quarta-feira, 31 de outubro de 2007

De Olho na Rua - Palhaçada

Hoje, entre 10:00 e 11:00, foi dificil para senhores e senhoras de idade atravessarem o quarteirão entre Joana e Maria Quitéria (o pedaço em frente ao Fórum) sem ser incomodados por dois sujeitos com a cara pintada de palhaço.

Um deles seguiu por todo o quarteirão uma senhora de idade que tentava, a todo custo, ignorá-lo e seguir seu caminho em paz.

Nós imaginamos o que o palhaço deveria estar repetindo no ouvido dela (é um projeto social para crianças carentes, precisamos de uma doação, qualquer coisa ajuda...)

Reunião do Projeto de Segurança - 30 de Outubro de 2007

Ata da Reunião

1) Foi feita uma breve apresentação do Projeto para novos participantes, e discutidos alguns assuntos como a antiga Associação dos Moradores e Amigos de Ipanema, o Quadrilátero do Charme e os problemas na Vinícius de Moraes, que continuam a ser um desafio.

2) Ignez relatou a reunião do Conselho de Segurança Comunitário, ocorrida na semana passada. Maiores detalhes estão disponíveis aqui no Blog.

3) Operação Ipabacana: Será marcada uma reunião do projeto com o coordenador do Ipabacana, Rodrigo Bethlem, na próxima semana. É essencial que nosso grupo acompanhe e participe do trabalho

4) Adoção da Praça N. Sra. Da Paz: nosso grupo vai tentar abrir um canal de comunicação com o Citibank para solicitar que o banco prossiga com o processo de adoção da Praça, interrompido pela decisão da prefeitura de realizar uma mal-sucedida licitação.

5) Foi apresentado um breve relato da situação da frente de ação do Banco de Empregos na qual, por motivos de força maior, não houve muito progresso.

6) Estão sendo planejadas atividades de incentivo ao turismo no Cantagalo, apoiando visitas e instalação de Bed and Breaksfasts.

7) No ultimo domingo de cada mês as instalações do canteiro do metrô são abertas à visitação. É necessária inscrição prévia nas centrais de atendimento: Casa de Pedra da Sá Ferreira – 2521-0289, Praça General Osório – 2227-0337

8) A frente da Cooperativa de Reciclagem continua procurando um local adequado para suas instalações

9) O grupo continua tentando conseguir as estatísticas de criminalidade do bairro, que não estão sendo fornecidas pela 14ª DP.

10) Foi lançada e aprovada com entusiasmo a idéia de realizar eventos musicais em pequena escala, simultâneos, com o objetivo de mobilizar a população e recrutar voluntários para o projeto.

11) Foi levantada a necessidade de se dar maior publicidade aos resultados alcançados pelo projeto até agora.

12) Foi lançada e aprovada a idéia de contatar as administradoras de imóveis que atuam em Ipanema para engajá-las na nossa campanha de divulgação

13) Foram lidas as estatísticas das reclamações colocadas nas urnas

14) Foi aclamada por todos como prioridade número 1 o recrutamento de voluntários para o Projeto. Nosso objetivo deve ser conseguir um representante de cada prédio em Ipanema. Cada um dos presentes se comprometeu a trazer um outro morador na próxima reunião, e dar a maior divulgação ao nosso blog.

terça-feira, 30 de outubro de 2007

ATENÇÃO - Nossa Reunião

Nossa reunião será hoje às 18:00, na Faculdade Cândido Mendes, na rua Joana Angélica. Compareça, leve seus amigos e vizinhos. Essa é a hora.

Beira-Mar Visita o Rio - Acinte, Absurdo

Traficante evita falar em juízo e aproveita para rever parentes. Traslado de grupo para prestar depoimento custou R$ 150 mil (reportagem de O Dia)

Essa é a 18ª vez que Beira-Mar vem ao Rio para prestar e acompanhar depoimentos de testemunhas em processos a que responde na Justiça.

E tudo isso apenas para negar pessoalmente as acusações, em uma viagem que custou aos cofres públicos R$ 150 mil.

No mesmo avião da Polícia Federal (PF) que transportou Beira-Mar, também vieram Márcio Nepomuceno dos Santos, o Marcinho VP, Charles Silva Batista, o Charles do Lixão, e o contraventor Fernando Iggnácio.

De 15 agentes, como o de costume, foram mobilizados 60, entre homens do Departamento Penitenciário Nacional, federais do Comando Operacional Tático de Brasília e da Delegacia de Repressão a Entorpecentes do Rio. Só na escolta de Beira-Mar eram 20.

Enquanto Beira-Mar acompanhava os depoimentos, não foram raras as vezes em que conversou com advogados e gesticulou para parentes. Com olhares debochados e sorrisos entre os dentes, reagia às perguntas que a juíza fazia às testemunhas.

