PRAIAS CHEIAS




Praias ficam cheias na orla do Rio

Setor hoteleiro comemora alta taxa de ocupação nos hotéis.Segundo o Inmet, a previsão é de chuva para o réveillon.

Do G1, no Rio

Aves dão um espetáculo à parte na Praia de Ipanema, na Zona Sul, ao sobrevoarem o mar (Foto: Michel Filho / Ag. O Globo)

Banhistas e turistas aproveitaram esta terça-feira (30) para caminhar na orla de Copacabana e Ipanema, na Zona Sul, e na Barra da Tijuca, na Zona Oeste. Os termômetros chegaram a 34 graus.A rede hoteleira do Rio comemora a alta taxa de ocupação de 94,2% dos hotéis em toda a cidade, sendo que Copacabana e Leme registraram 97% de lotação. Segundo o presidente da Abih-RJ, Alfredo Lopes, o setor superou as dificuldades do fim do ano e o número de reservas de última hora ultrapassou as expectativas. No ano passado, neste mesmo período, a média de ocupação na cidade era de 92%. A previsão para a noite de réveillon é de chuva, mas a alta temperatura deverá permanecer pelos próximos dias. Confira a previsão do tempo aqui.

POLICIAMENTO NO REVEILLON

Policiamento no Réveillon mobilizará um terço da tropa

Paula Máiran,

JB Online

RIO - O policiamento especial no Réveillon do estado - batizado como Operação Presença - vai mobilizar 14.742 dos cerca de 40 mil homens da Polícia Militar. O equivalente a mais de um terço da tropa, 4.213 PMS cuidarão da orla das zonas Sul e Oeste da capital, do Aterro do Flamengo ao Recreio dos Bandeirantes. Só no Leme e em Copacabana ficarão concentrados 1.708 homens, quase dez vezes mais do que os 180 que costumam patrulhar o bairro em um dia normal. Mas nem todos estarão na praia. As favelas da Babilônia e Chapéu Mangueira, no Leme, Ladeira Tabajaras, Cabritos e Pavão-Pavãozinho terão seus acessos e imediações mais vigiados do que o habitual.

De acordo com o Relações Públicas da Polícia Militar, tenente-coronel Rogério Luiz Teixeira Leitão, o policiamento de Copacabana contará com aumento de 42% no número de PMs. Mas isso não se deveria, segundo ele, ao cancelamento das festas no Aterro do Flamengo e em Ipanema, que nos últimos anos promoveram uma maior distribuição da população ao longo da orla.

- Independentemente do cancelamento das festas em outras praias, já havia a intenção prévia de reforçar o policiamento em Copacabana, onde há expectativa de se reunir até 2 milhões de pessoas - explicou o oficial.

Na Zona Sul, além de Copacabana, o Aterro do Flamengo e Ipanema, mesmo sem eventos programados, e a Lagoa Rodrigo de Freitas contarão com a Operação Presença da PM.

Haverá 305 homens no Piscinão de Ramos, um dos principais pontos de queima de fogos e shows na Zona Norte. Assim como haverá ainda o esquema especial na Penha e na Ilha do Governador. A PM também planeja incrementar o policiamento na Praia da Brisa, em Pedra de Guaratiba, na Zona Oeste. Entre os pontos contemplados com o policiamento especial também estará o Pier da Praça Mauá, onde devem aportar três transatlânticos neste Réveillon, com 13.265 turistas.
A operação vai contemplar também as estações ferroviárias, de metrô e barcas, terminais rodoviários e a Rodoviária Novo Rio, a Avenida Brasil, a Linha Amarela e a Vermelha, assim como o Elevado da Perimetral.

A PM vai aumentar ainda a sua presença nos balneários da Região dos Lagos, a Região Oceânica de Niterói, a Ilha de Paquetá, as praias de Sepetiba, Macaé, Angra dos Reis, Itaguaí.
As tropas especiais da PM, como o Batalhão de Operações Especiais (Bope) e o Batalhão de Choque, estarão de prontidão. Além disso, ao todo, serão empregados 2.020 veículos pela PM, dos quais 64 em Copacabana. O helicóptero do Grupamento Aéreo-Marítimo da PM também poderá ser acionado.

SEGURANÇA

Leitores concordam com cancelamento da festa em Ipanema

Rio - A maioria dos leitores de O Dia Online não se importaram com o cancelamento da festa de fim de ano no bairro de Ipanema, na Zona Sul da cidade, proibida pela polícia militar. Para 66,5% não haverá segurança.



No entanto, o evento deve ser tão seguro como nos outros locais onde haverá festa organizada pela prefeitura, na opinião de 33,5% dos que votaram na enquete.
O secretário municipal de Turismo, Rubem Medina, manifestou preocupação com a segurança no Réveillon de Copacabana. Com o cancelamento da festa no Aterro do Flamengo e em Ipanema, a virada do ano em Copa deve ter um público maior do que a expectativa inicial, de 2 milhões de pessoas. Sem outra opção gratuita na Zona Sul, Medina teme superlotação na Princesinha do Mar, principalmente próximo ao palco, entre as ruas Figueiredo Magalhães e Santa Clara. A PM não havia liberado a festa da virada nas duas praias.

Confira o resultado completo:

Você concorda com o cancelamento da festa de reveillon em Ipanema?
Sim. Não haverá segurança 66,5% (4057 votos)
Não. O evento é tão seguro quanto em outras praias 33,5% (2048 votos)
Total: 6105 votos

DISQUE - ENTREGA

Praias do Rio ganham disque-entrega pelo celular


Vendas pelo telefone celular, chope tirado na areia, lanches especiais para a hora da "larica" (a fome dos consumidores de maconha) e mangueiras para molhar os pés dos banhistas são alguns dos novos serviços criados pelos vendedores de praia no Rio na disputa pelo bolso dos cerca de 500 mil banhistas que, segundo a prefeitura, freqüentam as praias nos fins de semana.

Neste verão, está em alta a "entrega em canga". Da areia, os clientes ligam para o celular de vendedores ambulantes, que se posicionam em trechos estratégicos da praia, de acordo com o público-alvo, à espera das ligações. Acostumados a caminhar até 30 km por dia, entre o Arpoador e o posto 12, no Leblon (zona sul), os ambulantes descobriram no celular uma forma de aumentar as vendas. Começaram a distribuir seus números areia afora.

"Assim falando, não me lembro quem é, mas já, já passo por aí", respondia, em um de seus dois celulares, o vendedor de biquínis José de Castro, 32, enquanto fazia fotos para esta reportagem. Em dez minutos, tocaram três vezes.

Lanche para o pôr-do-sol "Na praia é muito mais prático comprar. Você fica sentada na canga, pegando sol e os preços também são melhores", conta a coordenadora de eventos Ana Karina Wildt, 29, uma das que aderiram aos biquínis da praia. Ela e a amiga, a professora de ioga Joana Guratzsch, 29, dizem já ter levado para casa óculos, cangas e brincos.

Para o vendedor de sanduíches naturais Edmilson Pereira, 30, a estratégia veio de forma espontânea. "As pessoas começaram a pedir o número do meu celular para a hora do almoço", conta ele. Com a ajuda do aparelho, Pereira diz vender uma média de 50 sanduíches por dia, a R$ 5 cada. Mas também conta com táticas próprias. Uma delas é chegar à areia por volta das 12h30, "na hora da fome". Até as 15h, conta o vendedor, o isopor já foi esvaziado.

O açaí é um dos lanches preferidos dos fregueses na "hora da larica", que, segundo os ambulantes, vai das 17h ao pôr-do-sol, por volta das 19h30.

Outras vedetes do fim de tarde são o brownie, o biscoito de polvilho Globo e os salgados árabes, que são comercializados por vendedores devidamente uniformizados de turbantes e túnicas.

Comida japonesa

Um restaurante inaugurou neste mês um serviço de entrega de temakis (tipo de comida japonesa) na praia de Ipanema que atende por telefone. De acordo com uma pesquisa feita em 2006 pela Fundação Cesgranrio, as vendas nas praias cariocas geram em média R$ 80 milhões por mês.

Alguns comerciantes reeditaram neste verão o chope tirado na hora. Há um mês, dois carrinhos com barris de chope se revezam entre a orla e a areia de Ipanema, na altura dos postos 9 e 10. Por R$ 3,50, tiram na hora 400 ml de chope.

Há novidades para refrescar também os pés. Uma marca de roupas contratou 14 meninos que circularão pelas praias de Ipanema e do Leblon com barris de água nas costas e mangueira nas mãos. A idéia é, além de aliviar o calor, lavar os pés de quem não quer sair da praia com areia no chinelo. Os "molhadores de pé", segundo a rede de lojas, entram em ação em 26 de janeiro.

Folha Online

FELIZ ANO NOVO !!!

FELIZ ANO NOVO !!!

2009


Receita de Ano Novo(Carlos Drummond de Andrade)


Para você ganhar belíssimo Ano Novo...

Não precisa fazer lista de boas intençõespara arquivá-las na gaveta.


Não precisa chorar de arrependimentopelas besteiras consumadas

nem parvamente acreditar que por decreto


da esperança a partir de Janeiroas coisas mudem e seja claridade,

recompensa, justiça entre os homens e as nações,


liberdade com cheiro egosto de pão matinal,

direitos respeitados,começando pelo direito augusto de viver.


Para ganhar um ano-novo que mereçaeste nome,

você, meu caro, tem demerecê-lo, tem de fazê-lo novo,


Eu sei que não é fácil mas tente,experimente, consciente.

É dentro de você que o Ano Novocochila e espera desde sempre.

UM MARAVILHOSO 2009 PARA TODOS !!!!!

UTILIDADE PÚBLICA



Cachorrinha perdida em Ipanema

27/12/2008 01:50

Rio de Janeiro
Esta cadelinha foi encontrada em Ipanema. Se alguém souber a quem pertence, por favor avise. Como ninguém conseguiu achar seu dono até agora, foi colocada para adoção.
Quem a resgatou não tem como abrigá-la e ela está dormindo dentro do carro.
Ela é pequenina, supermansa, e pesa 3 quilos. Deve ter de 6 meses a um ano.

PRESENÇA DO ESTADO- RESPOSTA

Voces tem toda a razao.

A mudanca de postura dos agentes publicos , será o grande desafio.

