quinta-feira, 31 de março de 2011

CARTA AO PREFEITO

Ilmo Prefeito da cidade do Rio de Janeiro
Sr. Eduardo Paes,

Passado o período de carnaval, chegou a hora da avaliação: Ipanema sofreu.
O Projeto de Segurança de Ipanema, movimento voluntário e apartidário de moradores, e o Quadrilátero do Charme de Ipanema, associação comercial que representa mais de sessenta comerciantes e empresários do bairro, verificaram que apesar dos esforços do poder público, patrocinadores e organizadores dos blocos, o carnaval deste ano foi “quase igual àquele que passou”- pouca coisa mudou.
Os moradores, como sempre, não foram ouvidos e, como são eles que sofrem e vivenciam de perto toda a problemática, ficaram impossibilitados de dar uma rica contribuição aos responsáveis pela festa.
Neste sentido, seria redundante falar dos notórios problemas como mijões, sujeira, barulho, desordem, desrespeito ao meio ambiente etc... - já exaustivamente debatidos. Portanto, apontamos algumas medidas que indiscutivelmente poderão fazer a diferença na festa para o próximo ano:

- Atualmente o poder público se reúne com os patrocinadores e as associações de organizadores de blocos de carnaval para definir o modelo da festa. Pedimos que para o carnaval de 2012 os moradores sejam ouvidos através de suas associações e movimentos.

- Garantia do direito de ir e vir. Só poderão ser autorizados desfiles em ruas que não impeçam o acesso dos moradores. Caso seja impossível, os mesmos deveriam ter algum tipo de contrapartida tal como redução no IPTU.

- Cumprimento rigoroso dos horários para o começo e fim dos desfiles e sua dispersão, e proibição da permanência dos ambulantes no espaço público antes e depois do evento, com tolerância de 15min.

- Rigor no respeito à legislação vigente que determina que a venda de bebida alcoólica seja controlada e proibida para menores de dezoito anos. Ambulantes só poderão vender água, refrigerantes, mate, sucos etc.
É triste o quadro de crianças e adolescentes bêbados pelas ruas, assim como o dos mesmos trabalhando na venda de bebidas alcoólicas. Causa muito espanto a conivência do poder público com este tipo de ilegalidade. O Rio é uma cidade que tem pago um preço muito alto pela ação do tráfico de drogas. É do conhecimento de todos que a bebida é a primeira porta de entrada para drogas mais pesadas.

- Redução do número de blocos no bairro, limitado a um por dia, não permitindo o gigantismo dos mesmos. Ipanema só tem 50.000 moradores e não comporta blocos com mais de 20% de sua população. Excepcionalmente, devido à antiguidade, os dois blocos tradicionais - Banda de Ipanema e Simpatia é Quase Amor - que já se descaracterizaram como blocos de bairro-, só poderiam desfilar apenas uma vez - limitando seus foliões a no máximo 40 mil pessoas.

- Os outros blocos deveriam ser transferidos talvez para o Centro, onde há ampla oferta de estacionamento e transporte público, espaço ocioso, além de condições ideais de segurança e fiscalização.

Sabemos das dificuldades de diminuir o gigantismo dos blocos uma vez que a sua característica, que não deve ser perdida, é justamente o desfile livre pelas ruas – o que impossibilita qualquer estimativa e limite do número de pessoas que afluem aos mesmos.
Outra dificuldade é a divulgação pelos patrocinadores, e pela web. Não se tem controle sobre a web.
Portanto, fica patente a necessidade de local apropriado para o desfile dos blocos, em zonas não residenciais, onde a população não se transforme em vítima e refém da festa.
Gostaríamos de lembrar que quando o Sambódromo foi construído a crítica que se fazia era exatamente a mesma que atualmente fazem os defensores dos blocos livres pela cidade:
- as escolas de samba seriam um patrimônio da cultura popular, a atividade comunitária de preparação dos desfiles contava com o envolvimento total das respectivas comunidades, e a organização tiraria a espontaneidade do evento. Ora, o que ocorreu foi justamente o contrário. Com o advento do Sambódromo as escolas assumiram um lado comercial que estava implícito (como nos blocos), cresceram e se transformaram no maior evento do gênero no mundo, adquirindo um brilho deslumbrante e não perdendo em nada da sua alegria e muito menos da sua essência como manifestação da cultura popular.

Concluindo, a combinação de multidão com bebida alcoólica é bombástica e incontrolável.
As pessoas alcoolizadas baixam suas censuras e fazem coisas vexatórias que normalmente seriam incapazes. Campanhas de conscientização são muito bem vindas sempre e em qualquer época do ano, mas são insuficientes diante da perda de controle da multidão. Este ano vivemos um clássico neste sentido que foi a campanha pelo xixi nos banheiros químicos. O número dos mesmos aumentou, eles estavam limpos, as filas organizadas etc., mas o número de infratores triplicou em relação a 2010.
Além do preocupante risco de acidentes, as ocorrências danosas ao patrimônio público e privado são constrangedoras para os moradores e empresários do bairro que o cuidam com tanto carinho e têm imenso orgulho de mostrá-lo aos seus visitantes.

Certos de contar com a sua atenção, estamos à inteira disposição para eventuais contatos,

Atenciosamente


Ana Luiza Archer, Ignez Barretto e Rogério Esteves – Projeto de Segurança de Ipanema
projetodeipanema@terra.com.br –

Bruno Pereira – Quadrilátero do Charme de Ipanema
charmedeipanema@yahoo.com.br -

.

quarta-feira, 30 de março de 2011

ATA 29 / 02 /2011

ATA DA OCTOGÉSIMA PRIMEIRA REUNIÃO.



LOCAL DE REALIZAÇÃO: COLÉGIO NOTRE DAME

R. Barão da Torre – Ipanema

Dia: 28/032/2011

HORÁRIO: 18H

COORDENAÇÃO: IGNEZ BARRETO

NÚMERO DE PARTICIPANTES: 20

REPRESENTANTES DO PODER PÚBLICO:

Ø AUSENTES.





TÓPICOS ABORDADOS :





1- LIXO NA ENCOSTA DO CANTAGALO;

Os trabalhos realizados junto a Associação de Moradores, COMLURB, Metrô, foram muito bem sucedidos e

a encosta está em fase final de limpeza.





2- CARNAVAL E BLOCOS:

Conforme comentado em reunião anterior, ficou estabelecido que todos os comportamentos não previstos na Liminar sobre este assunto, tais como venda de bebidas alcoólicas a menores, atentado ao pudor, degradação do meio-ambiente, som em altíssimos decibéis, entre outros, seriam enquadrados na forma da Lei que dispõe tal liminar e serão réus seus responsáveis.

Dessa forma, todos aqueles que foram responsáveis por tais irregularidades serão enquadrados na forma da Lei, já havendo inclusive ações contra os blocos que as infringiram. O PSI realizou reunião com representantes de Prefeitura do Rio de Janeiro, Comitê Gestor da Orla, inclusive do Meio-Ambiente, para demonstrar toda a devastação causada, tais como;

Ø destruição das áreas de proteção ambiental na praia em que os canteiros foram completamente arrasados;

Ø as calçadas foram depredadas pois pedras portuguesas foram usadas como artefatos para quebra de vitrines e gradeamentos;

Ø os jardins dos edifícios tiveram suas plantas danificadas;

Ø a areia da praia ficou coberta com o lixo lançada pela população;

O PSI irá entrar com moção junto ao Ministério Público para solicitar a transferência destes eventos pra outros locais nos moldes em que foi construído o Sambódromo, ou seja, locais destinados unicamente a tais comemorações. Escreveu ainda cartas aos patrocinadores AMBEV E BANCO ITAÚ, notificando suas responsabilidades.

Ressalta-se que grande parte dos veículos de comunicação apoiaram e divulgaram o efeito devastador que se transformou o Carnaval no Rio de janeiro.





3- PRAÇA GEN. OSÓRIO e PONTOS DE ÔNIBUS

Ainda uma vez foi abordada a questão da degradação da praça Gen, Osório no que concerne ao calçamento, destruição dos jardins e lixo jogado pela população que transita em tal local.

A titulo de lembrança acrescenta-se que em reunião realizada na Sub-Prefeitura da Zona Su, em dezembro de 2010, com representantes das empresas de ônibus SP e CITYRIO que são responsáveis pelas linhas 485,486, 125 que fazem ponto no entorno daquele local, ficou acordado que a população averiguasse as modificações solicitadas e comunicasse as melhorias. ASSIM, NESTA REUNIÃO DO PSI E QUE CONSTA NESTA ATA, RELATOU-SE QUE NADA FOI REALIZADO.

Volta-se a insistrir que a Prefeitura estenda as operações realizadas com os ônibus em Copacabana, a partir do dia 19/2, ao bairro de Ipanema, pois semelhante abaixo-assinado também foi realizado pelos moradores daquela Praça.



3-JARDINEIROS DE IPANEMA;

A realização de lançamento desta ação contou com a participação dos encarregados dos projetos de revitalização das calçadas. Conforme ata já elaborada que se insere no final deste documento:



OUTROS ASSUNTOS:

Ø Os moradores do entorno das R. Antonio Parreiras, Piragibe Frota Aguiar, Saint Romain, realizaram abaixo-assinado para retirada dos moradores de rua que haviam se instalado nas redondezas, precisamente em frente ao prédio da OI-TELEMAR. Esta solicitação foi prontamente atendida.

Ø O grupo que está encarregado de melhorias na praia realizou exaustivo levantamento sobre todos os problemas a partir de verificação local que abrangeu desde o Arpoador até ao Jardim de Alah. Comércio na areia, utilização de espaço público entre outros. Ressaltou-se que não ficaram claros os procedimentos da prefeitura do Rio de Janeiro para autorização destas atividades.

Todavia, farão relatório sobre todas as irregularidades e encaminharão aos órgãos competentes

.



Ø PRÓXIMA REUNIÃO: 11/04/2011





Elaboração da ata: JGuia



Rio de Janeiro, 29/02/2011



- “LANÇAMENTO DO PROJETO “CANTEIROS DO RIO” - "JARDINEIROS DE IPANEMA" CUJO OBJETIVO É A RECUPERAÇÃO DE CALÇADAS, GOLAS DE ÁRVORE E CANTEIROS

COORDENAÇÃO: PROJETO DE SEGURANÇA DE IPANEMA, QUADRILÁTERO DO CHARME DE IPANEMA E A SECRETARIA MUNICIPAL DE CONSERVAÇÃO E SERVIÇOS.

NÚMERO DE PARTICIPANTES: 100

A MESA FOI COMPOSTA POR: JOAQUIM MONTEIRO E GUSTAVO FARIA - SECRETARIA MUNICIPAL DE MANUTENÇÃO E SERVIÇOS

LEONARDO SPRITZER - ADMINISTRADOR REGIONAL DE IPANEMA

BRUNO PEREIRA - QUADRILÁTERO DO CHARME DE IPANEMA

IGNEZ BARRETTO PROJETO DE SEGURANÇA DE IPANEMA



TÓPICOS ABORDADOS :

APRESENTAÇÃO DO PROJETO POR JOAQUIM MONTEIRO E GUSTAVO FARIA

· Lançamento do plano “Canteiros do Rio”, de revitalização das calçadas e canteiros de Ipanema à moradores e comerciantes do bairro;

· Apresentação da plataforma digital “Projeto Benfeitoria”:

o Portal virtual que visa o encontro entre a esfera pública e privada na busca de soluções para o bairro;

o Lançamento dia 15 de abril de 2011;

o Coordenação do Projeto de Segurança de Ipanema;

o Projeto piloto inclui:

§ Rua Vinícius de Moraes

§ Rua Farme de Amoedo

§ Rua Teixeira de Melo

§ Rua Jangadeiros

o Participação da Secretaria Municipal de Urbanismo;

o Tratamento diferenciado do ambiente que incluirá gradil, padronização de calçadas e canteiros, incluindo ampliação em alguns trechos;

· Apresentação da proposta feita por uma empresa particular de um novo tipo de calçamento com pedras de basalto e sistema de malha que simplifica a aplicação e a troca de pedras;



Ficou estabelecido que a SMMS ápresentará até dia 5/04 o projeto urbanístico, a ser apreciado, e até dia 15/04 ele estará disponível para todos que queiram participar no portal Benfeitoria.



