quinta-feira, 29 de julho de 2010

CANTAGALO



PMs dão aula de música e reforço escolar em comunidades do

Silvio, 12, e Maria Suellya, 11, estão aprendendo a tocar violão com Edson Dutra Borges, terceiro-sargento da UPP do CantagaloFoto: O Dia

Os acordes um tanto desafinados que saem do violão soam suaves para crianças do Ciep Presidente João Goulart, no Cantagalo, em Ipanema. Acostumadas a fugir de sons ensurdecedores de tiros e granadas, elas agora se aproximam, sem medo, dos professores-policiais, como o terceiro-sargento Edson Dutra Borges, da Unidade de Polícia Pacificadora. Duas vezes por semana, ele se reveza com o comandante da UPP, capitão Leonardo Nogueira, nas aulas de Música para estudantes e moradores. Como ele, dezenas de policiais reforçam o ensino regular nas 13 comunidades pacificadas, beneficiando mais de 41 mil estudantes.
Os PMs dessa comunidades estão indo além da rotina policial e se transformando em educadores para levar crianças de volta às salas de aula. "Tentamos mantê-los ocupados com atividades extras e mostrar que eles podem confiar na PM", explica o terceiro-sargento Borges. Ele lembra que no início as famílias ficavam com pé atrás. "Os pais vinham ver o que estávamos fazendo, até verem que o trabalho é sério", recorda Borges. Para Silvio Júnior, 12 anos, e Maria Suellya, 11, a música ajuda nos estudos. "Tocar um instrumento acalma, aprimora a concentração e facilita o aprendizado", reitera o professor Borges.
No Batan, em Realengo, policiais da UPP preenchem o tempo dos estudantes com aulas de reforço escolar, Capoeira e Natação. No Borel, na Tijuca, a rotina mudou com a UPP. "As crianças ficavam até meia-noite na rua. Hoje eles já não ficam até mais tarde", compara o PM Pedro Ferreira, 29 anos. "Mais descansados, aprendem melhor na escola", reconhece a diretora Lenita Vilela, do Ciep Dr. Antoine Magarinos. Torres Filho.
Lição que ensina a repartirDivida duas pipas entre dois garotos. Com quantas cada um ficará? Um problema simples? Não para Luiz Gabriel de Souza, 8 anos. Pelas regras dele, aprendidas nas vielas do Morro Chapéu Mangueira, a solução só viria após sair na mão com um colega. Quem levasse a melhor ficava com as duas. "Era assim que ele resolvia tudo. Hoje, depois de muito diálogo, está reaprendendo a repartir", conta o policial militar Douglas Rocha, 25 anos, que é o técnico do time de futebol infantil da comunidade no Leme, Zona Sul do Rio.
Há um ano, ele faz trabalho educativo com 80 crianças. Ensina futebol na escolinha da UPP. Luiz Gabriel é um dos muitos que foram resgatados pelo esporte. "Tenho um carinho muito especial por ele. Estava largado e não estudava mais", conta o policial. Depois de dois anos longe da escola, só agora, aos 8 anos, Luiz Gabriel está sendo alfabetizado. No entanto, para fazer parte desse time, é preciso estar matriculado, frequentar as aulas e não se envolver em confusões. "Procuramos os pais para saber como está o comportamento da criança no colégio. Quem está de castigo não participa dos treinos, e se brigar na rua é suspenso dos jogos", explica o soldado Douglas.
Com a ajuda de doações e patrocinadores, os policiais providenciam lanches, uniformes e troféus para a garotada. Um incentivo para a prática de esportes e o aprendizado em sala de aula. "Estou indo na escola. E quero ser jogador como o Robinho e o Ronaldinho", sonha Gabriel.
Livres da presença armada de traficantes, desde a instalação da UPP, há sete meses, jovens dos morros do Tabajaras e dos Cabritos, em Copacabana, ganharam nova quadra, batizada de Centro de Esporte Rei da Bola. Além de melhorar a disciplina, o projeto pretende descobrir talentos de olho na Olimpíada de 2016, no Rio.
Para Vera Peçanha, diretora da Escola Municipal Costa do Marfim, no Batan, o reforço dos PMs no colégio ajudou a elevar o Ideb - principal índice da qualidade do Ensino Fundamental brasileiro, medido pelo MEC - para 5,3, batendo a meta prevista para a unidade em 2011. "Os policiais são muito parceiros e estão criando laços com a comunidade", atesta Vera.

PERIGO !!



Leitor mostra flagrante de irresponsabilidade em Ipanema, área nobre do Rio de Janeiro

quarta-feira, 28 de julho de 2010

PEGA LADRÃO !

Ladrão é preso em flagrante no Arpoador

POR LUARLINDO ERNESTO

Rio - Fábio Francisco Silva carvalho, 34 anos, foi preso em flagrante quando furtava fios e peças de instalações elétricas em prédio vazio na Rua Francisco Otaviano, no Arpoador, em Ipanema, na Zona Sul. Agentes da Operação Choque de Ordem, da Secretaria Especial da Ordem Pública, que estavam nas imediações, viram o furto e levaram o acusado para a 14ª DP (Leblon). Fábio foi autuado em flagrante por furto. Na delegacia foi comprovado que ele possui antecedentes criminais também por furto. .

terça-feira, 27 de julho de 2010

ATA DA 67ª REUNIÃO

MOVIMENTO APOLÍTICO FORMADO
POR MORADORES VOLUNTARIOS PARA PROMOVER O BEM
ESTAR SOCIAL DO BAIRRO

ATA DA 67ª REUNIÃO

LOCAL: COLEGIO NOTRE DAME-RUA BARÃO DA TORRE 308-IPANEMA
DIA: 26 JULHO DE 2010—1800 HORAS
PRESENTES: 15 MORADORES
COORDENADA POR: IGNEZ BARRETO

ASSUNTOS TRATADOS:

· Foi mais uma vez enfatizada a visita feita aos abrigos da Prefeitura por grupo do PSI.
A repercussão foi excelente, tendo já sido encaminhado ao Prefeito e demais autoridades envolvidas cópia do relatório já constante do nosso blog e disseminado pela nossa listagem. Ficou combinado que já a partir da próxima reunião no dia 7 agosto, cada voluntário traria um kg de alimento não perecivel, óleo, macarrão, leite, etc. Este material ficaria no Notre Dame em local que a Georgiana vai acertar com a administração, e seria recolhido depois pela kombi da Sub Secretaria, em coordenação com a Luiza Salatino tel 77138461.

Todos aqueles que tenham qualquer material para doar, seja roupas, brinquedos, livros, utensílios podem ligar para a Luiza pois ela enviará uma kombi para recolher.

· Georgiana informou que no próximo dia 7 de agosto sábado, haverá uma ação de limpeza nas areias da praia , na área que vai da Joana Angélica à Aníbal . Concentração às 1230 em frente a Joana Angélica, na praia. Os barraqueiros estão motivados para uma conscientização dos freqüentadores para manterem a areia limpa.

· Ficou decidido que a próxima reunião será para apuração dos resultados da enquete sobre a realização ou não do reveillon. Desta maneira , aqueles que estão coordenando (Ignez, Rogério, Sandra Souza,Vera Ribeiro ,Cristina, Ricardo, Suzana) e todos os outros que recolheram os resultados, devem traze-los para a apuração.

· O projeto de restauração da restinga está em pleno andamento e já se pode perceber o trabalho em realização.

· A reunião dos empresários , PSI e o Secretario da Ordem Urbana será na sexta feira, dia 30,quando será discutida a formação de uma parceria público privada para a segurança da Praça NSra da Paz 24 horas.

· A carta ao Prefeito ( cuja cópia está no blog) foi entregue e recebida. Estamos aguardando retorno.


PRÓXIMA REUNIÃO DIA 09 DE AGOSTO- SEGUNDA ÁS 1800 H
NO COLEGIO NOTRE DAME BARÃO DA TORRE 308

EXERÇA A CIDADANIA! PARTICIPE!!

NOSSO BLOG : PSIPANEMA.BLOGSPOT.COM
NOSSO E-MAIL: projetodeipanema@terra.com.br

VOCÊ SABIA QUE PELO NOSSO E MAIL PODEM SER DIRECIONADAS
TODAS AS RECLAMAÇÕES, SUGESTÕES??

ATA ELABORADA POR: ROGERIO ESTEVES

segunda-feira, 26 de julho de 2010

SUBPREFEITURA DA ZONA SUL

Subprefeitura da Zona Sul multa 25 vans em Ipanema e Leblon

Rio - A subprefeitura da Zona Sul e a 6ª Região Administrativa, com apoio do Grupamento Especial de Trânsito (GET), multaram 25 vans por estacionamento irregular no Leblon e em Ipanema, na Zona Sul, na tarde desta segunda-feira.Em outra operação, ocorrida no mesmo horário, mais de 20 quilos de frutas e um botijão de gás foram apreendidos pela Coordenadoria de Controle Urbano (CCU).

CHOQUE DE ORDEM

Choque de Ordem apreende bolas, cadeiras e guarda-sóis em praias

O Globo

RIO - Uma operação Choque de Ordem nas praias do Flamengo, Leme, Copacabana, Ipanema e Leblon apreendeu bolas, cadeiras e guarda-sóis nesta segunda-feira. As equipes de fiscalização da Secretaria Especial da Ordem Pública (Seop) coibiram quinze rodas de altinhos e recolheu duas bolas. No Flamengo, 40 cadeiras e 10 guarda-sóis foram apreendidos. Já do Leme ao Leblon, foram apreendidos: uma churrasqueira, um quilo de camarão, uma chapa, uma mochila e um armário de PVC. Também foram multados 21 veículos por estacionamento irregular

domingo, 25 de julho de 2010

LAGOA



Projeto quer implantar transporte público na Lagoa Rodrigo de Freitas
Barcos poderiam ligar Praia de Ipanema à entrada do Túnel Rebouças.Intenção também é elevar Jardim de Alah para construção de garagem.