Projeto de lei aprovado pelo Senado que torna obrigatória a realização de interrogatórios e audiências judiciais por meio de videoconferências aguarda sanção do presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Senhor Presidente da República, está esperando o quê ?
Senhor Presidente da OAB-RJ, qual é a sua opinião sobre isso ?

segunda-feira, 29 de outubro de 2007

Exemplos e Referências

Em Santa Teresa, o relacionamento estreito entre o Projeto Piloto de Segurança implantado lá e o poder público tem dado resultados excelentes. Tanto a PM, quanto a Polícia Civil, a GM e a Região Administrativa trabalham em perfeita sintonia, o que se transforma em benefícios em prol da segurança do bairro. Esse esforço conjunto conseguiu aumentar o contingente da PM e no momento são dez duplas no policiamento ostensivo por escala, com duas viaturas rodando 24 horas por dia, além da participação da Polícia Civil e Guarda Municipal.

Houve um fato emblemático após denúncias de assaltos praticados por motociclistas. A Polícia Civil e a PM fizeram blitzes em horários não divulgados, apreenderam todas as motos em situação irregular e a GM entrou com o apoio logístico e providenciou os reboques. O resultado foi que os assaltos perpetrados por motociclistas em Outubro caíram a ZERO!

A 7ª DP está trabalhando a todo vapor: dos 11 homicídios no bairro em 2007, 9 já estão com os inquéritos concluídos e os culpados identificados. Houve ainda dois eventos no princípio de Outubro que alarmaram o bairro. Um foi o assalto na Rua Aprazível, onde os autores (três menores) foram pegos em flagrante com armas e foram presos (um deles com dois mandados de prisão). Foram enviados ao Ministério Público que entendeu que, apesar de serem reincidentes e estarem armados, eles deveriam se beneficiar da liberdade assistida. O outro foi o de uma quadrilha de menores que estava cometendo muitos assaltos no bairro. Foram identificados e encaminhados ao MP.

Isso mostra que a polícia está trabalhando e quando existe a integração do poder público com a sociedade, as coisas funcionam. E essa é uma das nossas lutas mais difíceis em Ipanema, pois o poder público aqui ainda está um pouco resistente a essa integração. Com a mobilização da população, temos a certeza que conseguiremos convencê-los dos benefícios dessa parceria.

Palestra do Instituto de Fiscalização e Controle

Criado para incentivar e fortalecer a ação de fiscalização e controle dos gastos públicos, o Instituto de Fiscalização e Controle (IFC) foi idealizado pela Auditar (Associação Civil de Auditores Federais) e outras entidades de servidores públicos ligados à área de controle, e também pela Amarribo (Amigos Associados de Ribeirão Bonito), uma ONG que se tornou exemplo nacional no combate à corrupção, levando à cassação do prefeito de Ribeirão Bonito-SP.
Um dos objetivos do IFC é ensinar às populações de que maneira podem fiscalizar os investimentos do poder público. Apesar de seu foco principal ser em pequenos municípios (já fizeram 32 caravanas para difundir este tipo de controle pela população), eles estão saindo do modo habitual de trabalho para nos ajudar (serão o braço técnico) a controlar os investimentos do PAC (R$ 36 milhões) no Cantagalo e Pavão-Pavãozinho.

O IFC dará uma palestra amanhã (30/10) a partir das 20:00h, ao final da nossa reunião na Universidade Cândido Mendes de Ipanema, na Joana Angélica. Convocamos todos para participar.

domingo, 28 de outubro de 2007

Compromisso do 23o Batalhão da PM

Estivemos presentes na reunião do Conselho Comunitário de Segurança Pública da 23ª AISP (Área Integrada de Segurança Pública) que foi realizada no dia 25/10. O Coronel Millan, comandante do 23º Batalhão da PM, se comprometeu publicamente durante a reunião a continuar o Curso dos Porteiros, a implantar a segurança do Pólo Gastronômico de Ipanema e a promover junto conosco a ação “Policial do Mês”.

sábado, 27 de outubro de 2007

De Olho na Rua

Na sexta-feira passada, dia 26 de outubro, um cidadão que passava pela rua Vinicius de Moraes observou, em um botequim que fica ao lado da Padaria Martinica, 2 policiais fardados, com a viatura parada, num dos pontos mais confusos da rua, bebendo cerveja e beliscando aperitivos, junto com um grupo bastante animado.

Eram 15:45. Os policiais ficaram no local 45 minutos.

Essa informação foi passada à Polícia Militar, junto com o número da viatura.

sexta-feira, 26 de outubro de 2007

É Possível Vencer - Presos Sequestradores do Novo Leblon

Três homens acusados de praticar seqüestros-relâmpagos nos bairros da Barra da Tijuca, Jacarepaguá e Recreio dos Bandeirantes foram presos por policiais da 16ª DP (Barra da Tijuca). Eles também são apontados pelos agentes como responsáveis pelos sequestros-relâmpagos de três mulheres no Condomínio Novo Leblon, na Barra da Tijuca, ocorrido em setembro último. Oito vítimas já reconheceram os bandidos, que tiveram a prisão decretada pela 14ª Vara Criminal da Capital.

Por determinação do titular da 16a DP, delegado Carlos Augusto Nogueira, foi montado uma operação com policiais à paisana nos pontos onde os bandidos levavam suas vítimas para efetuarem os saques.