Esta ata foi elaborada por Monica Garcia - voluntária do PSI”





ENTRE NO NOSSO BLOG – PSIPANEMABLOGSPOT.COM

SEJA AMIGO DO PSI NO FACE BOOK E INDIQUE NOVOS AMIGOS – PSI IPANEMA

ACESSE O TWITTER @PSI IPANMEA



DISQUE DENÚNCIA – 22531177

14ª. DP- DEDIC 23322866 / 23322880

terça-feira, 29 de março de 2011

CACHORRO ENCONTRADO

.

Cão de morador de rua de Ipanema que estava desaparecido é devolvido

Casal leu reportagem no G1 e devolveu animal sem pedir recompensa. Dinheiro que seria pago será usado para tratar tumor no cachorro.

Thamine Leta Do G1 RJ

Renato reencontrou Neguinho depois de 12 dias (Foto: Priscilla Massena/ G1 )

Terminou com final feliz a história entre o vira-lata Neguinho e seu dono Renato, morador de rua de Ipanema, na Zona Sul do Rio. Após doze dias desaparecido, o cachorro foi devolvido ao dono na noite da última segunda-feira (28) por um casal que o acolheu e descobriu o verdadeiro dono após ler reportagem do G1.
“Foi emocionante. Eu estava muito triste sem ele. Quando nos encontramos, foi uma festa. Ele pulava de tanta felicidade”, contou Renato. O sumiço de Neguinho, de cinco anos, aconteceu depois que Renato foi levado por agentes da prefeitura para um abrigo. Antes de deixar o animal para trás, ele o deixou amarrado em uma grade na Praça General Osório, e quando voltou, o cão não estava lá. Segundo Mônica Mallet, que ajudou Renato espalhando cartazes e oferecendo recompensa por Neguinho, o casal reconheceu o cachorro ao ver a foto na internet. “O casal pegou Neguinho pois ele estava sendo abordado e queimado com cigarro por pivetes. Levaram ao veterinário, cuidaram muito bem dele. Ontem eles leram a reportagem, viram que estávamos procurando por ele, e vieram nos devolver”, explicou ela.

LIXO NAS ENCOSTAS

Prezados Senhores,

Prosseguindo no acompanhamento sôbre a retirada do lixo na encosta do Cantagalo, o Projeto de Segurança de Ipanema promoveu reunião com as entidades interessadas em 24 deste, a qual contou com a presença do Gerente de Encostas da Comlurb-Francisco Morais e do Gerente do Metrô Jaercio Ferreira.
Foi verificado que o lixo vem sendo retirado pela Comlurb, no entanto tres fatores contribuem para a demora e acúmulo: poucos garis empregados, falta de conscientização dos moradores, que, a despeito da campanha que vem sendo realizada, continuam jogando o lixo e demora do metrô em colocar plataformas para fixação dos containers onde serão colocados os detritos.
Quanto ao número de garis, poucos segundo os moradores, enfatizamos à Comlurb para que aumente este percentual até que a situação se normalize.
Quanto à falta de conscientização, o PSI em conjunto com a Entrelaces, responsável pelo projeto de reflorestamento e re-aproveitamento, continuarão a promover palestras, etc.
Quanto á colocação das plataformas de fixação, explicou o Sr. Francisco que sem ela é impossível colocar os depósitos,pois os mesmos desaparecem depois de algum tempo.
O representante do Metrô, Sr. Jaercio, explicou que a construção das plataformas está dependendo da aprovação da licitaçao e análise do custo. Adiantou ainda que os elevadores já estão liberados para descer com o lixo, só que sem os containers não tem como armazenar o lixo.
Solicitamos às partes envolvidas que envidem o máximo de esforços para viabilizar uma solução de compromisso nesta fase transitoria, antes da solução final que será a construção do lixoduto.
Continuaremos a acompanhar o assunto.

Atenciosamente,

Rogerio Esteves Ignez Barreto Mônica Garcia

PROJETO DE SEGURANÇA DE IPANEMA

BANCOS

Menos tempo na fila do banco


O carioca não vai perder mais tanto tempo na fila do banco.


Foi promulgada e publicada no Diário da Câmara Municipal (edição de 28 de março) a Lei 5.254/2011, que cria regras para o atendimento nas agências bancárias. O que diz a lei:

- As agências deverão atender no prazo máximo de quinze minutos em dias normais e de trinta minutos em dias precedentes ou posteriores a feriados prolongados.

- Os bancos são obrigados a fornecer aos clientes senhas numéricas de atendimento que identifiquem a instituição bancária e a agência, registrem o horário de entrada e de efetivo atendimento, e a disponibilizar, em local visível, a escala de trabalho dos caixas e demais funcionários da agência.

- O atendimento preferencial a idosos, gestantes, portadores de deficiência física e pessoas com crianças de colo será realizado através de senhas preferenciais e oferta de no mínimo quinze assentos de correta ergometria.

- Os bancos deverão disponibilizar bebedouro de água e banheiro para os clientes. Punição para o descumprimento da Lei: - Advertência, com prazo de trinta dias para regularização.

- Multa que varia de R$ 10 mil, na primeira autuação, a R$ 160 mil na quinta autuação; suspensão da licença de funcionamento da agência, por prazo indeterminado. Como denunciar:

- O Município receberá as denúncias. Também existem o Procon e as Comissões de Defesa do Consumidor da Assembléia Legislativa do Rio e da Câmara Municipal e o próprio Ministério Público, que poderão receber as reclamações.

Quando entrará em vigor: Os Bancos terão o prazo máximo de 90 dias, a contar da data da publicação da lei, para se adequarem.

Tentativa anterior: O texto é semelhante ao projeto do então vereador Gilberto Palmares, de 1999, que foi alvo de ações de inconstitucionalidade. Em 2005, o Supremo Tribunal Federal firmou entendimento de que o Município pode, sim, legislar sobre regras de atendimento em agências bancárias. O texto da Lei Entrevista à CBN


Um abraço,

Andrea Gouvêa Vieira

BAIRROS .COM



por Bairros.com - .



MEMÓRIA VISUAL



A rua da foto fica em Ipanema As fotos mostram a esquina das ruas Prudente de Moraes e Vinícius de Moraes, em Ipanema, onde fica o restaurante Garota de Ipanema, em dois tempos: em 1978 e hoje. Toda quarta-feira, o Bairros.com publica uma foto antiga de algum ponto da Zona Sul para testar sua memória visual.

segunda-feira, 28 de março de 2011

ATA - CANTEIROS DE IPANEMA

LOCAL DE REALIZAÇÃO: Hotel Ipanema Plaza

R. Farme de Amoedo, 34 – Ipanema

Dia: 17/03/2011



HORÁRIO: 18:30H



LANÇAMENTO DO PROJETO “CANTEIROS DO RIO” - "JARDINEIROS DE IPANEMA" CUJO OBJETIVO É A RECUPERAÇÃO DE CALÇADAS, GOLAS DE ÁRVORE E CANTEIROS



COORDENAÇÃO: PROJETO DE SEGURANÇA DE IPANEMA, QUADRILÁTERO DO CHARME DE IPANEMA E A SECRETARIA MUNICIPAL DE CONSERVAÇÃO E SERVIÇOS



NÚMERO DE PARTICIPANTES: 100



A MESA FOI COMPOSTA POR: JOAQUIM MONTEIRO E GUSTAVO FARIA - SECRETARIA MUNICIPAL DE MANUTENÇÃO E SERVIÇOS

LEONARDO SPRITZER - ADMINISTRADOR REGIONAL DE IPANEMA

BRUNO PEREIRA - QUADRILÁTERO DO CHARME DE IPANEMA

IGNEZ BARRETTO PROJETO DE SEGURANÇA DE IPANEMA







TÓPICOS ABORDADOS :



APRESENTAÇÃO DO PROJETO POR JOAQUIM MONTEIRO E GUSTAVO FARIA

· Lançamento do plano “Canteiros do Rio”, de revitalização das calçadas e canteiros de Ipanema à moradores e comerciantes do bairro;

· Apresentação da plataforma digital “Projeto Benfeitoria”:

o Portal virtual que visa o encontro entre a esfera pública e privada na busca de soluções para o bairro;

o Lançamento dia 15 de abril de 2011;

o Coordenação do Projeto de Segurança de Ipanema;

o Projeto piloto inclui:

§ Rua Vinícius de Moraes

§ Rua Farme de Amoedo

§ Rua Teixeira de Melo

§ Rua Jangadeiros

o Participação da Secretaria Municipal de Urbanismo;

o Tratamento diferenciado do ambiente que incluirá gradil, padronização de calçadas e canteiros, incluindo ampliação em alguns trechos;

· Apresentação da proposta feita por uma empresa particular de um novo tipo de calçamento com pedras de basalto e sistema de malha que simplifica a aplicação e a troca de pedras;



Ficou estabelecido que a SMMS ápresentará até dia 5/04 o projeto urbanístico, a ser apreciado, e até dia 15/04 ele estará disponível para todos que queiram participar no portal Benfeitoria.



Esta ata foi elaborada por Monica Garcia - voluntária do PSI

PROCURA-SE !

O sumiço de um cachorro vem mobilizando moradores de Ipanema, na Zona Sul do Rio desde meados do mês de março. Neguinho, um vira-lata de cinco anos, desapareceu e deixou seu dono, o morador de rua Renato, de 21 anos, desolado. A recompensa para quem encontrá-lo é de R$ 1 mil. Segundo moradores e comerciantes da Praça General Osório, onde o cão e o dono ficam desde 2006, o cachorro sumiu depois que o dono foi levado por agentes da prefeitura para um abrigo. Antes de deixar o animal para trás, ele o deixou amarrado em uma grade, quando voltou, ele não estava lá. Como foi “As pessoas que estavam na praça viram duas senhoras levando o cãozinho. Elas não fizeram por maldade. Fizeram porque ele latia muito e, como estava amarrado na grade com um cadarço, estava incomodando. Quando Renato voltou ao local, o Neguinho não estava. Ele ficou desesperado, desolado. Desde então estamos todos procurando por ele”, conta Mônica Mallet, uma moradora da região, que ajuda o morador de rua e é hoje sua pessoa mais próxima. “Eu combinei com Renato que eu dou R$ 500 e a outra metade ele vai pagar com o dinheiro da demissão dele. Eu só rezo, quero muito ajudar o Renato e achar o único amigo dele”, explica Mônica. 200 cartazes Desde o dia 16 de março, data em que o vira-lata desapareceu, algumas pessoas já ligaram para Mônica dando pistas do cachorro. “No sábado me ligaram dizendo que um cão muito parecido estava em Copacabana. Fomos atrás, mas infelizmente não o encontramos”, lamentou. Mônica espalhou mais de 200 cartazes pelo bairro e com a ajuda de outros moradores pretende divulgar ainda mais fotos de Neguinho. Amigos de longa data Em 2007, Mônica passava uma temporada no apartamento de sua mãe, na Rua Visconde de Pirajá, e se deparou com Renato e Neguinho dormindo debaixo de uma marquise. “Eu senti compaixão por ele. Eu passava por ali todo dia e ele estava lendo um livro, sempre arrumado. Comecei a conversar, dar comida pra ele e para o Neguinho. Em 2008, arrumei um emprego em Niterói pra ele. O Renato me chama de madrinha”, diz, emocionada. Após três anos trabalhando e morando na Região Metropolitana do Rio, Renato deixou o emprego e voltou a morar na rua. “Ele teve uma desavença com outros empregados e saiu de lá. Mas está estudando e já arrumei outro emprego pra ele. Só que ele está perdido sem o cachorro. O Neguinho é a única família dele”, contou Mônica. Segunda ela, Renato é filho de uma moradora de rua e tem mais quatro irmãos que teriam sido adotados por uma família francesa.

domingo, 27 de março de 2011

AGENDA DE EVENTOS

AGENDA DE EVENTOS - MARÇO 2011 Peço a atenção sua para a divulgação (para quem interessar possa) da palestra aberta ao público do Julio Lopes e do Bento Lima no Clube de Engenharia (aberta ao público) e que contará com as associações de bairros da zona sul e da Barra para debater o projeto que está sendo implantado para a linha 4 do METRÔ Só como informação, o Bento Lima, em palestra na Associação de moradores de São Conrado apresentou o caminho do metrô que está pensado para a estação Praça Nossa Senhora da Paz vindo da estação da General Osório e seguindo pela Visconde de Pirajá e que CRUZA DIAGONALMENTE TODA A PRAÇA !!! passando pelo monumento. Abraços José Luiz Salgueiro Conselheiro do Clube de Engenharia