Um projeto feito em parceria por dois escritórios de arquitetura cariocas pretende utilizar a Lagoa Rodrigo de Freitas, na Zona Sul, como uma alternativa para o caótico trânsito da cidade do Rio de Janeiro. Os arquitetos desenvolveram um projeto aquaviário para a Lagoa, onde pequenos barcos, com capacidade de passageiros semelhante a dos ônibus urbanos, cruzariam o espelho d'água, interligando diferentes pontos, como o viaduto que dá acesso ao Túnel Rebouças, ao Corte do Cantagalo, ou aos bairros da Fonte da Saudade e do Humaitá à Praia de Ipanema, através do Canal do Jardim de Alah.

Projeto Lagoa Geral (Foto: Divulgação/Leonardo Lattavo)

“O projeto não vai resolver o problema do trânsito no entorno da Lagoa, mas será mais uma alternativa de transporte público”, ressalva o arquiteto Leonardo Lattavo, um dos idealizadores. “O transporte aquaviário é pouco explorado no Rio”, acrescenta. Lattavo ressalta que os barcos poderiam fazer a integração com ônibus em pontos no entorno da Lagoa. “Seria um transporte intermodal, onde, por exemplo, a pessoa pegaria um barco em Ipanema rumo a um ponto de ônibus na boca do Túnel Rebouças”, explica o arquiteto.
Quiosque flutuante está previsto no projetoAlém da possibilidade de se criar um transporte público atravessando o espelho d'água, Lattavo destaca a vocação turística do projeto. “Muitos turistas certamente gostariam de pegar um barco e passear pelo meio da Lagoa, e tirar fotos da cidade de um ângulo que hoje não é possível”, observa. “Às vezes, o turista está com o tempo escasso e, utilizando os barcos, pode atravessar a Lagoa de forma mais rápida do que a pé, ou mesmo de ônibus”, complementa o arquiteto.
Um dos tópicos do projeto contempla a construção de um quiosque flutuante, que poderia ser deslocado para qualquer ponto da Lagoa. “Hoje, não existe o uso da parte central da Lagoa. As pessoas chegariam ao quiosque nos barcos, de pedalinho ou até de caiaque. E o deslocamento do quiosque permitiria posicioná-lo próximo ao ponto de chegada de competições de remo ou de vela”, diz Lattavo.
Píeres de madeira poderiam ser interligados a pontos de ônibus. (Foto: Divulgação/Leonardo Lattavo)
Arquitetos gostariam de elevar Jardim de Alah em três metrosUm dos tópicos mais ousados do projeto se refere a uma grande intervenção no Jardim de Alah. Os autores da proposta gostariam de elevar o parque em três metros de altura, de forma que pudesse ser construída uma garagem sob o jardim, com capacidade para quase 900 carros. “Hoje, o Jardim de Alah está em um nível inferior ao da rua. No projeto, ele seria erguido, ficando no mesmo nível, e ajudaria a resolver um grande problema dos bairros de Ipanema e do Leblon: a falta de vagas”, destaca Lattavo.
O arquiteto considera, atualmente, o Jardim de Alah subutilizado, e espera que, com a realização dos projetos, o parque seja mais aproveitado pela população, inclusive no período noturno.“Queremos trazer o Jardim de Alah para o uso público, deixá-lo mais seguro. Eu mesmo, que sou frequentador do parque, evito utiliza-lo à noite, por falta de segurança”, conta Lattavo. Ele acrescenta que, através do canal do Jardim de Alah, os barcos que fariam o transporte público na Lagoa chegariam até à Praia de Ipanema. “Imagina que maravilha seria pegar um barco no Humaitá e saltar na Avenida Vieira Souto?”, sonha o arquiteto.
Poluição sonora ou visual não preocupam arquitetoLeonardo Lattavo disse que já entregou o projeto à prefeitura do Rio, e também está em contato com investidores privados. Ele acredita que a implantação do projeto traria apenas benefícios aos moradores e freqüentadores da Lagoa e não se preocupa com alguma reação negativa.
“O barulho do barco não vai ter influência nenhuma, já que o trânsito de carros e ônibus ao redor da Lagoa é muito mais barulhento. E a gente não imagina um uso extremo, intenso dos barcos, que vão se deslocar a uma velocidade que não interfira no restante do funcionamento atual da Lagoa”, comenta o arquiteto. “O barco só ficaria perto da orla quando chegasse aos píeres. Vai existir um distanciamento suficiente das margens. E o barco pode ser movido à energia solar, por exemplo”, finaliza.

DESEMPENHO

Enviado por Letícia Vieira -

Vitória da educação

Nas escolas em áreas com UPPs, adolescentes têm baixo desempenho

A pacificação não teve o mesmo feito esperado para o aprendizado dos alunos do 6 ao 9 anos. O Ciep Presidente João Goulart, no Cantagalo, em Ipanema, teve uma queda drástica na nota do Ideb em 2009, nos últimos anos do ensino fundamental. No ano passado, a escola obteve média 1,8, contra 3,7 em 2007. Foi o pior resultado entre as Escolas do Amanhã.
A diretora Monica Zucarino afirma que o Ciep desenvolve projetos de preparação profissional, mas que muitas vezes têm pouca adesão dos adolescentes. Segundo ela, é necessária uma mudança de pensamento dos alunos:
— Quando o jovem perceber que pode sair e chegar tranquilamente da comunidade, vai começar a mudar a perspectiva de futuro. Na Escola Municipal Pedro Aleixo, na Cidade de Deus, as salas de aula começaram a ficar mais cheias apenas um ano após a implementação da UPP. O desinteresse dos alunos pela educação foi refletido nos números: a escola não avançou na avaliação do MEC, passou de 2,7 — em 2007 — para 2,8 — em 2009.
— Ano passado, tínhamos 700 alunos matriculados e 250 frequentando.
Hoje, temos 900 matriculados e o mesmo número frequentando. Oferecemos atividades, e eles passaram a ficar o tempo todo na escola — afirmou o diretor José Edmilson da Silva. O aluno do 9 ano Samuel Tenório, de 18 anos, já faz planos mais ousados:
— Não quero só mudar de escola, quero fazer um curso técnico em eletrotécnica.

EMAIL RECEBIDO

Circuito Feiras Orgânicas Cariocas

Como morador de Ipanema há muitos anos, considero um privilégio a Praça N. S. da Paz ter sido selecionada para receber, uma vez por semana, o grupo de produtores agrícolas que vendem seus produtos diretamente aos consumidores do bairro.
É uma feira limpa, sem mendigos, sem ambulantes, em um espaço pequeno e não utilizado pelos frequentadores da praça. ANVISA tem alertado que, para reduzir o consumo de agrotóxico em alimentos, o consumidor deve optar por produtos com origem identificada e orgânicos.
Alface, pepino, pimentão, cebola, cenoura, tomate examinados mostraram contaminações de perigosos agrotóxicos, já banidos na Europa e Estados Unidos.
No Brasil a pressão do lobby para o uso do agrotóxico é muito forte, sem levar em consideração as possíveis consequências de seu uso, como distúrbios neurológicos, reprodutivos, desregulação hormonal e até cancer.
Achilles Lobo

sábado, 24 de julho de 2010

CARTA ENVIADA

Rio de Janeiro, 19 de julho de 2010.

Ao Excelentíssimo Senhor
Eduardo Paes
Prefeito da Cidade do Rio de Janeiro
Rua Afonso Cavalcanti, 455 - 19º andar Rio de Janeiro RJ 20211-110

Assunto: Favelização e ocupação desordenada dos espaços públicos em Ipanema.

Senhor Prefeito da Cidade do Rio de Janeiro,

O Projeto de Segurança de Ipanema (PSI), movimento voluntário e apartidário da sociedade, vem neste momento pedir sua atenção para problemas que estão agravando o evidente processo de favelização do bairro, incluindo recentes autorizações da Prefeitura, sem consulta aos moradores, para que diversos comércios se estabeleçam em locais públicos.

Como abordamos assuntos de diversas secretarias ou órgãos do município, cada problema foi colocado em um anexo próprio, visando facilitar seu encaminhamento. São eles:

1. Feira de produtos orgânicos na Praça Nossa Senhora da Paz
2. Ponto ilegal de vans na Rua Visconde de Pirajá esquina com Rua Garcia D’Ávila
3. Caos da Rua Vinícius de Moraes agravado por autorizações da Prefeitura
4. Estoque de barraqueiros e depósito de lixo na Rua Farme de Amoedo
5. Moradia de população de rua e de ratos na Rua Nascimento Silva
6. Fiação exposta em ruas e praia de Ipanema
7. Descaso, abandono e insegurança do Parque Jardim de Alá
8. Calçamento extremamente danificado na Rua Visconde de Pirajá
9. Desordem urbana agravada por Feira de Artesanato na Praça General Osório
10. Calçadas do bairro usadas como moradia de população de rua
11. Albergues da Rua Barão da Torre, 175 e a piora na desordem urbana
12. Camelôs em pontos fixos nas ruas e esquinas mais movimentadas de Ipanema
Sob sua liderança o Rio de Janeiro está vivendo um momento muito especial, resgatando o seu prestígio cultural e econômico no âmbito do país. É hora de qualificarmos a ocupação de nosso espaço público, deixando para trás políticas demagógicas e populistas que tanto prejuízo deram à nossa cidade.
Respeitosamente,





Maria Ignez Barretto Rogério Esteves
Coordenadores do Projeto de Segurança de Ipanema (PSI)
ANEXO 1 de 12
Da carta nº PSI 001-2010 de 19 de julho de 2010

Feira de produtos orgânicos na Praça Nossa Senhora da Paz

Recém-lançada para ser um local de venda direta do produtor ao consumidor, os moradores já detectaram haver produtos industrializados nesta feira. O bairro de Ipanema tem o fantasma da feira de artesanato (feira “hippie” da Praça General Osório), que aos poucos adicionou produtos industrializados ao seu estoque e transformou-se em um amontoado de 600 ambulantes que nada têm a ver com o princípio de uma feira de produtos artesanais.

