaval do ano passado, a vegetação de restinga foi destruída por foliões durante a passagem dos blocos na orla. Um mutirão ambiental - organizado pelo Instituto-E, que mantém o projeto, e a prefeitura - promoveu o replantio de quatro canteiros de vegetação nativa, em Ipanema.
Para proteger as faixas verdes este ano, a prefeitura cercou os canteiros da orla, sobretudo nas praias de Ipanema e Leblon, as mais afetadas em 2011. A cerca plástica vai funcionar como uma barreira contra o vandalismo, acredita o Instituto-E. Recentemente foram plantadas 3.500 mudas em quatro canteiros em Ipanema. O investimento total, desde o início do projeto, em 2010, ultrapassou os R$ 300 mil.

Pesquisador alerta para danos na orla

O oceanógrafo David Zee, professor da Uerj, compara a vegetação de restinga a um berçário de espécies nativas da praia. Segundo ele, as plantas rasteiras criam sombreamento para animais, como lagartos, insetos e pequenas aves que ali procuram abrigo. Além disso, palmeiras e coqueiros se desenvolvem nesse habitat. A barreira também protege a orla contra a erosão em períodos de ressaca. O especialista alerta para os prejuízos que o carnaval e a realização de eventos na orla podem trazer para esses seres vivos.
“Se as pessoas pisoteiam ou jogam lixo já há prejuízo ambiental. Se não respeitarmos essa vegetação, descaracterizamos o habitat. Se falta um elemento, como a sombra das plantas, os animais perdem seu território, daí vem o desequilíbrio ambiental. Vivenciamos um período em que as mudanças climáticas são uma realidade e não podemos desrespeitar o pouco que ainda é preservado”, defende Zee.




Um comentário:

Anônimo disse...

MEODEOS,que carnaval e esse que agora,nem 5 da tarde toca funk letras pornográficas na Vinicius de Moraes? Tenho que agüentar esses malditos carros de som embaixo da minha janela? Ontem foi assim a madrugada toda! Quebraram uma linda arvore cheia de flores,quebraram janela e também NAO e só xixi nao,agora fazem de tudo nas ruas,sem a menor vergonha! Abaixo e o IPTU! Este carnaval acabou com Ipanema!