AGENDA DE EVENTOS - MARÇO/2011 www.clubedeengenharia.org.br DIRETORIA DE ATIVIDADES TÉCNICAS - DAT DIA 29/03/11 – 18H – 22º ANDAR PALESTRA: “METRÔ NA BARRA" PALESTRANTE: JÚLIO LOPES - SECRETÁRIO DE TRANSPORTES DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO E BENTO LIMA - DIRETOR DE ENGENHARIA DA RIO TRILHOS PROMOÇÃO: DAT/DCO/DES/DUR/DTRL

DIA 30/03/11 – 18H – 22º ANDAR PALESTRA: “O MERCADO DE IMÓVEIS HISTÓRICO-CULTURAIS" TRABALHO PREMIADO PELO APPRAISAL INSTITUTE NO XXVº CONGRESSO DA UPAV, MIAMI, NOVEMBRO 2010 PALESTRANTE: ARQUITETO RONALDO FOSTER VIDAL PROMOÇÃO: DAT/DCO/DEC

DIA 31/03/11 – 18H – 22º ANDAR PALESTRA: “ABRINDO A CAIXA PRETA DO BDI" PALESTRANTE: ENGENHEIRO CIVIL PAULO ROBERTO VILELA DIAS, MSC PROMOÇÃO: DAT/DCO DIA 31/03/11 – 18H – 20º ANDAR PALESTRA: “EMISSÕES DE GASES DO EFEITO ESTUFA DAS FONTES GERADORAS DE ELETRICIDADE" PALESTRANTE: ENGENHEIRO CARLOS FEU ALVIM DOUTOR EM FÍSICA, DIRETOR DA ORGANIZAÇÃO ECONOMIA E ENERGIA – e&e E CONSULTOR DA COPPE PROMOÇÃO: DAT/DCTEC/DEN

DIRETORIA DE ATIVIDADES SOCIAIS - DAS

DIA 31/03/11 – 12H – 24º ANDAR "ALMOÇO MENSAL DE CONFRATERNIZAÇÃO" HOMENAGEM AOS ANIVERSARIANTES DO MÊS DE MARÇO E AO DIA INTERNACIONAL DA MULHER

PRESIDÊNCIA - PR DIA 01/04/11 - 9:30 ÀS 12:30 HORAS - 20º ANDAR FÓRUM DE FERROVIAS CICLO DE DEBATES SOBRE OS PROJETOS FERROVIÁRIOS EM DESENVOLVIMENTO NO BRASIL O TREM DE ALTA VELOCIDADE RIO - SÃO PAULO – CAMPINAS BERNARDO FIGUEIREDO, DIRETOR-GERAL DA ANTT-HENRIQUE AMARANTE PINTO, SUPERINTENDENTE DE ESTRUTURAÇÃO DE PROJETOS DO BNDES-MARCOS JOSÉ MENDES, CONSULTOR LEGISLATIVO DO SENADO FEDERAL-WANDO PEREIRA BORGES, EX-SECRETÁRIO EXECUTIVO DO MINISTÉRIO DOS TRANSPORTES PERGUNTAS ABERTAS AO PÚBLICO PROMOÇÃO:CLUBE DE ENGENHARIA / ABIFER


ENTRADA FRANCA --------------------------------------------------------------------------------


Contatos: CLUBE DE ENGENHARIA AV. RIO BRANCO, 124 - CENTRO - RIO DE JANEIRO - RJ 21 2178-9260, 2178-9261(DTE) OU 2178-9250 (EVENTOS) divisoes-tecnicas@clubedeengenharia.org.br eventos@clubedeengenharia.org.br

sábado, 26 de março de 2011

PSI - INFORMA

Ruas em Ipanema serão interditadas para obra no fim de semana

O Globo

RIO - As ruas Visconde de Pirajá, próximo à interseção com a Rua Aníbal de Mendonça, e Joana Angélica, próximo à interseção com a Rua Barão da Torre, em Ipanema, serão parcialmente interditadas ao tráfego no fim de semana, das 9h às 19h, para facilitar obra. A informação é do site da prefeitura.

quarta-feira, 23 de março de 2011

VISTORIA NA ORLA

Vistoria na orla de Ipanema


Prezada Luiza,

Gostaria primeiramente de agradecer a sua disponibilidade em percorrer a orla de Ipanema comigo no sábado de manhã.
Gostaria também de confirmar os itens irregulares que vimos no local:

- distanciamento de barracas variando de 3 a 5 metros em alguns pontos da orla, quando no meu entender o distanciamento minimo permitido pela legislação é de 50 metros.
- barracas com numeração extra ou suplementar, por exemplo: 78 e 78 A .
- barracas com todo o tipo de bandeiras, de todos os tamanhos, formas e cores.
- cadeiras e barracas já montadas na areia esperando pelos clientes
- anúncios de escolas de volei e futebol de praia impedindo a vista livre do mar e da orla.

Os itens acima são recorrentes e devem ser coibidos.
No entanto uma nova irregularidade surgiu e como nunca tinha visto algo assim, acredito que tenha surgido neste verão que está acabando: BARRAQUEIROS USANDO CAMISETAS COM LOGOMARCA DA ASSOCIAÇÃO DE BARRAQUEIROS E DE EMPRESA CERVEJEIRA CHAMAM OS PASSANTES NO CALÇADÃO PARA DESCEREM ATÉ A AREIA E USAREM OS SERVIÇOS DA BARRACA PARA A QUAL O BARRAQUEIRO TRABALHA.
Como você mesma percebeu esta situação ocorre com agressividade entre os barraqueiros concorrentes, intimidando os passantes, muitos deles turistas nacionais e estrangeiros. SOLICITO QUE ESTA SITUAÇÃO SEJA COIBIDA IMEDIATAMENTE PELA SEOP.

Certo de poder contar com o apoio da Secretaria de Ordem Pública (SEOP) para a resolução dos problemas apontados acima, me despeço atenciosamente,

Bruno Pereira
Quadrilátero do Charme de Ipanema

RIO

terça-feira, 22 de março de 2011

PRAIA DE IPANEMA -

Mundial de Futevôlei SulAmérica 4x4 agita as areias de Ipanema

Romário e Renato Gaúcho defenderão as equipes brasileiras.

A praia de Ipanema, no Rio de Janeiro, reunirá, de 31 de março a 2 de abril, os melhores jogadores do mundo de futevôlei para a disputa da primeira edição do Mundial de Futevôlei SulAmérica 4x4. Anfitrião, o Brasil será representado por duas equipes, uma liderada pelo tetracampeão mundial Romário, a outra, pelo craque Renato Portaluppi, o Renato Gaúcho. O país lutará pelo título mundial medindo forças com as seleções da França, Espanha, Portugal, Argentina, Paraguai e Itália. A entrada para os jogos é gratuita. O SporTV transmitirá os jogos ao vivo.

Ajudar na profissionalização do esporte é um dos objetivos principais da organização. Com um formato desenvolvido pensando em entretenimento, com foco no público e nas transmissões da televisão, o Mundial de Futevôlei SulAmérica 4x4 representa uma quebra de paradigmas. "Criamos a modalidade 4x4, com quatro jogadores em cada equipe, diminuímos a altura da rede e trouxemos mais dinamismo para o jogo", diz Renato Adnet, o Dunga, diretor técnico do evento. Alan Adler, diretor da Brasil1, uma das empresas organizadoras do Mundial, completa: "Com certeza isso tornará as partidas mais emocionantes. É um modelo de campeonato para a televisão, com mais plasticidade e com belas jogadas. É a fórmula de um evento que vai surpreender o público".

Criação legitimamente brasileira, o futevôlei é democrático e um dos esportes mais praticados no verão carioca. "O futevôlei soma duas paixões populares: o futebol e a praia. Apostamos no sucesso desta combinação. O estágio atual do futevôlei caracteriza uma oportunidade de altíssima atratividade. Um esporte com uma base de milhares de praticantes em franca expansão, mas ainda na fronteira do desenvolvimento profissional", explica Marcia Casz, diretora da Maxsports.

"É um orgulho para a SulAmérica viabilizar o primeiro Mundial de Futevôlei 4X4 e dar mais visibilidade para esse esporte, que é a cara do verão e do Brasil", afirma o diretor de Marketing da companhia, Zeca Vieira. Com o patrocínio do campeonato, a seguradora reafirma sua preocupação em proporcionar e estimular atividades que beneficiem a saúde e qualidade de vida da população.

O Mundial é apenas o primeiro passo para fortalecer o esporte. A organização pretende também criar um circuito brasileiro da modalidade 4x4.

Além dos craques brasileiros, o público que for à arena de Ipanema poderá rever o futebol de atletas que se destacaram por suas seleções, como o francês Papin, o paraguaio Romerito, ex-craque do Fluminense, e os portugueses Hernani e Madjer, campeões mundiais de Beach Soccer de 2001. O tetracampeão mundial Aldair jogará pela equipe da Itália.

Na fase classificatória, nos dias 31 de março e 1° de abril, as partidas serão disputadas por tempo - 30 minutos. As semifinais e a final, no dia 2 de abril (sábado), serão jogadas em melhor de três sets de 25 pontos cada.

O Mundial de Futevôlei SulAmérica 4x4 tem patrocínio da SulAmérica e da Redecard, com apoio da Gatorade e da HD. A realização é da Brasil1, da MaxSports e da Confederação Brasileira de Futevôlei (CBFv). O evento é chancelado pela Federação Internacional de Futevôlei (FIFv).

História do esporte- Líder do ranking mundial do esporte, o Brasil é o berço do futevôlei, que começou a ser praticado nas praias do Rio na década de 1960 e foi inicialmente batizado "pévolei". Grandes jogadores de futebol profissional, como os tricampeões mundiais Jairzinho e Fontana e o atacante argentino Doval estão entre os primeiros craques a experimentar a nova modalidade.

As primeiras associações e federações estaduais de futevôlei foram criadas na década de 1990. Em 1998, surgiu, em Goiânia, a Confederação Brasileira de Futevôlei (CBFv), que organizou os primeiros campeonatos nacionais oficiais, em que se destacaram jogadores como Renan, Helinho, Dico e Guigui, entre outros.

A partir de 2002, a entidade promove, anualmente, o Circuito Brasileiro masculino principal. O ano de 2002 também marcou a fundação da Federação Internacional de Futevôlei (FIFv). No ano seguinte, foi disputado o primeiro Mundial da modalidade, em Atenas, Grécia, com a participação de 18 duplas de 14 países. Helinho e Magrão trouxeram o primeiro título mundial para o Brasil. Em 2004, o país sediou seu primeiro Mundial, jogado em Brasília, e vencido pela dupla Belo/Marcelinho.

As mulheres começaram a ganhar espaço em 2006, quando a CBFv oficializou o primeiro Campeonato Brasileiro na categoria feminina, em Goiânia. As campeãs foram Marcinha/Lana. No mesmo ano, teve lugar o primeiro campeonato nacional de categorias de base (sub-17), vencido por Cicinho/Wilsinho.

O I Circuito Mundial Masculino de Futevôlei foi jogado em 2007. Dali em diante, os brasileiros vêm mantendo a hegemonia na modalidade.

Perfil-A SulAmérica Seguros e Previdência é um dos maiores conglomerados empresariais brasileiros, com 115 anos de história, atuando nos segmentos de seguros, previdência e investimentos. A seguradora investe constantemente em ações que proporcionem qualidade de vida e bem estar da população. No Rio de Janeiro, a companhia investe na instalação e revitalização de bicicletários e na realização de eventos esportivos. Além disso, também patrocina a Rádio SulAmérica Paradiso, que leva informação, prestação de serviços e boa música aos cariocas todos os dias.

.[Programação: 31/03 (quinta-feira) das 16h às 22h - fase de classificação 01/04 (sexta-feira) das 16h às 22h - fase de classificação 02/04 (sábado) das 16h às 22h - semifinal e final].

CARNAVAL 2011

Sr.Janot.

Agradecemos sua resposta.Igualmente já esperávamos que os organizadores - Prefeitura do Rio, patrocinadores e simpatizantes do "novo" Carnaval seguirão enaltecendo seu sucesso.