Enviado pelo meu BlackBerry

PRESENÇA DO ESTADO- EMAIL


Presença do Estado

Prezado Secretário,

Dos inúmeros encontros que o PSI manteve com o Sr. ficou a inequívoca sensação da sua vontade e decisão de atacar profundamente as graves questões da desordem urbana, consequência da falta de autoridade e presença do Estado.
No entando, a simples presença do Estado, estática, acaba levando ao descrédito perante a população.
Aqui em Ipanema, por exemplo, temos exemplos de sobra da falta de POSTURA dos agentes da lei. Ontem, 25 dez, mais uma vez ciclistas em alta velocidade percorriam o calçadão incomodando crianças, pedestres, e passavam em frente a seis PM postados na altura da Farme de Amoedo.
Nenhum chamou a atençao dos ciclistas.
Na areia, nenhum dono de cachorro, bola, frescobol foi advertido para que respeitasse os banhistas.
O nosso agente da lei, seja PM, GM etc, não toma conhecimento do que se passa ao seu redor fora do que está fazendo. Por exemplo, o do trânsito só cuida do trânsito, o do camelô idem, morador de rua nunca é incomodado quando ocupando calçadas, as ruas são tomadas de ciclistas atropelando e se pedimos providências a resposta é sempre a mesma " isto não é comigo não é do meu setor".
Como conseqûencia, nas nossas reuniões vêm as queixas dos moradores
" de que adianta a GM, a PM???".
Por outras vezes, eles se agrupam de tal maneira, em rodinhas, rindo bastante, sem boné, totalmente alheios ao que se passa em volta.
É a falta de POSTURA , de nada ou pouco adianta a presença do Estado se não houver a postura correspondente para QUALQUER ação.
Conte sempre conosco para vencermos esta batalha.

Projeto de Segurança de Ipanema

FIM DA "HAPPY HOUR"



Fim da 'happy hour'

Futuro secretário quer estender expediente de guardas nas ruas para evitar farra de camelôs após 18h

O Globo


RIO - A nova política de ordenamento urbano que o prefeito eleito Eduardo Paes planeja introduzir no Rio a partir de 5 de janeiro deve inclui estender o horário de trabalho dos guardas municipais, que hoje termina às 18h, até 20h30m ou 21h. O objetivo é evitar que os ambulantes aproveitem a concentração de pessoas nas ruas voltando para a casa para expor e vender suas mercadorias, além de outras irregularidades. Se der certo, será o fim da "happy hour" dos camelôs. Entre as áreas que servirão de modelo para a intensificação das ações estão o Centro e mais dois bairros, entre os quais os mais cotados são Tijuca, Copacabana e Méier.

Os últimos detalhes da estratégia conjunta com o governo do estado para reprimir irregularidades como ambulantes que vendem mercadorias contrabandeadas ou roubadas, remover e encontrar opções de trabalho para a população de rua e combater o transporte pirata e o estacionamento irregular serão definidos em reunião na próxima segunda-feira entre o futuro secretário da Ordem Pública, Rodrigo Bethlem, e o secretário de Segurança Pública, José Mariano Beltrame.

Os agentes da Guarda que já cuidam da operação de trânsito em algumas partes da cidade vão assumir gradualmente o preenchimento dos registros de ocorrência de acidentes de trânsito (Brats). Em outra parceria entre o município e o governo do estado, a prefeitura receberá dos batalhões da PM informações geo-referenciadas pela Fundação Cide sobre ocorrências policiais. Com base nas informações, serão traçadas com os órgãos municipais estratégias que possam colaborar para a redução do casos de assaltos e furtos na área.

IPANEM MAIS VERDE

Ipanema mais verde até o Réveillon

Júlia Moura, JB Online

RIO - Os moradores da Rua Barão da Torre, em Ipanema, na Zona Sul, ganharam um presente de Natal da Fundação Parques e Jardins. A rua cuja paisagem perdeu para uma praga de besouros as suas cássias – Senna siamea – vai se tornar mais bela, verde e fresca novamente ainda antes do Réveillon. Graças a um projeto de rearborização e de paisagismo no trecho entre as ruas Vinícius de Moraes e Joana Angélica. As cássias mortas serão substituídas por exemplares de pau-brasil e de tipuana.

A Secretaria Estadual de Obras já iniciou o trabalho na rua. Foi necessária uma grande mobilização para que a Comlurb conseguisse fechar a rua para o corte das árvores. De acordo com o parecer técnico, realizado pelo Instituto Jardim Botânico, 32 exemplares de cássias foram condenadas pela praga. As árvores mortas – atacadas por besouros que podem chegar a 8 mm de comprimento – serão retiradas e incineradas para conter a praga.

– O forte estresse contribuiu para a morte das árvores. A urina humana, as golas (canteiros) apertadas e o sufocamento através da concretagem das golas foram alguns dos fatores responsáveis pelo adoecimento delas, além da poluição – avaliou o diretor de arborização do órgão, Celso Junius.

Os canteiros aumentarão de 2,25 para 3,75 metros quadrados. Eles também serão adubados e cobertos por plantas rasteiras antes do plantio das novas árvores. A escolha das espécies pau-brasil e a tipuana foi realizada através de votação popular realizada no site da Secretaria municipal de Meio Ambiente.

O diretor de arborização explica que o novo projeto dará mais harmonia paisagística às calçadas:
– As novas espécies são mais resistentes a chuvas e ventos e mais apropriadas para esta rua.
Comerciante da rua há 40 anos, José Lucas Desterro, de 63 anos, notou a elevação da temperatura, já que a rua ficou devastada. Ele conta que a mobilização popular começou com a iniciativa de alguns moradores, fundadores da Sociedade Amigos de Ipanema (SAI), de fazer um um mural com fotos na porta do seu estabelecimento.

As árvores serão plantadas com a altura de quase 4 metros, para que os moradores não sofram tanto com as mudanças climáticas, e terão mais espaço para se desenvolver a uma altura de até 15 metros. Com isso, frades e vasos de plantas não serão necessários para inibir o estacionamento irregular nas calçadas.

– Acredito que este projeto irá valorizar a rua. O pau-brasil tem um apelo. Não só leva o nome do Brasil com tem uma história - disse a moradora da Barão da Torre Andrea Rangel.


Projeto-Piloto


A idéia é estender o projeto de rearborização e paisagismo para todo o bairro de Ipanema. Para o diretor de arborização da Fundação Parques e Jardins, as ruas de Ipanema têm problema de deformidade das golas criando um ambiente pouco harmônico.
– Depois da rearborização de 11 exemplares no trecho Vinícius de Moraes e Joana Angélica, as árvores que estão em processo de seca e sem condições de recuperação serão substituídas em janeiro. O ideal é intensificar os trabalhos no período de férias escolares – disse Celso Junius, sem poder garantir que o prefeito eleito, Eduardo Paes, dará prosseguimento ao projeto.
– O projeto foi criado para Ipanema e tem todas as possibilidades de ser implantado pelo prefeito – afirmou, no entanto.

A assessoria do prefeito eleito, Eduardo Paes, não respondeu até a hora do fechamento desta matéria se manteria o trabalho de rearborização.

ATA DA REUNIÃO COM VEREADORES


Rio 23/12/2008

ATA DA REUNIÃO COM OS VEREADORES ELEITOS REALIZADA DIA 3/11/2008 NO HOTEL SOL IPANEMA – ORGANIZADA PELO PROJETO DE SEGURANÇA DE IPANEMA


Desulpem o envio tardio desta ata.
LOCAL : Hotel Sol Ipanema
PARTICIPANTES : cerca de 140 pessoas



VEREADORES PRESENTES:
Aspásia Camargo
Tio Carlos
Rubens Andrade
Representando a vereadora Andrea Gouveia Vieira o sr. Edson Pinto

ASSINALAMOS A PRESENÇA DO SR. DEPUTADO FEDERAL AIRTON XEREZ

TÓPICOS ABORDADOS:
1) AGRADECIMENTOS : Hotel Sol Ipanema, Voz do Cidadão, Associação Comercial do Leblon, Quadrilátero do Charme de Ipanema, Sociedade Amigos de Copacabana, Associação dos Moradores de Ipanema
2) Aprentação do Projeto de Segurança de Ipanema
3) Resultados obtidos até o momento
4) Parceria Ipabacana
5) PAUTA : segurança pública – GM – efetivo e capacitação
Urbanização – construção acima da cota 100
Expansão das favela
Projeto de titularidade do Cantagalo
Comitê gestor da Orla – uso excessivo da praia
Educação – creche – melhoria da rede municipal de ensino
Meio Ambiente – lixo

6) APRESENTAÇÃO DO DEPUTADO FEDERAL E VEREADORES PRESENTES:

a) Deputado Airton Xerez agradeceu a oportunidade, se colocou à disposição da sociedade para qualquer necessidade na Câmara dos Deputados, ressaltou a importância de encontros como este e elogiou a participação de todos.

b. Vereador Tio Carlos – primeiro mandato, se elegeu com 25.300 votos, tem como base eleitoral a Zona Sul,criado na Miguel Lemos em Copacabana, casado aos 19 anos, três filhos, começou como jornaleiro no Leblon , depois foi animador de festas infantis.Falou do problema da classe média ser refratária ao meio político e as consequências desta atitude. Abordou também os seguintes tópicos: lojas que degradam as calçadas, camelôs, que a sociedade deve pagar o seguro desemprego, investir em programas de habitacão popular como forma de conter a favelização, a quantidade excessiva de ônibus nas ruas da Zona Sul, o problema das drogas. Terminou sua participação dizendo que seu projeto como vereador seria o melhor para a Zona Sul e disse também que a GM devia se tornar estatutária.

c. Aspásia Camargo – começou sua fala nos brindando com a bela imagem das eclésias gregas que eram justamente as reuniões dos cidadãos da Grécia Antiga onde eram discutidos os problemas de suas comunidades. Segundo ela, nós estaríamos naquele momento, repetindo o mesmo modelo. A palavra eclésia deu origem à palavra igreja e portanto este tipo de reunião da sociedade tem um quê de sagrado.Depois abordou o problema da desordem urbana como origem de criminalidade e violência. Propôs que se refaça o código de postura que é datado de 1838 e, portanto, encontra se completamente anacrônico. Falou sobre o problema do transporte urbano com máfias etc., refazer a lei das calçadas, a utilização da praia que é uma APA ( área de proteção ambiental ) que está sendo excessivamente usada, o Comitê Gestor da Orla tem péssima atuação, autorização para os mega shows na orla sem nem saber ao certo o número do público estimado.A vereadora falou também que teve 45% dos votos na Zona Sul, que a Câmara dos vereadores do Rio tem menos poder que as de São Paulo e Belo Horizonte – a lei orgânica não permite legislar o INSS compatível com o entorno. Da necessidade de se ter uma periferia e entorno mais ricos e de dar uma solução final para a zona portuária. Acha também Câmara dos Vereadores precisa legislar sobre a favelização e a desordem urbana. Falou sobre a APA da Babilônia, e da candidatura do patrimônio natural da cidade do Rio de Janeiro, ser inserido na classificação de patrimônio cultural da Unesco. Esta iniciativa deve ter aprovação até Janeiro de 2010. Ela esclareceu que o Plano Habitacional da cidade data de 1910 e deu seu apoio ao projeto de regularização fundiária do Cantagalo que está sendo proposto pelo Projeto de Segurança de Ipanema em parceria com o Instituto Atlântico.