Assim como ocorre com a feira de artesanato, a Prefeitura não vai dispor de meios que possam garantir que mais esta feira mantenha seu universo de ação inalterado. Que recursos a prefeitura está utilizando para isso? Quanto isto custa para o contribuinte? Quanto a prefeitura arrecada com a feira? Quanto volta em investimentos de melhoria para a praça e para o bairro?

Não entendemos por que um local público é cedido para um grupo particular exercer nele atividades comerciais.

Não duvidamos dos benefícios que os produtos orgânicos podem oferecer à população. Muitos de nossos voluntários são consumidores destes artigos, que podem ser encontrados nos vários supermercados e lojas de produtos naturais do bairro. Também acreditamos que outros bairros do Município do Rio de Janeiro possam se beneficiar muito de uma feira assim, em regiões com pouca ou nenhuma oferta de orgânicos.

A Praça Nossa Senhora da Paz encontra-se muito degradada: é dormitório de população de rua, suas grades são sistematicamente quebradas por mendigos que querem usar a praça para dormir, e suas árvores servem de guarda-roupa de trapos e sacolas.

É muito importante lembrar que já existem três feiras livres em Ipanema: às segundas, na Rua Henrique Dumont; às terças, na Praça General Osório e na própria Praça Nossa Senhora da Paz às sextas. Nem a praça, nem Ipanema necessitam de mais adensamento ocupacional e sim de uma instituição “adotante”, que recupere seu paisagismo e mantenha a segurança local. Quanto mais comércio houver ali, tanto mais difícil vai ser conseguir quem a adote.

Pelas razões acima citadas, solicitamos que a feira de orgânicos seja cancelada imediatamente e propomos que ela passe a integrar uma das feiras livres do bairro.

Solicitamos que os órgãos responsáveis pelas demandas contidas neste anexo mantenham o Projeto de Segurança de Ipanema (PSI) informado a respeito das providências cabíveis e colocamo-nos à disposição para ajudar no que for possível para resolver os problemas aqui relatados.

ANEXO 2 de 12
Da carta nº PSI 001-2010 de 19 de julho de 2010

Ponto ilegal de vans na Rua Visconde de Pirajá esquina com Rua Garcia D’Ávila

Existe um ponto pirata de van em plena Rua Visconde de Pirajá, principal artéria comercial do bairro, trazendo todo tipo de transtorno aos moradores e criando ambiente de insegurança e degradação para a população.

As vans piratas fazem barulho, sujeira (os motoristas aproveitam a parada no local para varrer o interior de seus veículos, sacudir tapetes...) e atraem atividades ilegais altamente danosas, como o jogo do bicho e o comércio de ambulantes (que chegam agora em maior número e começam a obstruir a travessia da Rua Garcia D'Ávila). Além disso, causam transtornos ao trânsito no local, já que ali o fluxo de veículos é adensado pelos carros que saem da Rua Garcia D'Ávila para entrar na Rua Visconde de Pirajá - que agora tem uma pista a menos, no trecho ocupado pelas vans.

O ponto ilegal deixa a população completamente impotente diante da ocupação de seus espaços, sem que o poder público faça qualquer tipo de repressão, e também diante das figuras assustadoras que vieram para a região junto com as vans. São homens mal encarados, principalmente aqueles que conferem serviço dos veículos algumas vezes por dia.

Confiram a página a seguir, com fotos referentes a este Anexo 2.

É preciso haver fiscalização de modo a coibir o funcionamento do ponto ilegal de vans.

Solicitamos que os órgãos responsáveis pelas demandas contidas neste anexo mantenham o Projeto de Segurança de Ipanema (PSI) informado a respeito das providências cabíveis e colocamo-nos à disposição para ajudar no que for possível para resolver os problemas aqui relatados.

FOTOS

Ponto ilegal de vans na Rua Visconde de Pirajá esquina com Rua Garcia D’Ávila

Conforme anexo 2 de 12 da carta nº PSI 001-2010 enviada ao Prefeito Eduardo Paes





ANEXO 3 de 12
Da carta nº PSI 001-2010 de 19 de julho de 2010

Caos da Rua Vinícius de Moraes agravado por autorizações da Prefeitura

Praticamente toda a Rua Vinícius de Moraes tornou-se um aglomerado de população de rua, apontadores de jogo do bicho, ponto de burro sem rabo, um grande número de camelôs e, como não poderia deixar de ocorrer, uma ou duas famílias de sem-teto ali se instalaram. Acrescente-se a isso a sujeira e desordem nas calçadas pelos botequins pé-sujo.

Para agravar a situação, há cerca de um mês a prefeitura deu autorização para que mais um chaveiro se instalasse quase na esquina com a Rua Visconde de Pirajá, numa região já lotada deles – há praticamente um chaveiro em cada cruzamento. Qual o benefício para o bairro do excesso desse tipo de comércio? A argumentação da administração regional é que ele seria o resultado de ajustes na realocação de ambulantes. O que o bairro e, sobretudo, os moradores e comerciantes da Rua Vinícius de Moraes têm a ver com esta necessidade da prefeitura? Esse chaveiro está instalado junto a uma árvore e bem em frente a dois bares que dia e noite emporcalham a calçada, usada como extensão de seus estabelecimentos. Ali ao lado existe uma excelente loja fechada há anos. Certamente se o ambiente fosse favorável, um comércio mais qualificado já teria se instalado lá há muito tempo, gerando impostos, emprego e renda.
Pedimos a imediata remoção desse chaveiro.

Nesse mesmo cruzamento da Rua Vinícius de Moraes esquina com Rua Visconde de Pirajá, na diagonal oposta, há uma banca de jornal instalada há muitos anos, espremida entre a Padaria Martinica, uma árvore e outro bar que tem por hábito colocar seu estoque de cerveja e bancos para clientes na calçada. A banca e o uso irregular da calçada pelo bar tornam aquele trecho intransitável, ocasionando desconforto e insegurança aos moradores e pedestres em geral.
Pedimos a retirada da banca de jornal.

Ainda naquele mesmo trecho, há os camelôs “estabelecidos”. Basta a Guarda Municipal sair para o almoço ou depois de 17h30 que as calçadas de toda aquela região se enchem de produtos falsificados e pirateados. A padaria Martinica já perdeu a conta do número de vezes que tentou refazer as jardineiras, sempre arrebentadas por esta concentração de atividades na sua porta. E a padaria por sua vez também aproveita a desordem urbana para colocar uma máquina de assar frango à beira da calçada, que vaza óleo até o bueiro mais próximo.

Há dois outros botequins, no trecho entre as Ruas Nascimento Silva e Alberto de Campos que, como seus “colegas” das outras quadras da rua, também agravam a sujeira e a desordem, usando as calçadas como parte de seus estabelecimentos. Esta favelização da Rua Vinícius de Moraes é totalmente incompatível com o bairro. Pedimos fiscalização e multa aos botequins da Rua Vinícius de Moraes por usar e emporcalhar nossas calçadas como se fossem parte de seus estabelecimentos.

Reforçamos ainda nosso descontentamento e indignação com a instalação do novo chaveiro, o mais novo premiado com um local público para exercer suas atividades privadas, sem nenhum bônus para a sociedade que mantém o local.

Solicitamos que os órgãos responsáveis pelas demandas contidas neste anexo mantenham o Projeto de Segurança de Ipanema (PSI) informado a respeito das providências cabíveis e colocamo-nos à disposição para ajudar no que for possível para resolver os problemas aqui relatados.
ANEXO 4 de 12
Da carta nº PSI 001-2010 de 19 de julho de 2010

Estoque de barraqueiros e depósito de lixo na Rua Farme de Amoedo

Há problemas de desordem urbana em praticamente toda a rua, uma das mais utilizadas por turistas estrangeiros e brasileiros

Chamamos a atenção para o trecho entre a praia e a Rua Prudente de Moraes, infestado de urina e fezes, sujeira, depósito de lixo e local de estoque de barraqueiros. Pedimos fiscalização para este trecho da rua.

As calçadas da rua têm péssima conservação, principalmente nas quadras entre Rua Barão da Torre e a praia. Se as calçadas são de responsabilidade de cada comerciante e/ou moradora, pedimos que a prefeitura fiscalize o trecho em questão, inclusive notificando os responsáveis.

Solicitamos que os órgãos responsáveis pelas demandas contidas neste anexo mantenham o Projeto de Segurança de Ipanema (PSI) informado a respeito das providências cabíveis e colocamo-nos à disposição para ajudar no que for possível para resolver os problemas aqui relatados.



ANEXO 5 de 12
Da carta nº PSI 001-2010 de 19 de julho de 2010

Moradia de população de rua e de ratos na Rua Nascimento Silva

No número 115 da Rua Nascimento Silva, um terreno abandonado há mais de 15 anos, à época com projeto de construção de uma sinagoga, acumula lixo, ratos e serve de dormitório para população de rua.

Agravando ainda mais a situação, os proprietários do terreno utilizam a calçada como estacionamento, impedindo que carrinhos de bebê e pessoas com dificuldade de locomoção possam transitar livremente.

Pedimos fiscalização imediata do terreno.

Solicitamos que os órgãos responsáveis pelas demandas contidas neste anexo mantenham o Projeto de Segurança de Ipanema (PSI) informado a respeito das providências cabíveis e colocamo-nos à disposição para ajudar no que for possível para resolver os problemas aqui relatados.



ANEXO 6 de 12
Da carta nº PSI 001-2010 de 19 de julho de 2010

Fiação exposta em ruas e praia de Ipanema

Fios de possíveis ligações clandestinas de barraqueiros podem ser vistos principalmente em vários trechos de areia junto ao calçadão da Rua Vieira Souto e em outras regiões do bairro. Para a segurança de moradores e turistas, pedimos a imediata solução desse problema.