Não questionamos a revitalização do carnaval de rua.O que ,racionalmente, argumentamos , é que bairros residenciais não comportam a multidão do " carnaval globalizado ".Estamos falando de segurança e de respeito , não somente para os moradores ,como para os próprios frequentadores dos blocos.

Na ultima reunião do Projeto de Segurança de Ipanema ficou clara a impotência e frustração da Policia Militar , em lidar com o adenssamento descontrolado de pessoas.

Recentemente chegaram a um consenso que somente as Forças Armadas e toda sua infra-estrutura têm condições de conter a população de Angra dos Reais, em caso de acidente nas Usinas Nucleares.Estamos falando na contenção , no ordenamento, de um grupo de 3.000/5.000 pessoas, que seria o publico mais afetado.

Em passado mais recente, na guerra ao tráfico, foi necessário recorrer às mesmas forças militares.Só assim obtiveram sucesso.

Como os blocos , neste carnaval que passou, teve características "migratórias" , com seus seguidores se movimentando de um local para outro, graças às comunicações promovidas pelas redes sociais, como apostar que o circuito Ipanema - Leblon - Gávea , poderá ser contido , em caso de uma provável tragédia ?

Na matéria do jornal - "O GLOBO" , hoje 21/03, a própria Presidente da liga dos blocos indaga "como dizer quem pode ou não desfilar aqui ou ali ?"
Respondemos com outra pergunta : E se vierem dois milhões de pessoas - ou mais ?

Afinal, o comentário corrente entre os moradores é que o carnaval se transformou em uma grande industria e que os foliões estão sendo usados como meros figurantes neste grande espetáculo, mostrado - sem as mazelas - para o Brasil e o mundo.

Felizmente não "jogaram pó de mico" nos nossos olhos.

Cordialmente,
M.da Graça C.Fabor
Associação de Moradores Recanto de Ipanema

segunda-feira, 21 de março de 2011

ARPOADOR




BELEZA CELESTIAL
Super-Lua encanta leitores de todo o país

O Globo, com a colaboração de leitores
RIO - Neste sábado (19), a lua ficou mais próxima da Terra por causa de um fenômeno chamado perigeu lunar, conhecido como Super-Lua. Leitores de todas as partes do país se encantaram com o evento e mandaram fotos e relatos para o Eu-Repórter , a seção de jornalismo participativo do GLOBO. A imagem ao lado foi feita por André Tenenbaum, que clicou o fenômeno de vários ângulos no Arpoador.

Sandro Carvalho também foi um dos que se surpreendeu ao ver a Super-Lua e não perdeu a oportunidade de documentar o acontecimento.

"Foto da Super-Lua. Fenômeno que acontece quando a lua fica mais próxima da Terra do que o normal, podendo parecer até 15% maior e 30% mais brilhante", opina Carvalho.


O evento foi assunto em vários Estados do Brasil, que também mandaram seu relatos, como no caso de Salomão Batista, que curtia uma praia próxima à Natal, no Rio Grande do Norte, quando clicou o fenômeno.

A Super-Lua pode acontecer até seis vezes por ano, mas uma aproximação tão grande quanto a deste sábado não era registrada desde março de 1993, quando a distância da Lua à Terra foi de 356.528 quilômetros. Até a Nasa divulgou uma imagem do evento observado nas proximidades do Lincoln Memorial , em Washington.

PODA NA HORA DE PICO





O Globo, com a colaboração dos leitores Bruno Devoto e Maria Candida dos Passos Velloso


RIO - Muito utilizada por quem usa a orla para chegar ao Centro do Rio, a Rua Francisco Otaviano, no Arpoador, Zona Sul do Rio, provocou dor de cabeça nos motoristas que passaram pela via na semana passada. Isso porque a poda das árvores da rua foi feita justamente na hora do rush matinal.


"É a terceira vez na semana que a Prefeitura fecha uma das pistas da Rua Francisco Otaviano, na hora de pico (8h da manhã), para a poda das árvores. Isso vem causando grande congestionamento para quem vai para o Centro e deveria ser feito em outro horário ou no fim de semana" sugere o leitor Bruno Devoto em seu relato enviado ao Eu-repórter , a seção de jornalismo participativo do GLOBO.

A leitora Maria Candida dos Passos Velloso também testemunhou a restrição à passagem de motoristas na Francisco Otaviano por causa da poda. Ela conta ter visto a tarefa sendo realizada às 8h50 de segunda-feira (14), "prejudicando enormemente a circulação e anulando todo o esforço de melhorar o escoamento neste horário crítico".

Segundo a Gerência de Serviços em Áreas Verdes da Comlurb, a situação relatada não procede, uma vez que a Comlurb só pode colocar seus caminhões para a poda na Rua Francisco Otaviano a partir das 10h, quando termina o horário da faixa reversível.

domingo, 20 de março de 2011

CARNAVAL 2011



Prezada Sra. Maria Ignez Barretto,

Agradeço a sua mensagem e o envio das imagens sobre o carnaval em Ipanema. Se me permite, gostaria de lhe assegurar que, ao escrever o artigo, jamais imaginei receber apenas mensagens de apoio. Eu sabia que iria receber, também, críticas desfavoráveis ao meu artigo. A forma enfática como me expressei, por mais que lhe tenha desagradado, teve a intenção de despertar nas pessoas a reflexão sobre um evento irreversível e relevante para a cidade do Rio de Janeiro. Abrir democraticamente esse debate é uma forma de reagir ao pensamento único na gestão da cidade, e construir uma urbanidade solidária através de um convívio social não excludente. Acredito que somente assim será possível obtermos uma cidadania mais justa e mais humana.

Atenciosamente
Luiz Fernando Janot

CARNAVAL 2011

Prezado Sr. Luis Fernando Janot

Foi lamentável o teor do seu artigo publicado no jornal O Globo de sábado 19/03.

O Sr. induz seu leitor ao erro quando apresenta uma o carnaval de 2011 sob uma ótica que em absoluto corresponde á realidade dos fatos, pelo menos os ocorridos em Ipanema.

O Projeto de Segurança de Ipanema, movimento voluntário e apartidário de moradores ( conta com mais de 600 seguidores) e que foca na segurança de seu bairro, entendendo que segurança não se restringe à repressão vem protestar veementemente contra a manipulação de fatos que ocorreram exatamente de modo contrário ao que foi publicado.

Nossos voluntários trabalharam muito duro no pré, durante e pós-carnaval produzindo um trabalho muito rico de imagens e testemunhos contra os quais não há argumentos. Os links seguem abaixo para que o Sr. possa se inteirar de toda a extensão da destruição e vandalismo dos quais o bairro foi vítima.

WWW.psipanema.blogspot.com

Twitter:@psi_seguipanema

Facebook : psi Ipanema

HTTP://www.flickr.com/photos/psi ipanema/

Ficamos especialmente chocados com a maneira irônica com a qual o Sr. se refere aos moradores colocando em nossa conta sentimentos em relação à população que vem ao bairro para a festa e que só existem sob uma ótica populista e demagógica, que esperamos não seja a sua.

Ficamos surpresos, também, com o fato do Sr. propor que os moradores simplesmente passem por cima de nossa Constituição abrindo mão de direitos que nos são garantidos por ela como o de ir e vir , o da defesa do nosso patrimônio público e privado, da nossa paz tranqüilidade e ambiência. De Direitos, ninguém pode abrir mão. Eles são preciosos demais e a base de toda sociedade democrática.

O fato é que Ipanema foi tomada por uma multidão alcoolizada muito maior que a capacidade do bairro.

Já tentamos junto ao Ministério Público um TAC com a Riotur de modo a organizar melhor a festa com sugestões tais como:

-proibir a venda de bebida alcoólica pelos ambulantes. Esta venda é ilegal uma vez que bebida e produto de venda controlada e proibido para menores de 18 anos.

- transferir para outro local, talvez o Centro o desfile dos blocos.

Desta forma evitaríamos as situações, já amplamente divulgadas pelas diversas mídias, como depredação dos canteiros de restauração da vegetação original da restinga da orla, destruição de vidros de proteção dos prédios no roteiro dos desfiles, vandalismo no metrô, ação de gangues de delinqüentes, crianças e adolescentes bêbados e caídos em nossas ruas, crianças trabalhando na venda de bebidas alcoólicas, aumento de assaltos à mão armada em estabelecimentos comerciais, sujeira, mau cheiro, barulho, caos no trânsito etc.

Sabemos que o Sr, é um profissional renomado, mas acho que caiu em um equívoco lamentável quando passa ao seu leitor a descrição de uma realidade rósea e “chapa-branca” que não corresponde de modo algum aos fatos ocorridos.

Atenciosamente,

Maria Ignez Barretto - coordenadora do Projeto de Segurança de Ipanema

POLÊMICA DO CARNAVAL - Rachel Sheherazade - Esperando a quarta-feira de ...

CARNAVAL 2011

Sr.Janot,

O texto de sua autoria, publicado no jornal "O GLOBO", em 17/03, traz interpretações equivocadas e injustas.

Atividades profissionais encerradas, filha criada e bem encaminhada, marido devidamente convencido de minha mais nova "missão" , chegou o momento de, como representante de uma associação de moradores de Ipanema, participar de um projeto mais atuante em defesa dos direitos dos aqui residentes, seja o de viver em um local mais agradável , mais bem cuidado e , sobretudo, de paz.A mesma paz que estão insistindo em nos tirar.

"Não se pode desprezar a experiência vivida nesse carnaval" - diz o destaque.Realmente , o assunto "Carnaval-2011" estará na pauta de nossas reuniões o ano inteiro , tão traumático foi
para seus moradores.

A nossa indignação não é daqueles que "não suportam a alegria das multidões e que não admitem abrir mão de seus privilégios".O que para o senhor ( e os que concordam com sua colocação) é "um privilégio" para nós, ´"é um direito". A nossa indignação é contra aqueles que querem subverter a ordem das coisas , de pessoas que insistem em nos impor que o "certo é o errado".A série de ilegalidades, que tomamos conhecimento ,diariamente, é bem uma prova disso.

O valor alto , pago de IPTU não nos confere o direito de nos julgarem donos dos logradouros publicos, segundo sua argumentação, a mesma utilizada pelos baderneiros que infernizam o bairro no carnaval ( os ipanemenses que prestigiam os blocos são poucos, a maioria vem de outros locais , inclusive de outros municipios do estado do Rio e turistas de outros estados e países que não fazem em seus locais de origem o que fazem aqui ) , os mesmos que provocam tumultos pós-carnaval ( gangues da Barra da Tijuca e Laranjeiras, em exemplo recente ) e "arrastões " nas praias , todo o verão ( igualmente promovidos por deliquentes oriundos de outros bairros , como divulgado na imprensa ).Assim, se já não temos o retorno devido , com os recursos do pagamento do IPTU - e as nossas calçadas, a sujeira de nossas ruas , o mobiliário publico maltratado , somente nos resta clamar que , como diz na canção popular - " que o ambiente exige respeito ".E para aqueles que adoram rotular os moradores da Zona Sul de "elite" , lembro que na seção de cartas do jornal muitos moradores da Penha também reclamaram dos excessos no Largo do Bicão.

O direito de ir e vir está na Constituição.Querem contrariá-la a todo momento.Não é só "deixar o carro na garagem por um ou dois dias ".O carnaval aqui começa um mês antes , acaba uma
semana depois.O material publicitário, disponibilizado pelos organizadores - Prefeitura e patrocinadores, detalhando dia e hora dos blocos e bandas reforçam meu argumento.Viramos reféns.Não podemos sair nem receber visitas.Os táxis evitam circular.

O autor diz em um trecho , em tom desafiador e ignorante ( dos que ignoram a verdade ) que "não se iludam , os seus filhos gostam ".Posso lhe afirmar que a minha filha, advogada e mestre em Direito Civil já gostou muito - no passado.A partir deste ano, com esse modelo,não gosta mais não.

A Guarda Municipal e a Policia Militar por mais bem intencionadas e treinadas não estão preparadas para lidar com uma multidão de centenas de milhares de pessoas , em um bairro espremido entre o mar e a lagoa.O senhor, como arquiteto e urbanista deveria ter o bom senso de refletir sobre essa questão e concordar com essa realidade.

Com certeza foi um "verdadeiro show de congraçamento e alegria coletiva sem cobrar nada por isso".Só esqueceu de completar que foi às custas daqueles que tiveram o seu patrimônio destruído , os seus dias, diuturnamente, prejudicados , as suas ruas imundas e mal-cheirosas.