d. Edson Pinto – representando a vereadora Andrea Gouvea Vieira – economista, empresário. Falou da proposta da vereadora por um orçamento mais transparente, participativo e da importância da sociedade apoiar esta proposta. Citou também a importância do transporte coletivo – ônibus, metrô e trem.

e. Vereador Rubens Andrade – ressaltou a importância de encontros como este, e a participação da sociedade. Falou de ações efetivas como não dar esmola, comprar em camelô, da desordem urbana e de todos os problemas que ela acarreta, da entrada do crack no Rio. Quanto aos tópicos da pauta como cota 100, disse que a fiscalização já existe no papel, que são os P.O.U.S.O só que efetivamente a atual prefeitura abandonou a fiscalização. Elogiou o projeto de acessibilidade para o Cantagalo – elevador - que vem ao encontro da proposta de titularidade do Projeto de Segurança de Ipanema. Na opinião dele, a secretaria de Ordem pública a ser assumida pelo Rodrigo Bethlem vem, em boa hora, para ajudar a solução de vários itens da nossa pauta como a organização do carnaval, uso da orla, camelôs, Comitê Gestor da Orla, população de rua, ferro velho na Teixeira de Mello c/ Barão da Torre .


7) Etapa aberta ás perguntas feitas por escrito pelo público.
8) Encerramento – Ignez agradeceu a presença de todos e retificou que o principal objetivo da reunião – colocar a sociedade em canal direto com seus representantes- foi amplamente atingido. Cada participante fez as suas observações finais, o vereador Rubens Andrade sugeriu que convidássemos o Rodrigo Bethlem para um encontro do mesmo estilo, e ficou acertado com todos uma agenda de reuniões a serem feitas durante os próximos quatro anos vindouros dos mandatos.


Esta ata, infelizmente, deve conter várias omissões e imprecisões. Ela foi elaborada muito depois da reunião ter acontecido, porque a pessoa que ficou encarregada de fazê la teve problemas de saúde, e eu tive de me guiar pelas notas manuscritas dela.Entendo de toda maneira que é melhor ter um registro , mesmo que incompleto, do que nenhum.

Ignez

BELO EXEMPLO !!!


Em plena Visconde de Pirajá ,perto da Garcia D'Ávila,dois policiais,esperimentado óculos no camelô.
DIA 24 / 12 ÀS 12,30 hs.

BELO EXEMPLO !!!!!!

FELIZ NATAL!!!!!


FELIZ NATAL !!!
SAÚDE E PAZ
PARA TODOS !!!!

MEDO DO CARIOCA



Enviado por Fred Raposo -


Para além do talão

Se há uma coisa que coloca mais medo no carioca do que andar de terno e gravata no verão, é ver o flanelinha-amigo se aproximar logo que aciona o pisca-alerta para estacionar o carro. No Rio, isto é tão certo quanto o chavão morte e impostos.

Quem já dirigiu pela Cidade Maravilhosa e não viveu tal situação deve atualizar seu Guia Quatro Rodas, pois visitou a capital errada. Àqueles que desejam passar pela experiência, sugiro procurar vaga no intervalo de cerca de 200m da Rua Barão da Torre, entre as ruas Aníbal de Mendonça e Henrique Dumont, em Ipanema.

O trecho chega a comportar até quatro guardadores ao longo do dia. O número é próximo à média de 5,027 vagas/guardador na chamada Área Azul, o sistema Rio Rotativo na Zona Sul - que inclui Leme, Copacabana, Ipanema, Leblon, Gávea, Lagoa, Jardim Botânico e São Conrado. Todos estavam devidamente uniformizados e "talonizados".

Acontece que o asfalto desconhece estatísticas e, em alguns casos, bons modos. Basta o guardador (flanelinha?), todo pimpão, avistar um talão preenchido sobre o painel do carro e... Voilá! Dá-se a transformação.

Foi o que ocorreu outro dia, em uma vaga na Zona Sul. Após ouvir os impropérios habituais, restou o consolo de uma moradora de rua, que amenizou: "Não se preocupe, meu filho", disse a mulher, nos seus 50 anos, "ele diz isso para todos". Estávamos a 50 metros do trecho da Barão da Torre mencionado lá em cima.

O problema não está circunscrito a Ipanema ou à Zona Sul. E, enquanto o carioca movido a quatro rodas continuar ouvindo "isso", o assunto habitará as paginas desse Blog e dos jornais. Até o último talão.

VARIEDADES




NEWS! No 7 – Dezembro de 2008

Apresenta

Patrícia Bretas

No último informativo de 2008 a LDB Produção Cultural
traz a entrevista dada por Patrícia Bretas à revista
"Folha Sinfônica" (de São Paulo). Confira como foi seu
início de carreira, e os concertos na Europa, agendados
para 2009 com o violinista Jaroslav Sonsky:

FOLHA SINFÔNICA LINK;
http://www.folhasinfonica.com.br/materias.asp?id=32


♫ Clique para assistir ao DUO Internacional BRETAS-SONSKY tocando Ravel na Suécia, em Abril de 2008

http://www.youtube.com/watch?v=6b61g1DKihU&feature=chanel_page



A LDB Cultural agradece aos amigos, fãs e colaboradores, desejando a todos um Feliz Natal, repleto de PAZ, AMOR, Música e um ANO NOVO com muitos concertos!

AGENDA – 2009 – www.patriciabretas.mus.br

24 Março – Prague Music Museum - duo Bretas-Sonsky
25 Março - Prague Smetana Museum - duo Bretas-Sonsky
26 Março – Sv. Vavrince Kostel - uma igreja do séc. XI - duo Bretas-Sonsky
28 Março – Festival Internacional de Budapest, um dos mais importantes do mundo - duo Bretas-Sonsky
27 Setembro – Rakovnik Harold Hall in Rabas Gallery - duo Bretas-Sonsky29 Setembro – Frankenthal – Alemanha - duo Bretas-Sonsky
04 Outubro – Prague Knight Hall in Waldstein Palác – duo Bretas-Kevorkian
06 Outubro - Trutnov Martinu Hall, at Martinu Festival – duo Bretas-Kevorkian
Novembro 2009 - Solista da Norrköping Symphony Orchestra, apresentando o Concerto nº 5 para Piano e Orquestra de Martinu.

Para saber antecipadamente dos concertos de Patrícia Bretas e agenciamento envie email para; ldbproducaocultural
Retornamos em Março de 2009
CONTATO:
Lilian Bosboom

LDB PRODUÇÃO CULTURAL
Rua Visconde de Piraja 142/s1005Ipanema, RJ
CEP 22041-
esc. (21)9546-2200 cel.
1954-607-6209 (EUA)

IPANEMA - HISTÓRIA




Ipanema

Originalmente, a restinga arenosa abrigava a aldeia “Jaboracyá”, da tribo dos Tamoios.

Suas terras pertenceram ao Engenho de Nossa Senhora da Conceição da Lagoa, de vários proprietários: Sebastião Fagundes Varela, Antonio Salema, Antonio Fagundes Varela e Rodrigo de Freitas Carvalho. Em 1808, a região litorânea passou para Aldonsa da Silva Rosa.

Toda a área da atual Ipanema denominava-se Fazenda Copacabana que, em 1857, foi comprada pelo empresário Francisco José Fialho. Fialho dividiu sua propriedade em dois grandes lotes, um deles adquirido pelo Comendador José Antonio Moreira Filho, segundo Barão de Ipanema. Embora Ypanema, ou Ipanema, queira dizer, em língua indígena, “água ruim”, não indicada para natação ou pescaria, o nome não se referia ao bairro, mas a um rio paulista, em Iperó, e foi uma homenagem feita ao Barão e Conde de Ipanema pelo seu filho, o segundo Barão de Ipanema, que, em 1883, criou uma empresa de urbanização para erguer o novo bairro com o nome de o Loteamento Villa Ipanema. Seu sócio era Antonio José Silva e o autor do projeto era o Engenheiro Luís Raphael Vieira Souto. Para alavancar o empreendimento, foi fundamental que a linha de bondes se prolongasse de Copacabana, chegando a Ipanema, em 1902, com ponto final na Praça Floriano Peixoto, atual General Osório. Os bondes ainda circulariam pelo bairro até 1963.

Em 1894, o termo de fundação da Villa Ipanema previa 19 ruas e 2 praças. Foram abertas as Praças Floriano Peixoto (General Osório), Coronel Valadares (Nossa Senhora da Paz) e as ruas Prudente de Morais, Farme de Amoedo, Nascimento Silva, 20 de Novembro (Visconde de Pirajá), a avenida Vieira Souto, entre outras. Quando da morte do segundo Barão de Ipanema, assumiram a empresa Alberto de Campos e Manuel Pinto de Miranda Montenegro, que convidaram Raul Kennedy de Lemos para tocar a urbanização do Bairro. Daí surgiu a Companhia Construtora Ipanema, com o engenheiro Henrique Dumont, e novas ruas foram abertas e seus lotes vendidos, tornando realidade a Villa Ipanema. Em 1927, foram negociados todos seus terrenos.

Estava consolidado o bairro de Ipanema. A valorização imobiliária se tornou enorme, prédios de apartamentos tomaram o lugar das antigas residências e os gabaritos foram aumentados. Surgiam apart-hotéis e grandes centros comerciais na rua Visconde de Pirajá e, na década de 1970, Ipanema se tornou um bairro sofisticado, onde Sérgio Dourado construía espigões e os preços dos imóveis disparavam.

Ipanema serviu de inspiração para Tom Jobim e Vinicius de Moraes criarem a mundialmente famosa “Garota de Ipanema”. O charme dos seus bares, freqüentados por intelectuais e artistas, a praia da época do “Píer”, musas como Helô Pinheiro e Leila Diniz marcaram gerações. Ipanema ditava a moda de praia, onde predominava os biquínis e suas variações - tanga, asa-delta, fio-dental etc. O Bar Vinte, o Jangadeiro, o Zeppelin, o Castelinho, o Veloso (atual Garota de Ipanema), o Bofetada, a Sorveteria Morais, o Bar Lagoa, o Barril 1800, a Loja Company, a Dijon, a Feira Hippie da praça General Osório, entre outras referências, deram a Ipanema uma rica história de costumes e personagens que marcaram de forma destacada o bairro na cultura carioca.