Solicitamos que os órgãos responsáveis pelas demandas contidas neste anexo mantenham o Projeto de Segurança de Ipanema (PSI) informado a respeito das providências cabíveis e colocamo-nos à disposição para ajudar no que for possível para resolver os problemas aqui relatados.
ANEXO 7 de 12
Da carta nº PSI 001-2010 de 19 de julho de 2010

Descaso, abandono e insegurança do Jardim de Alá

Ficamos sabendo pela imprensa que a mesma empresa que montou uma academia de ginástica na orla em 2008 e 2009 montaria outra no Jardim de Alá. O local, que já foi um ponto alto do bairro, encontra- se completamente degradado, sujo, com equipamentos quebrados, transformado em um enorme parque para cachorros, sem estar devidamente preparado para isso, e, para agravar ainda mais a situação, virou moradia de população de rua e local de coleta e revenda para catadores de lixo.

Se a prefeitura vai de fato autorizar que uma empresa utilize mais este espaço público, pedimos conhecer o projeto antes que a autorização seja concedida. O mínimo que deveria ser exigido é que essa empresa adote o jardim, restaure seu mobiliário e paisagismo, garanta a sua limpeza e coloque segurança público-privada no local.

Solicitamos que os órgãos responsáveis pelas demandas contidas neste anexo mantenham o Projeto de Segurança de Ipanema (PSI) informado a respeito das providências cabíveis e colocamo-nos à disposição para ajudar no que for possível para resolver os problemas aqui relatados.

ANEXO 8 de 12
Da carta nº PSI 001-2010 de 19 de julho de 2010

Calçamento extremamente danificado da Rua Visconde de Pirajá

Não existe manutenção das cerâmicas vermelhas e da parte de cimento nas calçadas da Rua Visconde de Pirajá. Seu estado é deplorável. O material usado é de pouca durabilidade, e mesmo depois de feita a manutenção em ou outro trecho, em pouco tempo de uso ele se quebra, surgem buracos, dando um aspecto horrível às calçadas e prejudicando o comércio e os passantes. Pedimos conhecer o projeto da Prefeitura para solucionar este problema.

Solicitamos que os órgãos responsáveis pelas demandas contidas neste anexo mantenham o Projeto de Segurança de Ipanema (PSI) informado a respeito das providências cabíveis e colocamo-nos à disposição para ajudar no que for possível para resolver os problemas aqui relatados.

ANEXO 9 de 12
Da carta nº PSI 001-2010 de 19 de julho de 2010

Desordem urbana agravada por Feira de Artesanato na Praça General Osório

A Praça General Osório, mesmo com a chegada do metrô, continua caótica: há muita sujeira, população de rua, ambulantes e grades quebradas. O chafariz das siracusas está depredado e tem sistematicamente suas peças roubadas. As calçadas em péssimo estado têm até banheiro químico instalado permanentemente.

Para agravar ainda mais, há total descaso de conservação e limpeza nos vários pontos finais de ônibus no entorno da praça – nas Ruas Teresa Aragão, Prudente de Moraes e Teixeira de Melo, além do terminal de integração do metrô na Rua Visconde de Pirajá. Acrescente a tudo isso os pontos de van piratas e ainda os pontos de táxi durante os dias de feira (feira de “artesanato” aos domingos, feira-livre às terças).

A feira de artesanato – também conhecida como feira hippie - que acontece aos domingos começou por volta de quarenta anos atrás com cerca de trinta artesãos. Pouco a pouco, ela foi se transformando em um amontoado com 600 ambulantes cuja grande maioria hoje nada tem a ver com o princípio de uma feira de produtos artesanais. Virou um camelódromo onde se vende de tudo: alimentos feitos na hora, servidos em todas as esquinas da praça, sem condições de higiene, produtos falsificados, sem origem comprovada, contrabandeados (roupas, óculos, bonés, DVDs, bijuteria industrializada, etc.).

São diversos os órgãos públicos encarregados de organizar, fiscalizar e policiar o local: Fundação Kalouste Gulbenkian, Receita Municipal, Receita Federal, SEOP, Secretaria de Manutenção, Controle Urbano, Polícia Militar, Guarda Municipal e Polícia Civil, o que inviabiliza que consigamos exigir uma ação saneadora minimamente eficiente. Diante de tal fato, nós, moradores de Ipanema, profundamente incomodados com a desordem descontrolada a que somos submetidos todos os domingos, pedimos a imediata remoção da feira de artesanato para outro bairro, em local adequado para um evento do porte que a feira tem atualmente.

Solicitamos que os órgãos responsáveis pelas demandas contidas neste anexo mantenham o Projeto de Segurança de Ipanema (PSI) informado a respeito das providências cabíveis e colocamo-nos à disposição para ajudar no que for possível para resolver os problemas aqui relatados.

ANEXO 10 de 12
Da carta nº PSI 001-2010 de 19 de julho de 2010

População de rua continua a fazer das calçadas do bairro sua residência

A população de rua se espalha por todo o bairro. As ações de recolhimento infelizmente não têm sido suficientes para melhorar o problema. Pedimos reforço na fiscalização.

Solicitamos que os órgãos responsáveis pelas demandas contidas neste anexo mantenham o Projeto de Segurança de Ipanema (PSI) informado a respeito das providências cabíveis e colocamo-nos à disposição para ajudar no que for possível para resolver os problemas aqui relatados.



ANEXO 11 de 12
Da carta nº PSI 001-2010 de 19 de julho de 2010

Albergues da Rua Barão da Torre, 175 e a piora na desordem urbana

Impera a sujeira e a desordem no trecho da Rua Barão da Torre, que começa imediatamente antes banca de jornal na altura do número 175 até a esquina com a Rua Farme de Amoedo. Aparentemente os albergues da vila de número 175 incentivam seus clientes a usarem a calçada, principalmente o trecho vizinho à banca de jornal, como um bar ao ar livre, deixando a calçada em estado lamentável com literalmente montanhas de papéis, latas, restos de alimentos etc. O restaurante New Natural agrava a situação, servindo clientes em um trecho que nem mesmo fica em frente ao seu estabelecimento.

Muitos dos desordeiros que emporcalham esse trecho da calçada são jovens hospedados no albergue, a maioria europeus acostumados à excelência da ordem urbana de seus países de origem, mas que no Brasil parecem ser encorajados pelos comerciantes a agravar o já precário estado de nosso bairro. Os estrangeiros são levados a acreditar que este seja o comportamento natural do brasileiro, pelo que dizem os turistas, os proprietários dão a entender que emporcalhar a própria calçada faz parte do jeito “carioca, descontraído” de ser.

Pedimos um choque de ordem em todos os estabelecimentos daquele trecho da Rua Barão da Torre, entre o número 175 e a esquina com a Rua Farme de Amoedo.

Solicitamos que os órgãos responsáveis pelas demandas contidas neste anexo mantenham o Projeto de Segurança de Ipanema (PSI) informado a respeito das providências cabíveis e colocamo-nos à disposição para ajudar no que for possível para resolver os problemas aqui relatados.



ANEXO 12 de 12
Da carta nº PSI 001-2010 de 19 de julho de 2010


Camelôs em pontos fixos nas ruas e esquinas mais movimentadas de Ipanema

Assim como em relação à população de rua, a repressão aos camelôs tem sido ineficiente.

Em 2009, o Projeto de Segurança de Ipanema (PSI) fez uma campanha de esclarecimento. Colocamos 16 faixas espalhadas pelo bairro conscientizando a população a respeito dos malefícios que representam a esmola e a compra em camelôs.

Pedimos a intensificação à repressão aos camelôs.

Solicitamos que os órgãos responsáveis pelas demandas contidas neste anexo mantenham o Projeto de Segurança de Ipanema (PSI) informado a respeito das providências cabíveis e colocamo-nos à disposição para colaborar no que for possível para resolver os problemas aqui relatados.