Rubem da Silva Sarmento, 26 anos, foi preso em flagrante, nesta terça-feira (23/10), quando dirigia seu carro, em Jacarepaguá. Com ele foi apreendida uma arma. Também na terça-feira (23/10), foi localizado e detido Marcus Fonseca Sampaio, 22 anos, em sua casa, no Recreio dos Bandeirantes. Gabriel de Almeida dos Santos, foi preso, nesta quarta-feira (24/10), também em sua residência, no Recreio.

Segundo o delegado, o trio é responsável pelos seqüestros ocorridos nesses bairros, nos últimos meses. Eles foram levados para a carceragem da Polinter, onde aguardarão decisão da Justiça.

Cada um vai responder por extorsão, que prevê pena que varia de quatro a 10 anos de detenção.

É possível vencer o crime.

quinta-feira, 25 de outubro de 2007

Benefícios aos Policiais

Há algumas reuniões vimos discutindo sobre benefícios diretos e indiretos que podem ser dados aos policiais. Sabemos que eles precisam de melhores salários e condições de trabalho, mas dar-lhes apoio e reconhecimento só fará bem.

Ficamos contentes em saber que a Secretaria de Segurança Pública está pensando da mesma forma. Como podemos ver nessa matéria de O Globo On Line, a SSP quer dar a partir de 2008 a isenção de IPVA e exame de vista para renovação da carteira de motorista dos policiais. Além disso, já a partir de 15 de novembro, policiais dos batalhões da Zona Sul e da Barra passarão a viajar de graça nos ônibus.

Parabenizamos a SSP, pois estas iniciativas vêm totalmente ao encontro de nossas propostas. Quanto melhores forem as condições dos policiais, melhor será o serviço prestado. Desta forma, a secretaria está prestigiando suas polícias e isto só vem a fortalecer as instituições, essenciais no caminho de combate ao crime.

terça-feira, 23 de outubro de 2007

Biscoito Molhado de Sangue

Do Globo de hoje (http://oglobo.globo.com/rio/mat/2007/10/23/322570968.asp)
Quem gosta de comprar em camelô - DVDs, comida, roupas - pode ter dificuldade em acreditar que, atrás daquela mercadoria inocente, vendida a preços tão convidativos, pode haver um caminhoneiro ferido ou morto.

Infelizmente, esse é o preço do biscoito vendido pelo camelô.

Não pode haver segurança enquanto a população fizer negócio com os bandidos.

Quem compra em camelô faz a mesma coisa que os usuários de drogas: financia o crime.

E para isso, não há desculpa.


Ajude-nos a mudar a atitude das pessoas. Chega de reclamar. Nenhum político vai fazer por nós o que não fazemos por nós mesmos. Junte-se à essa campanha.

segunda-feira, 22 de outubro de 2007

Invasão de calçada
















Vejam o que foi feito no Edifício número 568 da Visconde de Pirajá. Independente da legalidade da obra, que é questionável, o resultado ficou um horror. Quebra totalmente a harmonia da calçada, num dos seus pontos mais bonitos. Um caso claro de invasão do que é público. Nesse caso, a calçada. Será denunciado à Prefeitura.

domingo, 21 de outubro de 2007

Carta Aberta à OAB

Excelentíssimo Sr. Presidente da OAB-RJ
Dr. Wadih Damous,

Como cidadãos residentes na cidade do Rio de Janeiro, mobilizados em torno de um projeto de segurança apartidário e voluntário, não podemos deixar de nos manifestar em relação aos seus comentários diante dos recentes acontecimentos na Favela da Coréia.

Sua declaração de que não aceita “que o ser humano seja tratado como animal de abate” expressa nossos sentimentos mais profundos. Cada vida humana é preciosa; em cima do respeito às vidas se constrói todo o resto da sociedade. Que a OAB tenha finalmente despertado para a gravidade da situação no Rio e nas outras cidades brasileiras foi motivo de alegria para nós, que temos uma história de engajamento nas lutas sociais pela liberdade e democracia.

Entretanto, verificamos, com surpresa, que o seu comentário dizia respeito à ação da polícia, e não ao fato de traficantes fortemente armados dominarem uma favela do Rio de Janeiro criando, de fato, um Estado dentro do Estado. Nos parece que, talvez, o senhor ignore alguns fatos importantes:

· Não existe nenhuma área de nossas cidades onde não estejamos sujeitos a sofrer um crime violento, a qualquer hora do dia.

· A esmagadora maioria dos habitantes já foi vítima, ou teve alguém da sua família, ou conhece alguém que já foi vítima de um crime violento.

· Cidadãos são fuzilados à queima-roupa ao volante do carro, quando vão buscar ou levar filhos na escola, quando saem de um caixa automático, quando param em um sinal de trânsito, quando entram no metrô. Ninguém está a salvo, em lugar nenhum.

· Criminosos mantém áreas inteiras sob seu controle. Organizam falsas blitz onde policiais, quando identificados, recebem sentença de morte executada imediatamente. Um repórter de TV já foi torturado e executado em uma favela. Ônibus foram queimados com os passageiros dentro. Um juiz do trabalho foi executado na Avenida Brasil. A presidente do STF já teve uma arma na sua cabeça na Linha Vermelha. Um garoto foi arrastado por um carro até a morte, diante dos olhos dos seus pais. Essas estórias se repetem diariamente. A ousadia não tem fim.