No carnaval, a Banda de Ipanema, fundada em 1965 por Albino Pinheiro e um grupo de amigos, lota as ruas de Ipanema com milhares de foliões, reunindo moradores, artistas, boêmios, músicos, musas espalhando alegria contagiante. A partir de meados da década de 1980, começa a se destacar também no bairro o Bloco “Simpatia é Quase Amor”.

Um dos principais marcos do bairro é a Ponta do Arpoador, com as suas pedras dividindo a Praia de Ipanema da Praia do Diabo. Um dos locais mais apreciados para admirar o pôr do sol e onde, no século XVII, se caçavam baleias com arpões, o Arpoador é uma das principais referências do surfe brasileiro. Foi nas ondas do Arpoador que o surfe começou a ser praticado no Brasil, ainda na década de 1950. Foi ali, também, que aconteceram as finais do primeiro Campeonato Brasileiro oficial de Surfe, em 1965.

Nota: A denominação; delimitação e codificação do Bairro foi estabelecida pelo Decreto Nº 3158, de 23 de julho de 1981 com alterações do Decreto Nº 5280 de 23 de agosto de 1985.

RUTH DE AQUINO





O megainferno dos mega-Réveillons


Ruth de Aquino



RUTH DE AQUINO é diretora da sucursal de ÉPOCA no Rio de Janeiro

raquino@edglobo.com.br

Copacabana, a princesinha do mar, treme nas bases. O show do Réveillon começará às 18 horas e irá até as 3 horas. Nove horas ininterruptas de Música Popular Brasileira. Vai abrir com DJ Brinquinho e, depois, Grupo Revelação. Conhecem? Eu também não. Hoje, para ser MPB, basta ser brasileiro e popular. Pagode virou MPB. Segundo a Riotur, o “superpalco” terá quatro torres de som, cada uma com 48.000 watts. E mais 20 torres de som espalhadas pela praia, num megaevento para 2 milhões de pessoas.

Depois dos fogos de artifício da meia-noite, a multidão poderá desfrutar o vozeirão de Martinália e, às 2 horas da madrugada, o ápice do baticumbum: as escolas de samba Beija-Flor e Salgueiro. Isso é um exagero, para dizer o mínimo. É uma mania de atrapalhar o que já foi uma confraternização pacífica. Os fogos, o mar e os brindes eram o que importava. Saudava-se a virada do ano em família, entre amigos, na praia. Flores eram jogadas ao mar. Faziam-se pedidos a Iemanjá. Em Copacabana.

“A primeira linha de prédios, na Avenida Atlântica, ficará exposta a no mínimo 80 decibéis. Isso é absolutamente nocivo e incômodo ao ouvido humano”, diz o professor de Acústica Fernando Castro Pinto, de 43 anos, da Coppe, ligada à Universidade Federal do Rio de Janeiro. “Esse som vai muito além do permitido pela legislação da própria Prefeitura. Se alguém resolve abrir um barzinho e a música supera 55 decibéis à noite, o dono pode ser autuado e multado.” Castro Pinto avisa que quem ficar perto das torres de som por mais de 20 minutos seguidos sofrerá alguma perda auditiva. Para o resto da vida. É irrecuperável.

O prefeito Cesar Maia não estará em Copacabana. Como sempre, deixa o circo armado e se recolhe fora da cidade ou em seu apartamento de luxo numa praia do Rio bem longe dali, em São Conrado. Este será seu último Réveillon no poder. Bem que poderia postar-se ao lado de uma dessas torres de som. Mas seria uma punição inócua. O Rio de Janeiro convive há anos com um prefeito praticamente surdo.

Som alto em espaços públicos pode causar estresse e perda auditiva. Mas ninguém parece se importar com isso

No ano passado, o batidão em Copa foi do funk. Escrevi sobre o pesadelo (“O Réveillon do pancadão”). Cinco pessoas foram feridas perto do palco por tiros, que vieram do alto como balas perdidas. Ipanema teve rave, e um folião morreu com um tiro no abdômen. Agora, a Polícia Militar vetou o show de música eletrônica em Ipanema. E no Flamengo também. A Riotur lamentou, os patrocinadores se irritaram. Ninguém quer disputar com Copacabana o título de “maior festa de virada do mundo”. Os moradores de Ipanema preferem um Réveillon mais calmo, menos nervoso, com menos gente fazendo xixi na rua, menos bêbados, menos ambulantes.

A PM vetou os shows em Ipanema e no Flamengo porque se disse incapaz de garantir a segurança nesses dois bairros. Significa então que, em Copacabana, a PM acha que pode garantir a segurança. É isso mesmo?

E se houvesse um plebiscito no bairro do Rio que concentra mais idosos? Será que a população de Copacabana preferiria algo menos mega? Será que técnicos de acústica deveriam ser consultados previamente? “No Brasil, existe uma cultura musical: quanto mais alto o som, não importa o estilo, melhor o show. Tudo então, quando é público, precisa ser gigantesco, monstruoso, para impressionar. Ninguém se preocupa com o respeito ao próximo. Seria fundamental que a Prefeitura fizesse um estudo de impacto da poluição sonora, na tentativa de amenizar os prejuízos causados pelo som excessivo. E monitorasse”, diz Castro Pinto.

Som muito alto provoca estresse e fadiga mental, aumenta a pressão arterial e a pressão sanguínea e contribui para o surto de brigas e confusões, especialmente se o show se arrasta por nove horas. O Réveillon no Rio já foi considerado, no passado, um momento de trégua, um intervalo de paz. O modismo dos megaeventos por todo o país, não só no Rio, revela falta de civilidade e de educação. O espaço público vira uma zona.

Adianta falar? No Brasil, quem reclama por seu direito é um chato. Os incomodados que se mudem de Copacabana.

JORGE MARANHÃO


Em viagem a Londres, visitei uma exposição impressionante sobre a história e a conquista dos direitos civis e das liberdades pêlos britânicos, eles que são os modernos inventores deste valor universal apontado como o de maior grandeza por Kant. Qualquer cidadão pode acessar o site (http://w(AUA).bl.uk/takingliberties) e ter uma ideia geral do grande evento da British Library anunciado em cartazes no The Tube. Basta ser estimulado para a importância do tema da consciência de cidadania que vem do berço e dos bancos das escolas.

Pelas galerias da exposição, turmas de adolescentes explicavam uns aos outros matéria tão abrangente e complexa quanto citação de Locke ("Where there is no law, there is no freedom"). Mas em países de baixa cultura de cidadania geralmente se confunde direito com abuso de direito, império da lei com liberdades ilimitadas, tomando-se a primeira como cerceamento da segunda e não como a sua garantia essencial. O Brasil não pode se dar o luxo de esperar mais duas gerações para que a cultura de cidadania prevaleça sobre a cultura de impunidade, raiz de todos os nossos males. A diferença entre a educação e a punição é que enquanto a primeira forma o futuro cidadão, a segunda conforma o cidadão adulto, no presente, quanto à indispensável coerção social para a garantia efetiva das liberdades.

No Brasil, precisamos tanto de efetividade na educação quanto de efetividade na justiça, pois a escola é apenas um dos sistemas de produção de valores civilizatórios, quando estes futuros cidadãos correm o risco de serem "deseducados" pêlos demais sistemas, como a família, a política, o Judiciário e até mesmo a mídia irresponsável. Para otimizar estes demais sistemas deficientes e omissos na produção dos valores universais da civilização é que temos que recrutar a mídia e o empresariado mais responsáveis que podem, no Brasil e na América Latina, turbinar de eficiência os demais sistemas.

Um cidadão não só pode, como deve, ser estimulado pela mídia a denunciar desvios de conduta, sobretudo de autoridades, em defesa do interesse público. Pois a cidadania se fundamenta no princípio de que as liberdades de todos só se efetivam com o cumprimento dos deveres civis e políticos da maioria.

Se não há denúncia, não há possibilidade de punição. Se não há punição, não há garantia efetiva de liberdades.

JORGE MARANHÃO é diretor do Instituto de Cultura de Cidadania A Voz do Cidadão.
E-mail: jorge@professa.com.br.

VISITA






O Portal de Notícias da Globo

Atualizado em 23/12/08 - 13h51

'O povo brasileiro é maravilhoso', diz Carla Bruni
Primeira-dama francesa falou à imprensa após visitar o Morro do CantagaloEla comemora seu aniversário de 41 anos nesta terça (23).

Alícia Uchôa Do G1, no Rio

"O povo brasileiro é diferente, é maravilhoso", disse a primeira-dama francesa, Carla Bruni, após visitar o Espaço Criança Esperança no Morro do Cantagalo, em Ipanema, na Zona Sul do Rio, na manhã desta terça (23).

Veja fotos de Bruni e Sarkozy no Rio

A cantora, que completa 41 anos nesta terça, disse que está encantada com a beleza do país. Ela ressaltou que pretende voltar ao Brasil em uma visita não oficial junto com o seu marido, Nicolas Sarkozy, presidente da França.

Durante a visita, ela ganhou um “parabéns pra você” ao som de uma bateria mirim de escola de samba. Bruni também plantou uma muda de pau-brasil e assistiu ao desfile da ONG ModaFusion, que realiza trabalho em comunidades carentes da cidade e as coloca em contato com a alta costura francesa.

Foto: Vanderlei Almeida/AFP Photo

Carla Bruni e Lilly Marinho em evento no Cantagalo (Foto: Vanderlei Almeida/AFP Photo)
O evento contou com a participação da primeira-dama do Rio, Adriana Anselmo, da viúva do presidente das Organizações Globo, Roberto Marinho, Lilly Marinho, e da modelo Luiza Brunet. A Polícia Militar reforçou a segurança nos acessos e no interior do morro.

PARQUE GAROTA DE IPANEMA

Olá Ignez,

Tenho acompanhado o trabalho do PSI através das cópias dos seus emails. Parabéns pelas vitórias, seriedade e perseverança!

Escrevo para contar que, dando continuidade ao nosso trabalho de recuperação e revitalização do PGI, tive mais uma segunda reunião com a PM e a GM. Como resultado, desde semana passada o parque conta com um reforço de mais dois guardas da GM, além de uma patrulha de cinco guardas que efetuarão rondas periódicas. A PM destacou tb 2 guardas de seu efetivo para cobrir o parque diariamente.

Peço divulgar entre os membros do PSI para que todos possam colaborar nos ajudando a fiscalizar se o trabalho dos guardas está acontecendo e se está sendo eficaz. Com a chegada do verão e o parque ainda em obras, temos dias complicados pela frente. Sugestões, denúncias etc podem ser enviados diretamente para o meu email e me encarrego de conversar com as autoridades sobre.

