sexta-feira, 13 de março de 2009

ESTACIONAMENTO NAS CALÇADAS

Hotéis de luxo da orla do Rio usam calçadas como estacionamento

Carlos Braga, Jornal do Brasil

RIO - Já imaginou dispor das calçadas como vagas particulares? A facilidade que a maioria dos cidadãos comuns não tem é franqueada a hóspedes de alguns dos principais hotéis da orla. Basta um giro pelas avenidas que margeiam as praias da Zona Sul para perceber como o Código Brasileiro de Trânsito, que proíbe estacionamento sobre o caminho destinado aos pedestres, é ignorado por esses estabelecimentos. Pelo menos um deles, o elegante Copacabana Palace, admite que paga as multas com as quais, eventualmente, seus clientes são brindados ao pararem no calçadão. Só neste ano, foram 1.052 multas na orla de Copacabana e Ipanema.

– São carros de hóspedes em situação temporária. Infelizmente, acontece. Alugamos um edifício garagem, próximo, para estacionar os carros mas quando o hotel está lotado, infelizmente, acabam vindo para a calçada. Isso acontece em toda a orla. Mas o hotel assume qualquer multa caso ocorra. O hóspede apresenta a multa e a gente paga – explica Gabriela Gurgel, da assessoria do Copacabana Palace.

Na outra ponta da praia, em Ipanema, a situação se repete. Nesta quinta pela manhã, um veículo modelo PT Cruiser, da Chrysler, ficou estacionado em frente ao Hotel Fasano por pelo menos 30 minutos, tempo que a equipe do JB permaneceu no local. A assessoria do hotel disse que os funcionários da empresa contratada são orientados para não deixar os carros sobre a calçada. Mas admite que, eventualmente, isso ocorre devido ao aumento inesperado do número de veículos que chegam ao Fasano. Nesta quinta teria sido um desses dias.
– Somos a favor da ordem nas nossas comunidades e o hotel faz de tudo para conseguir isso. Acontece que, quando fizeram a foto, houve um imprevisto. Às vezes chegam cinco veículos de hóspedes ao mesmo tempo que quatro carros com pessoas que vieram para o café da manhã no Fasano Al Mare (restaurante anexo) – explica a relações-públicas Paula Melo. – A orientação é para que o funcionário leve o carro o mais rápido possível para uma vaga legal. Mas há momentos em que isso não é possível. É uma questão de imprevisibilidade.
A Guarda Municipal garante manter fiscalização diária para coibir o estacionamento irregular na orla da Zona Sul. Nos últimos três meses, desde quando Eduardo Paes assumiu a prefeitura, a corporação registrou 812 infrações por estacionamento proibido ou em filas duplas na orla de Copacabana. Em Ipanema, durante o mesmo período, mais 240 multas foram aplicadas por estacionamento irregular. Durante a gestão Paes, até o dia 27 de fevereiro, em balanço da Secretaria de Ordem Pública, foram rebocados 4.225 veículos em toda a cidade, o que resulta na média de 76,8 carros a cada dia.
Com autorização
A assessora de imprensa Marcela Cerqueira, do Hotel Marina, no Leblon, diz que não se estacionam carros em cima da calçada do estabelecimento, e garante que as vagas liberadas foram autorizadas pela Guarda Municipal e pela Cet-Rio. Ressalva, porém, que por se tratar de um hotel, não se tem como proibir o embarque e desembarque de passageiros, assim como impedir que motoristas de agências de viagens ou de hóspedes parem e esperem por seus clientes.
Philippe Godefroit, diretor do Caesar Park, em Ipanema, explica que os carros flagrados na frente do hotel estão em vagas embaixo da marquise, às quais o hotel teria direito. Godefroit diz que o Caesar Park tem vagas em uma garagem próxima, onde são estacionados os veículos dos clientes.
O gerente geral do JW Marriott, em Copacabana, Jorge Berio, enviou um e-mail, por meio de sua assessoria, no qual explicava os carros sobre a calçada. Ele disse que o o hotel orienta clientes e hóspedes a realizarem apenas embarque e desembarque, e alerta sobre a penalidade de multa em caso de estacionamento irregular.
As assessorias do Othon e do Sofitel, ambos em Copacabana, não foram encontradas para explicar o estacionamento irregular flagrado em suas calçadas.

TODOS OS HOTÉIS DA ORLA DE IPANEMA COLOCAM OS CARROS SOBRE A CALÇADA DIÁRIAMENTE.ESQUECERAM DE FALAR DO SOL IPANEMA.

Um comentário:

Anônimo disse...

Moro na Rua João Lira, no Leblon e na minha rua tem o hotel Marina que não é diferente... o pior de tudo é que a polícia, que tem por obrigação nos defender, torna-se cúmplice pois param o quadriciclo (dirigido sem cinto de segurança e sempre falando no celular) em cima da calçada e ao lado dos carros estacionados irregularmente e vão comer no Bar da Praia e conversar com os manobristas do hotel.