Chegou a "hora de essa gente bronzeada mostrar o seu valor".Faremos valer nossos direitos.A propósito, o poder público não vem dando o apoio necessário aos blocos, como o senhor disse, não.Prova disso é que a Justiça multou o município em R$ 30 mil por dia,pelo descumprimento de decisão judicial, que determinava que a Riotur apresentasse documentação dos blocos programados para desfilar em Ipanema.

Os residentes do bairro , sejam os que aqui nasceram e viveram toda a vida e os mais recentes, vindos de outros rincões, convidam o Sr.Janot e todos aqueles que rebatem nossas críticas para, em um "tour" guiado pelo bairro , conhecer os buracos das nossas ruas ( os ortopedistas estão faturando mais ) , a escuridão de alguns trechos de nossas ruas ( os assaltantes agradecem ), o dormitório a céu aberto em que se transforma Ipanema , à noite ( alô projeto Olimpíadas e Copa do Mundo, tem alguém aí ?) , a sujeira constante, o mijódromo de fato, o ano inteiro, na esquina da Vieira Souto com a Farme, as praias loteadas e maltratadas , a tal choque de ordem descumprida a todo momento.

Apresentam filmes publicitários lindos, mostrando um Rio " abençoado por Deus e bonito por natureza",batem no peito sobre as conquistas e o desenvolvimento econômico do país , que está em destaque.A realidade, no cotidiano das pessoas ,não é bem assim não.

Um povo somente é bem desenvolvido quando é bem-educado , ciente de sua cidadania, de seus direitos e deveres.

Em 1970 , portanto na época do regime militar , tive um texto publicado no extinto "Diário de Notícias " intitulado "Noventa Milhões de Esperanças" (assim mesmo no plural).Hoje , Esperançosos ou não , exigimos RESPEITO, essa condição atemporal tão vilipendiada nos dias atuais.

Cordialmente,
Maria da Graça Cunha Fabor
AMORI/Associação de Moradores Recanto de Ipanema
grace.fabor@gmail.com

ARPOADOR






Ciclone se afasta do litoral, mas deixa imagens impressionantes das ondas na orla da Zona Sul

O Globo, com a colaboração dos leitores Roberta Ribeiro, Alberto Mathias Rocha, George Ellis, Léo Conrado e José Rodrigo Octávio

RIO - A passagem de um ciclone extratropical no litoral brasileiro provocou ondas de até três metros nas praias das zonas Sul e Oeste do Rio nesta quarta-feira (16). Em locais como o Arpoador, a faixa de areia foi tomada pelo mar, como mostram as fotos dos leitores enviadas ao Eu-repórter, a seção de jornalismo participativo do GLOBO.
Segundo o Serviço Meteorológico da Marinha, o ciclone, que recebeu o nome tupi de Arani, provocou ventos de até 120 km/h, mas perde força e se afasta do litoral. O aviso de alerta nos mares foi suspenso.

As ondas altas destruíram pedras e parte da calçada na Prainha, na Zona Oeste. "Aos poucos, o mar vai avançando. Há tempos, um quiosque foi deslocado para a calçada oposta e outros dois já foram removidos por não terem condições de operar nestas circustâncias. Se algo não for feito para recuperar o local e criar barreiras contra os efeitos das ressacas, esta foto pode ser um dos últimos registros", observou o leitor Alberto Rocha.


Na Barra da Tijuca, a maré não chegou a atingir o calçadão, mas tomou metade da areia. De acordo com a internauta Roberta Ribeiro, era possível observar uma extensa camada de sujeira em meio às ondas.

No calçadão de Ipanema, diversas tampas plásticas, copos e outras embalagens foram expulsas pelo mar e chamaram a atenção do leitor George Ellis.

De acordo com a previsão da Marinha, as temperaturas devem aumentar nos próximos dias, com máxima de 30º e mínima de 21ºC. A altura das ondas deve baixar para 1,5 metro. No domingo (20), uma frente fria, vinda do Sul do país, pode provocar chuvas à tarde.

JARDIM DE ALAH

Campanha Adoção no Jardim de Alah

Dia 20 de março à partir das 12 hs.
Local: Jardim de Alah (Praça do meio - estátua PROTEÇÇÃO - Cão Protetor)

...Iniciativa:
Grupo Amigos do Jardin de Alah, com o apoio da prefeitura.
Conselho Comunitário de Segurança Pública (Leblon)
Associação de Prédios do Leblon
Grupo Moradores do Leblon

TRÂNSITO

Trânsito
Obra em Ipanema fica com interdição de faixa em trechos de oito vias

Neste sábado e domingo, dias 19 e 20, das 8h às 20h, para facilitar obra em Ipanema, uma faixa de trânsito em oito vias será interditada: Avenida Epitácio Pessoa, na interseção com a Rua Visconde de Pirajá, trecho próximo ao número 226 desta via: Avenida Henrique Dumont, próximo ao número 81.

O trecho interditado corresponde sempre às proximidades do número indicado na Rua Visconde de Pirajá, na interseção com as oito vias.

No mesmo horário, mas nos dias 26 e 27, a interdição será na Rua Aníbal de Mendonça, na interseção com a Rua Visconde de Pirajá, próximo ao número 539 desta via; Rua Garcia D’Ávila, próximo ao número 475; Rua Joana Angélica, próximo ao número 325; Rua Farme de Amoedo, próximo ao número 181; e Rua Paul Redfern, próximo ao número 627.

Em portaria do dia 14, a Coordenadoria de Regulamentação e Infrações Viárias atendeu à solicitação da empresa responsável pelo trabalho.

sábado, 19 de março de 2011

CARNAVAL 2011






Assunto: artigo carnaval


Peço a todos que leiam com atenção ao artigo publicado hoje na página 7 do jornal O Globo – “ Dando a Volta por Cima”

Neste artigo o autor simplesmente ignora alguns fatos que, ao meu ver, são muito relevantes:



1) – o direito constitucional da população a ter garantidos seu ir e vir, assim como o da sua tranqüilidade, preservação do patrimônio público e privado e de sua ambiência. Não se trata de apenas uma questão de direito de sair de carro como está descrito. O autor está propondo que simplesmente se passe por cima da nossa Constituição!!! A liminar que o PSI conseguiu é bem clara neste sentido.

2) O autor ignora igualmente todos os atos de vandalismo sofridos pelos moradores e empresários tais como:

a) - destruição dos canteiros de preservação da vegetação original das dunas na orla.

b) Destruição dos canteiros dos prédios.

c) Quebra dos vidros de proteção de prédios na orla.

d) Quebra-quebra dentro do metrô com pessoas alcoolizadas que chutaram as janelas e portas dos trens, se jogaram nos trilhos etc. o que ocasionou a ação da PM, fechando a estação e obrigada a impedir o acesso das pessoas.

e) Ação de gangues de jovens alcoolizados que fez com que a livraria Travessa tivesse de fechar as suas portas.

f) Aumento no número de assaltos á mão armada a restaurantes e outros estabelecimentos do bairro.

g) Imenso número de crianças e adolescentes bêbados e caídos por nossas ruas, alguns até vendendo bebida alcoólica.



3) o fato é que a Prefeitura, patrocinadores e associações de organizadores dos blocos acham que é natural que ambulantes vendam bebida alcoólica, mais uma vez passando por cima da lei, que diz que bebida é produto de venda controlada e proibido para menores de 18 anos.

Ambulantes só poderiam ser autorizados a vender água, refrigerantes, mate, sucos etc.

O resultado é uma multidão bêbada o que é uma combinação que não pode dar certo. E que se torna incontrolável.

Os moradores, como sempre, não foram ouvidos.

O autor apresenta uma realidade totalmente distorcida e que absolutamente não aconteceu em Ipanema.



Precisamos, TODOS de nos fazer ouvir.

Temos de mandar cartas para : cartas@oglobo.com.br ou para o twitter – Siga WWW.twitter.com/oglobo__rio. protestando em massa o teor deste artigo, se não quisermos que em 2012 o carnaval seja ainda pior do que o deste ano.



Ignez

METRÔ

Estudantes fazem manifestação contra aumento da tarifa do metrô na zona sul

Alunos se organizaram pelo facebook


...A Assembléia Nacional de Estudantes Livres realizava uma manifestação contra o aumento da tarifa do metrô, por volta das 17h deste sábado (19), na estação General Osório, em Ipanema, zona sul do Rio de Janeiro. Os alunos se organizaram pelo facebook.

A partir do dia 2 de abril, o bilhete unitário do metrô vai custar R$ 3,10. O reajuste foi aprovado pelo Conselho Diretor da Agetransp (Agência Reguladora de Serviços Públicos Concedidos de Transportes Aquaviários, Ferroviários, Metroviários e de Rodovias do Estado do Rio de Janeiro).

Em nota, a Agetransp explicou que o reajuste foi determinado pelo IGPM (Índice Geral de Preços do Mercado) acumulado no período de janeiro de 2010 a janeiro de 2011 que foi de 11,5%. O reajuste anual tarifário está previsto em contrato de concessão. A data base do reajuste do metrô é 1º de fevereiro.

Ainda de acordo com a agência, a tarifa do metrô teria sido congelada em 2010, período em que se cobrou o mesmo valor de 2009: R$ 2,80.

EMAIL RECEBIDO

Observei todas as opiniões sobre a degradação do nosso bairro e tenho lutado juntamente com o PSI para sua melhoria. Entretanto, noto que grande parte das pessoas que se dirigem ao bairro, aqui chegando, parece que são tomadas por uma "insanidade psicológica" e acreditam que aqui pode-se fazer de tudo!!!
Necessitamos envidar campanha para modificação deste fato. Devemos tomar por base que tudo começou nos anos 60 com o mote - TERRITÓRIO LIVRE DE IPANEMA... -
J.G.

CALÇAMENTO DA PREFEITURA





..Enviado por leitora Maria Victória W. M. Monteiro Costa -

.EU-REPÓRTER

Esgoto alaga parte da Praça General Osório


Uma água imunda vasa de dentro da Praça General Osório até o meio da Avenida Visconde de Pirajá, em Ipanema, deixando a calçada intransitável. Os pedestres acabam tendo que passar por cima de enormes poças.


sexta-feira, 18 de março de 2011

CANTAGALO

Prezados -

Segue abaixo o link com as imagens da área que foi revitalizada no Cantagalo através do sistema de parcerias entre o Programa de Segurança de Ipanema (PSI), o Programa de Saúde da Família (PSF) - Clínica da Familia do Cantagalo, Pavão-Pavãozinho, a Associação de Moradores do Cantagalo, a Comlurb e a Entrelaces.
O PSI tem orgulho desta parceria.
Um grande abraço,
Monica e Ignez


http://entrelaces.webs.com/resultados.htm

quinta-feira, 17 de março de 2011

CRIME CONTRA O CONSUMIDOR

Crime contra consumidor

Policiais encontram várias mercadorias vencidas no Bar 20, em Ipanema

O Globo

RIO - Policiais civis da Delegacia do Consumidor (Decon) encontraram várias mercadorias com prazo de validade vencido no tradicional Bar 20, em Ipanema. O bar, cujo nome faz referência à antiga Rua Vinte de Novembro, fica na Rua Henrique Dumont 85.

Segundo os agentes, o responsável pelo estabelecimento comercial será detido e encaminhado à especializada, onde responderá por crime contra as relações de consumo.

O GLOBO tentou entrar em contato com os responsáveis pelo Bar 20, mas ainda não obteve retorno.

Na terça-feira, policiais da Decon apresentaram o material apreendido na operação "Pratos Limpos", deflagrada em virtude do Dia Mundial do Consumidor e que resultou em autuações para seis estabelecimentos comerciais. No restaurante La Mole, no 1º piso do Shopping Rio Sul, em Botafogo, foram apreendidas duas peças de picanha com prazo de validade vencido. Os agentes ainda recolheram mercadorias sem data de vencimento ou com prazo de validade vencido nos restaurantes Spoleto e Viena, também naquele shopping. Os restaurantes Tower Grill e Emporium Pax também foram autuados.


RUA REDENTOR






Enviado por Patricia de Paula

- Decoração feita em casa


O prédio de quatro andares e grandes janelas de vidro na Rua Redentor, em Ipanema, lembra até uma galeria de arte. Porque é exatamente assim que o seu proprietário, João Caetano, trata as peças lá expostas. Claro que há todo um cuidado para que sofás, mesas, bancos e cadeiras ganhem um destaque no ambiente. Mas, para o empresário, o que alça tais peças ao status de obras de arte é a assinatura de artistas brasileiríssimos.