O esforço é para que tudo funcione com excelência no Garota de Ipanema. A colaboração de toda a comunidade é super importante!
martha@om.art.br

Abraço.

Martha Gonçalves

FELIZ NATAL !!!


Poeminha de Natal


Desde os tempos mais remotos
Diziam as profecias
Que viria a este mundo
O esperado Messias.

Num pequeno povoado,
Lá longe, no Oriente,
Por um anjo anunciado
Ele estaria com a gente.

A jovem abençoada,
Que se chamava Maria
Foi então a escolhida
Pra nos dar essa alegria.

Fruto do amor divino,
Nasceu num rastro de luz
Esse lindo Deus-menino
A quem se chamou Jesus.

Ele veio pra mostrar
O Seu exemplo ao mundo:
Da humildade, do perdão
E do amor mais profundo.

Nesta época de Natal
Vamos celebrar bastante,
Mas nos lembrarmos primeiro
Do Aniversariante!
Quem nos guia, nos conduz...
Parabéns, Menino Jesus!!
A coordenação do blog,deseja a todos os voluntários do PSI e a todos os visitantes um FELIZ NATAL !!!

CARIOCAS VOLTAM À PRAIA !

Cariocas voltam à praia após 10 dias com tempo fechado

Ana Paula Verly, Jornal do Brasil

RIO - Depois de 10 dias corridos de tempo chuvoso, o sol reapareceu, de leve, neste domingo, no primeiro dia do verão. Os cariocas aproveitaram a trégua da chuva para se refrescar no mar, limpo e com poucas ondas no Arpoador e em Ipanema. Apesar das condições marítimas opostas, em Copacabana os banhistas também não se intimidaram. O mormaço intenso foi suficiente para deixar as praias cheias.
– De manhã, parecia que o domingo seria chuvoso como os dias anteriores, mas, depois de tanto tempo, tivemos uma típica tarde carioca – comemorou o publicitário Ricardo Diniz, 26 anos, na praia com o pai.
Com o tempo firme, crianças e adultos tiveram um dia de lazer a céu aberto. A dona de casa Maria Rita de Oliveira, 40 anos, levou os filhos Eduardo, de 10, e Carolina, 8, para passearem na orla do Leblon. Primeiro, tomaram um café da manhã reforçado na calçada de uma padaria do bairro. Depois de muitas voltas de bicicleta e patins, mataram a sede com água de coco em um quiosque da praia.
– Isso faz parte da nossa rotina. Ultimamente, tivemos de inventar opções de lazer em lugares fechados. Mas não é a mesma coisa. Aqui, a gente se exercita diante dessa vista linda e ainda volta para casa com um ar de saúde, com o rosto corado – contou, sorrindo, Maria Rita.
Dilúvio no fim de semana
A julgar pelas estimativas do Climatempo, o próximo domingo será debaixo do edredom. As previsões para esta semana jogam um balde de água fria na intenção de viajar para as regiões de praia no feriadão de Natal. De acordo com o instituto, o tempo vai piorando ao longo dos próximos cinco dias e deve chover mais forte na sexta-feira, por causa da entrada de uma frente fria vinda do Sul.
Vai haver pancadas de chuva à tarde nos próximos três dias, com temperatura mínima de 19 e máxima de 33 graus. Na quinta-feira, o tempo muda, com a chegada da frente. O sol aparece entre nuvens pela manhã e chove à tarde e à noite. A temperatura média fica em torno de 28 graus. Na sexta-feira, as condições do tempo são as mesmas, mas o volume de chuva deve ser maior.
O meteorologista Paulo Takeshi explica que a zona de convergência do Atlântico Sul – fenômeno típico do verão que estaciona uma frente fria no Sudeste – é a responsável pela longa temporada de chuvas, que deve continuar, pelo menos, nos próximos 15 dias.
– Pode ser que o Rio tenha grande volume de chuva, parecido com o que caiu em Minas Gerais nos últimos dias, no próximo fim de semana.

MEMÓRIA




Enviado por Bairros.com -

MEMÓRIA VISUAL

A praça da foto fica em Ipanema

A foto de 1983 mostra a Praça General Osório, em Ipanema. O parquinho com brinquedos continua lá e é ainda freqüentado pelas crianças das redondezas. Às quartas-feiras, o Bairros.com publica uma foto antiga de algum ponto da Zona Sul para testar sua memória visual. A imagem desta semana já está no ar

CONFRATERNIZAÇÃO DE NATAL











Hoje pela manhã ,o IPA BEBÊ,fêz a festa!
Na praia de Ipanema,crianças da redondeza festejaram o Natal com teatrinho de fantoches,passeios de patinete e brincadeiras.
Com a doação de 1Kg de alimento.a criançada se divertiu andando de patinetes do tamanho deles.
A animação era grande.

ILEGAL

PM estoura bingo clandestino em Botafogo

Publicada em 21/12/2008 às 11h07m

Marcelo Dutra e Sérgio Ramalho

RIO - Homens do Serviço Reservado do 2º BPM (Botafogo) estouraram na madrugada de domingo um bingo clandestino que funcionava na Rua General Polidoro 298 A, próximo ao Cemitério São João Batista. Foram detidas 11 pessoas que estavam jogando no momento da operação policial e dois funcionários da casa. Foram apreendidas ainda 39 máquinas de jogos. O bingo funcionava numa casa de dois andares. A ocorrência foi registrada na 10ª DP (Botafogo).
A operação ocorreu depois de a reportagem de Sérgio Ramalho, publicada no GLOBO, mostrar que os bingos clandestinos proliferam pelo Rio, sustentados por jogadores e, em muitos casos, acobertados por policiais militares. A expansão do jogo ilegal pode ser medida pelo número de ligações registradas este ano pelo Disque-Denúncia: 344, de janeiro até o dia 15 passado.

Nas denúncias são citados endereços e detalhes do funcionamento das casas de jogos, algumas instaladas em endereços nobres da Zona Sul, como as ruas Barão da Torre e Visconde de Pirajá em Ipanema, passando pelo Centro, zonas Norte, Oeste e Baixada Fluminense. Em geral, as máquinas ficam em locais reservados, mas há casos como o do Restaurante Tocão, na Rua Lopes Quintas, no Jardim Botânico, onde no segundo andar é possível apostar em 16 máquinas.
Por duas semanas O GLOBO acompanhou o funcionamento de alguns desses bingos clandestinos, ouviu apostadores e ex-apostadores, que, atolados em dívidas, trocaram as máquinas de videobingo e caça-níqueis por reuniões dos Jogadores Anônimos. Para atrair apostadores, alguns bingos clandestinos oferecem transporte e bebidas aos jogadores. Reaberto no dia 4 passado, após ter sido fechado em outubro por policiais da 14ª DP (Leblon), o bingo do Edifício Kico, junto à Praça Nossa Senhora da Paz, ainda estava em obras na tarde de quarta-feira, quando repórteres estiveram no local. Apesar do barulho infernal vindo de uma serra elétrica, usada para dar acabamento a uma porta, três mulheres, com idade acima de 40 anos, apostavam em máquinas de videobingo.
Na sala fechada e enfumaçada, uma funcionária dava orientações sobre o funcionamento das máquinas, enquanto um garçom oferecia cerveja, refrigerante, café e água aos clientes: "É cortesia da casa", dizia. A movimentação é acompanhada de perto por três seguranças. Ao contrário do garçom e da funcionária, o trio é de pouca conversa. Atitude, por sinal, repetida pelos seguranças de outros 15 bingos clandestinos visitados. A presença deles é mais ostensiva em Vila Isabel. O bairro é recordista em denúncias de funcionamento dessas casas.

NÃO DÊ ESMOLAS,DÊ OPORTUNIDADE !

Moradores de rua vão para bairros mais ricos atrás de bondade natalina

Paula Máiran, Jornal do Brasil

RIO - Mulher na calçada, à porta de um caixa eletrônico, bebê no colo, meia dúzia de crianças em torno. Ela não pede esmola pelo amor de Deus. Oferece chicletes a R$ 1. A venda não passa de estratégia de marketing em voga nas ruas para driblar o ceticismo do público alvo, descrente da legitimidade da cena. Demonstrar o esforço na venda de algum produto parece mais eficaz do que só pedir dinheiro, embora haja a pretensão declarada de despertar a compaixão alheia. E apelar para a piedade do próximo ainda funciona – especialmente às vésperas do Natal. Mesmo em tempos de crise, pode render de R$ 20 a R$ 40 por dia.
Entradas de caixas eletrônicos estão mais disputadas do que portas de igrejas, cujos fiéis têm sido orientados a confiar seus donativos a instituições, não a pedintes. Sobre as pedras portuguesas encardidas da Rua São José, no Centro, reúne-se à porta de um caixa eletrônico um desses grupos de aspecto miserável. Nenhum mora nas ruas. Todos têm casa. Na Baixada Fluminense, a maioria. Todos passam os dias na calçada. A mais nova, Angélica, tem 1 ano e 9 meses, anunciada como sua filha pela mais velha, Andressa, de 18, que declara como primos Rafael, de 12, tamanho de 8; Márcia, 14, e Bruno, da mesma idade. Vanilson, de 16, e Tiago, 15, completam a família eventual

OBRIGADA !

AGRADECIMENTO

A Coordenação do blog,vem agradecer a todos aqueles que de uma forma ou outra ajudaram, através de cartas, emails,boca a boca,etc.... para que o show da virada fosse cancelado.
Aos amigos do Leblon,Copacabana e aos dos outros bairros que se colocaram ao nosso lado,entendendo o problema que acarrreta um grande evento ao ar livre.
Aos moradores de Ipanema,que se uniram para que a nossa luta tivesse sucesso.À Associação de Moradores ,ao Quadrilátero do Charme,ao Pólo Gastronômico,e principalmente ao PSI,do qual faço parte.
Agradecimento especial ao Comando do 23ºBPM,cujo titular é o Cel.Millan e à 14ªDP, na pessoa do Delegado Lage ,que foram totalmente contra essa festa por motivo de não poderem dar a segurança desejada que a festa mereceria.
O bom senso predominou.

Obrigada !

BINGO CLANDESTINO FECHADO

PM fecha bingo clandestino em Ipanema

Plantão Publicada em 19/12/2008 às 17h09m

Camilo Coelho - Extra


Policiais do serviço reservado do 23º BPM (Leblon) fecharam na tarde desta sexta-feira um bingo que funcionava clandestinamente na Rua Visconde de Pirajá, número 22, em Ipanema. No local foram apreendidos 22 computadores, cadeiras de jogo e R$ 26 mil dentro de um cofre. Policiais militares ainda estão no local, mas o caso será registrado na 14ª DP (Leblon).