Dr. Wadih, cada vez que saímos de casa no Rio de Janeiro, o fazemos com a gravidade de quem sabe que pode não retornar. Tememos permanentemente por nossas vidas, e pela vida dos nossos filhos.

A OAB tem desempenhando um papel fundamental na restauração e preservação da liberdade e da democracia neste pais. Precisamos de novo da ajuda desta instituição na luta contra a ditadura do crime. Queremos de volta nossa liberdade de ir e vir, de andar e dirigir pelas ruas sem medo – queremos parar de ouvir estórias de horror e desespero contadas por nossos vizinhos, amigos, parentes.

A OAB pode fazer muito por nós, Dr. Wadih. Seguem algumas sugestões

· Adaptar nosso código penal à realidade das ruas. A pena máxima no Brasil é de 30 anos, como o senhor deve saber. A maioria dos criminosos é condenada a uma fração disso, e cumpre apenas uma pequena parte de suas sentenças, antes de ser libertado por "bom comportamento". Rafael Gomes, que assassinou a estudante Gabriela Prado no metrô da Tijuca em 2003, teve a sua sentença ANULADA pelo STF. Com isso, sua pena passará de 23 anos para apenas 7 anos.

Em quanto tempo este assassino estará de volta nas ruas ? Ele terá direito a visita íntima, visita familiar, saída no Dia das Crianças, liberdade provisória por bom comportamento ? Qual a opinião da OAB sobre uma lei que trata de forma tão dispare o criminoso e as vítimas ? Qual a opinião da OAB sobre um Judiciário que toma suas decisões como se vivesse na Suíça ? Nós vamos lhe dizer qual a opinião da sociedade: é um acinte.

· Tornar a Lei de Execuções Penais uma lei que proteja a sociedade, e não os criminosos. Bandidos perigosos e irrecuperáveis devem passar o resto de suas vidas na prisão, e não usufruir de benefícios como "visitas íntimas", visita ao lar, saída no Dia das Crianças (depois da qual, só em São Paulo esse ano, quase 6% dos presos não retornaram). Criminosos perigosos passeiam pelo país para participar de audiências, mobilizando enormes contingentes policiais que deveriam estar protegendo o cidadão. Recentemente, o mais perigoso deles se casou na cadeia, com direito a uma visita íntima. Os cidadãos brasileiros gostariam de saber quanto essa delicadeza custou aos cofres públicos.

· Apoiar as autoridades no isolamento dos presos perigosos, que, de dentro da cadeia continuam controlando seus negócios e cometendo crimes, como o sequestro-extorsão, que levou pânico ao Rio de Janeiro no início do ano, ou como os ataques que paralisaram Rio e São Paulo. Parece estar provado que uma importante via de comunicação entre os bandidos presos e suas organizações são os advogados. Porque a OAB protesta contra a revista aos advogados ? Porque a OAB não toma medidas drásticas (como a cassação imediata do registro) contra os advogados de criminosos que são flagrados em atividades ilícitas ? Porque a OAB não ajuda a polícia a descobrir de onde vem o dinheiro com que os traficantes presos pagam (regiamente) seus advogados ?

· Lutar pela reforma urgente do Judiciário. Justiça tardia é justiça inexistente. Os criminosos, melhor do que ninguém, sabem disso.

Essa luta é de todos os cidadãos, Dr. Wadih, e por isso nós damos as boas-vindas à OAB.

Que o senhor use a autoridade, o prestígio e a competência dessa entidade para levantar sua voz, com a mesma firmeza e decisão que usou para comentar as ações na Coréia, para defender os cidadãos de bem, que hoje se trancam aterrorizados em suas casas e carros.

Porque, se nós perdermos essa luta, Dr. Wadih, tudo o mais estará perdido, e suas palavras ecoarão no vazio.

Cidadãos do Projeto de Segurança de Ipanema

sábado, 20 de outubro de 2007

Ministro Jobim defendo o exército contra o crime

O Ministro da defesa, Nelson Jobim, declarou que pretende trabalhar para resolver os impedimentos legais para que as Forças Armadas atuem no combate ao crime nas cidades do país. Ele citou como exemplo a atuação das tropas brasileiras, a serviço da ONU, no Haiti. Como boa parte da opinião pública vem falando sobre isso há algum tempo, o debate é válido. Há dezenas de argumentos a favor e contra essa matéria e a sociedade civil tem que participar dessa decisão.

O Ministro também aproveitou para apoiar a recente operação na favela da Coréia, que matou 10 traficantes, um policial e uma criança, bem como ratificou o apoio à política de segurança pública do Rio, baseada no enfrentamento. Leia aqui.

Onde vivem os Ministros do STF?

Há algum tempo o STF vem se afastando da realidade da população. Nem o assalto sofrido pela presidente Ellen Grace, onde ficou sob a mira de uma arma esse ano na linha amarela (ela nem foi à delegacia registrar queixa), parece ter servido como um choque para que a mais alta corte do país entenda o que de fato acontece na nossa cidade e no nosso país.