Nomes como Sérgio Bernardes, Carlos Motta, Aristeu Pires, Flávio Borsato e Maurício Lamosa, entre outros, que antes eram conhecidos apenas por arquitetos e gente especializada, agora caíram nas graças do consumidor final. E foi para atender esse público que nasceu o Arquivo Contemporâneo, que tem 100% de seu acervo formado por peças de artistas nossos. Caetano percebeu que o interesse pelo produto nacional aumentou de 2001 para cá, quando despontaram novos talentos do design.

— Foi quando abrimos nossa primeira loja, no Recreio. Mas 90% dos nossos clientes são da Zona Sul e cobravam muito a instalação de uma loja aqui, porque o deslocamento é grande — conta o empresário, que faz questão de escolher cada uma das peças que serão vendidas. — Já fui até Chapecó, divisa de Santa Catarina com Rio Grande do Sul, em busca de uma boa peça. O Brasil tem grandes talentos.



No showroom de Hetty Goldberg, 50% de seu acervo são de criações brasileiras. Mas nem sempre foi assim. Aberto há 11 anos, com a proposta de oferecer móveis clássicos do design internacional, somente há três começou a investir em nomes nacionais.

— Visitando feiras especializadas descobri uma nova geração de designers brasileiros incríveis e passei a garimpar peças nos ateliês — lembra Hetty, que descobriu que pode ter o design clássico internacional, como Eero Saarinen, Arne Jacobsen, Mies Van der Rohe e Marcel Breuer, dividindo o mesmo ambiente com nomes como Leonardo Lattavo e Pedro Moog, da Latoog Design.

ATA 14/02/2011

Atividade sem conotação política que tem como objetivo proporcionar desenvolvimento social para o bairro, a partir de participação voluntária de seus moradores.

ATA DA REUNIÃO

LOCAL DE REALIZAÇÃO: COLÉGIO NOTRE DAME

R. Barão da Torre, 308 – Ipanema

Dia: 14/03/2011

HORÁRIO: 18H

COORDENAÇÃO: IGNEZ BARRETO

NÚMERO DE PARTICIPANTES: 10


REPRESENTANTES DO PODER PÚBLICO:

Ø Oficial do 23º Batalhão da PM - 1a Tenente Margarete

Ø Luiza Salatino - Assessora do Subsecretário de Integração e Controle Urbano, Sr. Alex Costa (SEOP).

Ø Antônio (Toni) - Assessor do Vereador Carlo Caiado.


TÓPICOS ABORDADOS :


1- CARNAVAL E BLOCOS:

Necessidade de maior rigor por parte da Prefeitura no controle do número de blocos liberados para 2012, assim como a limitação no número de ambulantes, que por lei, não poderiam estar vendendo bebida alcóolica nas ruas.

Será feito o contato com o representante responsável pelo departamento de Marketing da AMBEV para que haja um diálogo entre as Associações de Moradores da Zona Sul (Leblon, Gávea, Botafogo, dentre outras) e o patrocinador oficial do carnaval do Rio de Janeiro.

Bruno entrará em contato com a Associação de Moradores do Leblon e da Dias Ferreira.

Sugestão da Ana Luisa para que outras Associações sejam também convidadas para o encontro.

A 1a Tenente Margarete, representante do 23ºBPM deu seu relato sobre a péssima experiência vivida durante os 4 dias de carnaval de rua, assim como o alto grau de desordem e depreciação do espaço público. Foi recebido também um grande número de reclamações sobre o número insuficiente de banheiros químicos disponíveis durante o carnaval.

O comandante da 23ºBP está preparando um relatório minucioso sobre tudo o que foi observado nas ruas durante o carnaval, de forma que haja um maior controle da ordem pública para os próximos anos.


2 - POLO GASTRONÔMICO JANGADEIROS - Sr. Demetrius:

Devido às reclamações apresentadas contra o polo no último encontro do PSI, o Sr. Demetrius, presidente do Polo Gastronômico Jangadeiros, veio à presente reunião informar que já foram providenciadas as novas capas plásticas, substituindo as que já se encontravam bastante deterioradas.

O polo gastronômico se responsabilizou também pela limpeza e manutenção dos canteiros de plantas que não são renovados desde 2006, a restauração da pintura dos tijolinhos vermelhos que compõem a calçada do polo, e a renovação e manutenção do sistema de iluminação, que apesar de se encontrar sob a responsabilidade da Rioluz, o polo irá assumir após inúmeras tentativas de contato com o orgão responsável.

3- JARDINEIROS DE IPANEMA

Inauguração do Projeto Canteiros do Rio, dia 17/3 às 18:30hrs no Hotel Ipanema Plaza, através da parceria entre a Prefeitura do Rio, o PSI e o Quadrilátero do Charme de Ipanema com o objetivo de recuperar e manter as nossas calçadas e canteiros.

Para entender e contextualizar os blocos de rua em Ipanema, veja fotos finais aqui >

PSI no Flickr (fotos): http://www.flickr.com/photos/psi_ipanema/

Querendo saber mais, os outros links são:

PSI no Twitter : @psi_seguipanema
PSI no blog: http://psipanema.blogspot.com/
PSI no Facebook http://www.facebook.com/home.php#!/profile.php?id=100001396580012

DISQUE DENÚNCIA 22531177

14a.DP DEDIC 23322866/23322880--


Ø PRÓXIMA REUNIÃO: 28/03/2011

Rio de Janeiro, 15/03/2011



ATA ELABORADA POR MONICA GARCIA

BAFAFÁ LITERALMENTE !

Gangues de jovens levam pânico a Ipanema após desfile do Bafafá

Gustavo Goulart

RIO - Moradores e lojistas da Rua Visconde de Pirajá, na altura da esquina com a Rua Aníbal de Mendonça, em Ipanema, assistiram a cenas típicas do filme "Gangues de Nova York", do diretor Martin Scorcese, na noite de sábado passado, após o desfile do bloco Bafafá. Uma gangue formada por jovens moradores da Barra da Tijuca encurralou um pequeno grupo de moradores do bairro de Laranjeiras para se vingar de uma confusão ocorrida em outro local durante o carnaval. Como informou ontem Joaquim Ferreira dos Santos na coluna Gente Boa, no GLOBO, houve pânico e muito tumulto quando os jovens de Laranjeiras, em desvantagem numérica, buscaram refúgio na Livraria da Travessa, no número 572 da Visconde de Pirajá.

Gerente fechou as portas por uma hora
A gerente da loja precisou fechar as portas por cerca de uma hora para evitar a invasão pelo grupo da Barra, com cerca de 50 jovens entre 14 e 17 anos, bastante alterados. O florista Kleber Ferreira, de 27 anos, que trabalha num quiosque naquela esquina, contou que muitos rapazes seguravam garrafas de vodca, entre outras bebidas alcóolicas, e energéticos.

- Fiquei impressionado porque eram muito jovens, meninos mesmo. Os da Barra gritavam "Beira da praia/isso é o que dói/ na Zona Sul só tem playboy" e incitavam uns aos outros a "pegarem" os de Laranjeiras. Entraram no quiosque do outro lado da rua e fizeram arruaça na frente da Livraria da Travessa. Os seguranças tiveram muito trabalho. Só achei que a Polícia Militar demorou muito a chegar. De 20 a 30 minutos - disse o florista.

Procurado pelo GLOBO, o comandante do 23º BPM, o coronel Roberto Garcia, não quis fazer comentários.

Os dois grupos se encontraram durante o desfile do bloco Bafafá, na Avenida Vieira Souto. De acordo com o jornaleiro Ricardo Neto, de 30 anos, os grupos vieram pela Praça Nossa Senhora da Paz, provocando muita correria e medo.

- Clientes contaram que as gangues vêm aprontando nas ruas. Foi a primeira vez que vi isso.

RIOTUR MULTADA !

Riotur é multada por falta de documentos de blocos

O Globo
RIO - O carnaval de rua do Rio, que este ano bateu recordes, virou briga de Justiça mesmo antes de a folia ter começado. O juiz João Felipe Nunes Ferreira Mourão, da 4ª Vara de Fazenda Pública, multou o município em R$ 30 mil por dia pelo descumprimento da decisão judicial, que determinava que a Riotur apresentasse documentação dos blocos programados para desfilar em Ipanema. A decisão do juiz foi tomada no dia 4 de março, depois que a promotora Ana Paula Petra, da Promotoria de Tutela Coletiva de Defesa do Meio Ambiente, apresentou uma petição avisando ao juiz que a prefeitura não cumprira os prazos exigidos no processo. A Riotur informou que não vai se pronunciar porque ainda não foi comunicada da decisão.

A ação foi movida pelo Ministério Público depois de reclamação de moradores de Ipanema, representados pela ONG Projeto de Segurança de Ipanema, sobre a desordem causada pelos blocos.

Promotora citou morte de jovem em trio elétrico

Na petição, também expedida no dia 4 de março, a promotora comunica ao juiz que a Riotur não apresentou ao MP, entre outros dados, a estimativa de público para os dias de desfiles, a estrutura para concretização do evento, o aparato de ambulâncias, médicos e paramédicos, fiscais da Secretaria de Ordem Pública, agentes da Comlurb e da CET-Rio. Outro item exigido pelo MP era liberação dos eventos pela Polícia Militar e pelo Corpo de Bombeiros.

A promotora cita ainda alguns fatos que ocorreram antes do carnaval, como a depredação do patrimônio público, desordem e falta de segurança. Ana Paula Petra inclui na lista o acidente com a jovem de 21 anos que morreu durante o desfile de um bloco na Praia de Copacabana, no dia 20 de fevereiro.

A coordenadora do Projeto de Segurança de Ipanema, Ignez Barreto, disse que a entidade luta desde 2009 para evitar os transtornos ocorridos no carnaval. Para ela, a redução do número de blocos no bairro deve ser drástica:

— Sugerimos um termo de ajustamento de conduta (TAC), mas os moradores do bairro não foram ouvidos.

quarta-feira, 16 de março de 2011

MAURO VENTURA

Enviado por Mauro Ventura -

De um bloco a outro

Frase de Fábio Gondim, do Simpatia é Quase Amor, um dos blocos mais tradicionais do Rio:

— Com todo o respeito à cantora, por que a Preta Gil precisa desfilar em Ipanema? Só por que o lugar é bonito?

terça-feira, 15 de março de 2011

FRALDÃO NELES !

Fraldão neles!
uma alternativa é estimular fantasias de bebê
Reproduzo aqui artigo assinado por mim, Lu Lacerda, sobre os mijões cariocas, publicado no jornal O Globo, desta terça-feira (15/03):

O secretário especial da Ordem Pública, Alex Costa, fez muito bem em sugerir multa para quem for flagrado fazendo xixi na rua (O Globo de 10/03). Tem que prender os mijões no ato, só liberando depois que pagarem uma fiança, por exemplo, uma taxa de R$ 50 (há quem defenda meio salário-mínimo). A verdade é esta: quando se mexe no bolso, a coisa muda de figura. Quem faz isso é daquele conhecido perfil “esperto” – os que sempre querem se dar bem, nem que para isso alguém tenha que se dar mal, ou seja, ignoram o que é respeito pelo outro, o que é civilidade.

Tem-se a impressão de que mijar na rua virou uma diversão: “Pode parecer brincadeira, mas abrir a janela e sentir essa fedentina tão forte e nada desejável é revoltante. Afinal, o carnaval não é pra ser uma celebração de alegria?”, dizia uma moradora da Praça Santos Dumont, na Gávea, verdadeiro “desaguadouro” de blocos.

O problema é sério, muito sério! E deve ser resolvido pela Prefeitura, que há de encontrar uma solução para o problema, já que estimula gente de mais para seguir os blocos, segundo a coordenadora do Projeto de Segurança de Ipanema, Ignez Barreto. (“Nenhuma cidade está preparada pra isso”). Depois dos desfiles, fica impossível respirar nas ruas por onde os blocos passaram, até para os moradores de andares mais baixos. E não venha dizer que é pela época festiva. De jeito nenhum! Esse péssimo hábito é antigo, acontece o ano inteiro, seja antes, seja durante, seja depois do carnaval, sendo que se agrava nesta época.