ÁRVORE DE NATAL ROSA




Ipanema ganha Árvore de Natal Rosa

Quem passar essa semana pelo Obelisco de Ipanema, na Rua Visconde de Pirajá, verá uma árvore de Natal com uma característica bem feminina: a cor rosa! A idéia partiu do Movimento Rosa (www.movimentorosa.com), capitaneado pelo portal de conteúdo e rede social feminina Bolsa de Mulher, que tem como principal objetivo disseminar valores como sensibilidade, otimismo e solidariedade. “A localização da Árvore Rosa foi escolhida justamente para quebrar os momentos conturbados de estresse e caos do trânsito da região, mudando o clima e a paisagem de Ipanema”, diz Andiara Petterle, CEO do Bolsa de Mulher. O Movimento Rosa aproveita o momento de confraternização natalina e mostra que atitudes “rosa” podem ser o caminho para um mundo melhor.

RIO DE JANEIRO

rio de janeiro

O Portal de Notícias da Globo

18/12/08 - 11h56 - Atualizado em 18/12/08 - 13h16

Festa de réveillon é cancelada em Ipanema

Informação foi divulgada pela prefeitura nesta quinta (18).Laudo da PM não garante segurança do público durante evento.

Dório Victor Do G1, no Rio

O réveillon em Ipanema, na Zona Sul do Rio, foi cancelado. Segundo a assessoria da Secretaria de Segurança Pública, a Polícia Militar não autorizou a realização alegando que não pode garantir a segurança do público. Em Copacabana, a festa está garantida, e contará com uma programação que incluí shows de diversos artistas e a tradicional queima de fogos.

O anúncio do cancelamento foi feito nesta quinta-feira (18), durante entrevista coletiva em um hotel em Copacabana, Zona Sul do Rio. Segundo a Secretaria, a Polícia Militar apresentou um laudo que informava que não seria possível garantir a segurança no local. A assessoria da secretaria ressaltou ainda que a PM aguarda uma proposta dos organizadores do evento, mas ainda não foi procurada por eles. O Ministério Público já havia tentado impedir a realização do réveillon em Ipanema, mas a Justiça negou a liminar que pedia o cancelamento do evento. O caso ficou nas mãos do 1º Comando de Policiamento em Áreas Especiais (CPA), da Polícia Militar.
Secretário confirma cancelamento em Ipanema

O secretário de Turismo, Rubem Medina confirmou o cancelamento. O organizador do evento, Flávio Machado, informou durante a entrevista coletiva que também não foi notificado oficialmente sobre o laudo da PM, "mas, de qualquer forma, não há mais tempo hábil para montar a estrutura do evento". "A festa deste ano seria transmitida pela TV. É incompreensível o cancelamento", disse.

Laudo proíbe réveillon no Flamengo

O laudo também diz que a PM não pode garantir a segurança do público no Flamengo, na Zona Sul do Rio, durante o réveillon. No entanto, o secretário não confirma o cancelamento, ressaltando que ainda não foi comunicado oficialmente pela Polícia Militar. O advogado dos realizadores do evento no Flamengo, Adriano Nogueira, informou que todas as exigências da Secretaria de Segurança Pública foram cumpridas, e que o palco já está sendo montado no local. "Já investimos até o momento cerca de R$ 3 milhões. Não fomos notificados pela Secretaria, mas, caso realmente haja o cancelamento, vamos entrar com um mandado de segurança para que o evento seja realizado. Não queremos chegar a este ponto, mas não podemos perder o que já investimos no evento", disse.

Piscinão terá queima de fogos e Kelly Key

Enquanto na Zona Sul a programação está indefinida, no Piscinão de Ramos, no subúrbio do Rio, a festa está confirmada e contará com queima de fogos de dez a 15 minutos. “Será uma parceria com a Globo Rio. A Prefeitura entra com a estrutura, como a queima de fogos e as balsas, e a Globo Rio entra com as atrações”, contou Mattos. No ano em que o piscinão entra para o calendário oficial de réveillon da cidade, subirão ao palco Kelly Key, MC Leãozinho, Grupo Pixote e Dicró. Além da tradicional festa de Copacabana, o roteiro do réveillon carioca inclui ainda Barra da Tijuca, Sepetiba e Pedra de Guaratiba, na Zona Oeste do Rio; Penha e Ilha do Governador, no subúrbio; e Paquetá, na Baía de Guanabara.

Queima de fogos na cobertura de hotéis na Barra

Na Barra, o palco será montado na Praça do Ó e a queima de fogos será realizada na cobertura de hotéis na orla. Segundo Motta, três já estão confirmados e dois estão em processo de negociação. Em Copacabana, a comemoração começará contará com um DJ e com uma apresentação do grupo Revelação. A principal atração, no entanto, ainda não foi anunciada. Como no ano passado, a festa vai acabar em samba, com ritmistas das escolas de samba Beija-Flor, Salgueiro e Grande Rio no palco. Além desses dois pontos da orla carioca, haverá queima de fogos no Piscinão de Ramos, na Igreja da Penha, em Paquetá e no Flamengo, caso a festa no local seja confirmada.

PARABÉNS !


Queridas Beatriz e Maria Amélia,

É, de fato o trabalho de vocês vem sendo de guerreiros e perseverantes sujeitos que desejam ardente e incansavelmente a condição de cidadania. E isso num país em que a maioria da população acredita em Papai Noel e na bem-sucedida propaganda de nosso excelentíssimo Presidente da República. Presidente, aliás, que um dia faz afagos em George W. Bush, quando ele estava em alta, e agora, junto com os outros presidentes das outras republiquetas, faz gracinhas sobre a sapatada no Bush, com direito a graciosos vocábulos do tipo "chulé". Enfim, ter perseverança e não ceder às armadilhas do "puder" é condição muito, muito nobre e fundamental.

Parabéns a vocês que conseguiram essa gigantesca vitória que é a retirada do lixão de nossas ruas. Meu Deus, é até inacreditável, lixão em plena Ipanema do século XXI! Mas vocês conseguiram dotar essa cidade de mais um aspecto de nossa complexa urbanização.

Queria aproveitar para dividir com vocês uma informação que recebi e que, particularmente, fiquei triste. Vocês sabem aqueles ombrelones vermelhos sobre mesinhas com velas que ficam em frente aos restaurantes da Rua Jangadeiros? Bem, parece que o futuro prefeito, Eduardo Paes, segundo soube, quer retirá-los dali sob a alegação de que eles representam uma "descaracterização do Rio de Janeiro". Bem, se os restaurantes e bares estão usando o espaço público (uma parte da praça Gal. Osório) sem remunerar a prefeitura, então que se crie um tributo, um acordo, sei lá. Mas a idéia de usar esse espaço, que hoje é alegre e movimentado de cariocas e turistas, foi o de desativar o grande mictório público que se instava ali, como acontece nas praças e calçados da cidade. Antes dos restaurantes e bares utilizarem o espaço (houve até matéria nos jornais na época) a bandidagem corria solta por ali (lembram de um assassinato de um segurança particular ali da área?), a praça cheirava a xixi e cocô humanos, e os "amáveis flanelinhas" dominavam, como sempre, a área. Gente, e ainda mais ali funciona a feira hippie e feira comum, e agora vai ter um terminal do metrô por ali. Então o que é que caracteriza o Rio? Queria trazer esse assunto para a pauta de vocês, porque acho que nos interessa a todos. O turismo, todos sabemos, é importante para nós. Aquelas extensões dos bares e restaurantes para a praça vem garantindo mais higiene, movimentação de pessoas, segurança, alegria, enfim. Acabar com isso, certamente, é a garantia do retorno de toda a desordem anterior. E se o receio, como já cheguei a ouvir, é o barulho dos bares e restaurantes, faça-me o favor, o Rio é uma cidade tão barulhenta!...Faz uns três meses, mais ou menos, que eu não consigo escapar, nem em minha casa nem no consultório, das serras elétricas e martelos das obras que não param por aqui. Além das obras de renovação, as buzinas, as sirenes, tudo é muito barulhento na cidade. E de mais a mais o comércio, os bares, os cafés já existem por ali. Enfim, se vocês acharem pertinente fica lançada a informação.

Um beijo carinhoso, parabéns mais uma vez, e quero sempre lembrar que se precisarem de alguma ajuda, em horário que eu possa (meu horário do consultório é super louco), estou sempre à disposição.

BEIJOS E FELIZ NATAL E UM ANO NOVO MUITO, MUITO, MUITO MELHOR PARA VOCÊS, QUERIDAS AMIGAS DE LUTA E DE AMOR AO RIO.

Virgínia Heine

RÉVEILLON 2009

Polêmica

Prefeitura cancela réveillon na Praia da Ipanema por falta de apoio da PM

Publicada em 18/12/2008 às 11h51mCBN e Rafael Galdo - O Globo

RIO - Depois de muita polêmica, os produtores do réveillon de Ipanema finalmente bateram o martelo e cancelaram oficialmente a festa que seria realizada na Praia de Ipanema. De acordo com o secretário municipal de Turismo, Rubens Medina, o motivo seria a falta de apoio da Polícia Militar. A autorização para a festa de réveillon na orla de Ipanema foi negada no fim do mês passado pelo comando do 23º BPM (Leblon). A festa na Praia do Flamengo corre risco de ter o mesmo destino, mas os produtores da festa de fim de ano ainda estão buscando autorização.
O secretário municipal de Turismo já havia afirmado que precisava de uma resposta das autoridades ainda esta semana, a tempo de liberar o calendário da festa, que deveria ser publicado na ontem, na quarta-feira. De acordo com os produtores da festa na orla do bairro, mesmo se a PM apresentasse o nada a opor sobre a festa hoje, não haveria tempo hábil para montagem do palco.

Na segunda-feira, uma decisão da Justiça havia garantido a festa . O juiz da 3ª Vara de Fazenda Pública, Cláudio Dell'Orto, negou a liminar do Ministério Público que pedia a proibição da festa. Mas apesar da decisão, a festa permaneceu uma incógnita, uma vez que a palavra final cabia ao secretário de Segurança, José Mariano Beltrame, que preferiu não se posicionar e disse que o pedido para a realização do comemoração ainda não estava na secretaria, faltando duas semanas para o evento.