VISITA -SECRETARIA DE ASSISTÊNCIA SOCIAL


" Um grupo do PSI visitou hoje instalações da Secretaria de Assistência Social para amparo a moradores e menores de rua, dando prosseguimento ao projeto de parceria visando às ações em Ipanema. Fomos recebidos pelo Sub Secretário, Dr. Carlos Augusto de Araujo Jorge , que nos acompanhou em toda a visita, juntamente com Luiza Salatino sua Assessora e quem dá o suporte da coordenação da sub secretaria com o PSI .
Podemos entender todo o processo que é feito constantemente pela Secretaria de Assistência social. As operações têm como finalidade acolher os moradores de rua, espalhados pelos bairros do Município do Rio de Janeiro. Tais Moradores são levados para as Centrais de Recepção e lá é feito a triagem de cada um para que os mesmos sejam encaminhados para abrigos da Prefeitura visando atender as necessidades e demandas de cada individuo acolhido pelas equipes operacionais.
Para poder funcionar a Sub Secretaria de Proteção especial conta com equipes de educadores, assistentes sociais e psicólogos.
Inicialmente fomos a um abrigo para menores e adolescentes: o Centro de Acolhimento Ayrton Senna, no bairro de Vila Isabel. O abrigo têm a capacidade para acolher 120 crianças e adolescentes em situação de extrema vulnerabilidade social. Os mesmos são divididos por idade, sexo e perfil. São acompanhados diretamente por educadores sociais, e recebem moradia, alimentação, roupa e remédios. Participam também de atividades comunitárias. Vimos garotas de quinze, 16 anos, com seus filhos, recebendo toda a atenção, carinho e suporte.
Observamos a dedicação das assistentes sociais, funcionários em geral,o que pode ser constatado pelo carinho que os assistidos demonstravam pelas mesmas.
Podemos observar de perto toda infra - estrutura que a Secretaria tem dado aos abrigados. Em todas as unidades constatamos o compromisso dos profissionais e do Secretário para com as pessoas e as instalações. Quartos, alojamentos, encontram- se em bom estado.
Em seguida fomos à Embaixada da Liberdade, Vianinha que iniciou suas atividades no dia 21 de dezembro de 2009.
Hoje funciona todos os dias da semana, no período de 24h.
Trata-se de uma modalidade de Casa de Convivência como previsto pelo Plano Municipal de Enfrentamento ao Uso Abusivo de Crack e de Outras Substâncias Psicoativas por Crianças e Adolescentes na Cidade do Rio de Janeiro, visando a promoção da Reabilitação Psicossocial desses jovens.
Como estratégia para nortear o trabalho, houve a escolha da redução de danos, visto que o reconhecimento desta estratégia é amparado pelo artigo 196 da Constituição Federal Brasileira e defendido como Diretriz da Resolução Nº 3/GSIPR/CH/CONAD, de 27 de Outubro de 2005, que aprova a Política Nacional sobre Drogas, além de ser preconizado pelo Sistema de Garantia de Direitos da Lei Federal Nº 8.069/90 que dispõe sobre a proteção integral à criança e ao adolescente, intitulado Estatuto da Criança e do Adolescente. Esta legislação, prevê que às crianças e aos adolescentes, sejam assegurados o direito à saúde e ao acesso às estratégias de redução de danos.
É um serviço aberto e, portanto, uma experiência piloto no município do Rio de Janeiro que intenta constituir-se como laboratório para iniciativas no que tange a abordagem das complexas questões inerentes a drogadicção de sujeitos compreendidos nas faixas etárias da infância e da juventude.
Oferece diariamente atendimento a 25 crianças e adolescentes em situação de rua, usuárias de crack e outras substâncias psicoativas, na faixa etária de até 17 anos e 11 meses. Sua ação é realizada por uma equipe multiprofissional formada por: Assistentes Sociais, Psicólogo, Pedagogo, Terapeuta Ocupacional, Oficineiros, Educadores Sociais e demais profissionais que dão suporte ao funcionamento da casa. Nossa intervenção é cotidianamente pensada para se realizar em parceria com a rede sócio-assistencial articulando ações integradas com outras políticas públicas setoriais, tais como: Saúde, Educação, Cultura, Esporte e Lazer, dentre outras que são determinantes e subsidiárias do processo de reabilitação psicossocial.
Se propõe a ser um local de cuidado, onde torna-se primordial privilegiar: os cuidados com a higiene; o oferecimento de alimentação adequada a fase de desenvolvimento em que seu público se encontra; proteção do frio, da chuva e do calor; e, principalmente, um espaço de construção de relações de vínculo afetivo-profissional que venha a possibilitar uma posterior reflexão a respeito dos direitos das crianças e adolescentes; os riscos da vida na rua e do uso das drogas; e, finalmente, a importância do encaminhamento para abrigamento institucional nas unidades de acolhimento especializados para crianças e adolescentes dependentes de crack e substâncias psicoativas.
A embaixada da liberdade têm como finalidade não só tratar do acolhimento institucional (abrigamento) mas também oferece o tratamento para a dependência química e ainda a construção de outros valores para vida a fim de garantir: a saída das ruas e proteção e amparo com vistas ao início do processo de Reabilitação Psicossocial.
Mais uma vez comprovamos o zêlo e dedicação dos funcionários. Muitos adolescentes dependentes de drogas, estavam no local: alguns dormindo, outros almoçando, alguns em cantos com os olhos perdidos ...
Finalmente nos dirigimos ao Centro de Triagem, onde os necessitados são recebidos, feita a triagem e encaminhados conforme o caso, para abrigos. Muitos preferem ficar por lá mesmo, provavelmente pela identificação com os funcionários e para com o local. No momento em que estivemos no abrigo estava sendo realizada uma festa, com a bateria da Escola de Samba da Ilha do governador e podemos ver de perto a alegria de funcionários e abrigados dançando e se divertindo. Todos participando.
Saímos todos impressionados com este trabalho dignificante feito pela Prefeitura , através a Secretaria de Ação Social, trabalho quase anônimo, não divulgado e que merece TODO O APOIO DA SOCIEDADE, pela transparência, seriedade e dedicação. A começar pelo Secretário de Assistência social, Fernando William, o Sub Secretario de Proteção Especial, Dr. Carlos Augusto de Araujo Jorge psiquiatra, o homem certo no local certo, recebido pelos internos com carinho e sempre com um abraço e conversa para cada um.
O exemplo vem de cima, e assim, todos o seguem.
Mas eles necessitam de ajuda: brinquedos, livros, roupas, sapatos, movéis, etc. Pretendemos também que, para as próximas reuniões do PSI, cada um traga um kg de arroz, ou feijão, ou macarrão, óleo, enfim , alimentos não perecíveis , que serão recolhidos e enviados . Vamos coordenar com o Notre Dame um local onde ficará a doação para a kombi apanhar.
Amigos voluntários do PSI, a parceria começou, mas que ela não fique restrita a telefonar para a Luiza e pedir que a mesma faça o acolhimento de moradores de rua. Vamos ajudar, vamos doar!
Este trabalho da Secretaria de Assistência Social precisa ser conhecido e reconhecido. Se puder dissemine-o, quem tiver contato com a mídia, envie esta notícia.
Para doações, ligar para Luiza Salatino. Tel.: 7713- 8461. Ela mandará uma equipe ao local para buscar.
Quem conhecer empresários marque uma visita , peçam que ajudem."
PROJETO DE SEGURANÇA DE IPANEMA

Rogerio Esteves
Coordenador
projetodeipanema@terra.com.br
psipanema.blogspot.com LEIAM NOSSO BLOG

MAURO VENTURA

Enviado por Mauro Ventura -

Cena urbana

Na principal rua de Ipanema, a Visconde de Pirajá, um rapaz faz propaganda para Rodrigo Bethlem, ex-secretário especial da Ordem Pública e agora candidato a deputado federal.
Ele balança duas imensas bandeiras onde se lê "Choque de ordem", referência à principal realização de Bethlem. A seu lado, duas senhoras começam a montar uma barraquinha, em frente a uma loja chique. A cena chama a atenção. As bandeiras "Choque de ordem" sendo agitadas bem ao lado de duas camelôs, que não têm autorização para estar ali - só podem ficar em ruas transversais.
O cabo eleitoral justifica a atitude delas:
- É melhor do que se estivessem roubando.
Perto dali está a coordenadora do grupo que faz campanha para Bethlem. Sem me identificar, pergunto se ela concorda com a afirmação de seu subordinado.
- Ele vai levar um esporro quando entrar na van.
Menos mal.

HOMENAGEM



Homenagens e revolta com a polícia carioca

Rio - Amigos realizaram emocionadas homenagens ao músico Rafael Mascarenhas ontem. De madrugada skatistas do grupo Josi’s Long Board, da Tijuca, fizeram tributo sobre rodas no Baixo Gávea. Vestindo camisas brancas, eles promoveram descida coletiva na Rua Marquês de São Vicente. À tarde, cerca de 50 amigos e colegas se reuniram na Praia de Ipanema, durante gravação do programa ‘Geleia do Rock’, do Multishow, do qual Rafael participava. Irmão do músico, o ator João Velho, 26 anos, participou do tributo, que será exibido terça, num dos blocos do ‘reality show’ musical, que começa às 22h30.
Amigos do programa ‘Geleia do Rock’ gravaram homenagem a Rafael na Praia de Ipanema Foto: Wallace Barbosa / Ag. News
“Essas homenagens têm nos dado forças para seguir em frente”, contou João. Mesmo antes de saber da extorsão, ele não poupou críticas à polícia e classificou de “palhaços” os PMs que liberaram o atropelador. “Liberar um carro desses é um absurdo. Eles acham que a gente é idiota”. Na praia, os jovens tocaram músicas para Rafael. André Coelho, amigo do jovem, exibiu tatuagem que fez na canela com o nome ‘Rafa’. No final, eles se abraçaram e rezaram. Velho nadou com prancha que era de Rafael, junto de João Gonçalves e Luís Quinderé, que estavam com o rapaz no túnel onde morreu.

sexta-feira, 23 de julho de 2010

PEGA LADRÃO !

PM prende 3 e apreende 1 menor por assalto a australiano23 de julho de 2010 • 10h28 •


Policiais militares do 23º BPM (Leblon) prenderam três homens e apreenderam um menor de idade que roubaram um turista australiano em Ipanema, na zona sul do Rio. Após serem alertados, PMs fizeram uma ronda e encontraram os criminosos com dinheiro e joias da vítima.
A PM informou que o crime ocorreu por volta de 2h desta sexta-feira na Rua Visconde de Pirajá. Os bandidos não estavam armados.

PEGA LADRÃO !

Adolescente suspeito de assaltar joalheria é detido em São Gonçalo

Crime aconteceu horas antes a prisão, no Centro da cidade.Ele teria ameaçado funcionária e clientes com uma arma de brinquedo.