Puni-los e puni-las pelo lado financeiro pode ser a melhor maneira -sim, porque há tembém mulheres, embora em menor número. O urologista Luiz Carlos Miranda lembra que o comportamento da bexiga é igual em homens e mulheres – “o que talvez interfira é o número de cervejas consumidas”. Seria interessante também que as marcas famosas – tão competitivas e preocupadas em vender – participassem, junto com a Prefeitura, da solução do problema. Por exemplo, patrocinando a instalação de mais banheiros para os foliões-mijões. Até porque, como diz o otorrino Jair de Castro: “Todo cheiro desagradável, que emite substâncias químicas e, portanto, tem impurezas, pode levar a irritação das mucosas, para quem fica inalando aquele odor. E pode até desencadear um processo inflamatório ou uma rinite”. Uma alternativa, até mais prática, é estimular fantasias de bebê: fraldão para todos!

EU REPÓRTER





por leitor Fernando Cesar de Carvalho Alves -

EU-REPÓRTER

Mendigos acampam sob marquise em Ipanema

A esquina das ruas Antonio Parreiras e Jangaderos, em Ipanema, virou residência oficial de mendigos.
Desde a semana anterior ao carnaval, dois casais e mais quatro homens acamparam sob a marquise do prédio sede da OI e utilizam o local como sua própria casa. Ali cozinham durante a madrugada (acendem um fogo entre dois tijolos e fazem a comida numa calota de carros), urinam e defecam, e ainda têm um cão de guarda para velar seu sono. Já liguei para a polícia, a Guarda Municipal e ninguém fez nada até agora.

BLOCOS NA RUA

Associação Folia Carioca defende a manutenção de blocos identificados com bairros na Zona Sul
O Globo Tamanho do texto A A A RIO - A Associação Carioca de Blocos e Bandas, Folia Carioca, divulgou uma nota em resposta à decisão da prefeitura de reduzir em 50% o público dos blocos na Zonal Sul e limitar as autorizações de desfile de novos blocos no carnaval do ano que vem. As medidas foram anunciadas, nesta segunda-feira, pelo secretário municipal de Turismo e presidente da Riotur, Antônio Pedro Figueira de Mello.

A Folia Carioca defende a manutenção de blocos que sejam formados por moradores e frequentadores dos bairros onde desfilam. A nota cita blocos como: Volta, Alice (Laranjeiras), Empolga às 9 e Bafafá (Ipanema) e Areia (Leblon).

"Ao avaliar e decidir quais blocos serão transferidos para o Centro da cidade, a prefeitura precisa levar em conta a história de cada bloco e sua identidade com os bairros onde desfilam."

Para a Folia Carioca, que representa 17 blocos e duas bandas de rua, a transferência de tais agremiações descaracterizaria a proposta original.

"Fazemos um apelo à prefeitura para que não tome decisões precipitadas. Acreditamos no espírito democrático da prefeitura de não cometer injustiças com agremiações amplamente identificadas com os bairros onde desfilam

E O ANO COMEÇOU ..........................





por leitor Ricardo Dias Martins -

.EU-REPÓRTER

Sinal de trânsito quebrado em frente a escola em Copacabana

Tem um sinal para pedestres na Rua Francisco Otaviano, no Posto 6, em frente à Escola Municipal Castelnuovo, que está quebrado há meses. Quando ele funcionava os motoristas já não respeitavam, agora então... Gostaria muito de saber por que, além de não consertar, não tem um guarda (nem nos horários de entrada e saída) no local. Além disso, só vejo a Polícia Militar e a Guarda Municipal nos locais onde não é preciso e o que é pior: sempre estão com seus veículos atrapalhando o trânsito. Será que eles não percebem que deveriam ser os primeiros a dar o exemplo?

segunda-feira, 14 de março de 2011

DEPOIS DA DESTRUIÇÃO....................

Prefeitura vai reduzir pela metade o número de foliões na Zona Sul em 2012

Waleska Borges

.
RIO - A prefeitura do Rio informou que vai reduzir pela metade o número de foliões na Zona Sul para o carnaval de 2012. De acordo com o secretário municipal de Turismo, Antônio Pedro Figueira de Mello, a prefeitura também não vai autorizar, para o próximo ano, a criação de novos blocos.

Este ano, o número de foliões nos blocos de rua superou o estimado em cerca de 2 milhões. O público foi de 4.877.900, espalhado por sete regiões da cidade. A Zona Sul, por exemplo, tinha público estimado de 744.050 e ficou, no entanto, em 1.542.900.

- Isso não significa que vamos engessar o carnaval da cidade. O que será feito é a organização de acordo com a capacidade de público - disse Antônio Pedro.

De acordo com Antônio Pedro, os blocos que não tinham autorização para desfilar serão penalizados. A prefeitura vai enviar o nome e o CPF dos responsáveis por eles ao Ministério Público cobrando providências.

Já o secretário municipal de Conservação, Carlos Osório, comparou a operação do carnaval com as Olimpíadas, mas lembrou, porém, que nos Jogos há venda antecipada de ingressos:

- Durante o carnaval, a prefeitura passou por um teste operacional que superou nossas expectativas, mas estamos satisfeitos e com a sensação de dever cumprido. Em termos de desafio operacional, saímos fortalecidos.


CONVITE

O Projeto de Segurança de Ipanema, o Quadrilátero do Charme de Ipanema e a Secretaria Municipal de Conservação e Serviços, têm o prazer de convidar para a apresentação do projeto de recuperação das calçadas, golas de árvores e canteiros cujo objetivo e estimular a população do bairro a adotar e cuidar de suas ruas com o apoio da prefeitura.



A preservação de nosso bairro é responsabilidade de todos. Assim contamos com a sua presença.


Hotel Ipanema Plaza – Farme esquina com Prudente – dia 17/03 às 18.30

Ignez Barretto – Projeto de Segurança de Ipanema

Bruno Pereira – Quadrilátero do Charme de Ipanema

Joaquim Monteiro e Gustavo Faria – Secretaria Municipal de Conservação e Serviços

PARECEM BICHOS !



NÃO HAVIA NECESSIDADE ,FORAM INSTALADOS MUITOS BANHEIROS !

foto;M.A.L.


Para preservar a vegetação de restinga, a diretoria do Bafafá disse que solicitou grades à prefeitura para cercar as dunas de Ipanema, cuja vegetação fora quase totalmente destruída durante a passagem de blocos pela orla. Parte das grades também foi usada para cercar o palco e uma área reservada a convidados na areia.

A locução do Bafafá pedia, no intervalo das músicas, que os foliões não invadissem a área de proteção ambiental. Pouco adiantou. Foliões arrebentaram fitas zebradas de isolamento, pisotearam as dunas e ainda urinaram no local, logo atrás dos banheiros químicos. Restaram apenas traços da vegetação nativa.

CARNAVAL 2011

Prefeitura começa a debater nesta segunda mudança de roteiro dos blocos de carnaval do Rio menos tradicionais

A folia chegou ao fim, mas o carnaval de rua do Rio promete ainda dar muito samba. O excesso de blocos, principalmente na Zona Sul, começa a ser discutido nesta segunda pelo prefeito Eduardo Paes e o secretário municipal de Turismo, Antônio Pedro Figueira de Mello. A ideia é manter em seus lugares os blocos que têm tradição e mudar de bairro os que são mais novos e os citados como comerciais. Ricardo Rabelo, presidente da Associação Carioca de Blocos e Bandas (Folia Carioca), que representa 17 blocos — a maioria na Zona Su — acha que a prefeitura tem de levar em conta os grupos tradicionais e com raízes nos bairros. É o que mostra a reportagem de Célia Costa, Felipe Frazão, Renata Leite e Taís Mendes na edição do O Globo desta segunda-feira.

— O Bafafá e o Empolga às 9h não têm condições de mudar de local. São grupos de tradição, que participaram da retomada do carnaval de rua do Rio em 2003 — disse Ricardo Rabelo.


Um dos que poderão ser transferidos da Zona Sul é o Bloco da Preta, que este ano levou uma multidão para Ipanema. A cantora Preta Gil, que está em Maraú, na Bahia, não falou sobre o assunto. A assessoria do seu bloco informou que não há problema na mudança para o Centro da cidade, por exemplo.

Outro bloco na mira dos tradicionais é o Chora, Me Liga, de música sertaneja, que desfilou no dia 27 de fevereiro, na Avenida Delfim Moreira, no Leblon. Sem qualquer tradição no carnaval carioca, corre o risco de mudar de lugar.

Alguns dos blocos que se agigantaram saíram da Zona Sul e já garantiram seu lugar. É o caso do Monobloco, que desfilava na Gávea, mas, à medida que cresceu, foi transferido para a orla de Copacabana. Há três anos, nem mesmo a praia comportava mais o grupo, que passou a percorrer a Avenida Rio Branco, desde a Presidente Vargas até a Cinelândia.

domingo, 13 de março de 2011

GALINHA DO MEIO DIA

Galinha do Meio-Dia vai desfilar com faixas em defesa do carnaval de rua do Rio

Felipe Frazão

RIO - O bloco Galinha do Meio-Dia preparou n manhã deste domingo um café da manhã diferente para fechar o carnaval. O desjejum dos integrantes do bloco foi a base de frango assado, pão e cerveja no Arpoador. Apenas um aperitivo do desfile marcado para as 15h na Avenida Delfin Moreira, no Leblon.

O Galinha do Meio-Dia encerra o carnaval de rua com a presença do Rei Momo e uma série de sátiras e protestos. A diretoria do bloco levará placas e faixas com dizeres como: xô axé, aqui não é Bahia, tradição é cultura, passado não é lixo.

- Precisamos preservar o Rio e o carnaval de rua - disse o fundador do bloco, Nelson Couto, da Confraria do Garoto.

O bloco vai desfilar ao som de marchinhas, sambas e frevos. E contará com 30 instrumentistas 10 ritimistas da Banda de Ipanema, além de integrantes do Galo da Madrugada, de Recife.

FIM DE FESTA





.Últimos dias

Bafafá e Mulheres de Chico se apresentam na Zona Sul.
Mijões e brigões atacam de novo na orla

Felipe Frazão

RIO - O bloco Bafafá estendeu a folia pós-carnaval na areia da Praia de Ipanema, no fim da tarde deste sábado. Cerca de cinco mil pessoas acompanharam a apresentação da orquestra convidada, a do Cordão da Bola Preta. Os ritmistas tocaram sambas e marchinhas voltados para o mar, mas sob tempo fechado. O DJ Franz também tocou hits de sambalanço nos intervalos.
Apesar das más condições climáticas, milhares de banhistas emendaram a estada na praia, no Posto 9. O professor de educação física Marcos Vinícius chegou às 10h, com uma fantasia improvisada na mochila: canga de bolinhas pretas, sombrinha de cabeça, cordão havaiano, máscara e sunga.

- Essa é minha homenagem ao Bola Preta. O Bafafá é o meu preferido, porque ninguém está esperando e, de repente, começa o carnaval de novo - disse ele, que veio de Juiz de Fora passar o carnaval no Rio, há 10 dias.

Como o bloco é pós-praia, boa parte dos foliões estava apenas com adereços na cabeça. Uma das únicas fantasiadas era a atriz Cristina França, de 47 anos, que veio com a família de Botafogo. Ele e a filha se vestiram de policial, o marido de prisioneiro e a neta de fada.

- Guardamos a fantasia para hoje. E ele está de prisioneiro, porque o mundo é das mulheres - disse Cristina.

O diretor do Bafafá e presidente da Associação de Blocos e Bandas Folia Carioca, Ricardo Rabelo, reconheceu a evolução na organização do carnaval de rua.

- O poder público era omisso. A prefeitura acordou para o carnaval de rua. Nunca foi tão bom, nunca se divertiu tanto no carnaval - disse.


Apesar de a Riotur ter instalado 70 banheiros químicos na orla, além de dois containers com sete cabines cada para o público do Bafafá, ele disse que ainda será necessário melhorar a distribuição da estrutura em outros blocos:

- A distribuição foi aquém do esperado. A prefeitura precisa discutir mais com todos os blocos e não somente com uma associação - ponderou.

Para preservar a vegetação de restinga, a diretoria do Bafafá disse que solicitou grades à prefeitura para cercar as dunas de Ipanema, cuja vegetação fora quase totalmente destruída durante a passagem de blocos pela orla. Parte das grades também foi usada para cercar o palco e uma área reservada a convidados na areia.