Decisão judicial coloca em dúvida negativa da PM

Em sua decisão, o juiz Cláudio Dell'Orto colocou em dúvida a falta de capacidade alegada pela PM para a realização da festa, um dos motivos alegados pelo MP para o cancelamento. Segundo a decisão, apesar de a PM ter se manifestado afirmando que o 23º BPM (Leblon) "diante da grandiosidade do evento" não teria capacidade de fazer o policiamento, o relatório da segurança realizada na festa do ano passado sugere que a PM poderá realizar novamente a atividade de policiamento ostensivo.

De acordo com a decisão do juiz, por ser uma festa que vai atender pessoas da cidade inteira, além de turistas, e não apenas moradores do bairro - que seriam contra a festa - é preciso seguir a vontade da maioria.

O secretário

No sábado, um reportagem do GLOBO trouxe a polêmica sobre a realização da festa, que está dividindo moradores. O Projeto de Segurança de Ipanema, grupo apartidário que defende a mobilização popular entrou com uma ação no Ministério Público e enviou e-mail ao secretário de Segurança, José Mariano Beltrame, reforçando o pedido de cancelamento da festa. Os organizadores do evento, no entanto, conseguiram o apoio de personalidades que moram ou freqüentam o bairro e ainda não desistiram de obter a autorização.

IPANEMA É SHOW !



Enviado por Bairros.com -

Ipanema para todos os bolsos

Do albergue ao hotel cinco estrelas, da lanchonete em que se come em pé aos restaurantes mais sofisticados. Ipanema, uma das maiores vitrines do carioca way of life, abriga todos os gostos, como mostramos na reportagem de capa do GLOBO-Zona Sul esta semana. O bairro atrai cada vez mais turistas apostando em uma fórmula simples: a sofisticação é bem-vinda, desde que não comprometa o espírito democrático.
Veja nossas dicas para aproveitar melhor o bairro no Globo Digital (disponível somente para assinantes). Também fizemos um making-of da nossa capa, onde a modelo Renata Miguez (ao lado), da Agency Models, interpreta duas personagens que convivem nas calçadas de Ipanema: uma com espumante e hospedada na cobertura do Hotel Fasano, outra praiana e adepta da infalível água-de-coco.

RÉVEILLON 2009

Cancelada festa de reveillon em Ipanema

Plantão

Publicada em 18/12/2008 às 11h44m


Rafael Galdo

RIO - Os produtores do reveillon de Ipanema cancelaram oficialmente a festa na orla do bairro na virada do ano. Segundo eles mesmo se a PM apresentasse o nada a opor sobre a festa hoje, não haveria tempo hábil para montagem do palco. A festa de reveillon no Flamengo ainda está indefinida. Em outros oito bairros o reveillon está confirmado.

RÉVEILLON 2009 - CANCELADO EM IPANEMA

Réveillon em Ipanema está cancelado, afirma Medina

Plantão

Publicada em 18/12/2008 às 11h34m

CBN


RIO - O secretário municipal de Turismo, Ruben Medina, afirmou, na manhã desta quinta-feira, durante coletiva de imprensa no Hotel Sofitel, que o réveillon na Praia de Ipanema está cancelado. Segundo ele, o motivo seria a falta de apoio da Polícia Militar. Já os produtores da festa de fim de ano na Praia do Flamengo ainda estão buscando autorização.

METRÔ DE IPANEMA


Cabral inicia obras do elevador do Metrô de Ipanema

JB Online


RIO - O governador Sérgio Cabral e o secretário de Transportes, Julio Lopes, deram início, na manhã desta quarta-feira, às obras de construção do elevador que dará acesso do Metrô à comunidade do Cantagalo, em Ipanema, Zona Sul do Rio. A previsão do término desta obra é para abril de 2010. Ambos também conferiram o andamento das obras de expansão da Estação do Metrô Ipanema/General Osório, que será concluída em dezembro de 2009.


- A minha avaliação destas obras é muito positiva. Está tudo andando dentro do cronograma. Daqui a um ano, estaremos inaugurando a Estação General Osório. Hoje, também lançamos a obra do elevador panorâmico e que será extraordinário. O que é mais bonito de se ver, é que tudo isto está compactuado com a comunidade. Todos ganharão com estas construções que estão sendo feitas, sobretudo, o Rio de Janeiro – comemorou Cabral.


Julio Lopes informou que no local funcionava uma unidade da Comlurb e uma cooperativa de catadores de lixos. De acordo com o secretário, eles foram transferidos para o bairro do Estácio, onde o Estado está construindo e adaptando um espaço para este tipo de atividade de coleta.
- Daqui a um ano, as pessoas poderão ter acesso aos carros do Metrô através de duas esteiras rolantes. Os moradores terão um ganho na qualidade de vida. Calculamos que esta estação receberá cerca de 80 mil passageiros diariamente. Pela primeira vez, uma estação de Metrô ficará pronta dentro do prazo previsto. A comunidade também tem nos ajudado muito para a construção desta nova realidade - informou o secretário.


Cada um dos dois novos elevadores terá 30 lugares, que transportarão as pessoas para a parte de cima da comunidade, obra que será concluída pela intervenção do PAC (Programa de Aceleração do Crescimento). Julio Lopes comentou que é a primeira vez que o serviço público de lixo começará a funcionar dentro da comunidade do Cantagalo.


- Este elevador também integrará positivamente em relação ao turismo à subida para a comunidade. No topo, os turistas poderão contemplar o mirante vendo a linda praia de Ipanema – concluiu.

RÉVEILLON 2009





Decisão caberá ao Comando de Policiamento em Áreas Especiais


Daniella Clark


Segundo a assessoria de imprensa da Polícia Militar, a decisão sobre a permissão para os eventos nas praias caberá ao 1º Comando de Policiamento em Áreas Especiais (CPA). Na decisão em que negou pedido de liminar do Ministério Público, o juiz da 3ª Vara de Fazenda Pública, Cláudio Dell'Orto, escreveu que relatórios anexados ao Inquérito Civil Público mostram que “o município tem realizado a festa sem maiores transtornos”. O processo inclui ainda o planejamento para o réveillon 2007/2008, do 23º BPM (Ipanema), mostrando que foi possível a realização da festa. De acordo com o juiz, o que poderia impedir a realização do evento é justamente o “nada a opor” da PM do Rio.


Interesse da coletividade


Na ação, o Ministério Público pede que a prefeitura cancele a festa e seja responsável pelos danos causados, caso a comemoração seja realizada. O MP aponta, entre os pontos negativos da festa ao ar livre, o grande número de pessoas, a longa duração da festa, o acúmulo de lixo, a insuficiência de banheiros, deficiência na segurança pública e consumo de drogas.

Público na virada do ano em Ipanema, em 2007:

polêmica chegou à Justiça (Foto: Dório Victor / G1) à noite


“O pedido de não-realização da festa decorreria dos princípios da precaução e da razoabilidade. No que se refere à razoabilidade, a questão se coloca na solução do conflito entre os direitos de privacidade e tranqüilidade dos moradores do bairro de Ipanema e a oferta de uma festa popular, ao ar livre, para que todos os moradores da cidade e eventuais turistas possam comemorar o réveillon naquela praia. A prevalência do interesse da coletividade - pela sua representação majoritária - impõe que a razoabilidade se materialize contra a pretensão do Ministério Público”, decidiu o juiz.


Programação inclui DJs nacionais e internacionais


De acordo com o Tribunal de Justiça, o processo segue e o MP ainda pode recorrer. A prefeitura e as empresas envolvidas na organização podem ser intimadas.

Segundo o diretor de operações da Riotur, Bruno Mattos, a programação em Ipanema, no Posto Nove, inclui música eletrônica, com DJs internacionais e nacionais. “Seria o quarto ano desse projeto no Posto Nove. É mais uma alternativa, evitando o acúmulo de pessoas procurando Copacabana. O objetivo é que as pessoas freqüentem festas perto de casa”, disse Mattos.

PERIGO !




Enviado por leitora Angela Gomes Pereira -



EU-REPÓRTER

Perigo de desabamento no coração de Ipanema
O perigo continua na esquina da Visconde de Pirajá com Farme de Amoedo. Após o desabamento do prédio da esquina ocorrido em outubro, que deixou vítimas gravemente feridas, um precário escoramento (vejam na foto) pretende evitar que o que restou da fachada caia novamente sobre os pedestres! Como moradora de Ipanema espero que as autoridades tomem providências para eliminar este risco iminente, e que os responsáveis por este absurdo acidente no coração de nosso bairro sejam punidos.
Esta foto foi enviada por um leitor.

ZUENIR VENTURA

Sou contra

Zuenir Ventura

O Globo, 17/12/2008

Quem viu o que eu vi no ano passado não deseja repeteco. A experiência do último réveillon em Ipanema, onde moro, foi um desastre. Invadidas por ambulantes com seus fogareiros a gás cozinhando churrasquinhos e cachorros-quentes, a pista e a calçada viraram um mafuá perigoso de se atravessar.

E não foi só. Se o risco de incêndio e a falta de higiene não bastassem, se fosse pouco as calçadas terem virado mictório, houve ainda as brigas e confusões que exigiram a presença do Batalhão de Choque da PM e causaram a morte de um homem com um tiro no abdômen - sem falar na poluição sonora daquele ritmo de bate-estaca que não deixou parte do bairro dormir (em Ipanema, a distância que o som tem de percorrer entre a areia e os prédios é bem menor do que em Copacabana). Qual é a compensação para tantos inconvenientes? Sei que há os que apóiam a festa alegando que é apenas uma noite de transtornos por ano e que se trata de uma atração para os jovens. Além do mais, o bairro é turístico e quem mora nele deve pagar um preço por isso. E por que só Copacabana, reclamam, tem direito a realizar um grande réveillon? Começando pelo último argumento. O fato de já acontecer ali perto a maior festa de virada do mundo me parece mais um motivo para a diversificação.

Por que não deixar para Ipanema a alternativa de um réveillon mais tranqüilo, com outro tipo de curtição, sem o agito do bairro vizinho? Há décadas que na noite de 31 de dezembro minha mulher e eu vamos a pé até Copacabana para assistir à queima de fogos - nós e famílias inteiras, algumas levando até filhos de colo. Com exceção do ano passado, íamos e voltávamos na santa paz de Deus. Dizia-se que era a única ocasião em que se podia andar pela Zona Sul às 3 horas da madrugada sem medo e sem risco.

Também não concordo com o argumento de que, além do IPTU alto, a gente tem que pagar em incômodo e desconforto por morar em área turística.

Cidades como Paris, capital do turismo, já ensinaram que é possível oferecer ao visitante as duas coisas: atração e ordem urbana. E faturar com isso.