Do G1 RJ

Agentes da 72ª DP (São Gonçalo) detiveram em flagrante, nesta quinta-feira (22), um adolescente de 16 anos suspeito de assaltar uma joalheria em São Gonçalo, na Região Metropolitana do Rio de Janeiro. Segundo a Polícia Civil, o crime aconteceu horas antes a prisão, no Centro da cidade.
De acordo com os agentes, o menor foi surpreendido pelos agentes durante um patrulhamento de rotina na região. Os policiais desconfiaram do suspeito e realizaram a abordagem. O rapaz não reagiu à prisão.Ainda segundo a polícia, o adolescente teria ameaçado uma funcionária da loja e algumas clientes com uma arma de brinquedo.
Com ele foram apreendidos 43 cordões banhados a ouro, cinco pulseiras banhadas a ouro e quatro óculos. No total, os produtos valiam R$1.5 mil.Outros crimesNa sexta-feira (9), policiais da 14ª DP (Leblon) identificaram na noite desta sexta-feira (9) um dos suspeitos de assaltar uma joalheria na galeria Fórum de Ipanema, na Rua Visconde de Pirajá, em Ipanema, na Zona Sul do Rio.
Segundo a polícia, a identificação aconteceu após análise das imagens do circuito interno de lojas nos arredores do local.A joalheria foi assaltada na tarde desta sexta-feira (9). De acordo com a Polícia Militar, os criminosos levaram as joias que estavam expostas na loja. Os suspeitos conseguiram fugir.
Policiais Militares chegaram a fazer buscas na região, mas ninguém foi encontrado. Ninguém ficou ferido. O caso foi registrado na 14ª DP (Leblon)Já em Bangu, na Zona Oeste, uma perseguição policial acabou com dois suspeitos presos e dois baleados, na tarde de segunda-feira (5), no Bangu Shopping.
Segundo a polícia, o grupo tinha acabado de roubar uma joalheria num shopping da região.Assalto na TijucaNo sábado (3), uma outra joalheria foi assaltada no Shopping Tijuca, na Zona Norte no Rio.
De acordo com a assessoria do shopping, dois homens armados invadiram a loja e anunciaram o assalto. Eles renderam os funcionários e roubaram uma pequena quantidade de joias.

quinta-feira, 22 de julho de 2010

CUIDADO !!!! PERIGO


ESQUINA DE PRUDENTE DE MORAIS C/JOANA ANGÈLICA.
FIZERAM UMA RAMPA E ESQUECERAM DE TIRAR O RESTO DE HIDRANTE.
CUIDADO QUANDO ATRAVESSAREM A RUA !!!!!!!!!!!

quarta-feira, 21 de julho de 2010

EMAIL RECEBIDO

Caros vizinhos e colegas,

A Associação de Moradores e Amigos do Jardim Botânico, AMA JB, precisa da ajuda de todos os moradores do Rio de Janeiro. Preocupados e aflitos com a recente questão fundiária do Jardim Botânico, vimos por meio desta pedir que as associações de moradores de todos os bairros se solidarizem com um problema que é de todos por se tratar de terras tombadas pelo IPHAN de patrimônio inegavelmente público.

A AMA JB criou um abaixo-assinado em resposta às tentativas de transformar em Área de Especial Interesse Social, para fins de urbanização e regularização, 19 núcleos em terreno da União e administrado pelo Jardim Botãnico, no Horto, privatizando um bem público que pertence a todos.

“Invasão ou não, a ocupação é ilícita, contra a lei. O estado de necessidade (moradia) de indivíduos que estão lá pode ser suprida de outras formas, e não justifica que se diga para todos os demais, também donos daquele espaço público, que eles perderão o seu direito coletivo para aqueles que ousaram descumprir a lei, ainda que justificado por um eventual estado de necessidade! E pior; que estes passaram a ter, pela ousadia do ilícito, a conquista de um direito individual de propriedade!”
Retirado do blog da Sra. Sonia Rabello - Professora Titular de Direito Administrativo e Urbanístico da UERJ e 1ª Suplente do Partido Verde na Câmara Municipal do Rio de Janeiro.

Acesse o nosso site, www.amajb.org.br, e assine o abaixo-assinado contra mais uma tentativa de depredação do patrimônio público do Rio de Janeiro. Divulgue para todos os seus contatos e associados !

Alfredo Piragibe Jr
Presidente AMA JB
(21)8246-9318

EMAIL RECEBIDO

Caros vizinhos e colegas,

A Associação de Moradores e Amigos do Jardim Botânico, AMA JB, precisa da ajuda de todos os moradores do Rio de Janeiro. Preocupados e aflitos com a recente questão fundiária do Jardim Botânico, vimos por meio desta pedir que as associações de moradores de todos os bairros se solidarizem com um problema que é de todos por se tratar de terras tombadas pelo IPHAN de patrimônio inegavelmente público.

A AMA JB criou um abaixo-assinado em resposta às tentativas de transformar em Área de Especial Interesse Social, para fins de urbanização e regularização, 19 núcleos em terreno da União e administrado pelo Jardim Botãnico, no Horto, privatizando um bem público que pertence a todos.

“Invasão ou não, a ocupação é ilícita, contra a lei. O estado de necessidade (moradia) de indivíduos que estão lá pode ser suprida de outras formas, e não justifica que se diga para todos os demais, também donos daquele espaço público, que eles perderão o seu direito coletivo para aqueles que ousaram descumprir a lei, ainda que justificado por um eventual estado de necessidade! E pior; que estes passaram a ter, pela ousadia do ilícito, a conquista de um direito individual de propriedade!”
Retirado do blog da Sra. Sonia Rabello - Professora Titular de Direito Administrativo e Urbanístico da UERJ e 1ª Suplente do Partido Verde na Câmara Municipal do Rio de Janeiro.

Acesse o nosso site, www.amajb.org.br, e assine o abaixo-assinado contra mais uma tentativa de depredação do patrimônio público do Rio de Janeiro. Divulgue para todos os seus contatos e associados !

Alfredo Piragibe Jr
Presidente AMA JB
(21)8246-9318

ATA DA 66ª REUNIÃO

MOVIMENTO APOLÍTICO FORMADO
POR MORADORES VOLUNTARIOS PARA PROMOVER O BEM
ESTAR SOCIAL DO BAIRRO

ATA DA 66ª REUNIÃO

LOCAL: COLEGIO NOTRE DAME-RUA BARÃO DA TORRE 308-IPANEMA
DIA: 12 JULHO DE 2010—1800 HORAS
PRESENTES: 20 MORADORES E O REPRESENTANTE DA ADMINISTRAÇÃO
REGIONAL JULIO PEDRO.
COORDENADA POR: IGNEZ BARRETO

ASSUNTOS TRATADOS:
· HOUVE UM DEBATE SÔBRE A ENQUETE A SER REALIZADA
SÔBRE O CARNAVAL E REVEILLON EM IPANEMA FICANDO
DECIDIDO QUE ELA SERIA REALIZADA POR AMOSTRAGEM
CONFORME EXPOSTO NA ÚLTIMA REUNIÃO.
· FICOU COMBINADO QUE A VISITA À SUB-SECRETARIA DE
AÇÃO SOCIAL PARA CONHECIMENTO DO TRABALHO QUE
VEM SENDO REALIZADO SOBRE MENORES E MORADORES
DE RUA SERÁ NA QUINTA DIA 22 DE JULHO, ENCONTRO ÀS
DEZ HORAS EM FRENTE AO NOTRE DAME.HAVERÁ UMA KOMBI
PARA TRANSPORTE. DEVERÃO COMPARECER ROGERIO, LUIZA
SALATINO( DA SUB-SECRETARIA),CRISTINA,SANDRA, GEORGIANA,
GEORGE ANDRE.
· ESTÁ SENDO ENVIADA AO PREFEITO UMA CARTA ONDE TODOS
OS PONTOS LEVANTADOS NAS ÚLTIMAS REUNIÕES ESTÃO LISTADOS
E PROVIDÊNCIAS SÃO SOLICITADAS. SERÁ DISSEMINADA PELO
BLOG CÓPIA DA CARTA
· ESTÁ SENDO AGENDADA REUNIÃO COM O SECRETARIO DA
ORDEM URBANA SÔBRE A SEGURANÇA DA PRAÇA NSRA.PAZ
· GEORGIANA INFORMOU QUE OS BARRAQUEIROS PROPÕEM
UMA CONSCIENTIZAÇAO PARA MANTER A AREIA LIMPA COM
UM MUTIRÃO DIA 7 DE AGOSTO . SUGERIDA TAMBÉM QUE A
PREFEITURA FAÇA UMA CAMPANHA TIPO “ SUGISMUNDO”.
FOI SOLICITADO QUE O PSI ACIONE A COMLURB PARA COLOCAR
MAIS LIXEIRAS NA AREIA.
· INFORMADO TAMBÉM QIE O PROJETO DE RESTAURAÇÃO DA
ORLA ESTÁ EM PLENO ANDAMENTO.

PRÓXIMA REUNIÃO DIA 26 DE JULHO SEGUNDA ÁS 1800 H
NO COLEGIO NOTRE DAME BARÃO DA TORRE 308

EXERÇA A CIDADANIA! PARTICIPE!!

NOSSO BLOG : PSIPANEMA.BLOGSPOT.COM
NOSSO E-MAIL: projetodeipanema@terra.com.br

VOCÊ SABIA QUE PELO NOSSO E MAIL PODEM SER DIRECIONADAS
TODAS AS RECLAMAÇÕES, SUGESTÕES??

ATA ELABORADA POR: ROGERIO ESTEVES

terça-feira, 20 de julho de 2010

DESPERDÍCIO




9 HS da manhã e a Praça da Paz,totalmente iluminada !

FEIRA ORGÂNICA - PRAÇA DA PAZ
















FEIRA ORGÂNICA - PRAÇA DA PAZ


A feira recebeu a presença de Fernando Gabeira hoje.













segunda-feira, 19 de julho de 2010

EU REPORTER




Enviado por leitor Jorge Caetano -

EU-REPÓRTER

Bueiros entupidos em várias ruas de Ipanema


O bairro de Ipanema está com os bueiros entupidos por falta de manutenção e limpeza. Quando chove é um caos, pois o vão entre o meio-fio e a rua se enche de água, dificultando o acesso à calçada. Fora isso, bueiros estão estourando todas as semanas e a Cedae é chamada às pressas. Há três dias, durante a forte chuva, os bueiros ficaram tão entupidos que espantaram os ratos, que subiram pelos esgotos e invadiram o meu prédio. Na madrugada de sábado, encontrei um rato grande gordo e cinza dentro do meu banheiro social. Descobri que há um orgão da prefeitura chamado zoonose que deveria cuidar desse problema. Liguei para lá e o atendente me disse que o órgão só funciona de segunda à sexta. Tive que dormir com o rato dentro de casa. Colocamos arroz com veneno para o rato, mas no sábado à noite o nosso visitante ainda estava preso no meu banheiro. A situação dos esgotos e ralos em Ipanema está insustentável!