A locução do Bafafá pedia, no intervalo das músicas, que os foliões não invadissem a área de proteção ambiental. Pouco adiantou. Foliões arrebentaram fitas zebradas de isolamento, pisotearam as dunas e ainda urinaram no local, logo atrás dos banheiros químicos. Restaram apenas traços da vegetação nativa.

Ao fim da apresentação do bloco, novas cenas de vandalismo e desordem. Mais de 50 adolescentes bêbados brigaram na esquina da Rua Joana Angélica com a Avenida Vieira Souto. No tumulto, eles arremesaram garrafas de vidro e outros objetos. A Guarda Municipal dispersou a confusão. Segundo foliões, a briga envolveu grupos da Barra da Tijuca e de Ipanema. Eles também relataram que este não foi o primeiro confronto entre os dois grupos no carnaval.


Agentes da Operação Choque de Ordem prenderam garrafas de vidro portadas por foliões e cerca de 200 tirinhas de mel com cachaça vendidas por ambulantes.

Mulheres de Chico muda de local da apresentação

O Mulheres de Chico comemorou cinco anos de apresentação em novo cenário: a Praia do Leblon, na altura do Posto 12. O grupo prestou uma homenagem a Vinícius de Moraes, incluindo no repertório as canções "Canto de Ossanha" e "Berimbau", além das músicas de Chico Buarque. A mudança de local do bloco, que não desfila, teve o intuito de desafogar o trânsito no Leblon que, em edições passadas do bloco, sofreu com congestionamento. A estratégia surgiu efeito, mas não conseguiu evitar a lentidão enfrentada por motoristas nas avenidas Visconde de Albuquerque, Ataulfo Paiva, General San Martin e Delfim Moreira.

O show começou com mais de uma hora de atraso, com o céu bastante nublado mas sem chuva. O tempo fechou mesmo para o folião Thiago Rodrigues, de 27 anos, flagrado por um porteiro urinando no canteiro de um prédio da Rua Aristides Spínola. Na hora da bronca, o jovem admitiu o erro e se ofereceu para jogar um balde d'água no local:

- Sei que estou errado, mas não há banheiro suficiente. A fila estava longa e não dava para esperar - explicou.

EMAIL RECEBIDO

Amigos,
hoje passei pelo Zona Sul que fica na esquina de Gomes Carneiro com Prudente. A calçada em frente ao mercado estava um horror. Era uma imensa lixeira. os ambulantes compraram as embalagens de cerveja, abrem tudo e deixam os plásticos jogados no chão, além de imensa quantidade de sacolas do mercado etc.
Eram mais ou menos umas 7.30 da noite. falei com o gerente e pedi a ele que mandasse varrer pois depunha contra a própria imagem do mercado aquela sujeirada toda na rua.
Ele me disse que a responsabilidade era da Comlurb que mais tarde passaria etc. Disse a ele que compreendia que a culpa não era exatamente deles, mas que como o Zona Sul é o melhor e único mercado do bairro eles deveriam num esforço fazer várias varreduras por dia, uma vez que todo o lixo era gerado pelos clientes do próprio supermercado.Ele não ficou muito feliz, mas disse que iria providenciar.
Quando passei de novo por volta de 21horas alixaria continuava a mesma. Chamei o mesmo sr. e fiz ver que o vizinho de frente dele, o Felicce estava limpo e que tinha uma pessoa varrendo a calçada.
Aí o cara já ficou meio enfezado, disse que não tinha lugar onde colocar tanto lixo e eu falei que era o cúmulo um mercado do porte do Zona Sul não ter a preocupação , em consideração aos seus clientes moradores do bairro de não já ter providenciado um eaqema de manutenção da calçada durante o carnaval.
Qual é a opinião de vocês.? Acho o fim da picada um mercado do porte do Zona Sul deixar que a calçada em frente ao mercado fique imunda igual ao um lixão.Sei que responsabilidade em tese não é deles, embora a manutenção das calçadas naquele local seja , sim,
responsabilidade dos proprietários.
Não fotografei porque estava sem o celular.
É muito cômodo as empresas ficarem só dando uma de coitadinhas e não colaborando. Tenho certeza de que se comessássemos a envolvê-las nos problemas, rapidinho tomariam providências.

BRIGA EM IPANEMA

Briga em Ipanema gera tumulto

Bruno Rohde Tamanho do texto A A A Uma briga entre jovens na Rua Visconde de Pirajá, nas proximidades da Rua Aníbal de Mendonça, em Ipanema, assustou quem passava pelo local, na noite deste sábado. A confusão ocorreu entre dois grupos de jovens que seriam rivais. Com barras de ferro, parte desses jovens atacou os demais. Em seguida, alguns fugiram e se refugiaram dentro da Livraria da Travessa. O estabelecimento precisou ser fechado. Policiais do 23º BPM (Leblon) foram para o local.

sábado, 12 de março de 2011

CARNAVAL 2011





Prefeitura exigirá em 2012 que blocos de rua sem tradição desfilem em outros bairros fora da Zona Sul

Luiz Ernesto Magalhães

RIO - A febre dos blocos que tomou conta das ruas do Rio de Janeiro neste carnaval termina hoje com 13 eventos, incluindo o desfile do Monobloco na Avenida Rio Branco, no Centro. Somente até sexta-feira o público desses blocos chegava a cerca de quatro milhões, sendo que, deste total, cerca de 1,5 milhão nos blocos que desfilaram pela Zona Sul . Mas o sucesso dos blocos é também motivo de preocupação. Em 2012 haverá mudanças na folia para evitar que a festa continue a crescer e o gigantismo comprometa a infraestrutura oferecida. Uma das principais medidas da prefeitura será limitar as autorizações e o número de desfiles por agremiação, justamente na Zona Sul. O objetivo é reduzir à metade — para 750 mil — o público em bairros como Leblon, Ipanema, Botafogo e Copacabana.

A decisão de cortar blocos na Zona Sul será formalizada amanhã pelo prefeito Eduardo Paes e o secretário municipal de Turismo, Antonio Pedro Figueira de Mello. Os dois farão um balanço final da festa.

Antonio Pedro adiantou, porém, que já ficou decidido que antiguidade é posto. Os blocos mais tradicionais que ajudaram a resgatar a tradição do carnaval de rua e colaboraram para torná-los um sucesso de público, tais como Banda de Ipanema, Simpatia É Quase Amor, Suvaco do Cristo e Imprensa que Eu Gamo, ficarão onde estão. Os roteiros e as datas em que esses blocos desfilam também serão respeitadas. Isso vai assegurar, por exemplo, que a Banda de Ipanema mantenha a tradução de sair três vezes na época de Momo.

Os blocos barrados na Zona Sul poderão indicar outros bairros para desfilar. Os pedidos começam a ser recebidos também amanhã pela Riotur, mas, no caso deles, não há garantias de que poderão sair mais de uma vez.

A prefeitura também não aceitará a inscrição de novos blocos em 2012. Este ano, foram dadas 424 autorizações, uma quantidade já considerada excessiva. A Zona Sul foi a região com mais blocos autorizados (153), seguida de Centro (74), Zona Norte (65), Grande Tijuca (49); Barra, Recreio e e Jacarepaguá (42); Zona Oeste (27); e Ilha (14).

— O carnaval de rua é, inegavelmente, um sucesso absoluto. Mas, no caso da Zona Sul, nós chegamos ao limite. Esperávamos 745 mil foliões e chegamos a um público de quase 1,6 milhão. Muitos blocos têm identificação com os bairros onde surgiram espontaneamente. Esses ficarão onde estão. Mas existem blocos cujo interesse é mais comercial ou são centrados em personagens que podem se apresentar em qualquer lugar — justificou o secretário de Turismo.


Antonio Pedro citou o Bloco da Preta como exemplo de agremiação que terá que buscar outro lugar para desfilar. Liderado pela cantora Preta Gil, o bloco levou 200 mil pessoas para a Praia de Ipanema no último domingo de fevereiro. O público estimado pela produção do evento e informado à prefeitura, porém, era de 30 mil.

Segundo o secretário, quando indicarem novas áreas para desfilar, os organizadores precisarão entender que o município não tem a intenção de criar novos corredores de desfiles na cidade. Não será autorizado, por exemplo, muitos eventos simultâneos no eixo da Avenida Rio Branco-Aterro do Flamengo (pistas da orla).

Para ajudar no planejamento, a prefeitura fez pesquisa por amostragem em vários blocos para identificar de que bairros vêm os foliões. Antonio Pedro acrescentou que a preocupação é melhorar a infraestrutura oferecida, incluindo banheiros químicos, operação de trânsito e segurança. O trabalho, explicou, fica muito mais difícil quando ocorrem diversos eventos simultâneos na mesma região. Na orla de Ipanema, por exemplo, o excesso de público levou parte dos foliões a invadir áreas destinadas à preservação da vegetação de restinga. Com a concentração de público, o resultado foram filas imensas nos sanitários públicos, apesar da quantidade recorde oferecida pelos patrocinadores: 13 mil.

— Os blocos do Rio fazem a maior festa popular de rua do mundo. E vamos ver se o Guinness pode registrar isso também no ano que vem. Afinal, eles já serão chamados para atestar que o Cordão da Bola Preta já é o maior bloco de carnaval do mundo (a marca atual é do Galo da Madrugada, de Recife) — disse o secretário de Turismo.

A presidente da Liga dos Blocos da Zona Sul e de Santa Teresa (Sebastiana), Rita Fernandes, aprova a restrição de blocos na região.

— A prefeitura tem mesmo que ordenar os blocos, mas sem engessar os que surgiram de forma espontânea. Muitos blocos que começaram a desfilar a partir de 2005 não têm vínculos com os bairros. Por que obrigatoriamente teriam que desfilar na orla do Leblon e Ipanema? — questiona.

Mas a presidente da Sebastiana observa que o município terá que ser cauteloso, levando em conta também os horários autorizados para os desfiles. Como comprovação de que isso não foi observado este ano, Rita cita a autorização para o novato Sargento Pimenta desfilar na segunda-feira de carnaval em Botafogo: o local e o horário escolhidos ficavam próximos à concentração do Bloco de Segunda, um dos mais tradicionais do bairro.

— Isso parou o trânsito em Botafogo e no Humaitá. A prioridade ao agendar deveria ser do Bloco de Segunda — avalia Rita.

Para Antonio Pedro, os organizadores deveriam se inspirar no exemplo do Monobloco. Criado em 2000 pelo grupo Pedro Luís e a Parede, o Monobloco desfilou inicialmente nas proximidades do Planetário da Gávea. Nos anos seguintes, à medida em que ganhava público, foi mudando de endereço na Zona Sul. A partir de 2007, os desfiles no domingo posterior ao carnaval passaram a ser na Avenida Rio Branco. Mesmo sendo o desfile matinal, atraiu 350 mil pessoas em 2010. Em quantidade de público, só perdeu para os dois milhões do Bola Preta.

— O Monobloco demonstrou que não é preciso estar na Zona Sul para fazer sucesso. Há várias formas de atrair esse público, seja pela imprensa, nos guias de blocos distribuídos pela prefeitura ou pelas redes sociais — disse o secretário.

Na reunião de amanhã, a prefeitura também apresentará outros dados sobre a festa do Rio. O número de turistas chegou a um milhão de visitantes, acima dos 750 mil esperados inicialmente. A estimativa é que eles gastaram R$ 740 milhões entre a sexta-feira e a terça-feira de carnaval. Dados da Associação Brasileira dos Agentes de Viagens (Abav) mostram também um crescimento de 15% no número de pacotes turísticos vendidos. Entre os turistas nacionais, houve um aumento maior na procura do Rio como destino entre paulistas e mineiros. Do exterior, vieram visitantes do Leste Europeu, Irã e Índia, que normalmente não escolhem a cidade para passar os dias de carnaval. A ocupação da rede hoteleira chegou a 95,36% dos leitos. Em todos os bairros, com exceção dos hotéis da Barra (85,25% este ano contra 89,09% no ano passado), a taxa de ocupação foi maior. No Centro, por exemplo, passou de 97% em 2010 para 100%. No Leme e em Copacabana atingiu 99%, contra 93% registrado em 2010. Já em Ipanema e no Leblon, a ocupação atingiu 93,5%, contra 92,8% de 2010.