Quem disse que turista gosta de bagunça? Por fim, o que fazer com os jovens, que preferem ser - não ver - o espetáculo? Querem dançar. É simples: se Ipanema não tem o ritual dos fogos, se o que oferece é apenas o espaço para o baile, por que não destinar outro lugar mais amplo e desimpedido, sem moradores próximos, sem limitações, onde 20 DJs possam tocar a todo o volume gêneros como o funk e a música eletrônica, que são por natureza mais espaçosos e barulhentos? A coordenadora do Projeto de Segurança de Ipanema dá a sugestão: os galpões do Cais do Porto. Lá, lembra a empresária Maria Ignez Barretto, não tem vizinhança.

POLÊMICA

Polêmica

Secretário de Turismo diz que depende de apoio da PM para fazer festa de réveillon em Ipanema

Publicada em 16/12/2008 às 23h46m

Luisa Valle e Jacqueline Costa


RIO - Apesar de a Justiça ter autorizado o réveillon em Ipanema , a festa continua sendo uma dúvida. Nesta terça-feira, o secretário municipal de Turismo, Rubem Medina, reafirmou que, sem o apoio da Polícia Militar, não há como realizar o evento. Sem se posicionar sobre o assunto, o secretário de Segurança, José Mariano Beltrame, disse que o pedido para a realização do comemoração ainda não chegou à secretaria. A duas semanas da virada do ano, o impasse continua.

- Eu lamento. Acho que o Rio perde muito porque o réveillon em Ipanema seria mais uma atração para moradores e turistas e estava se firmando. Mesmo com a autorização da Justiça, não podemos fazer a festa se o governo do estado diz que não garante a segurança. Já está em cima da hora e daqui a pouco não dá mais tempo - disse Medina.

Na segunda-feira, o juiz da 3ª Vara de Fazenda Pública, Cláudio Dell'Orto, negou a liminar do Ministério Público que pedia a proibição da festa de Réveillon que será realizada na Praia de Ipanema. Apesar da decisão, o Ministério Público ainda poderá recorrer da decisão do juiz. A decisão final, no entanto, caberá ao secretário de Segurança, José Mariano Beltrame.
De acordo com a decisão do juiz, por ser uma festa que vai atender pessoas da cidade inteira, além de turistas, e não apenas moradores do bairro - que seriam contra a festa - é preciso seguir a vontade da maioria.

O secretário municipal de Turismo, Rubem Medina, diz que precisa de uma resposta das autoridades ainda esta semana, a tempo de liberar o calendário da festa, que deve ser publicado na quarta-feira.

No sábado, um reportagem do GLOBO trouxe a polêmica sobre a realização da festa, que está dividindo moradores. O Projeto de Segurança de Ipanema, grupo apartidário que defende a mobilização popular entrou com uma ação no Ministério Público e enviou e-mail ao secretário de Segurança, José Mariano Beltrame, reforçando o pedido de cancelamento da festa. Os organizadores do evento, no entanto, conseguiram o apoio de personalidades que moram ou freqüentam o bairro e ainda não desistiram de obter a autorização.

ESTATÍSTICAS- BLOG - 01 / 12 a 15 / 12

Uso do site

4.680 Visitas

6.652 Exibições de página

1,42 Páginas/visita

00:01:04 Tempo médio no site

84,47% % de novas visitas

REVEILLON INCERTO

Justiça libera, mas Réveilon de Ipanema é incerto

Renata Victal,

Jornal do Brasil

RIO - O juiz da 3ª Vara de Fazenda Pública, Cláudio Dell'Orto, liberou a festa de Réveillon na Praia de Ipanema. A decisão, no entanto, não garante a realização do evento. Agora cabe ao secretário de Segurança, José Mariano Beltrame, se pronunciar, o que só deve acontecer na sexta-feira.

Enquanto o sinal verde não é dado, o promotor Eduardo Santos, da 8ª promotoria da Cidadania, já prepara um recurso. O imbróglio deixa os organizadores aflitos. Segundo Fábio Tabach e Flávio Machado, o prazo final dos patrocinadores expirou na segunda-feira.

– As quase 500 pessoas envolvidas na produção do evento não sabem se vão ou não trabalhar. Muitas delas abriram mão de outros empregos. E não sabemos mais o que dizer aos patrocinadores. Nosso prazo acabou – ressalta Tabach.

Os dois já pagaram os 10 DJs escolhidos para animar a festa. Eles comemoraram, mesmo que de forma parcial, a decisão do juiz.

– A gente não esperava outra decisão. Estamos organizando a festa de acordo com todos os padrões da licitação da prefeitura. Só dependemos da autorização da secretaria – afirma Flávio.
Em sua decisão, o juiz ressalta que, apesar de o comandante do 23º BPM (Leblon), Carlos Milan, ter dito que “diante da grandiosidade do evento” não teria capacidade de fazer o policiamento, o relatório da segurança realizado na festa do ano passado sugere que a PM poderá realizar novamente a atividade de policiamento ostensivo.

Dell'Orto diz ainda que a festa visa atender pessoas da cidade inteira e não apenas moradores do bairro. “No que se refere à razoabilidade a questão se coloca na solução do conflito entre os direitos de privacidade e tranqüilidade dos moradores do bairro de Ipanema e a oferta de uma festa popular, ao ar livre, para que todos os moradores da cidade e eventuais turistas”.

Decisão equivocada

Os argumentos, no entanto, não agradaram ao promotor.
–Vamos entrar com o recurso e nosso maior argumento é a segurança. No último ano houve um baleado. O próprio comandante diz que não tem como garantir a tranquilidade – explica Eduardo.

A decisão também desagradou os moradores. Eles reclamam do excesso de poluição sonora, número insuficiente de sanitários, demarcação de áreas vip na praia e um grande comércio irregular. A médica Júlia Souza, de 57 anos, conta que precisou sair de casa.

– O som era muito alto e não gosto de música eletrônica. É muito incômodo dormir com um bate-estaca daqueles na cabeça. Fui para a casa de uma amiga.

Augusto Boisson, presidente da Associação de Proprietários de Pequenos Prédios no Leblon e Ipanema, classificou como infeliz a decisão do juiz e teme que a festa se estenda pelas areias do Leblon nos próximos anos.

–O juiz não foi feliz. Ele não deve ter contemplado a opinião da população e das autoridades. Meu medo é que aconteça no Leblon o mesmo que aconteceu em Ipanema. Era muito sexo e promiscuidade entre automóveis das ruas paralelas. Acabaram com os gramados em frente aos prédios. Muita gente usando drogas. Até uma pessoa morreu. O bairro não tem estrutura para receber 300 mil pessoas.

Fabio Tabach rechaça o número de 300 mil pessoas no evento.

–Não colocamos 300 mil pessoas na praia. Fizemos um estudo e descobrimos que levamos 44 mil. Este ano conseguimos que a MTV transmita a festa para todo o país. A cidade só tem a ganhar com este evento.

EMERGÊNCIA EM RISCO NO REVEILLON

EMERGÊNCIA EM RISCO NO REVEILLON

Cremerj alerta que Hospital Miguel Couto,no Leblon,sofre déficit da anestesistas e radiologistas.

Paula Máiran

Jornal do Brasil 12/12 2008

Justamente a menos de três semanas do Réveillon,época em que a demanda por atendimento hospitalar de emergência aumenta 30%,na Zona Sul,agrava-se a crise no Hospital Miguel Couto,na Gávea.
O Conselho Regional de Medicina do Rio de Janeiro(Cremerj),denunciou ontem que há neste momento na unidade um déficit de 15 anestesistas e 8 radiologistas.De acordo como presidente do Conselho,Luiz Fernando de Moraes,o quadro já envolve o adiamento sistemático de cirurgias por falta desses especialistas.
_A prefeitura precisa contratar com urgência,ou será muito grave a situação durante o período das festas_alertou o presidente do Cremerj.

POLÊMICA

Polêmica

Justiça garante festa de Réveillon na Praia de Ipanema, mas MP ainda pode recorrer

Publicada em 16/12/2008 às 12h51m

Luisa Valle

RIO - A polêmica sobre as festas de Réveillon na cidade parece não ter fim. Na segunda-feira, o juiz da 3ª Vara de Fazenda Pública, Cláudio Dell'Orto, negou a liminar do Ministério Público que pedia a proibição da festa de Réveillon que será realizada na Praia de Ipanema. Apesar da decisão, o Ministério Público ainda poderá recorrer da decisão do juiz. A decisão final, no entanto, caberá ao secretário de Segurança, José Mariano Beltrame.

De acordo com a decisão do juiz, por ser uma festa que vai atender pessoas da cidade inteira, além de turistas, e não apenas moradores do bairro - que seriam contra a festa - é preciso seguir a vontade da maioria.

"No que se refere à razoabilidade a questão se coloca na solução do conflito entre os direitos de privacidade e tranqüilidade dos moradores do bairro de Ipanema e a oferta de uma festa popular, ao ar livre, para que todos os moradores da cidade e eventuais turistas possam comemorar o réveillon naquela praia. A prevalência do interesse da coletividade - pela sua representação majoritária - impõe que a razoabilidade se materialize contra a pretensão do Ministério Público", afirma sua decisão.

Ainda de acordo com a decisão do juiz, apesar de a PM ter se manifestado afirmando que o 23º BPM (Leblon) "diante da grandiosidade do evento" não teria capacidade de fazer o policiamento, o relatório da segurança realizada na festa do ano passado sugere que a PM poderá realizar novamente a atividade de policiamento ostensivo. A autorização para a festa de réveillon na orla de Ipanema foi negada no fim do mês passado pelo comando do 23º BPM (Leblon).
O juiz afirma ainda que as questões de preservação do local são de responsabilidade da empresa que vai realizar a festa.

"Evidentemente que os organizadores da reunião e seus patrocinadores são responsáveis por todo e qualquer dano que possa derivar do evento. Todos estão obrigados, também nos limites da Constituição da República, a zelar pela incolumidade pessoal dos convivas, pela proteção do patrimônio e do meio ambiente. Diante destas razões, INDEFIRO o pedido de liminar formulado pelo Ministério Público

O secretário municipal de Turismo, Rubem Medina, diz que precisa de uma resposta das autoridades ainda esta semana, a tempo de liberar o calendário da festa, que deve ser publicado na quarta-feira.

No sábado, um reportagem do GLOBO trouxe a polêmica sobre a realização da festa, que está dividindo moradores. O Projeto de Segurança de Ipanema, grupo apartidário que defende a mobilização popular entrou com uma ação no Ministério Público e enviou e-mail ao secretário de Segurança, José Mariano Beltrame, reforçando o pedido de cancelamento da festa. Os organizadores do evento, no entanto, conseguiram o apoio de personalidades que moram ou freqüentam o bairro e ainda não desistiram de obter a autorização.