Ontem, foi divulgado em vários jornais (clique aqui e veja no JB) que o assassino Rafael Gomes, aquele que matou a estudante Gabriela Prado no metrô da tijuca em 2003, ANULOU a sentença de condenação do assassino. Com isso, sua pena passará de 23 anos para apenas 7! Com o famigerado regime de progressão de pena, ele poderá estar livre a qualquer momento.

Essa decisão, assim como a maioria das decisões da corte, é uma afronta ao povo brasileiro! É contra esse tipo de CRIME, o descaso das nossas autoridades, que temos de lutar com a mesma força que temos lutado contra os crimes ordinários nas ruas.

Mobilização contra as nossas mazelas! É o que precisamos.

quinta-feira, 18 de outubro de 2007

IpaBacana

Nós tivemos duas reuniões, sendo uma em Junho e outra em Agosto, na sub-prefeitura com a presença da PM, da GM, do MP, do Subprefeito, do coordenador do controle urbano e da Coordenadoria de Assistência Social, onde discutimos uma ação integrada entre os órgãos públicos para reprimir a desordem urbana. No dia 20/09 tivemos uma reunião para apresentar o relatório das urnas na Coordenadoria de Controle Urbano onde ficou decidido que a PM ajudaria a GM e a CCU no horário do almoço no combate aos camelôs.

Pois ontem um bom passo foi dado no sentido de solução desta desordem. A Secretaria Estadual de Governo, por meio de seu subsecretário Rodrigo Bethlem, anunciou o início da operação IpaBacana, conforme podemos ver aqui nesta matéria de O Globo On Line. Esta ação é exatamente o que o PSI vem pedindo há três meses e é muito bem vinda. O poder público está atendendo uma demanda da sociedade. O Projeto de Segurança de Ipanema quer o ordenamento urbano, não quer camelô e nem população de rua. Temos a certeza que com melhor ordem urbana, o combate ao crime também avança com mais eficiência.

terça-feira, 16 de outubro de 2007

Denúncias

As denúncias que recebemos são a melhor forma de mapear as áreas de incidência, os tipos de crime e exigirmos as respectivas soluções. Precisamos dessas denúncias!

Se testemunharam ou sofreram um assalto, nos informe a data, hora e contexto do crime (assaltante a pé, de moto, de bicicleta, armado etc). Se houve piora ou melhora na quantidade de vendedores ambulantes na sua rua, denuncie. Se carros estão estacionando nas calçadas ou não respeitando outras leis de trânsito, denuncie. Se moradores de rua estão ocupando calçadas em frente a sua porta, denuncie.

Nosso trabalho é baseado na perseverança. Nós nunca damos trégua e não permitimos que os poderes públicos relaxem nas questões de crime e ordem urbana.

As denúncias podem ser feitas nas urnas da cidadania espalhadas pelo bairro, pelo e-mail projetodeipanema@terra.com.br ou aqui mesmo, no Blog.

segunda-feira, 15 de outubro de 2007

De Olho na Rua - A PM e a Guarda Municipal de Parabéns

Nosso trabalho começa a dar resultados (para contradizer aqueles que acreditam que, não só está tudo muito ruim, como só vai piorar).

Dois flagrantes da manhã do dia 13 de Outubro, sábado passado:

No Leblon, na esquina da Ataulfo de Paiva com José Linhares, um grupo de guardas municipais corre para apreender a mercadoria de um camelô. A apreensão foi toda testemunhada por mim, a dois passos de distância. Foi feita com firmeza e autoridade, sem violência ou qualquer tipo de agressão (mesmo verbal). No final, um guarda municipal se dirigiu, com todo o respeito, ao ambulante, informando-o do local aonde deveria se dirirgir se "o senhor desejar recuperar a sua mercadoria".

Logo a seguir, em Ipanema, o Fiat placa KUW-1523 estacionou em local impróprio para entregar garrafões de água mineral.Os policiais militares da patrulhinha número 54-2549 exigiram que o carro fosse retirado. O motorista se tornou agressivo, falando alto e reclamando que "tinha que fazer o seu seriço". Os PMs, firmes continuaram no cumprimento do seu dever.

domingo, 14 de outubro de 2007

INVASÃO DE ESPAÇO PÚBLICO

Uma nova banca de jornal foi colocada em frente ao 55 da Farme de Amoedo, quarteirão com pouco espaço para pedestres devido aos avanços dos bares sobre a calçada. Fica a pergunta: Quem autoriza esse tipo de estabelecimento comercial?

Nossa atitude faz a diferença

Vamos repetir uma frase que vem se tornando uma espécie de diretiva básica na luta contra o crime. Segurança pública e dever do Estado, mas é responsabilidade de todos!

Um dos colaboradores do PSI, ao freqüentar seu tradicional ponto na praia, próximo ao Caesar Park, flagrou um grupo, na verdade duas gerações de uma família, fumando maconha na areia. Quem freqüenta a praia de Ipanema nos fins de semana sabe como isso, infelizmente, é comum.

Nosso colaborador se aproximou e pediu educadamente que parassem com o consumo, pois, caso contrário, chamaria a polícia. Foi prontamente atendido. Trinta minutos depois, agora um jovem casal, também acendeu um cigarro de maconha. Novamente foram interpelados pelo cidadão, que foi mais uma vez atendido.