SUSTO




Curto-circuito em poste provoca susto na praia de Ipanema

Por Leonardo Arromba -


A fiação, exposta e em curto-circuito (detalhe)

Rio de Janeiro (O Repórter) - Desta vez não foi um bueiro que explodiu. O estouro que assutou dezenas de pessoas que passeavam pelo calçadão da praia de Ipanema, no fim da tarde deste domingo, foi causado por um curto-circuito na fiação de um poste, em frente ao Colégio São Paulo. A poucos metros dali, funciona um quiosque, onde cariocas e turistas apreciavam a vista. Alguns deles, que tiravam fotos, tomaram um susto com as faíscas. Tudo aconteceu por volta das 17h30, quando a iluminação da orla foi acessa. Os fios, que estão expostos e desencapados, representam grande risco, principalmente para crianças e animais

sexta-feira, 16 de julho de 2010

PEGA LADRÃO !

Enviado por Athos Moura
-
Assaltava na praia

Homem é preso com pistola israelense

Policiais militares do 23º BPM (Leblon) prenderam na manhã desta sexta-feira, um homem com uma pistola israelense 9mm e pertences de uma vítima, que acabara de ser assaltada, na rua Visconde de Pirajá, em Ipanema. Segundo os PMs o homem estava de bicicleta com uma outra pessoa que conseguiu fugir.
O caso está registado na 14ª DP (Leblon).

quinta-feira, 15 de julho de 2010

COMPAREÇAM!!!!

Pessoal,

O “Arraiá do Solar” será dia 24 de julho, sábado, de 13h às 17h.

É o evento mais esperado do ano! Todo o Solar se mobiliza pra grande festa.
Terá tudo o que tem direito, danças de quadrilha, especialmente dos pequenininhos, comidas típicas, brincadeiras, etc.
Toda a renda arrecadada será em benefício do Solar.Para isso, buscamos contribuições para a festa. Aqueles que tiverem interesse em colaborar, estamos arrecadando doações.
Também precisaremos de voluntários no dia.
Segue abaixo nossas necessidades:• Prendas, muitas prendas para as barraquinhas!
• Objetos para rifar: utensílios de casa, cozinha, bijuterias, bolsas, etc.
• Descartáveis (copos, pratos, colher, garfo)
• Pratos típicos já prontos OU• Ingredientes para o cachorro-quente,
• Canjica, muita canjica!
Você poderia colaborar com algum item?
Caso não, poderiam repassar esse e-mail para seus amigos e familiares?
E se ainda assim, não puder, apenas
VENHA EM NOSSA FESTINHA!!!
Não preciso dizer que todos estão convidados, não é?
Obrigada,bjs,
Alessandra MaltarolloComunicação e EventosSolar Meninos de Luz2522 9524 / 8111 9527www.meninosdeluz.org.brwww.padrinhodecoracao.org.br

MAURO VENTURA



O som ruidoso da britadeira invadiu todo o ambiente. Espiei o relógio. Era uma da manhã de quinta-feira. Olhei da varanda e não consegui identificar a fonte de tanto barulho. Desci, apenas para descobrir que eram operários da prefeitura, trabalhando três horas além da Lei do Silêncio no recapeamento da orla de Ipanema. Tirei fotos e perguntei quem tinha autorizado aquele absurdo. Os dois funcionários disseram que havia um engenheiro responsável, mas que ele estava em outro lugar.
Outra moradora também apareceu e disse que tinha chamado a polícia. Ficamos esperando, até que veio uma patrulhinha. Não era a que tinha sido avisada, mas servia. O PM perguntou pela ordem de serviço e pelo responsável. Um dos operários, sem rádio ou celular, disse que ia a pé chamá-lo, mas que ia demorar porque ele estava longe.
Enquanto esperávamos, apareceu outra patrulhinha. Também não era a que foi chamada. Os primeiros policiais foram atrás do supervisor e os outros ficaram aguardando. Até que finalmente o engenheiro apareceu.
Perguntei por que estavam usando uma britadeira a uma da manhã.
- Temos que fazer a essa hora para não causar engarrafamento. - É justo. Mas por que não começa lá pelas 21h, quando o trânsito já melhorou, e vai até umas 23h? - Porque vai ter a Maratona do Rio, dia 18, e temos que aprontar a tempo.
- Mas se sabia que ia ter essa maratona por que não começaram as obras antes?
Nisso, chegou o carro de polícia que tinha sido chamado. Já era o terceiro que aparecia. Um dos PMs pediu a ordem de serviço.
O homem sacou uma folha de papel (fotos abaixo), que autorizava a interdição de vias de Ipanema e Leblon. Era datado do dia 20 de abril. Detalhe: não dizia a data de interdição, não detalhava o horário, não falava quais vias, não mostrava quem tinha autorizado e não vinha assinado.
Na última linha, lia-se: "Autorizar a interdição de uma faixa de trânsito em ambos os sentidos das seguintes vias."
O policial perguntou: - E onde está a segunda folha, que diz quais são as vias?
- Não tenho - admitiu o engenheiro, que se identificou como Marco Antônio.
Uma hora após eu descer para reclamar, finalmente a obra foi parada - apenas para recomeçar na noite seguinte, embora um pouco mais cedo.
Algumas coisas me chamaram a atenção. Primeiro: três patrulhinhas terem estado no local do "crime".
Segundo: a prefeitura não ver nada demais em descumprir acintosamente a Lei do Silêncio, apresentando um documento fajuto como justificativa. Se não tivéssemos interferido, a britadeira teria se estendido por toda a madrugada.








UPP - PAVÃO

PROCEDIMENTO INTERNO

Quatro policiais da UPP do Pavão são afastados
O Globo

RIO - Os quatro policiais da Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) do Cantagalo e Pavão-Pavãozinho acusados por um morador de tê-lo baleado, durante um incidente no último dia 4 de julho, foram afastados da unidade. Eles estão respondendo a um procedimento interno da Corregedoria da Polícia Militar, que, em última instância, poderá levá-los à expulsão da corporação.
(Morador conta como foi baleado. Assista)
- Os policiais foram retirados da UPP para que haja um procedimento apuratório interno. Se entendermos que o aspecto criminal prevalece, aí será instaurado um Inquérito Policial-Militar - explicou o coronel Robson Rodrigues da Silva, responsável pelo Comando de Polícia Pacificadora.
Na versão do morador atingido, André Luiz Gonçalves de Araújo, de 34 anos, não houve tiroteio na favela. Embora não tenha visto o autor do tiro, ele acredita que tenha partido de um dos quatro policiais. Já os PMs afirmam que houve troca de tiros, quando foram checar uma denúncia de que traficantes agiam na favela.

CAMPO MINADO



Campo minado

Aneel dá prazo para Light explicar explosão de bueiro em Ipanema

Gabriel Mascarenhas e Sérgio Ramalho


RIO - Responsável pela fiscalização das concessionárias de energia, a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) informou que aguardará até as 17h desta quinta-feira um relatório da Light com explicações preliminares sobre mais uma explosão de bueiro da concessionária, nesta quarta-feira, em Ipanema. A Aneel explicou ainda que já havia identificado problemas nas redes subterrâneas da concessionária, em vistorias realizadas no ano passado. A agência desenvolveu um cronograma de melhorias previstas para o sistema. De acordo com a Aneel, no último dia 7 representantes da empresa estiveram em Brasília para apresentar as intervenções feitas desde então. O documento está sendo analisado por técnicos da agência. Empresa admite ter que aperfeiçoar manutenção
O governo do estado, responsável pelo contrato firmado com a Light, informou, por meio de sua assessoria de imprensa, que não irá se pronunciar sobre a explosão de ontem. Procurada, a Light admitiu que "as ocorrências recentes mostram que é necessário aperfeiçoar e intensificar, ainda mais, a manutenção na rede". A concessionária argumenta, ainda no caso da rede subterrânea, que atende cerca de 500 mil consumidores, os investimentos passaram dos R$ 12 milhões, em 2009, para R$ 32 milhões, em 2010. No mesmo período, as despesas em manutenção também foram elevadas, segundo a Light: de R$ 6 milhões para R$ 10 milhões.
(Leia mais: Polícia pedirá à Light relatórios sobre acidentes com bueiros)
A explosão desta quarta ocorreu na Avenida Visconde de Pirajá, a mais movimentada de Ipanema, expondo um risco que vem se tornando comum. Um levantamento feito pelo GLOBO identificou um campo minado nas calçadas cariocas. Só nos últimos 16 dias, ocorreram três incidentes com bueiros, ou um a cada cinco dias. No caso mais grave, um casal de americanos foi gravemente ferido, no último dia 29, em Copacabana.
Em Ipanema, a explosão na galeria subterrânea da Light lançou a tampa de ferro a um metro de altura, assustando pedestres e comerciantes. Ninguém ficou ferido. Funcionários de uma loja que viram o incidente disseram ter sentido cheiro de fumaça momentos antes da explosão, ocorrida por volta das 13h, na altura do número 44. Ainda de acordo com as testemunhas, os técnicos da Light demoraram meia hora para chegar ao local.
Um ex-funcionário de alto escalão da Light, que pede para não ser identificado, atribui a responsabilidade pela sucessão de acidentes da mesma natureza ao encontro de dois elementos que provocam a explosão:
- Em 95% de casos como este, a causa é a presença de gás na galeria subterrânea, ou seja, a CEG entra com o combustível e a Light, com a faísca.
Em meio à busca por explicações, as explosões em bueiros estão se tornando rotina. No dia 29 de junho, um casal de turistas americanos foi atingido em cheio quando o bueiro na esquina da Rua República do Peru com a Avenida Nossa Senhora de Copacabana explodiu. Sarah Nicole Lowry, de 28 anos, foi arremessada, com a roupa em chamas, a uma distância de cerca de oito metros. Ela teve 80% do corpo queimado, enquanto seu marido, David James McLaughlin, de 31 anos, sofreu queimaduras em 35% do corpo. Ambos continuam internados - ela, em estado grave. Uma semana depois, nova ocorrência em Copacabana, na Rua Figueiredo Magalhães. Com o impacto da explosão, a roda dianteira esquerda de um táxi que passava pelo local ficou presa no bueiro . Não houve feridos.
Em março, por dois dias seguidos, explosões de bueiros da Light no Centro assustaram e feriram pedestres e prejudicaram o trânsito. No dia 8, duas mulheres ficaram levemente feridas na esquina das ruas do Ouvidor e Uruguaiana. No dia seguinte, na Avenida Presidente Vargas, o bueiro da Light explodiu e deixou várias ruas e prédios do Centro sem energia. O trânsito naquela área ficou congestionado. Para controlar o fogo, bombeiros precisaram interditar parte da pista da Presidente Vargas. Em Copacabana, houve outro susto no mesmo dia: dois bueiros começaram a soltar fumaça na esquina das avenidas Nossa Senhora de Copacabana com a Prado Júnior, e na esquina da Avenida Princesa Isabel com a Rua Ministro Viveiros de Casto.
Em fevereiro, moradores da Rua Santa Clara, em Copacabana, acordaram com barulho de estouros e fumaça. De acordo com a Light, o tumulto foi provocado por um curto-circuito na rede elétrica. Um bueiro explodiu e outro deixou escapar muita fumaça. Em setembro do ano passado, um acidente semelhante na esquina das ruas Primeiro de Março e Buenos Aires, no Centro, deixou uma pessoa ferida e danificou um carro.