Nessa época em que se discute tanto o papel da sociedade, especialmente as classes média e alta, no avanço histórico da violência na nossa cidade, é muito oportuno que mostremos às pessoas que elas devem fazer o que é certo. Fumar maconha (e ninguém é viciado em maconha) é crime! Não há outras interpretações para o assunto.

Claro que devemos sempre zelar pela nossa segurança pessoal. Não estamos dizendo que devemos substituir a polícia e tomar atitudes de alto risco. Mas a verdade é que os cidadãos, omissos de longa data, precisam ser encorajados a fazer o que é certo. Quando virmos alguém estacionando em cima da faixa de pedestres, avançando o sinal vermelho, ou fumando maconha na praia, devemos reclamar! Chame a polícia, que também anda inerte, visto que não está acostumada a ser cobrada pelos cidadãos!

A solução para a violência passa por nós, pela nossa postura e pela nossa atitude. Embora exista um constrangimento inicial, a recompensa virá na forma de uma cidade mais segura.

sábado, 13 de outubro de 2007

A Tarefa Possível

Muitos acham que reduzir a criminalidade no Brasil a níveis civilizados é tarefa impossível.

Essas pessoas geralmente têm uma lista grande de razões. A enorme diferença entre ricos e pobres. As favelas. A indiferença e inércia do brasileiro. O caráter dos nossos políticos.

Entretanto, outra tarefa que parecia igualmente impossível foi executada com sucesso no Brasil há pouco mais de 13 anos. A redução da inflação a níveis civilizados.

Eu ainda lembro dos argumentos. "A inflação não vai acabar nunca, pois é assim que os banqueiros ganham dinheiro".

"Sem a inflação, o governo não vai conseguir fechar suas contas".

"O brasileiro está acostumado a aumentar preços".

"A inflação existe desde o Brasil colônia".

Em Julho de 1994 foi implantado o Plano Real, e todos esses argumentos viraram pó.

Passamos de uma inflação de 2.490% (dois mil quatrocentos e noventa por cento) em 1993, de acordo com o IPC-FIPE, para uma inflação de 2,5% em 2006.

quinta-feira, 11 de outubro de 2007

Cidadãos Contra o Crime

Cliquem no link abaixo e vejam, no blog do Répórter de Crime, como cidadãos comuns podem lutar contra o crime usando apenas seus olhos e seu telefone celular.

http://oglobo.globo.com/rio/ancelmo/reporterdecrime/post.asp?cod_Post=76785&a=135

quarta-feira, 10 de outubro de 2007

Os mapas do crime

O Globo On Line, pela iniciativa do jornalista Jorge Antonio Barros, que mantém na versão On Line de O Globo um Blog sobre segurança pública chamado "Repórter de Crime", parceiro do PSI (veja na seção "Links Indicados" ao lado), criou uma campanha entre os LEITORES (Não são os dados do ISP, que têm problemas devido à subnotificação. São dos próprios leitores) para coletar informações das localidades onde ocorrem crimes na cidade. O resultado é que foram produzidos vários mapas do crime de vários bairrros, entre eles Ipanema, com nosso apoio.

As informações são muito valiosas e o resultado do infográfico do crime pode ser visto nesta matéria (necessário clicar no link dentro da matéria).

terça-feira, 9 de outubro de 2007

ATENÇÃO - Nossa Reunião

Nossa reunião será hoje às 18:00, na Faculdade Cândido Mendes, na rua Joana Angélica.

Compareça, leve seus amigos e vizinhos. Essa é a hora.

De Olho na Rua - Hoje

Hoje, dia 09/10/2007, às 11:20, o camelô dos óculos vendia sua mercadoria em frente à Confeitaria Martinica, enquanto outro armava sua banca.

Do outro lado da Visconde de Pirajá os Guardas Municipais Cruz e Tatiana conversavam com um PM em frente à Casa Futurista.

Todos saíram sem incomodar os camelôs.

Invasão de espaço público

Esse é um problema que não desperta inicialmente revolta ou indignação, geralmente porque ele aparece em doses homeopáticas.
É o anotador do jogo do bicho que monta seu "escritório" na calçada; o bar que prolonga a área de suas mesas até o passeio público; a lanchonete que coloca uma enorme mesa disfarçada de lata de lixo do lado de fora do estabelecimento; o vendedor ambulante que praticamente fecha a calçada, obrigando todos a se esgueirar pelos cantos, ou até mesmo pelo meio da rua; o morador de rua, que impede até mesmo clientes de entrarem em seus bancos para fazerem saques nos fins de semana; a banca de jornal colocada arbitrariamente em ruas que não comportam um "estabelecimento comercial" na calçada; os pontos de táxi instalados com autorização de não-sei-quem, colocando "escritórios" nas calçadas já estreitas; os enormes depósitos de mercadoria na areia da praia.

E vamos assim perdendo a identidade visual do bairro. Perdendo o conforto de passear pelas calçadas do bairro. Perdendo o direito de ir e vir. É a desordem urbana, semente do crime, que tanto combatemos...

Logo, caros cidadãos, a invasão de espaços públicos é uma transgressão séria! A não observância deste tipo de delito permite, por exemplo, a criação e expansão geométrica de favelas. Denunciem, sempre!

A invasão de espaço público significa a privatização de algo que é público. Intolerável!

domingo, 7 de outubro de 2007

Ipanema vista do espaço

Para aproximar ou afastar a foto, clique em "+" ou "-", no canto esquerdo superior.


View Larger Map

Bares da Maria Quitéria 1


Essa sujeira toda não foi depois de um bloco de carnaval ou qualquer mega-evento. Estava lá, num sábado de manhã na Maria Quitéria, em frente aos Bares Espelunca Chic e Emporium.

Os gerentes dos bares devem nos ajudar a zelar pela limpeza e ordem. Como os clientes ficam consumindo na própria calçada, os bares devem disponibilizar latas de lixo e promover a limpeza no fim das noites.

O que não pode é, além de ocuparem espaços públicos, deixarem a sujeira para quem passa por lá depois. Pedimos aos clientes dos bares e moradores que nos lêem que alertem e cobrem mudanças aos estabelecimentos.

sábado, 6 de outubro de 2007

Camelôs: Questionamento às Autoridades

De: Projeto de Segurança de Ipanema
Para: Lucio Costa (CCU); Inspetor Cristo (GM); Cel. Carlos Millan (PM)
Enviado: Sábado, 6 de Outubro de 2007 12:28
Assunto: Eles voltaram à Visconde de Pirajá

Prezados, Cel. Millan, Inspetor Cristo e Lucio Costa,

Depois da nossa reunião do dia 20/09, ficou combinado que a Coordenadoria de Controle Urbano e Guarda Municipal, com o apoio da Polícia Militar, fariam operações diárias e constantes no horário entre 12 e 14hs no sentido de acabar com os camelôs que se aproveitam da ausência do poder público na hora do almoço do CCU e da GM.

Tivemos uns dois dias de ação realmente efetiva. No dia 2/10 ás 13:40 não havia nenhum camelô na Visconde entre a Aníbal e a Vinicius.

Como é do conhecimento de todos, estas ações têm que ser contínuas. Não adianta colocar agentes nas ruas um dia, e no seguinte todos sumirem, o que parece que ocorreu. Perguntamos aos srs. o que está acontecendo.

Fazemos uma reunião em cima de dados objetivos que nos são passados pela população, existe o reconhecimento do problema e o compromisso por parte dos srs. de resolver. Chega-se à conclusão do que deve ser feito, e no entanto a ação não corresponde.

A população espera uma resposta clara e eficiente por parte dos órgãos competentes. Ela está fazendo a sua parte, participando, fiscalizando e dando aos srs, fatos concretos em cima dos quais trabalhar. Esperamos que o que foi combinado realmente se concretize,

Atenciosamente,

PSI

sexta-feira, 5 de outubro de 2007

A Ipanema que dá certo


Esse quiosque de plantas fica na Franscisco Otaviano, em frente ao Parque Garota de Ipanema.

Esse é um dos trechos mais complicados da rua. Nos finais de semana a confusão é grande (veja http://psipanema.blogspot.com/2007/09/o-caos-dominical.html).

Apesar disso, a influência benéfica e embelezadora do quiosque pode ser vista nesta foto (clique nela para vê-la maior, vale a pena). O pessoal do quiosque varre a área em volta, mantém uma presença em um trecho que ficaria deserto à noite, e ajuda a cuidar do local.

Não fosse o quiosque e esse pedaço já teria virado, com toda certeza, depósito de lixo e banheiro público (como acontece com trechos do Parque Garota de Ipanema).

Essa é uma bela combinação de interesses público e privado. É mais uma prova de que as soluções dos nossos problemas não têm que passar sempre pelo Estado.

Que outras idéias, como esta, estão nas nossas ruas, à nossa frente, esperando para ser descobertas ?

Mande sua sugestão para http://projetodeipanema@terra.com.br/

População de rua

Esse é um problema grave no nosso bairro. Devido até a bondade do nosso povo, muitos mendigos se instalaram nas nossas ruas. A população dá esmolas, comida, roupas e agasalhos. O que muitos não sabem é que a maior parte destes mendigos é profissional do pedintismo.

Eles têm casa em outros bairros e cidades, mas preferem passar a semana aqui, pois conseguem se sustentar, uma vez que a população de Ipanema, de poder aquisitivo mais alto, "paga" os seus "salários".

Já recebemos várias denúncias e apuramos vários fatos que chamam a atenção. Temos nas nossas ruas famílias inteiras, de várias gerações, promovendo desordem, sujeira e algazarra. Alguns deles consomem e vendem drogas. Muitos menores praticam pequenos furtos e aterrorizam a todos, especialmente os mais idosos.

Outro problema grave é que essas famílias exploram suas crianças. Em levantamentos anteriores, apurou-se que uma criança nas ruas de Ipanema arrecada até R$ 80,00 por dia! Enquanto isso, eles não estão na escola, onde podem construir um futuro digno.

É fundamental que os cidadãos de Ipanema entendam o problema e passem a solucioná-lo. Não dêem esmolas! Não alimentem um esquema que ajuda a fazer todos nós vítimas do medo, do constrangimento e da sensação de segurança!

quinta-feira, 4 de outubro de 2007

De Olho na Rua


Para quem não entendeu a cena mostrada na foto: uma jovem carioca, no meio da calçada de Ipanema, realiza uma transação comercial com um sujeito que guarda a mercadoria em uma mochila.