VERGONHA



Vergonha

Leitor lamenta falta de limpeza e manutenção de chafariz da Praça General Osório

Ivan RiberioRibeiro dos Santos



RIO - Ipanema é um dos principais cartões postais do Rio de Janeiro. Diariamente, o bairro recebe a visita de dezenas de turistas do mundo todo e é considerado uma área nobre da cidade. Aos domingos, a tradicional Feira Hippie atrai centenas de pessoas. Entretanto, o mau estado da Praça General Osório é uma vergonha. O local continua com grandes falhas no calçamento de pedras portuguesas e, o pior, com o chafariz do mestre Valentim completamente abandonado. O lago está sempre sujo, com a água escura e cheia de lodo. É essa a imagem do Rio que queremos transmitir para outros estados do Brasil e para outros países? Uma pena...

quarta-feira, 14 de julho de 2010

CHOQUE DE ORDEM

Operação 'Supermercado Limpo' emite mais de 2 mil em multas

Rio - A subprefeitura da Zona Sul realizou na manhã desta quarta-feira, a operação “Supermercado Limpo” que, em conjunto com a 6ª Região Administrativa e a Vigilância Sanitária, inspecionou o supermercado Zona Sul, em São Conrado, e a padaria Eldorado, em Ipanema.
O Supermercado Zona Sul foi multado em R$ 1.012,42, por erro na validade de produtos. Mais de 13 quilos de produtos, entre frios, pães e massas de salgados, foram inutilizados e descartados. Meio quilo de queijo de cabra, fora da validade, também foi retirado de comercialização.
Uma outra multa foi aplicada no valor 506,24, pois foram encontradas barata próximo ao maquinário do balcão de sucos.
A padaria Eldorado, foi multada, no valor de R$ 1.012,42, pela falta de uma grade aço na parte de trás do forno além disso foi apreendido oito litros de mel, por irregularidades na rotulagem.

PERIGO !!!!!!!!!!!!!

Bueiro da Light explode em Ipanema

André Teixeira

RIO - A explosão de um bueiro da Light na altura do número 44 da Rua Visconde de Pirajá, em Ipanema, assustou moradores e comerciantes. Com a explosão, que ocorreu por volta das 13h, a tampa do bueiro foi arremessada a cerca de um metro de altura, mas não feriu ninguém nem causou dano material. Técnicos da Light chegaram meia hora depois da explosão e continuam no local. Eles não informaram o que provocou a explosão.

CHOQUE DE ORDEM




Choque de Ordem apreende 153 guarda-chuvas na Zona Sul do RJ

Ambulantes não tinham autorização para a comercialização.

Do G1 RJ

Durante a operação, 153 guarda-chuvas foramapreendidos (Foto: Divulgação/Seop)
Uma operação Choque de Ordem apreendeu 153 guarda-chuvas na manhã desta quarta-feira (14) nos bairros do Leblon, Ipanema e Copacabana, na Zona Sul do Rio.
De acordo com a Secretaria Especial de Ordem Pública (Seop), os ambulantes não tinham autorização da prefeitura para a comercialização dos produtos.

MEIO AMBIENTE

MEIO AMBIENTE

Lei que coíbe sacolas de plástico no estado entra em vigor na sexta-feira
Cláudio Motta


RIO - Nesta sexta-feira começa a vigorar a lei estadual que pretende reduzir o número de sacolas plásticas usadas no Rio. As lojas terão três alternativas: dar gratuitamente sacolas retornáveis aos clientes; oferecer a quem levar bolsas para transportar as compras um desconto de R$ 0,03 a cada cinco itens adquiridos; ou trocar um quilo de arroz ou qualquer outro produto da cesta básica, de valor similar, a cada devolução de 50 sacolas, que devem estar limpas. As medidas passarão a vigorar porque o governador Sergio Cabral vetou nesta terça-feira projeto de lei que prorrogava o prazo para a mudança entrar em vigor.
(Entre as alternativas às sacolas de plástico discutidas na Alerj, qual você prefere?)
No veto, o governador afirma que a proposta de mudança foi publicada há quase um ano e que seria inviável uma "prorrogação de uma norma já tão debatida e de relevância reconhecida na prevenção de graves danos ao ambiente".
Para o deputado Carlos Minc (PT), autor do projeto que ajuda na redução do uso de sacos, a lei será um divisor de águas no comportamento dos consumidores.
- O objetivo não é transformar isso num cofrinho, mas mudar o comportamento do consumidor. Vamos nos supermercados fiscalizar se as leis estão sendo cumpridas. O Rio gasta R$ 30 milhões por ano para limpar os rios. No primeiro ano, apenas os estabelecimentos médios e grandes terão que se adaptar. Os pequenos terão mais um ano - diz o ex-ministro do Meio Ambiente.
De acordo com a secretária estadual de Ambiente, Marilene Ramos, a lei é flexível e as pessoas poderão continuar usando sacolas plásticas. Além disso, a secretaria não vai punir os comerciantes que não se adaptarem às novas normas nos primeiros dias. Antes, as equipes da secretaria farão notificações e campanhas educativas:
- O saco plástico não vai sumir. A tendência é de que os estabelecimentos ofereçam descontos para quem não levar sacolas plásticas. São três centavos a cada cinco itens. Isso levará as pessoas a pensar: quero desconto ou sacos?
Marilene lembra ainda que os supermercados que optarem por trocar sacos usados por alimentos não têm a obrigação de receber os que estiverem sujos. Apesar destas condições, a Federação das Indústrias do Rio (Firjan) criticou a iniciativa do governo do estado. De acordo com a gerente jurídica da Firjan, Gisela Gadelha, a melhor saída é educar o usuário para que o destino dos sacos seja correto, aumentando os índices de reciclagem do produto:
- Os supermercados deveriam ter um tempo maior para se adaptar a estas mudanças.
O deputado Paulo Ramos, autor do projeto que prorrogava o prazo, diz que entrará na Justiça contra o veto.

POSTE FIRME



Postes do Rio serão reformados com o projeto "Poste Firme"

Redação SRZD

Depois de um poste tombar no último domingo, em Ipanema, e moradores reclamarem do estado de outros em bairros diferentes, a cidade maravilhosa vai ganhar um programa de reforma e manutenção de todos os postes da cidade. O projeto foi anunciado pelo prefeito Eduardo Paes na ultima terça-feira, que batizou o programa de "Poste Firme". Ele não divulgou detalhes da operação nem data para o início. Segundo ele, a ideia está sendo finalizada pelo secretário municipal de Conservação, Carlos Roberto Osório.Além desse projeto futuro, o Rio vai ter 700 quilômetros do asfalto recapeados nos principais corredores de tráfego em dois anos, com a "Operação Asfalto Liso".

Paes afirma que investirá no palacete de Botafogo
Além do anúncio do novo programa, Eduardo Paes também afirmou que a prefeitura vai comprar o palacete Linneo de Paula Machado, na rua São Clemente, em Botafogo. O prefeito acredita que é importante incorporar o imóvel, que vai representar mais um equipamento para a cidade, embora ainda não saiba o que funcionará nele. A aquisição deixou insatisfeita a presidente da Associação de Moradores e Amigos de Botafogo, Regina Chiaradia, que afirma que a compra valeria a pena se a prefeitura tivesse um grande projeto para o palecete, que já é tombado. Segundo ela, o valor poderia ser empregado em outro projeto para o bairro.

EMAIL ENVIADO

Ignez,

Infelizmente, não pude ir ontem na reunião do PSI, pois tinha compromisso.
Hoje, conforme havia comentado com vc na semana passada , o sr. Leonardo Spritzer, Administrador Regional, me recebeu para conversarmos sobre alguns problemas que estão ocorrendo em Ipanema. A
lgumas coisas que já tinha antecipado com ele pelo tel. já estão sendo resolvidas como moradores de rua, flanelinhas, avanço de restaurantes na calçada, som alto em alguns bares, chaveiro na Vinícius. Quanto à praça N.Sra.da Paz, onde já vem ocorrendo algum tempo, presença de camelôs, também será analisada a solução.
O Bruno do Quadrilátero do Charme foi junto e fez algumas reinvidicações.
Acredito que, à exemplo do Bernado, Bruno sub-prefeito e Bruno Assessor, também poderemos contarc com ele. Temos que levar em conta que eles têm uma tarefa muito difícil pois Ipanema estava abandonada na outra gestão.
Abraços
George André