De Olho na Rua


Entre 1998 e 2003, durante roubo de cargas no país, foram assassinados 165 caminhoneiros.

De Olho na Rua



Uma jovem senhora economiza alguns trocados comprando mercadoria roubada ou falsificada, em troca de uma contribuição preciosa ao caos urbano (reparem o espaço que sobra na calçada).

De Olho nas Ruas

Nossos cumprimentos à Polícia Militar:

- Hoje vimos um policial militar chamando atenção de um ciclista na calçada.

- Ontem às 18:30 um policial militar, ao ver um dos meninos de rua sentado em frente ao Itaú da Visconde de Pirajá, próximo à Vinicius, mandou que ele saísse. Falou firme, sem conversa fiada e foi prontamente atendido.

Mas continuamos de olho:

- Hoje às 14:25, no trecho da Visconde entre Henrique Dumont e Aníbal de Mendonça, haviam vários carros parados irregularmente, com pisca-alerta ligado, em frente aos carros que estavam estacionados nas vagas em diagonal do Vaga Certa. Para todos os efeitos, carros parados assim formam uma fila-dupla, pois ficam com a metade da carroceria na rua, o que torna o trânsito naquele pedaço muito ruim. Enquanto isso, no mesmo quarteirão, indiferente ao problema, um policial militar batia um papo descontraído.

Por que lutamos contra os vendedores ambulantes?

Uma das frentes de ação do Projeto de Segurança de Ipanema é o combate aos vendedores ambulantes. Algumas vezes somos interpelados por cidadãos ipanemenses, sejam nas nossas reuniões ou nas ruas, argumentando que isso não seria um problema de segurança, que são apenas desempregados vendendo mercadorias para sobreviver. É necessário que alguns pontos sejam esclarecidos:

1- Os vendedores ajudam a causar a desordem urbana, ocupando espaços destinados à circulação de pessoas. É sabido que a desordem urbana é um dos principais patrocinadores do crime, pois torna mais difícil a identificação dos reais criminosos.

2- A enorme maioria das mercadorias vendidas por ambulantes têm origem no contrabando, na falsificação, no desvio e no roubo de cargas. Isso alimenta uma indústria criminosa que fatura milhões de dólares, utilizando-se de contrabando internacional, subornos em fronteiras, portos e aeroportos, roubos de cargas nas estradas e gerando um grande aumento no valor dos seguros portuários, que no Rio de Janeiro batem recordes e que aumentam os custos dos produtos legais.

3- A indústria e o esquema criminosos citados acima são os mesmos que trazem para o Rio de Janeiro as armas e drogas que afundaram nossa cidade no caos de violência que nos encontramos hoje.

4- Para exemplificar como o comércio ambulante e o crime estão lado a lado, citamos o exemplo de um assaltante que praticava a “saidinha de banco” (assalto a pessoas que saem das agências bancárias) e que vendia DVDs piratas nas suas horas “vagas”. Veja aqui!

Logo, caros cidadãos, antes de defenderem ambulantes que são interpelados por guardas municipais, ou antes de comprarem produtos destes vendedores, pensem em tudo isso. O vendedor em si pode até não ser um criminoso, mas ele está na ponta de um esquema que com certeza é.
O crime é organizado e só o venceremos se nos organizarmos também!

Próxima Reunião - ATENÇÃO - Mudança de Data

Nossa próxima reunião será realizada no dia 9/10, terça-feira, às 18hs, na Universidade Candido Mendes de Ipanema.

quarta-feira, 3 de outubro de 2007

Cumprimentos à Guarda Municipal

Prezado Inspetor Cristo,

Com muita satisfação, estamos observando as operações da Guarda Municipal em Ipanema, conduzidas pessoalmente por V.Sa., o que lhes dá grande credibilidade e inibe a ação dos infratores. A população ipanemense lhe agradece, conte conosco.

Projeto de Segurança de Ipanema

De Olho nas Ruas 3

Na terça feira, dia 25/9/2007, às 10:30 da manhã, na rua Visconde de Pirajá , com o tráfego tumultuado, o caminhão de placa KFU 6758 permaneceu estacionado em fila dupla, sem ser molestado por um PM que o viu, conversou com o motorista e se afastou.

Ação: Esta informação foi encaminhada dia 27/09/2007 ao 23o. BPM

De Olho nas Ruas 2


Guarda municipal fazendo suas compras - em horário de trabalho - nas Lojas Americanas, perto da Aníbal de Mendonça, no dia 20 /9/2007 às 16 hs.

Ação: Foto encaminhada ao Inspetor Cristo

De Olho nas Ruas


Foto tirada na Universidade Cândido Mendes de Ipanema, domingo dia 23/9/2007, às 12.00hs

Ação: Esta foto foi encaminhada ao Lúcio Costa, Coordenador do Controle Urbano do Município, ao Conselho Tutelar do Município (que responde pela população de rua infantil), e para a Sra. Claudia Castro, Coordenadora de Assistência Social do Município, que responde pela população de rua adulta.